terça-feira, maio 15, 2007

As "aves raras" e a paciência infinita dos Enfermeiros!




Os médicos continuam a sua saga "anti-Enfermagem"! Já se aperceberam que de nada vale apelar ao ministro da saúde, pois mesmo este que já começa a ser indiferente às fanfarronices destes profissinonais, pelo que estes começam (a tentar) acalentar uma campanha contra os Enfermeiros nas televisões, jornais e rádios, que por sua vez sequiosas de "notícias-sensação" alimentam a estupidez e a ignorância médica...

Mas nem todos os médicos (porque nem todos cabem dentro do mesmo "saco", claro!) se prestam a este circo!

Nesta peça emitida pela TVI, estas duas "aves raras" deram a cara: um tal sindicalista, que é sobejamente conhecido pelas suas "macacadas" em público, chamado Carlos Arroz (CA) e um outro, este sim, de veia poética, chamado José Manuel Silva (JMS), que era o último que faltava na caderneta! Este JMS é tão impressionantemente banal, que todas as vezes que o ouvi ou li, não diz ou escreve nada de novo! Simplesmente faz figuras aparlemadas, tal como fez no programa prós e contras, emitido pela RTP. E parece gostar!

A classe médica insiste no slogan "vai morrer gente em Bragança", numa tentativa frustrada de ilustrar o problema com que se debatem: a renúncia de médicos no SAP de Bragança! A classe médica estava (mal!) habituada a negociar como queriam e com quem queriam na base do pressuposto "nós-somos-imprescindíveis-à-saúde"!!

Ora, tal e qual como acontece nos países avançados, os Enfermeiros são profissionais que têm competância para assumir as suas responsabilidades! O sr. CA afirma nesta peça da TVI que o "país está doido" ou que vai haver "mortes desnecessárias", pois apesar de esstar apenas um Enfermeiro no serviço, o INEM continua a drenar urgências para o SAP de Bragança, e a população continuar a afluir, para serem observadas pelos Enfermeiros!

Esta última afirmação é curiosa ("vai haver "mortes desnecessárias""), pois recentemente médicos da VMER de Bragança recusaram-se a trabalhar se os seus honorários não fosse aumentados de 17 para 25 euros/hora (argumentos económicos!!), deixando a VMER INOP, e a população exposta ao risco de "mortes desnecessárias"! Logo, parece-me pateta virem criticar esta situação situação desta forma! Serão esquecidos ou fazem-se esquecidos?

Será que estes dois, CA e JMS, não sabem em que moldes funcionam os serviços de urgência do Reino Unido e Austrália por exemplo? Tão sapientes para umas coisas e tão ignorantes para outras!!

O Ministro da Saúde colhe o apoio da Ordem dos Enfermeiros!

Resta à Ordem e ao Ministério da Saúde a atribuição e reconhecimento legal de novas competências para os Enfermeiros, que são imprescindíveis para autonomia da classe! Quem tiver oportunidade de visionar a referida peça da TVI, terá oportunidade de ver a bastonária da Ordem dos Enfermeiros a defender a nossa posição, perante a ofensiva desesperada de duas "aves raras" que escaparam do circo!

Comments:
Vejam um comentário do Carlos no post "Grunhidos...", e certifiquem -se no site sugerido, do que se passa nos EUA, quanto aos estudos avançados de enfermagem e as suas competências. Provávelmente, todas estas inquietudes por parte dos médicos é, terem conhecimento de que, dia menos dia, os enfermeiros, vão passar a ter competências dos médicos de saúde familiar....e vão salvar vidas, talvez com tanta ou mais eficácia, claro que o governo vai se aproveitar e poupar uns euritos, pois não vai pagar tanto aos enfermeiros...mas não interessa, vamos ao essencial, e de facto cabe agora às estruturas representativas dos enfermeiros, saber qual o caminho que os enfermeiros, nomeadamente dos cuidados primários, querem seguir. E os profes das Escolas Superiores, têm que começar a entender, que o caminho a seguir é esse. Conheço alguns, que quando exerciam enfermagem de cuidados, praticavam alguns actos dos médicos e estavam sempre a defender que o enfermeiro deveria ter autonomia para isso, agora que são das escolas defendem uma enfermagem de "teorias" e de "mezinhas", não aproveitando os erros cometidos nos países evoluidos e partirem logo para o mais avançado. E as Universidades?? Será que não há uma em Portugal, que tenha o arrojo de impor um curso de "enfermagem avançada" nesse sentido?? Ou vamos continuar só a investigar os aspectos psicológicos (que tambem são dos psicólogos), os problemas sociais (que tambem são dos Assistentes sociais)e muitas outras ciências do foro das ciências humanas e vamos deixar para trás, as ciências da saúde?? Reparem não disse ciências médicas...
vamos lá!
 
São simplesmente VELHOS DO RESTELO!!!
 
Caro doutorenfermeiro, um grande post!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Assim vamos lá!
 
