quinta-feira, março 29, 2007

O segredo mais bem guardado.


Quase no final do meu esgotante turno, passava eu junto de duas bombeiras que apertavam os "cintos" de uma maca para regressaram à respectiva ambulância, quando uma delas, de óculos de sol na cabeça, subitamente me interpela: "Sr. Enfermeiro, já sabe quem é o tubarão?".

Perante a simpática bombeira esboçei um sorriso, embora na minha ignorância, aquela pergunta tivesse pouco sentido. Enfim, como sabem, diplomaticamente um sorriso é respondido com outro sorriso. Mas resolvi investigar.

Questionei umas colegas, que me colocaram ao corrente, e uma auxiliar teve mesmo a amabilidade de me integrar nos pormenores da ficção.

Após tal explicação, e conversando com as respectivas colegas, concluímos que as diferentes classes profissionais debatem-se com problemas diferentes, mas.... a pergunta inicial pode não ter sido assim tão disparatada!! No final de contas, e seguindo as pistas, pensamos que o "tubarão" poderá ser alguém da... Ordem dos Enfermeiros, e mais não digo, é melhor esperar pelo último episódio para confirmar esta teoria!

É que ao ritmo a que estamos a ser "devorados", só pode ser esta a resposta!

Comments:
"concluímos que as diferentes classes profissionais debatem-se com problemas diferentes"

Não provoca, pois não?
 
"pensamos que o "tubarão" poderá ser alguém da... Ordem dos Enfermeiros"

Tive que me rir com esta...
Vcocê não comenta a bola com os seus colegas??
Não seja anti-social, não invente por uma mera pergunta de alguém que provávelmente até simpatizou consigo...
 
Sempre que aqui venho tenho sempre algumas reservas quanto à inteligibilidade do discurso. E, mais uma vez, as minhas supeitas confirmam-se... essa do tubarão ser da OE?...
...já sei!... está a tentar dedicar-se à literatura de cordel e pensa que esta será a melhor forma de filiar leitores assiduos, deixando-os em suspense aguardando ansiosamente pelo novo capitulo... é uma estratégia fraca tendo em consideração a qualidade mediocre da escrita, e com uma total inadequação de metáforas.
Deixe-se disso...
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Então voces não vêm novelas??
Esse tubarão é o da novela da tvi! È o grande mistério!
Que falta de cultura tele-novelistica!!!!
 
Quer dizer... toda a gente vem aqui dizer mal deste post... eu digo que é RIDÍCULO e o meu comment é apagado?? Tá boa esta...
 
"Sempre que aqui venho tenho sempre algumas reservas quanto à inteligibilidade do discurso. E, mais uma vez, as minhas supeitas confirmam-se... essa do tubarão ser da OE?...
...já sei!... está a tentar dedicar-se à literatura de cordel e pensa que esta será a melhor forma de filiar leitores assiduos, deixando-os em suspense aguardando ansiosamente pelo novo capitulo... é uma estratégia fraca tendo em consideração a qualidade mediocre da escrita, e com uma total inadequação de metáforas.
Deixe-se disso..."

Quem fez este comentário é naturalmente da OE.
 
O tubarão vai ser cortado às postas e dado a comer às milhares de sardinhas que andam por aí esfomeadas...
 
A qualidade deste blog, assim como o seu impacto em diferentes classes profissionais está mais que cimentado...uma verdadeira referência neste meio de exposição e debate!
A verdade é que, até quando os posts publicados não agradam, os visitantes comentam;)

Parabéns, mais uma vez, ao colega Doutorenfermeiro!
 
"Falem bem ou mal de mim, MAS FALEM!" (..., 2005)
Abraço!
 
