terça-feira, junho 19, 2007

Direito de resposta do Enf. Rui Cardeira


Lembram-se deste texto escrito pelo SEN?


""“Unidades de Saúde Familiares cativam enfermeiros experientes” é o título que encima o texto do Observatório dito da Ordem dos Enfermeiros, para a área dos Cuidados Primários.Não esperávamos que a nossa Ordem tivesse analistas tão vesgos ou a fazerem papeis encomendados, para lesarem os Enfermeiros que a sua Ordem deve prestigiar.Aquando das comemorações do dia do Enfermeiro em 12 de Maio, uma Enfermeira professora numa faculdade Sueca de Enfermagem, ao ouvir falar do que eram as USFs exclamou: “parem com isso, porque isso não funciona”. Estava a falar certamente com os seus conhecimentos teóricos e práticos.Já tínhamos sido provocados em 3 de Maio na página 8 do mesmo JN, onde se dizia: “Enfermeiros “esquecidos” por sindicatos”. Ora o nosso esquecimento resultou de não termos falado com Rui Cardeira, que lidera a enfermagem das USF, movimento de perto de 70 enfermeiros que estão a constituir uma associação, para fazerem ouvir a sua voz.Não sabemos quem é nem onde trabalha, apesar de conhecermos muitos Enfermeiros sócios e não sócios dos sindicatos, nomeadamente deste. Não queremos acusar quem quer que seja por esta invenção (Rui Cardeira) para contrapor as suas declarações às da Federação que integramos (FENSE). Se o conhecêssemos e as suas intenções, tê-lo-íamos ouvido, para esclarecimento mútuo. Como nem os enfermeiros que integram as USF o conhecem classificámos esta manobra de pouco clara, se não mesmo escura para esbater as declarações da FENSE. Se existe que dê a cara.Já agora alertamos os hipotéticos Ruis para o fenómeno francês dos “cogumelozinhos”, associações disto e daquilo que destruíram o poder reivindicativo dos Sindicatos franceses, para não irmos mais longe. Não é aos enfermeiros bem formados e informados que interessam as divisões para reinar.Se tem veia sindical não precisa de dividir os Enfermeiros com interesses fictícios e alheios à Classe. Nós dispomos de lugares para militantes interessados e aguerridos. Se não aparecer, vamos classificá-lo, para já, invenção desesperada de quem quer ressuscitar o nado-morto que é a USF.O recado serve para o inquiridor da OE que não pára de nos surpreender pela negativa.Mas a OE ainda pode dizer que, sendo uma emanação do Poder Central, tem de cumprir o que lhe ordenam. E ser ingénuo não é crime: é ingenuidade!Mas que respostas vão dar aos Colegas quando estes descobrirem que foram ludibriados, pois nem vão receber mais um cêntimo, do que recebem, pois não está previsto aumento no diploma em discussão e já, antes desta, aprovado em Conselho de Ministros, no qual somente os médicos que já vinham ensaiando o RRE (regime remuneratório experimental) é que têm direito a tabela especial.Sendo assim, há um grupo de enfermeiros que, por razões que desconhecemos, de momento, quer trabalhar para engordar o salário dos médicos experimentados em RRE.Se têm argumentos para nos desmentirem exponham-nos, com os devidos fundamentos, que contrariem a versão final do diploma que cria as USF, em nosso poder.Quanto aos: Manuel Oliveira (não confundir com o realizador de cinema) e Rui Cardeira, iremos estudar as suas motivações, antes de os crucificarmos, como inimigos aparentes da Classe e servidores de outros interesses que não os dos Enfermeiros. A menos que disponham de elementos que os experimentados dirigentes da FENSE, em negociações, ignorem, por não lhes serem fornecidos...Para já, as USF violam a essência da assistência primária e o estatuto dos Enfermeiros segundo as convenções da OMS (Organização Mundial de Saúde), afastando-a das convenções internacionais que Portugal ratificou, subscrevendo-as.Pretender circunscrever a “assistência primária” à vertente curativa e às consultas e consultórios médicos é erro crasso com que não nos identificamos, pois combatemo-lo.Se alguém tem uma cabeça tão pequenina que não consiga albergar o pensamento de que a FENSE (e nós próprios) luta inequivocamente pelos reais interesses e melhoria do estatuto dos Enfermeiros, lamentamos essas cabeças reduzidas, pois somente servem para desempenhar o tal papel de “empregado de consultório” mais ou menos disfarçado com consultas de Enfermagem prévias.O papel dos aderentes e simpatizantes da ideia USF é como o modelo da via férrea do Douro que servia de exemplo para os engenheiros saberem como não se devia construir uma via férrea e para engrandecer e dignificar o esforço da FENSE, que saiu derrotada das negociações de diploma pré‑aprovado já. Não é por esta farsa que lutamos.""