Foi com enorme prazer que acabei de ouvir, na RTP N, o Sr.Enf.º Sérgio Gomes, coordenador da linha de saúde pública, da Direcção Geral da Saúde – DGS, num programa subordinado ao tema: " Sabe que medidas tomar contra o calor?"
Estão de parabéns a DGS e os seus profissionais de relações públicas pelo trabalho desenvolvido. Pela qualidade e investimento presente na publicidade feita à linha saúde 24, quer na televisão, quer na imprensa escrita, que é da responsabilidade de profissionais de enfermagem, inclusivamente coordenação. Pela imagem adulta e profissional dos enfermeiros vinculada por esses anúncios publicitários. E por, finalmente, parecer que o ministério da saúde e a DGS perceberam e se renderam à evidência que os enfermeiros são os profissionais nos quais se devem apoiar se pretenderem operar mudanças no Sistema Nacional de Saúde, acrescentando valor aos cuidados prestados às populações.
Está também de parabéns o Sr.Enf.º Sérgio Gomes, que esteve no programa na qualidade de especialista em saúde, pela forma como representou a DGS e os enfermeiros.
 
De facto, parece que se estão a criar condições para a enfermagem progredir, exige-se essa evolução, contudo não podemos esquecer as nossas funções de base e valorizar as nossas competências actuais.

Gostava de felicitar o doutor enfermeiro pelo número e qualidade dos posts, sendo para mim um ponto informativo quase diário sobre a enfermagem.
Enf. Rui
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
A higiene tem muito que se lhe diga. Posso dizer-lhe que foram as medidas higienistas, implementadas por Florence Nightingale, que salvaram a vida a milhares de soldados inglese na Guerra da Criméia. São os enfermeiros que garantem a manutenção das medidas de prevenção de infecção hospitalar, muitas vezes sem a necessária colaboração de outros profissionais; que com a sua não colaboração parece mostrar que a evidência científica não está na base das suas intervenções e tomada de decisão.
A enfermagem está ao mesmo nível técnico e cientifico que qualquer outra ciência, nomeadamente na área da saúde; portanto, aptos para nos pronunciarmos sobre temáticas relacionadas com a saúde, inclusivamente com o estatuto de especialistas.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Ex.mos comentadores cujos comentários foram apagados:

devido à linguagem pouco adequada, os vossos comentários foram apagados por mim.
Têm toda a liberdade para opinarem, dentro dos limites do tolerável.
Obrigado pela compreensão.
 
Caro comentador,

Sou Enfermeiro porque quero e nao por ter obsessâo de me tornar em médico, como muitos.

Tal como o meu exemplo, existem muitos outros. Um dos mais conhecidos é ainda o exemplo da primeira Bastonaria dos Enfermeiros, que abandonou Medicina para se dedicar à Enfermagem.

Ser médico não é ser mais que os outros. Para sua informaçao devo até ter mais formaçao que o senhor do comentário atras ( 4anos Licenciatura Enfermagem; 2 anos de Mestrado; 2 anos de Especialidade; 2 anos de 2 pós graduações; 4 anos Doutoramento...).

Meu caro e digo lhe mais, UM hOMEM VALE POR AQUILO QUE FAZ E NAO POR AQUILO QUE DEMONSTRA SER. È NA RELAÇAO COM O OUTRO QUE SE DESTINGUE. É NA RELAÇAO DE AJUDA PARA COM O DOENTE QUE SE DESTINGUE E ISSO NAO SE ADQUIRE NA FORMAÇAO, MAS NA PRÁTICA DIARIA PARA COM ELE.

MAIS VALE UM LICENCIADO EM ENFERMAGEM DO QUE UM LICENCIADO EM MEDICINA, QUE APESAR DE LICENCIADO NADA SABE FAZER.

DA MESMA FORMA QUE NEM SE FALA DO SENHOR ESPECIALISTA QUE DORME NAS HORAS EXTRAORDINARIAS E O ENFERMEIRO( LICENCIADO, MESTRADO) TRABALHA.....


EX ALUNO DE MEDICINA...
 
DESTINGUE x 2

Doutoramentos...
 
MAIS VALE UM LICENCIADO EM ENFERMAGEM DO QUE UM LICENCIADO EM MEDICINA, QUE APESAR DE LICENCIADO NADA SABE FAZER.

Gostei!

FAzem a mesma coisa, logo pode comparar-se desta forma!
 
A cobardia chegou ao ponto de enfermeiros de aviário assinarem os textos com"EX-estudante de medicina". Como é possível!
Os fracassos não se camuflam, assumem-se. O nível de formação: lic. mestrado, dout. revela-se pelos erros formais, ortográficos... contidos no texto expositivo-argumentativo, onde os argumentos e os contra-argumentos se esbatem e revelam um profissional apenas para "ver".
Não acredito e ninguém acredita que alguém abdique do curso de Medicina para se "entregar" à função missionária ... O não assumir a fraqueza é o argumento derrotador que leva a não acreditar em nada do que é afirmado. Ex-Piaget? Ex-...
 
Caro enfermeiro, pode o seu curriculum ser vasto, o seu curso ter a duração de n+1 anos, mas um médico nunca escreve destingue, nem ... encarne aquilo que é e não tente afirmar-se por oposição aquilo que os outros conseguiram ser.
Fez o 12º no Ribadouro para ir para enfermagem? ou frequentou ou SUCs à noite?
Nem médico, nem enfermeiro, sou apenas um utente da saúde
 
Caro enfermeiro, pode o seu curriculum ser vasto, o seu curso ter a duração de n+1 anos, mas um médico nunca escreve destingue, nem ... encarne aquilo que é e não tente afirmar-se por oposição aquilo que os outros conseguiram ser.
Fez o 12º no Ribadouro para ir para enfermagem? ou frequentou ou SUCs à noite?
Nem médico, nem enfermeiro, sou apenas um utente da saúde
 
"Não acredito e ninguém acredita que alguém abdique do curso de Medicina para se "entregar" à função missionária ..."