ççç
 
Vim a este blog pela primeira vez, e esperava encontrar um espaço de reflexão construtivo, e qual não é o meu espanto ao encontrar um onde se confunde a infantilidade com a falta de principios próprios de quem não tem formação pessoal.Com formação em enfermagem, respeito muito os enfermeiros e reconheço a enfermagem como profissão digna e de nivel superior. Quando fiz o curso de enfermagem ainda não era curso superior, mas no entanto nunca assisti á falta de respito entre os seus pares.Posso não concordar com alguns aspectos filosóficos de enquadramento da enfermagem actual, mas respeito. Fiz outra licenciatira na área médica, sempre fui respeitado enquanto estudante e trabalhador com a profissão de enfermagem, quer pelos meus colegas estudantes quer pelos professores da faculdade da área médica, nunca fui tratado como se trata aqui a enfermagem e os enfermeiros.Quem não está contente com a profissão, sempre pode escolher outra, não tem é o direito de denegrir a profissão, quem a representa ou a sua ordem. Para críticas, com sentido construtivo existe espaços próprios para o efeito, o contrário não passará de canalhice e calúnias. existem profissões que não tem formação académica, em que os seus pares não se tratam assim. Nem os pedreiros ou agricultores lá da minha aldeia, com nobres profissões tambem, mas que pela sua infelicidade não tiveram acesso a formação, assim actuam!!
Estes espaços devem servir de veiculo de transmissão para a população em geral de uma imagem positiva de aquilo que é o profissional de enfermagem e a sua profissão. Um cidadão comum, ao ler este blog, como vai confiar no enfermeiro? que imagem vai ter dele?´Felizmente conheço muitos enfermeiros que aqui não se enquardram e são estes, tambem felizmente difundem na população a imagem do enfermeiro, como profissional com dignidade, honestidade e bom senso. A enfermagem é uma profissão superior, de elite e bem conceituada e para que saibam os mais novos, foram muitos dos actuais representantes dos órgãos da ordem que lutaram para que atingisse o patamar no qual se encontra actualmente a profissão.
Ao caluniar quem representa a ordem está a caluniar todos os enfermeiros, e isso não é um direito. Liberdade de expressão não é criticar negativamente sem fundamentar. Com esta atitude nem sequer deveria ser candidato a bastonário desta ou qualquer outra profissão, pois para isso deve-se ser alguem com principios éticos, morais e deontológicos refrentes á sua actividade profissional. Nem é de homem efectuar tais calúnias escondido sob um pseudónimo. espero que isto não passe de um estadio de infantilidade do senhor, e que um dia acorde com maturidade e peça desculpa a todos os enfermeiros.
Conheço muitos enfermeiros e alguns até com doutoramentos, e olhe, podem até não concordar com o caminho seguido pela ordem, mas têm uma atitude digníssima, ou fazem crtiticas constrituvas nos sitios certos e fundametam ou estão calados. Porque estar calado no momento certo, alem de ser uma virtude é um sinal de grande inteligência. Se não estã de facto contente com a profissão, as faculdades tem as portas abertas ou até há outros empregos que só necessitam do 9ª ou 12º ano. Mas atenção, aconselho-o a mudar o estilo de discurso, porque em qualquer uma delas, se assim agir será mal visto.
Bem haja a nobre enfermagem, os enfermeiros e a Ordem, profissão digna que espectacularmente teve um desenvolvimento profissional e cientifico brilhante, ao ponto de fazer parte dos senados universitários, mas claro está à custa de aqueles que com nobreza, dignidade e respeito por isso fizeram. Os jovens enfermeiros que respeitem aqueles que por isso fizeram e não se esqueçam que se hoje tem o curso com nível de licenciados, o devem aqueles que aqui criticam.
Para terminar jovem cavalheiro, eu sim sou Doutor e Enfermeiro, e tenho orgulho em ambas as qualificações, e se em algum momento senti que não estava bem optei por me formar na área médica. Tenha a coragem, se não concorda e não dá opiniõs construtivas, de entregar o seu cartão de sócio à Ordem dos Enfermeiros!!
Respeitosamente Carlos M.
 
Esquecime de pedir para ter a coragem de colocar na primeira página o meu comentário anterior.
Obrigado pela atenção
Carlos M.
 
Comentário nº 7
Quem fez este comentário é naturalmente da OE.

O seu mundo é muito pequenino, não é!?!....
...sinto pena por si.
 
Pequeno é o seu, jovem, vive no mundo dos pequeninos e age como tal: infantilidade, imaturidade (vive no seu mundo da ilusão e da revolta, por não conseguir sair dele e se mostrar)
Cresça....
atentamente
Carlos M.