Tivemos o prazer de ter uma resposta pessoal do Enf. Rui Cardeira:

"Caro colega, Desculpe a demora, mas tinha que lhe responder. Apesar de tudo o que foi dito, a verdade é que os enfermeiros das USF's não foram na altura ouvidos pelos sindicatos!! Em fins do ano passado o SEN realizou uma sessão de esclarecimento no C.S. onde trabalho. Foi falado os horários continuos e das USF's, qd perguntei o que podiamos fazer e pedi conselho responderam-me:" Vá trabalhar para um pais do Norte da Europa!". A verdade é que sou Português, vivo em Portugal e antecipo muitas melhorias no S.S. com a implementação das USF's e com a Reconfiguração dos CSP. concordo com tudo? Não. Mas se queremos mudar a forma como nos vêem os outros profissionais , a população, o Estado e nós mesmos, temos que ser nós a fazer algo. NÃO PODEMOS SER REACTIVOS,CADA VEZ MAIS TEMOS QUE POR NÓS APRESENTAR SOLUÇÕES, ANTES QUE ALGUÉM AS PROPONHA!!! Continuarmos a dizer " eles têm e nós não temos "ou "aquilo foi feito pra eles", não faz sentido. Este grupo que agora possui 130 associados e praticamente 1 enf. por USF, tem tentado mudaras coisas, já conseguiu mudar algumas, mas acima de tudo demonstrou que os enfermeiros não são meros assistentes médicos, que não precisam derecorrer ao sindicato ou á OE para lhes dizer o papel deles. Neste momento os Enf.os das USF's são os únicos a tentar implementar o mod.do Enf. Familia. São os únicos que tiveram coragem de pegar no que estava mal na profissão e mudar, mas acima de tudo, foram os únicos capazes de dizer por meio de acções e resultados aos outros profissionais: "Este espaço é nosso!!". Quero convida-lo para visitar uma USF qq a nível nacional e a seguir visite um CS e diga-me onde é que se trabalha melhor.

Um abraço, Rui Cardeira as5175705@sapo.pt"

Comments:
Sr. Rui Cardeira existem algumas dúvidas acerca das USF, nisso todos concordamos, podemos expor muitas dúvidas válidas mas como todos precisamos de viver e de pagar contas esclareça-me aqui uma, entre muitas, dúvida: está ou não previsto o pagamento aos enfermeiros conforme o RRE existe para os médicos?
 