Cada qual pensa sempre que a sua posição é a maior, a sua profissão a mais prestigiante... etc.., mas este comentário é o mais ignorante que já vi na minha vida.
Quem conhece a primeira bastonária da ordem dos enfermeiros deverá saber que a mesma desistiu do curso de medicina para ingressar em enfermagem....
E que espírito paupérrimo tem este aluno de medicina ao vir para aqui fazer crer que pela ortografia ou pelo vocabulário elaborado se deduz alguma coisa...
Ó homem, já se apercebeu que está num blog? E que nos blogs os assuntos debatem-se "terra a terra" e que muitos erros ortográficos devem-se ao facto de se querer dactilografar rápido...?
Eu nem preciso de ler o seu comentário para deduzir a sua intelectualidade ignorante...
Lembre-se que quando deixar o mundo terreno para ser decomposto pelos microorganismos do subsolo, de certeza que será um enfermeiro que lhe apertará os queixos e colocará uma etiqueta identificativa na testa... tal e qual todos os outros, pobres, ricos,gordos, magros...! Por isso, deixe essa nuvem e ponha os pés na terra!
E veja à sua volta, já não está no séc. XX, os enfermeiros evoluiram!
 
DESTINGUE x 2

nao é erro de tipificação! é burrice! tipico da classe...

as senhoras enfermeiras preferem ler a revista maria... em vez de ler a visão (por exemplo...)
nos meus tempos de enfermgem diziam-me: que coisa aborrecida... a maria TEM SEMPRE HISTÓRIAS mais interessantes!
isto diz tudo!
 
Ao senhor enfermeiro dos doutoramentos:

Que interesse tem o seu doutoramento? Você é melhor que os enfermeiros dos EUA? Será que não é suficientemente inteligente, para perceber que as profissões estão sempre em completa mudança, evoluindo para aquilo que se considera melhor para a humanidade? Já reparou que a na enfermagem , que tem sido o motor da evolução desta ciência, tem sido as escolas americanas? Ou é dos que quer continuar na mesma, para daqui a mais cem anos chegar à conclusão que na realidade temos que seguir o mesmo caminho que eles? porque não Já? De que tem servido os Doutoramentos de enfermagem em Portugal?? Continuamos a fazer o mesmo que há vinte ou trinta anos atrás, e tirando um em cada cem doutoramentos (provavvekmente, não passam de documentos arquivados que nada tem contribuido para a enfermagem, até porque na maior parte deles, tem sido tirados fora do ambito das ciências de enfermagem.
Para terminar não percebo, nem consigo entender, porque é que os enfermeiros ao passarem a ter novas competências, deixam de ser humanos. Até porque essas competências, já são exercidas por muitos enfermeiros, apenas não tem uma base legal que a suporte (no nosso país), Alem do mais os médicos são tão humanos como os enfermeiros, isso não esta na profissão, mas nas pessoas.
Já chega de doutoramentos virados para a psicologia, filosofia, sociologia, faça-se doutoramentos em áreas que tragam conhecimento e competências aos enfermeiros para poderem tartar os seus doentes, com melhor qualidade!
 
Para reflectir:

tenho pesquisado a evolução e prática da enfermagem nos EUA, e para alem do muito que aqui já foi dito, por exemplo prática de enfermagem em cuidados primários, com total autonomia e independência, com competências idênticas aos Médicos de Familia, tambem existe uma especialidade: Enfermagem de Anestesia, que é um "master" feito em faculdades de medicina ou faculdades de enfermagem, que depois do curso têm obrigatóriamente de se inscreverem na Associação dos enfermeiros anestesistas para poderem exercer, e reparem: São completamente autónomos, efectuam consultas pré-anestesia, fazem anestesia (geral, regional, loco regional, como epidurais, etc,) com indepêndência médica, e seguem os doentes no póst-operatório, medicam e fazem analgesia.
Tudo isto num país muito mais evoluído do que o nosso, e como sabem, muito exigente em termos de responsabilidade profissional. Já foram efectuados estudos acerca da eficácia destes profissionais e acerca do erro, e chegaram á conclusão que não é maior de que os médicos anestesistas.
O que isto quer Dizer? No meu entender, de facto há muitas áreas médicas que não necessitam um desenvolvimento tão longo, em termos de estudo, e podem ser algumas áreas abarcadas por enfermeiros, com estudos especializados. Os enfermeiros têm uma boa formação´básica na área das ciências da saúde permitindo-lhes desenvolver determinadas áreas, com autonomia. De facto, porque gasta tanto o estado a formar médicos especialistas em determinadas àreas, quando se podem desenvolver as mesmas com outros profissionas, em menos tempo e mais barato? e nas áreas médicas que exigem mais estudos, deve o estado, assim investir para ter qualidade em áreas complexas.
Se nos EUA, chegaram a esta conclusão, qaunto tempo, vamos esperar nós, Europeus, para fazer o mesmo? Não deveriamos aproveitar e arrepiar caminho? Por exemplo o curso de medicina nesse País é de 4 anos!! E os médicos são piores que os da Europa? De onde sai a maior parte da investigação da área das ciências da Saúde??
 