P.S. Como deve saber o exercicio da medicina é incompatível com a enfermagem, pelo que na verdade não faço parte da Ordem dos enfermeiros
 
Os enfermeiros e auxiliares de enfermagem de antigamente podiam ingressar nas escolas com o 6º ano.
Lutaram por uma Licenciatura em Enfermagem mas gostaria de saber que efeitos práticos os enfermeiros sentiram. Não venham com as histórias dos mestrados e doutoramentos, porque isso já se sabe.
Aumentaram-se os salários? R.: Não.
Houve alguma evolução ao nível de conhecimentos técnico-científicos dos enfermeiros licenciados? R.: Em parte sim, mas vê-se muito enfermeiro de canudo na mão que é o protótipo do ignorante e, por mais incrível que pareça, os ignorantes são muitas vezes, os que arranjam com mais facilidade emprego, não aproveitando as nossas instituições as mentes brilhantes que há por aí.
Continuam-se a ver jovens licenciados sem uma formação de base adequada, sem espírito de iniciativa, sempre à espera da ordem deste e daquele para fazer alguma coisa, sem sequer saber, por exemplo, os valores tensionais normais de um adulto...
Tal como noutras profissões e uma vez que o ministério do ensino superior mistura o péssimo com o óptimo, a Ordem dos Enfermeiros deveria preocupar-se seriamente em fazer a devida filtragem dos enfermeiros.
A Ordem dos Advogados estabelece 3 exames de acesso à Ordem, pois sabe perfeitamente que tirar o curso de Direito, por exemplo, na clássica de Lisboa é completamente diferente de tirá-lo na Univ. Independente.
Os médicos também fazem um exame igual para todos para o ingresso nas especialidades. Já se sabe que numa faculdade um 12 pode corresponder a um 17 na outra.
Em Enfermagem, é muito pior, porque além das mais de 40 escolas que há por aí, numas os alunos entram com médias elevadíssimas e noutras entram com médias negativas. Qual também não foi o meu espanto, quando vi alunos de enfermagem a estagiar em serviços de terapia ocupacional. Estavam a fazer trabalhos manuais com os doentes... Pensei que estava no cinema a ver um filme cómico!
Da próxima vez que for a um hospital como doente, vou perguntar onde o enfermeiro tirou o curso para não ter de me cruzar com pessoas que nem sabem avaliar os valores de TA ou que só sabem fazer aviõezinhos de papel.
Se querem que a Enfermagem seja isto ou aquilo, comecem por se preocupar com a qualidade do curso de base, porque sem essa qualidade daqui a uns tempos voltaremos atrás no tempo. Continuaremos a ser os empregados dos médicos, só que com o cromo de «licenciado da treta». Antes bacharel culto do que licenciado ignorante.
 
Anónimo (o último): concordo completamente... Há recém-licenciados que pagaram um avião para os levar pelo ensino fora e que de enfermeiros têm muito pouco...
Infelizmente só há duas entidades que podem regular isso: a OE, que nada vai fazer porque as cotas dos milhares de desempregados acabam por dar jeito, e as instituições empregadoras, que neste momento dão-se ao luxo de ter salas cheias de currículos de gente a "implorar" por um emprego. Por um lado era bom que vissem a nota de um aluno (em vez do nome), mas por outro seria ainda melhor que proporcionassem um mini estágio (um par de dias no máximo) para verem onde andam os verdadeiros enfermeiros...

Agora, será que isto interessa a alguém? Sim, às únicas pessoas que não podem fazer nada em relação a isso: os Enfermeiros e os Utentes...
 
Cara Existenze A OE até tem um projecto pr "regular" o acesso de novos enfermeiros à profissão, como é do conheciemnto geral e que estará a votação na próxima assembleia geral a 14 de Abril em Lisboa, lá é o local certo para participar, porque não basta ficar pelos comentários, quem está tãp interessado no desenvolvimento da profissão, deve ir aos locais próprios onde poedrá dar contributos importantes para a enfermagem.
Bem hajam
Maria Constança
 
Certo... Porque fazer 8h de viagem em cada sentido é muito agradável... Então em semana de trabalho punha um enfermeiro fresquiunho para recomeçar...