Boa noite. Acompanho o Doutor Enfermeiro á algum tempo e este será a minha primeiro comentário. As USF´s surgem de uma experiência de 1998..os famosos RRE´s! Este modelo é retributivo para os medicos apenas, não tendo sido na época extensivel aos enfermeiros porque as nossas organizações (Sindicatos) não concordaram!! Trabalho num RRE desde 2003, acrescento que tenho experiência hospitalar e do "tradicional" centro de saúde, e nunca me senti tão motivada, realizada,.. Tenho oportunidade de ser enfermeira de familia, de realizar o planeamento do meu trabalho, de me envolver num projecto comum para todos os elementos da equipa....médicos, enfermeiros e administrativos!!! A minha experiência do centro de saúde "tradicional"´, e não só no que trabelhei, é um enfermeiro a trabalhar á tarefa...monitoriza TA e pesos a todos os utentes que vão para a cons médica! Nas USF´s há uma equipa a trabalhar em função das necessidades do utente, ele tem focos de atenção de enfermagem e médicos, cada um no seu âmbito, mas comunicam....Nas USF´s está previsto todos os elementos da equipa estarem remunerados de acordo com a carga de trabalho, ou seja serão contemplados com incentivos conforme o desempenho da equipa.
Sem dúvida que o Rui está de parabéns pois conseguiu mobilizar, juntar enfermeiros com motivações e objectivos comuns, não é só os incentivos a preocupação do grupo, mas também poder partilhar experiencias a nivel da organização, sistemas de informação, e outros.
Temos de nos unir e partilhar, pois assim ficamos todos a ganhar.
Helena Dias
 
Excelente comentário colega Helena Dias. Um contributo bem demonstrativo das potencialidades das USF's e do trabalho em equipa.
Pedia-lhe que nos elucidasse melhor acerca do sua afirmação "Trabalho num RRE desde 2003", só para que colegas do hospitalar possam ficar com uma ideia mais concreta de algo que foi, e é, de certa forma polémico (RRE).
Apelava também à sua gentileza, no sentido de nos esclarecer algo mais relativamente à constituição numérica da sua equipa e coordenador. (E já agora uma questão minha: conhece alguma USF cujo coordenador seja Enfermeiro?)
Obrigado, cumprimentos.
Cumprimentos.
 
Para começar, no norte, por exemplo, mas penso que em outros regiões já há muitos anos que os enfermeiros trabalham nos centros de saúde por equipas, não realizando tarefas. Até parece que as RRE ou as USF, vem trazer algo de novo nesse âmbito, na verdade nada trazem e aqueles enfermeiros que trabalha em CS por tarefas é porque assim querem, não são as USF que lhe vão dar esssa oportunidade, não tentem atirar com areia para os olhos, pois isso das USF nada de benéfico trazem para os enfermeiros. Não se esqueçam que foi uma lei feita por médicos para médicos.Trabalho num centro de saúde que há mais de dez anos trabalha por equipas de saúde, sendo a enfermeira uma referência em termos de familias: Faz consultas de enfermagem das várias valências, controla os doentes crónicos, faz vacinação e tratamentos, assim como VD. aos seus utentes. Qual a diferença com as USF? apenas a remuneração vai ser diferentes e deixam de certa maneira de ter o superior hierárquico a "controlar". Mas, se os enfermeiros optam pelas USF só por isso, com pouco se contentam e sobretudo não estão a ter uma visão alargada a longo termo, senão vejamos: Os médicos vão ganhar de acordo com consultas de palneamento, saúde infantil, domicilios, em que por cada um recebem 30 euros até um máximo de 20, etc. E os enfermeiros? acerca disso nada! Ora, os enfermeiros não fazem saúde infantil, palneamento e domicilios?? Aliás, os Doutores aproveitam-se dessas consultas para completarem as deles e eles é que o levam??? Trabalhar com autonomia nas USF??? como se o coordenador só pode ser um médico??? Nos CS pelo menos temos, bem ou mal um chefe da nossa carreira, e é perante ele que respondemos, nas USF, claro que os médicos vão ter o poder todo, imagine-se que se quer uma carteira adicional de serviços e que essa é um beneficio para os enfermeiros, os médicos vão logo negá-las pois vão querer os enfermeiros disponiveis para tarefas que lhes facilita o trabalho e lhes aumenta o dinheirinho!!!na primeira quinzena de um mês um médico esgota as horas de domicilios, ou seja já fez 20 e a partir daí já não recebe, quem é que vai aos domiciios seguintes?? esrá-se mesmo a ver...Prolongamento de horários...quem ganha mais com isso??os médicos, claro. Quem vaiter mais trabalho??Adivinhem....
vamos a factos, contas feitas ao fim do mês um médico que tenha uma lista que atinja o máximo dos parametros previstoa para a remuneração adicional pode vir a ganhar 6 a 7 mil euros, fora a carteira adicional de serviços...um enfermeiros na mesma situação não chega aos 2 mil (estou a falar do modelo que esta para aprovar: o B. Quanto á carteira adicional de serviços, essa claro que vai ser de acordo com os reais e superiores interesses dos médicos, ou não fosse o coordenador médico.