Gostei especialmente do comentario das revistas "Maria".... pq de facto é verdade!! Basta ir a um gabinete de enfermagem meia hora antes de passar o turno e lá estão as enfermeirinhas todas na sua hora de culto, a ler a sua bela revistinha! lol
 
Que por sua vez, os medicos aproveitam para ir lá para também se instruirem dos casos que escreveram na Maria!!!!
 
Meus amigos, se há enfermeiras que gostam de ler a Maria, o problema é delas, apesar de cada vez mais me aperceber que a classe dos enfermeiros é totalmente heterogénea. Tanto há enfermeiros muito inteligentes, como há enfermeiros muito burros, por mais que isto me custe admitir. Aqui há uns dias, encontrei-me com um enfermeiro que tinha orientado em estágio e fiquei muito triste com a situação dele. Está desempregado há já quase um ano.O rapaz era fenomenal! Vinha de uma escola pública. Era aquele tipo de aluno que não é marrão, mas que aprende com uma facilidade incrível, a relação com os doentes e a equipa era excelente (e aqui incluo as discussões que tive com ele, na quais sempre soube defender os seus pontos de vista, fazendo-me muitas vezes reflectir e aprender também com ele). Foi um colega que, pelo seu calibre intelectual e humano, me fez ter esperanças no futuro da enfermagem. No entanto, agora prevejo um futuro negro. Não vou dizer que a epidemia são as privadas, porque seria uma injustiça, mas não suporto Piagets e essas universidades do "faz-de-conta", onde só entram mesmo aqueles alunos que não conseguiam entrar em mais lado nenhum e que tiveram a sorte de haver uma panóplia de escolas de enfermagem e de vagas. É vergonhoso! Saem de lá com as médias compradas e vêm inundar os hospitais, duplicando o trabalho dos bons profissionais, pois temos de estar sempre de olho neles, para prevenir alguns males. Ao meu serviço, já vieram parar uns quantos enfermeiros do "faz-de-conta", pois a chefe dá umas aulas numa dessas superfícies comerciais do ensino. Estou a fazer um grande esforço para me relacionar com eles, mas, além de não conseguir debater assuntos respeitantes aos cuidados (é que a ignorância é por demais), são uns arrogantes de primeira. Já tive que pôr na linha uma tipa que recusou executar um procedimento, porque disse que tinha uma licenciatura e que isso não era função dela...(apeteceu-me corrê-la ao pontapé). Espero que os meus dias de trabalho se tornem mais motivantes e as administrações se empenhem em contratar os verdadeiros enfermeiros. É um bem que faziam aos nossos utentes e suas famílias e aos demais profissionais de saúde.
 
Não concordo com as críticas aos alunos provenientes das privadas.
Devemos ser isentos e respeita, essas pessoas, pois fizera o seu sacrificio, como qualquer outro.
Eu, tirei o curso numa estatal, recentemente tive a oportunidade de admitir numa clínica, do qual tambem sou um dos proprietários,enfermeiros, quer de privadas, quer de públicas e posso dizer que sigo de perto quer a sua integração, quer o seu desempenho, e não posso tirar partido, quer pela formação de uns ,quer de outros. Claro que as qualidades pessoais, depende de cada pesssoa. Tenho tido bons, quer das privads, quer das estatais, e maus, a mesma coisa.
Não se esqueçam, que a aprendizagem independentemente das faculdades, depende de cada um de nós, podemos passar com boas notas e nada saber! Assim, como podemos ser excelentes profissionais, e em termos académicos, podemos ter notas abaixo da média. Cada profissional faz-se a si próprio.
Não se esqueçam, que nas estatais, tambem os há,em que nem sequer entraram com as habilitações minimas exigidas. Veja-se o caso de medicina, que até já entram sem o 12º ano via maiores de 23.
Conheci alguns alunos que entraram com média de 11 e 12 para medicina, devido ao estatuto de atletas de alta competição, lá dentro não eram piores dos que tinha entrado com média de 19! Só porque eram atletas eram mais inteligentes???Note-se que não dou aulas no ensino superio publico, nem privado, muito menos tenho alguma cota em universidade privada.
Para terminar, quais são as melhores Universidades nos EUA?? As privadas...Compreendo em parte tudo isto, pois nó Europeus somos muito conservadores....
 
Se até essas revistas "de culto" servem para determinados anónimos denegrirem a profissão de Enfermeiro, pq é que não dizem tb que quem é costuma aparecer nas mesmas nos "Consultórios de saúde e íntimos etc, etc..." a dar "consultas" (ah, que mentira, só pode! Eles não fazem consultas por telefones ou revistas, é verdade...), não são Enfermeiros e se ele(a)s as leem é de certeza só para ver a figurinha triste que determinados "profissionais" da saúde se dão a prestar!...
 
espero que as afirmações que faz acerca da sua pessoa, particularmente da sua actividade pessoal, não sejam falsas como o dizer que entram atletas com média de 11 e 12 para Medicina, porque, posso afirmá-lo, sem qquer dúvida, porque tenho o prazer de trabalhar num gabinete de ingresso,que ninguém pode entrar para Medicina com média inferior ou a 14 ou 16, conforme as faculdades. Por ex. S. João - 16 valores. Se ta tão informado desminta-me.Dos palops é que podem entrar com as médias q referenciou.
Os blogs não podem servir para cada um fazer as afirmaç~pes que deseja.
 
lol...
 