É muito bonito pedir às pessoas que participem, mas esquecem-se que para haver futuro de enfermagem tem de haver presente. Se todos formos à AG, quem presta cuidados?

Nem toda a gente trabalha atrás de uma secretária a preparar aulas ou a decidir o que podem fazer para dar a ideia de evolução. Há quem esteja em hospitais, CS's e outras unidades de cuidados (uns 90% talvez) e não tem oportunidade de se fazer à estrada...

Quanto ao "conhecimento geral", será que está a falar da convocatória com um monte de alíneas que só quem esteve na anterior é que percebe?
 
Caro existense,
Se a OE não regular a profissão, serão as instituições empregadoras que o irão fazer; concordo. Mas a OE somos nós todos e é precisamente nas assembleias que temos voz e direito a voto, decidir. A OE não tem quaisquer poderes junto do Ministério da Educação para reduzir o número de vagas de acesso ao curso de Enfermagem; nem a OE nem os sindicatos. Para isso seria necessário intervenção politica, e como sabes os Enfermeiros estão muito arredados da política. Quantos deputados Enfermeiros temos? Quantos autarcas Enfermeiro temos?
Se a OE não regular a profissão é precisamente isso que irá acontecer, estágios profissionais. E como deves imaginar isso é muito mau, serão as instituições a decidir o que tu fazes ou não; adeus autonomia profissional.
A proposta de desenvolvimento profissional que a OE apresenta é precisamente para evitar essa situação e manter a regulação da profissão nas nossas mãos. Propõe: um período de desempenho profissional tutelado, por um Enfermeiro Tutor, para os Enfermeiros recém formados, durante o qual o Tutorando irá desenvolver competências; à semelhança do internato dos médicos. É assim que os Médicos regulam o número de vagas de acesso a Medicina. Estando os vários ministérios envolvidos, e obrigados a abrir vagas nos hospitais e CS para o internato, não abrem vagas para o curso, desnecessárias ao mercado de trabalho. Esse Médicos tem emprego garantido durante o internato, no final do qual já desenvolveram competências. Parece-me que se tudo continuar como até aqui, irão surgir estágios profissionais tutelados pelas instituições empregadoras, e nem sequer serão pagos.
Visita o site da OE, lá podes encontrar informação acerca deste assunto.
 
Caro Carlos M.
Calculo que deva saber ler.
O meu comentário, e tal como está escrito, dirige-se ao comentário (post) numero 7, e inclusivamente as letras encontram-se em itálico que, calculo que saiba, corresponde a um citação. Eu não o citei nem tão pouco lhe dirigi qualquer comentário face ao que escreveu. Portanto quando escreve Pequeno é o seu, jovem, vive no mundo dos pequeninos e age como tal: infantilidade, imaturidade (vive no seu mundo da ilusão e da revolta, por não conseguir sair dele e se mostrar)
Cresça....
atentamente
Carlos M.

Devo-lhe dizer, EU, para o senhor crescer e ler atentamente o que está escrito para se poder comentar adequadamente. Pelos vistos as Licenciaturas em Enfermagem e, agora, Medicina não lhe desenvolveram a competência da leitura e da interpretação correcta.
...pudera...são competências que supostamente se adquirem no ensino secundário...
Agora sou eu que lhe digo: CRESÇA e deixe-se de INFANTILIDADES.
 
A OE nem precisava de restringir o número de escolas abertas. Isso acontecia por consequência. Bastava terem o poder e a vontade de perguntar "vens de que escola? então vai tirar o curso numa escola a sério e depois volta...".
 
Existence:
"vens de que escola? então vai tirar o curso numa escola a sério e depois volta..."
Acha que seria justo para com os estudantes que após passarem 4 anos, nas melhores das hipoteses, a tirarem um curso para depois não serem reconhecidos? Os estudantes são os ultimos a serem penalizados, não têm culpa da incompentência de alguns estabelecimentos de ensino.
A abertura e a proliferação de escolas, privadas, que ministram a Licenciatura em Enfermagem é que devia ser regulada. Mas isso não é da competência da OE, mas sim do Ministério.
 