Os enfermeiros perderam claramente naquilo que podia ter sido uma oportunidade de afirmação da classe de autonomia e independência, de acordo com o que se passa nos países mais desenvolvidos.

De quem é a culpa?? claro que os sindicatos e a ordem não estiveram à altura, apenas se limitaram a contestar sem apresentar alternativas viáveis. Ordem e sindicatos fecham os olhos ao desenvolvimento da enfermagem de cuidados primários desses países como EUA, Austrália e Inglaterra, por exemplo. Há quem lhes chame mini-médicos..(santa ignorância, esses senhores (ordem e sindicatos) ainda não se convenceram que têm que decidir o futuro da enfermagem não pelo que pensam ou querem mas sim pôr todos os enfermeiros a decidir!!!!perguntem aos enfermeiros o que querem!!! façam como fizeram com as especialidade!!!!

Que tal uma USF só de enfermeiros, onde os enfermeiros fazem os seus programas e projectos de acordo com o diagnóstico da comunidade e familias, em que a colaboração com os médicos se faz com o pedido dos dois sentidos? Onde cada classe profissional recebe de acordo com os mesmos parâmetros: se recebe o médico por uma consulta de planeamento o enfermeiro tambem??

Enfermeiro de familia?? Onde??(sou um pouco miúpe mas...)Os utentes não estão inscritos nas USF por enfermeiro mas sim por médico, logo é o enfermeiro do médico de familia...Ora se conseguirem que o utente se possa inscrever num médico e depois tambem escolher o enfermeiros tudo bem, mas issi não é possível porque vai estragar as contas dos senhores Doutores...

Se o enfermeiro não está bem é substituído por outro nem que seja do hospital x, e o médico, esse, claro que não, só pode ser dos qudros das sub-regiões e tem quer ser pelo menos médico de familia...já me esquecia que não havia especilaidade de enfermeiro de familia...mas pelos vistos vai haver..mas..porque não negociamos que tambem deveria ser um enfermeiro com essa especialidade e enquanto não a houvesse no minimo deveria ter 8 anos de cuidados primários??? Foi apenas um pequenos esquecimento...os enfermeiros estão cheiros de trabalho e a cabeça não dá para tudo....

Associações de USF (enfermeiros), tarabalho há 18 anos, e nunca nenhum colega veio ao meu CS propôr semelhante coisa, deve ser um feudo ou algum clube de amigos...Com uma ssociação dessas, que aceita semelhante lei, mais vale me associar aos médicos...assim talvez me deiem alguma coisinha...Qual quê?? A minha dignidade não tem preço e prefiro sair da enfermagem e trabalhar em qualquer coisa, do que me sujeitar a ser enfermeiro, para me pagerm qualquer coisa e ser criado dos médico!!
 
Concordo em pleno com o último anónimo...
Gostava que o enfermeiro Rui repensasse muito bem estas frases: "Neste momento os Enf.os das USF's são os únicos a tentar implementar o mod.do Enf. Familia. São os únicos que tiveram coragem de pegar no que estava mal na profissão e mudar(...)".
O que o colega chama de mudar eu chamo copiar um modelo que foi desenvolvido paralelamente em muitos centros de saúde...
 