É bom q ´sejam desmanteladas afirmações falsas, feitas nos blogs, pq não se pode dizer oque se quer, ´para envaidecer quem não se consegue afirmar de oura forma que não seja a "ignorância" e a falta de rigor humano, social e, de certeza, profissional.
 
Todas as profissões são dignas, mas lamento a falta de dignidade em não assumir as debilidades na formação de certos profissionais.Se na enfermagem não tivessem surgido Piagets, não haveria tanta gente no desemprego neste âmbito. Concorri pra 1 vaga pra V. Real e fiquei em 400. Para quê defendermos mais quem não deve ser defendido.Pq deixar abrir tantas escolas sem qualidade?
 
Quem avançou com as médias de 11 e 12 não deve saber minimamente o q se passa com o acesso ao ensino superior. Pensa q é como dispor de 500 euros por mês, independentemente da média ou formação, se calhar curso de serralharia no profissional,e entrar para a Universidade independente ou de Maceedo?
 
9:51 AM
optimo comentário!
afinal ainda existem pessoas que sabem o que se passa com a enfermagem em Portugal!
 
e em relação ao comentário que fiz da leitura de revistas "Maria", os srs enfermeiros nao se manifestaram muito... pq sabem MUITO bem, tal como eu sei, que é verdade!
 
Se isto está mal, esperem até julho, pois vai sair uma nova fornada de 4000 enfermeiros!!! Haverá país que aguente??
 
A resposta é: claro que não há país que aguente!
O curso de Enfermagem é o curso com mais vagas e escolas do país. Saem enfermeiros recém-licenciados em Julho (a maior vaga), Setembro, Novembro, Janeiro, Março, Abril... O nº de hospitais não deve ser muito superior ao nº de escolas. Palhaçada maior do que esta, só mesmo no circo!
Sábado vamos tentar aprovar o novo estatuto do internato para a licenciatura e especialidades. Consta-se que, a se concretizar a aprovação, as vagas para o internato será de 1000 licenciados em Enfermagem (já não serão imediatamente enfermeiros), ou seja, nem metade dos que se formam. Apesar de concordar com esse número, acho que a única solução sensata para combater os excedentes, seria cortar as vagas de uma vez por todas e encerrar o curso em escolas, quer privadas, quer públicas (infelizmente o Governo não está para aí virado. Congelou as vagas para os cursos de saúde, excepto Medicina e Enfermagem!!!). Acho que nenhum de nós enfermeiros, quando acabámos o nosso curso, gostaríamos de ter sido postos de lado, por não conseguir ingressar no internato. Isto já não é palhaçada, é brincar descaradamente com a vida das pessoas. Mas a OE lá vai tentando remediar a coisa, pois viu que a conversa do rácio já não cola em lado nenhum de tão gasta que estava.
Quanto às médias de ingresso no Ensino Superior Público, depois da vergonha da média de entrada de 7,5 num estabelecimento (não era de Enfermagem felizmente), estes mesmos estão proibidos de aceitar alunos com médias negativas, ao contrário do que se passa com as privadas que é à escolha do freguês. As faculdades de Medicina impuseram uma média mínima de entrada de 14 valores, podendo ter havido ajustes, como foi referido por um comentador que referiu a média mínima de 16 para a Fac Medicina do Porto. Penso que faz todo o sentido impor estes limites. O sucesso e rigor de uma instituição de ensino só se concretizam com a exigência de um elevado nível dos candidatos a ingressar na mesma. No nosso país, esse nível é apenas avaliado através de médias do ensino secundário+específicas dos exames nacionais, portanto, todos os alunos pré-universitários sabem que se quiserem ser médicos têm de ter notas de topo (mesmo que recorram àqueles colégios privados, cujo sistema de funcionamento é muito semelhante ao de algumas universidades privadas: pagas e levas). Como não há privadas de medicina, a solução para alguns então é Espanha ou países do leste europeu (admiro todos aqueles que lutam de todas as formas para concretizar o seu objectivo, não apenas enveredando pela via aparentemente mais próxima, como a enfermagem, as ciências farmacêuticas, ou outro curso qualquer).
Outra situação perfeitamente estúpida são as disciplinas específicas de ingresso. A qualidade de uma universidade privada avalia-se imediatamente através das específicas de ingresso.
Mas vou mudar de assunto. Concordo totalmente com o que se falou acerca dos doutoramentos e mestrados em Enfermagem. Servem mais para encher bibliotecas do que para contribuir para o desenvolvimento dos cuidados de enfermagem. Transcrevem-se em demasia teorias que outros formularam, em vez de se procurarem justificações com base em evidências da prática de cuidados. Isto para não falar daquelas teses de índole unicamente narrativa (nem uns gráficos têm para dar um colorido à coisa), que ou não chegam a conclusões nenhumas ou todos já conhecemos as suas conclusões, pelo que não constituem nenhuma novidade. A investigação em Enfermagem não tem pernas para andar se se confinar ao gabinete, ou às entrevistas em gabinete.
Mas como nem tudo é mau, confesso que já li uma tese bastante interessante e que, sim, contribui para o desenvolvimento das práticas em Pediatria.
 