Esqueci-me de assinar:
JPP
 
A OE realmente não é o ministro do ensino superior, mas tem a sua parte de culpa no aumento das vagas e das escolas que nasceram como cogumelos. E tem culpa porque continua a dizer que há falta de enfermeiros, pq não se atingiu o rácio. Gostaria de saber se os enfermeiros que emigram (é que a moda da emigração entre enfermeiros começa a pegar) contam para esse rácio. Claro que não contam! Contam para o rácio do país para onde vão. Se este ano todos os alunos que acabam o curso decidissem emigrar, continuariam a faltar não sei qts mil enfermeiros para atingir o rácio. Poderia ser que no próximo século se conseguisse atingir o tão falado rácio.
E outra coisa. Não deve dar muito jeito a alguns senhores e senhoras acabar com escolas ou diminuir as vagas.
Os médicos, qd se fala em aumento de vagas para Medicina, fazem logo barulho (pudera! e fazem eles mto bem). E qual a justificação que dão para não se abrirem privadas de medicina? Uma delas é: se o curso fosse ministrado em estabelecimento privado, os internatos e tudo mais, teriam de ser efectuados em hospitais privados e não há hospital privado em Portugal que assegure uma formação em medicina de qualidade. Tudo isto é questionável, mas eles bem que se fazem à vidinha, pois há que manter o estatuto da classe médica.
Começo a constatar que a OE afinal não tem poder nenhum. É incrível como não se pode mexer. Nada é da sua competência. Não pode fazer isto, não pode fazer akilo, patati patata... Parece que só pode mesmo exigir o pagamento de quotas. Mais valia tornar-se numa instituição bancária.
Agora ker criar o ano de internato para enfermeiros, para tentar remediar a borrada que já foi feita. Em qto tempo vão aumentar o curso? E os tutores, pode ser qq um?
Vou começar a dizer aos alunos que mais vale tirarem o curso noutro país europeu. Estudam menos anos, arranjam logo emprego e qd kiserem vir pra cá, a OE é obrigada a dar-lhes equivalência.
 
Em vez de tubarão, eu diria baleia assassina...lololol
 
Estou fã deste blog. Alia a comicidade à discussão de temas sérios e pertinentes.
Rio-me imenso com os posts e comentários que aqui são feitos. Revelam uma escrita satírica muito boa, apesar de algumas pessoas não lhe acharem piada nenhuma, mas até esses têm a sua graça.
Felicito o gestor do blog!
 
De: Medico8
Para: Os mordomos da classe medica

Caros mordomos, há muito que não visitava a maquina de lavar roupa suja do Doutorenfermiero, e desde já voos saúdo (ironia) …

Não foi para mim um espanto continuar a ler achincalhos aos TAE`s e tudo isso porque de forma alguma estão a conseguir denegrir a imagem do profissionalismo que os TAE`s vêem a desempenhar. E essa nossa imagem cada vez mais elogiada por diferentes classes de profissionais do ramo da saúde e pela população em geral, temos que agradecer aos mordomos da classe medica que elaboraram e participam nesta maquina de lavar roupa suja criada pelo azeiteiro doutorenfermeiro. Essas palavras desencorajadoras e infundadas, só nos fazem ser mais profissionais e abraçar cada vez mais a nossa PROFISSÃO.

Acho que os meus colegas serão da mesma opinião, que cada dia que passa, mostramos maior qualidade técnica no desempenho de funções no pré-hospitalar comparadas com as realizadas pelos Mordomos!! Não falo da formação em SAV, para a qual apenas temos a formação de apoio ao mesmo, falo da formação em SBV e técnicas de trauma que é exactamente igual para os TAE`s como para os Mordomos. Esclareça-se aqui para os Mordomos que não fazem Emergengia Medica que rondam os 99,9 %, para não falar nos que não exercem, por falta de colocação, que para um Mordomo poder ingressar numa VMER, tem de tirar uma formação especializada em que lhe é administrada alguma formação igual à que o TAE recebe e ai nós somos a salvação do mordomo que treme ao deparar-se com certas situações esperando a iniciativa do TAE.