Enfermeiro do comentário das 11:09: subscrevo tudo o que diz!Parece que ficou perturbadíssimo com os colegas das USF's disseram, tal como eu fiquei.
Amigos, as USF's trazem uma pseudo-autonomia para a enfermagem. Autonomia numas coisas e total dependência dos médicos noutras...Assim não vamos lá...
 
No RRE onde trabalho (estamos a preparar a candidatura para o tão esperado mod B), actualmente somos 7 MF, 6 EF e 6 Adm. Com a nova candidatura vamos alargar o grupo de EF para 7. Claro que o RRE foi polémico, assim como os Enfermeiros dos RRE, pois diziam que trabalhavamos para os médicos!!!...Nunca me preocupou essa polémica, pois se houve sitio onde não me senti enfermeira foi no "tradicional CS, aí sim.....dar vagas??? fazer triagens? receber guias médicas para monitorizar TA semanalmente a utentes com valores normais??? Não poder escrever os parametros avaliados a uma grávida no livro de SM, porque o SRº DRº acha que só ele pode escrever o livro??? No RRE tive oportunidade de me envolver nos planos de acção e avaliações anuais! de realizar regulamento interno para enfermagem! E essencialmente de ser respeitada como enfermeira...de ter lugar no meio de uma equipa multidisciplinar!
Nos RRE´s os enfermeiros não têm incentivos, trabalhamos 42h/sem....mas essencialmente o que nos tem cativado é a qualidade de trabalho e a organização. Utiliza se a governação clinica! Estamos a trabalhar nos incentivos de enfermagem...não estamos á espera que outros trabalhem por nós! Conhecem a histórias do: todos...alguém...ninguém??? Deixemos de ser reactivos e comecemos a ser proactivos!!!
Helena Dias
 
Para o doutorenfermeiro:

Conheço uma USF em que o coordenadr é enfermeiro(a)e não vejo qual a vantagem de ter um(a) colega como coordenador, ao contrário do que tem sido aqui apregoado este(a) colega apenas impõe aos enfermeiros as suas vontades e discute apenas com os médicos quais as acções a tomar, ouseja, na teoria o(a) coordenador(a) é enfermeiro(a) mas na prática este(a) já esqueceu há muito os colegas...

não digo qual é a USF para não ser prejudicado.
 
Existe inúmeras vantagens em ter um enfermeiro como coordenador. O caso que citou não é, infelizmente, o melhor dos exemplos, mas a coordenação por enfermeiros é essencial para a profissão, pelos motivos mais lógicos e obvios. Pena é que neste caso o colega coordenador, pelo que diz, não está a assumir a postura mais correcta. Mas em todas as profissões há este tipo de questões, há que seguir em frente.
 
vamos ser honestos e claros:
1º É preciso saber do que se está a falar, pois coordenador de RRE ou USF, só pode ser exclusivamente um médico!!(veja-se a lei, não confundir ccordenador da equipe de enfermagem, até porque nem existe legalmente essa figura.

2º O que a colega anterior refere em termos de organização, como já tive oportunidade de anteriormente referir, já se faz nos centros de saúde onde o enfermeiro trabalha por equipes de saúde (médico, enfermeiro e admnistrativo por familias), o enfermeiro pode e deve escrever quer no Boletim de saúde materna, planeamento familiar e boletim de saúde infantil, se tem dúvidas é ler as orientações técnicas emanadas pela direcção geral da saúde, onde refre que os referidos boletins saõ para ser preenchidos pelos técnicos de saúde!!! No meu centro de saúde os enfermeiros registam todas as notas necessárias. Se o médico não a deixava escrever é porque a Srª enfermeira deixava que ele actuasse assim!!! Afinal quem é ele para a não deixar escrever????
3ª Assim, quer o RRE quer as USF A ou B, em nada inovaram a organização do trabalho dos enfermeiros, apenas para aqueles que até aqui estiveram desorganizados a trabalha por tarefas, mas isso é de lamentar!!!
4ª Concluindo, as referidas USF ou RRE, apenas inovaram ou melhor dizendo trouxeram vantagens para a organização médica e não só (veja-se que o salário é muito mais atraente), é que eles se até aqui nada ganhavam com o nosso trabalho podem estar bem certos que a partir de agora vão tirar proveitos. Não é preciso ser muito inteligente para chegar a essa conclusão. Por favor leiam as leis, e não se deixem levar pelo que diz A, B ou C!!
tenho Dito.
 