Você é que deve estar completamente enganado, pois o estatuto de aluno de alta competição permite entrar independentemente da média, assim como por exemplo filhos de funcionarios públicos que estão em missão diplomática no extrangeiro. Ainda quando Macau estava sob admnistração do estado Portugu^^es, foi uma corrida de muitos médicos a preencher vagas em mMacau para depois os seus filhos entrarem directamente no curso...entre muitas outras situações. Os palops, por exemplo como disse, para onde vão quando acabam o curso?? deveriam ir para o seu País de origem, mas como sabemos, quase todos ficam cá a exercer!!!
 
Não abordei os contingentes especiais, apesar de saber perfeitamente que estes existem, aliás conheço vários casos. Até os açorianos e madeirenses têm um regime especial de acesso. No entanto, não quis falar desses contingentes, uma vez que foram introduzidas alterações a esse respeito e, de momento, desconheço o conteúdo das mesmas.
 
Os atletas de alta competição entre outros, não estão sujeitos a concurso, veja-se nalei, apenas devem fazer requerimento. essa modalidade é para incentivar a alta competição, pelo que se houvesse notas minimas, seria considerado como um concurso, e o legislador, quis abrir as portas a essas pessoas, no sentido de a promover. (alta competição)
 
Eu não sou nada a favor dessas facilidades para determinadas situações, mas esta é a minha opinião e não sou eu que posso mudar isso. Quanto aos atletas federados, o que me parece é que já não é qualquer um que é abrangido pelo contingente especial. Creio (espero não estar enganado) que esse atleta tem de ser federado durante um determinado período de tempo.
No meu ponto de vista, este privilégio dos atletas nem é o mais injusto, uma vez que são pessoas que representam o país e a verdade é que (excepto os futebolistas de topo) recebem poucos apoios e têm uma vida muito curta enquanto tal. Alguns entram para os cursos e demoram uma eternidade a concluí-los (embora já haja limites de tempo para a sua conclusão), porque não têm tempo para se dedicarem ao estudo.
O regime especial para militares também me parece justo. Mas o que se vê muito são médicos a ingressarem nas forças armadas para fazerem a especialidade na qual não conseguiram entrar pela via normal.
Os restantes casos já são dar a mão em demasia.
 
Aos tais:

- meus amigos, cá o "moi meme" não gosta nem de revistas "Maria" nem de semanários "Visão" (que é o que muitos têm falta...).

Não querendo ser ordinário, mas a revista que eu gosto de VER (escrevi bem: VER) é a "GINA". UI meus amigos...

Vão dar banho ao cão (ao peluche...)

Shame on you! Ou en Français: à demain
 
Para os mais distraídos, a média de acesso à licenciatura em Enfermagem ja esteve num minimo de 17,8 valores, na Calouste Gulbenkian (Braga)
 
Há escolas de enfermagem em que os alunos entram com notas muito altas mas no final estão em pé de igualdade com aqueles que entraram com notas medíocres porque enfermagem é acessível a qualquer um mesmo que seja um idiota chapado.
 
Só para acrescentar uma "coisita" ao que a colega Sara Barbosa adicionou: na referida escola (ESECG) já houveram alunos a ingressar com médias de 18.9 valores... Se isto não é preferir Enfermagem a qualquer outro curso, digam alguma coisa...

parabéns pelo excelente blog.
 
É claro que há muitos alunos que ingressam em Enfermagem porque querem, mesmo que tenham notas que permitem o acesso a outros cursos, como o de Medicina. Há quem apelide os alunos de escola "a" ou "z" como os frustrados da Medicina. Apesar de em alguns casos isso poder ser verdade ou não, no fundo, é sempre um elogio. Significa que esses alunos irão dar um bom nome à escola graças ao seu empenho, dedicação e inteligência.
 
Porque é que muita gente pebsa sempre que os alunos de enfermagem queriam ser médicos?
Será que tamnbém pensam que os alunos de engenharia queriam ser arquitectos, ou que os arquitectos queriam ser engenheiros....
Há paises, cujo sistema de educação é muito bom, que permite a todos ingressar no seu curso, fazendo com que estes estereótipos desapareçam...
 
o senhor autor deste blog, que se auto-intitula "doutor" devia era ter vergonha de tratar os individuos das fotos da maneira como trata, recorrendo ao insulto gratuito, que em nada dignifica a classe a que pertence.

"macacadas"? "circo"?
ganhe nível senhor enfermeiro.

senhor enfermeiro, se gosta tanto do que faz, deixe de visar os médicos nos seus posts... o enfermeiro que se auto-intitula doutor fala tanto dos médicos que começo a suspeitar fortemente que é um "daqueles frustrados que queria medicina", e que agora defende com unhas e dentes a enfermagem como mecanismo de defesa...

so predictable...
 