Gostava aqui de partilhar convosco uma situação:
Fui accionado para uma PCR, chegando ao mesmo tempo que a VMER. À nossa chegada deparamo-nos com uma vitima de sexo masculino em PCR sentado numa cadeira. O Mordomo decidiu ver, usando as pás do desfibrilhador, se a vitima tinha algum ritmo, espero que tivesse a procurar um ritmo desfibrilhável, pois já tinha pesquisado pulso carótideo e nada detectou. Até aqui, nada a apontar.
O que estranhei, e aqui peço um esclarecimento à ciência de enfermagem, O senhor enfermeiro a colocar gel no tórax do senhor e a espalha-lo nas pás, esfregando sobre o tórax da vitima ( Seria alguma terapia alternativa, digna de qualquer SPA de luxo??) Dizendo de seguida, “afastar”(estaria ele a comunicar com o cadáver? Ou estaria ele a pensar desfibrilhar o cadáver sentado?? Deve ser algum sistema “EJECT” para PCR…. Claro que a vitima apresentava assistolia….

É para atitudes destas que os Mordomos querem o poder da emergência medica??

Será que não tem outra forma de fazer curriculum para poderem entrar para uma unidade de cuidados intensivos sem ser com a experiência de emergência pré-hospitalar??

Abro aqui neste blog uma nova Área…
 
De: Medico8
Para: Mordomos sem colocação

Classificados:
Precisam-se Mordomos para um lar em Benfica onde prestei socorro à pouco tempo, para substituição de Mordomo a prestar funções actualmente e que nem uma aspiração de secreções soube fazer e sem paciência ou cordialidade para os idosos lá existentes…
Contactos- Contactar Medico8

Depois digam que não sou amigo…
 
Caro Medico8

Inicialmente pensei em não responder às suas mensagens, dado que ambas revelam demasiadas coisas da sua personalidade que merecem a ignorância, e talvez desprezo, de quem gosta de argumentar com um mínino de nível, que você claramente não atinge.

Contudo e por mero passatempo, vou intervir pela primeira vez neste blog para lhe perguntar duas ou três coisas:

O que anda tão elevada personalidade (a Sua caso não tenha percebido a ironia) misturado num reles blog de tão reles classe profissional?

Não noto aí um bocadinho de inveja??

Indiferença não é de certeza...

Será que lhe faltou algo para chegar a quem critica?? Competência, dedicação, esforço, inteligência??? bom senso ou racionalidade??

Não tenho nada contra os TAE! Todos os profissionais têm as suas atribuições e competências próprias que devem ser respeitadas.

Se sabe tanto de emergência conhece a cadeia de sobrevivência e sabe que esta quebra pelo elo mais fraco. É por isso que a nossa população só ganha quando somos todos o mais competentes possível.

Maus profissionais há em todo lado, mas felizmente a maior parte deles mantêm-se escondido. Para nosso azar, o seu narcisismo trouxe até nós tão nobres opiniões.

Pois deixe-me informá-lo que a OMS definiu como uma das formas de melhorar a qualidade e segurança dos doentes que fossem aumentados, não os rácios de mordomos, mas os rácios de enfermeiros por família. Pode ir ao site oficial, que está lá escrito (não lhe digo qual é porque seria uma ofensa para alguém tao inteligente)

É engraçado como uma profissão, tão reles como refere, tenha documentos oficiais (e não o disse que disse) a reconhecer-lhe valor.

Tenho pena que os TAE estejam tao mal representados, por alguém que em vez de lhes louvar o valor vem para blogs de profissões que claramente desconhece dizer mal.

Por último concordar consigo numa coisa: o nível de qualidade deste blog poderia aumentar em muito. Infelizmente não foi com o contributo desta nossa discussão que isso aconteceu.

Enf. Miguel Pires
 
De: Medico8
Para: Enf. Miguel Pires

Quero esclarece-lo que eu não represento ninguém, acha que um individuo com a personalidade que o sr. avaliou, poderia ser um líder? Não me parece.
Mas tenho que lhe dar um desconto, pois o Sr. não acompanha os meus comentários de início.
Se quiser estar actualizado comece a ler os comentários que fiz aos post colocados a partir de Janeiro de 2007.
Sempre ao dispor...
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!