Peço desculpa, mas tenho que responder a este último comentário.
Escreve este ilustre comentador que o administrador deste blog deveria "ganhar nível", isto porque escreveu algo como macacadas e circo.
Costumo eu dizer que não gosoto muito de macacos de imitação vejo muitas semelhanças entre o último post e um outro que eu próprio escrevi, particularmente a conclusão, senão veja-se:

..."Shame on you! Ou en Français: à demain" (HUGO ROQUE:2007)

..."so predictable..." (MÉDICO:2007)

Não haverão semelhanças?
Não existirá aqui pelágio de direitos de autor?

Que coisa feia!
 
Penso que a Enfermagem é para os Enfermeiros, a Medicina para os médicos.A Enfermagem como disciplina do conhecimento encerra em si campos de tamanha importância que não é certamente necessário recorrer ao exercício de actos médicos para os Enfermeiros assumirem a sua relevância. É algo deprimente ver que para alguns Enfermeiros, a escala da sua importância e profissionalismo mede-se consante o número de práticas médicas que conseguem dominar
Se os médicos cumprissem aquilo que lhes é exigido e não se preocupassem tanto com os dividendos pessoais e de classe e politiquices de algibeira, talvez não fosssem precisos Enfermeiros a executar actos médicos em Bragança ou em qualquer lado algum. Pessoalmente, até acho que existem Enfermeiros que praticam uma melhor Medicina do que muitos médicos, mas a aplicação de técnicas médicas por Enfermeiros deveria estar inserida num contexto que consubstanciasse um problema de saúde conceptualmente ligado àquilo que é o campo de atenção da Enfermagem e não praticadas avulsamente.
NO entanto, o problema radica também no facto de os médicos quererem um modelo de sistema prestador de saúde delineado à imagem dos seus interesses e conveniências e não baseados naquilo que é genuinamente o melhor para os utentes.
 
Contudo tenho uma quetão?
O que define um acto ou competência?
Serão meia dúzia de cabecinhas pensadores em volta de uma mesa com uma caneta na mão e algo ao pescoço que definem: isto, e mais isto, e tudo o mais é meu, não porque só eu sei fazer, mas simplesmente porque SIM, porque me apetece!!?
Se eu disser que o vermelho afinal é amarelo, o meu caro vai aceitar incredulamente o enunciado??
Creio que finalizou o seu comentário com chave de ouro:
- " NO entanto, o problema radica também no facto de os médicos quererem um modelo de sistema prestador de saúde delineado à imagem dos seus interesses e conveniências e não baseados naquilo que é genuinamente o melhor para os utentes". (ANÓNIMO: 2007)
 
Quero antes de mais dizer k sou aluna do piaget. acabei o12 c media de 15 e baixei um pc c os exames nacionais, devido a uma depressao (nao por ser mais burra k os outros). tinha preferncia regional em coimbra, onde poderia provvelment ter entrado, mas nao m candidatei para la. entraria na guarda e xeguei mm a entrar em angra do heroismo, contudo preferi ficar perto de casa, logo nao fui para o Piaget por nao entrar em mais lado nenhum. Uma x mais passo a referir k a nota de entrada no 1 semestre da escola superior de enfermagem de coimbra foi, este ano lectivo, de 11 e pco, pergunto agr s ainda kerem cntinuar a falar de medias. Digo t k nos alunos do piaget fazemos mais hora semanais d estagio k os das publicas cm km estagiei at hj, temos uma monografia individual para entregar no final do curso kd em td as publicas(ou kas td) o trabalho s fax em grupo ou nem seker s faz. Nunca me deram uma nota, nc m facilitaram a vida. a minha media nos estagios ronda os 16/17, pod n sr brilhant mas n e ma, n e a escola k ns da as notas, sao os orientadores (enfermeiros dos serviços por onde passamos), mts deles orientam tb alunos da publica, sera k o piaget lhes paga pa ns darem as notas? n m parec seria uma despesa desnecessaria e nd beneficiante po piaget ja k kd acabamos o curso deixams d pagar a escola, n vos parec??? e por fim devo dizer k ainda esta terça feira ouvi um colega meu dizer k teve 18,5 num estagio, a melhor nota dada nakele serviço, a um aluno do piaget, sera k pagaram mais nakel serviço? n julguem o k n sabem nem generalizem, pk s formos generalizar tams mal, ha alunos da publicas bons mas tb ha maus acreditem, assim cm das privadas nomeadament do piaget
 
Boa noite a todos. desde ja quero aqui dizer que não sou estudante nem tenho nada na minha formação relacionado com a area da saude. encontrei este pagina de comentarios na net por acaso e como sou alguem que se interessa pelos mais variados assuntos comecei a ler estes brilhantes comentarios. e resolvi comentar apenas para dizer o seguinte: tal como ja disse nao tenho nada a ver com a area de saude, seja enfermagem ou medicina ou outra. no entanto nos ultimos tempos da minha vida tenho entrado um pouco mais nesse mundo por via da minha namorada que e estudante finalista do curso de enfermagem. alem disso a mae dela e desde ha muitos anos auxiliar de acçao medica, trabalhando num centro de saude e como tal convivendo tanto como medicos e enfermeiros ja ha muito tempo.por essa razao, e como nesse centro de saude,a equipa que la trabalha ja e a mesma ha longos anos todos se conhecem muito bem e aminha namorada que praticamente cresceu la.por afinidade, comecei a conhecer algumas pessoas nessa area e atraves de conversas ouvi coisas que vou definir como interessantes...entre essas coisas ouvi da boca de um médico,médico ate bastante competente e digo isto porque infelizmente ja fui seu "cliente", historias acerca de medicos e enfermeiros quase inacreditaveis... nao irei relatar exmplos, e muito menos nomes, mas devo dizer que esse médico contou varias historias de medicos que conhece e conheceu, e ate amigos dele proprio que eu passei a desejar nunca conhecer...medicos que nao têm o minimo interesse para com os pacientes, receitando-lhes medicamentos que em nada os ajudavam, com o proposito destes voltarem a mais consultas e consequentemente pagar mais uns euros. medicos que receitavam medicamentos, sem ter a minima preocupaçao em explicar ao doente como os tomar, originando assim consequencias graves que estragaram partes das vidas dos pacientes, e como senao bastasse, ainda os encaminharam para colegas, que a unica coisa que fizeram, e a expressao aqui é mesmo esta, chularam ainda mais os pacientes e sem os ajudar em nada...e o cerne da questao aqui e que todos eles sabiam que o estavam a fazer, todos agiram assim propositadamente, e o mais grave, e mais uma vez digo que nao cito nomes, foram senhores doutores ate bastante conceituados da regiao de coimbra.. isto tudo eu ouvi da boca de um médico que assistiu a estes casos e que ele proprio admite que essas conceituados medicos nao deveriam ser medicos de forma alguma.esse mesmo medico afirmou ainda que considera os enfermeiros sao realmente aqueles que mais trabalham com o doente, sao aqueles que sao mais desrespeitados quando deveria ser muitas vezes o contrario.Isto foi afirmado por um médico. um medico que admitiu que a gande maioria das vezes e devido ao trabalho,saber e competencia dos enfermeiros, que os pacientes se curam...acho que ja todos perceberam a ideia...se ate um medico afirma isto...e sejamos honestos...afinal o que interessa mais aos medicos hoje em dia? porque razao tanta gente quer tirar medicina? para ajudar o outro?! nao sejamos todos ingenuos e anjinhos que o mundo hoje nao o permite...aind que exista uma pequena percentagem que se rege por esse valors, a esmagodora maioria dakeles que vao para medicina so têm um objectivo...ganhar dinheiro! o intuito e unica e simplesmente tirar um curso,que lhes permita ter um emprego a ganhar bastante dinheiro. conheci muitas pessoas que na altura da entrada da universidade queriam ir pra medicina, e ao perguntar-lhes porque a resposta era quase sempre "porque os médicos ganham bem".. e infelizmente muitas das vezes que tive que ir a um hospital,raras sao as vezes e que existiram doutores preocupados comigo,ou que pelo menos demonstrassem um poouco de preocupaçao. 90% das vezes tudo o que recebi da parte deless foi total indiferença, despreocupaçao, uma vez ate tive a infelicidade de me cruzar com um "senhor doutor" que nem se deu ao trabalho de falar comigo...posso aqui reproduzir tudo o que esse senhor me disse: "sente-se","diga la","avie esta receita e tome esses remedios"... garanto-vos que nao estou a aldrabar nada...muito pelo contrario...no entanto sempre fui bastante bem tratado pelos enfermeiros, senao fosse por acçao deles,pelas suas xplicaçoes, pelas suas recomendaçoes, nao teria recuperado das doenças que ja tive...eles sim foram os meus médicos, e nao os médicos. para finalizar...nao generalizem a kestao dos alunos das privadas, e das publicas...tal como disse a minha namorada e estudante de enfermagem, finalista. estuda numa privada..por outro lado tenho grandes amigos, melhores amigos mesmo, que estudam enfermagem na publica... uma coisa vos digo...os meus amigos que estao na publica, nem metade do trabalho que a minha namorada tem na privada eles têm. como a anonima do piaget que disse num post anterior que tem que elaborar no fim do curso uma monografia individual, a minha namorada tambem, ao passo que os mes amigos nao. isso eu comprovo, assim como posso comprovar que enquanto os meus amigos da publica tem um perido de exames e frequencias em que nessa altura nao fazem mais nada, e lhe dao dias livres, a minha namorada na privada tinha exames, frequencias, entre aulas, entregas de trabalhos no dia anterior ou a seguir a exames, o que causa uma stress e instabilidade muito maior. estes exemplos sao coisas que eu assisti, estando de fora desse meio, e como tal nao tendo interesse nenhum em defender a ou b, porque nao me ajuda em nada. mas no entanto, quando vejo acusarem outros de coisas que estao erradas nao posso simplesmnte deixar passar. porque cada um tem a sua opiniao, mas forçar os outros a aceitar as suas como absolutas usando pra isso os argumentos mais infundados, isso e algo que eu nao posso deixar passar sem protestar contra. na minha educaçao foram-me transmitidos valores, valores que hoje em dia infelizmente estao a cair em desuso..e que muita faltam fazem esta sociedade hipocrita,cinica onde o pensamento em vigor e o de olhar para o proprio umbigo, e desculpem a expressao, cagar para todos os outros. passem bem...
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!