O colega do último comentário escreveu o seguinte:
"...é que eles se até aqui nada ganhavam com o nosso trabalho podem estar bem certos que a partir de agora vão tirar proveitos."
Não sou da área dos cuidados de saúde primários, mas estas coisas interessam-me, particularmente se houver obtenção de dividendos para outras "classes" à custa da enfermagem. Assim sendo, peço ao colega que tenha a delicadeza de desenvolver o seu raciocínio.
 
Caro Colega:

faça o favor de ler a proposta de lei para o Modelo B das USF, e como já tive a oportunidade de dizer aqui, por exemplo, os médico vão ter ponderações ou seja aumentos nos seus vencimentos ao fazerem determinadas consultas, como saúde infantil e planeamento, etc. Os enfermeiros vão fazer essas consultas (alás como já hoje fazem e não têm ponderação nenhuma, e como sabemos os médicos aproveitam as consultas dos enfermeiros para completarem as deles... Porque tambem não ganham os enfermeiros ao fazerem essas consultas??? E nos domicilios?? porque os médicos ganham mais 30 euros por cada domicilio e os enfermeiros nada??
 
CAROS COLEGAS,

VOU DEIXAR ALGUMAS IDEIAS QUE RECOLHI AO LONGO DAS OUTRAS MSG.

RACIO UTENTES POR ENF. NA USF - APROX. 1550
RACIO UTENTES POR ENF. NO RESTANTE C.S. - >2000. HÁ DIFERENÇAS?

PARA QUEM ACHA QUE O UTENTE ESTÁ SO INSCRITO NO MÉDICO E NÃO NO ENFERMEIRO, OU QUE TODO O TRABALHO É PLANEADO EXCLUSIVAMNETE PELO MÉDICO DEVO DIZER QUE ESTÃO ERRADOS.Ex: MELHOR EXEMPLO, USF ODISSEIA!

QUANTO AO ENFERMEIRO DE FAMILIA, TENDO EM CONTA A ESTRUTURAÇÃO DOS NOVOS A.C.S. FAZ SENTIDO.
QUANTO Á RENUMERAÇÃO, OS ENFERMEIROS VÃO RECEBER DIVIDENDOS TAL COMO OS MÉDICOS.

COMO JÁ DISSE NA RESPOSTA:CONCORDO COM TUDO?
NÃO!

MAS CONSIDERO QUE AS USF's SÃO UM GRANDE AVANÇO PARA OS ENFERMEIROS SE TODOS SOUBEREM O QUE FAZEM E O QUE PODEM FAZER POR ELES, POR NÓS E PELOS UTENTES.

MAIS, PARA OS COLEGAS DE C.S.P. QUE TÊM MANDADO MSG's CONTRA, DEVO DIZER QUE SE SÃO CONTRA ESTÃO MUITO CALADOS, PORQUE VÃO TRABALHAR NAS OUTRAS UNIDADES FUNCIONAIS, TAL COMO NÓS, SÓ QUE SEM INCENTIVOS E SEM UMA PALAVRA A DIZER! O QUE É MELHOR? JULGUEM VOCES.

MAIS SÓ NÓS TEMOS RECLAMADO PELO FACTO DAS UCC AGORA JÁ PODEREM SER LIDERADAS POR QQ PROFISSIONAL E NÃO POR UM ENFERMEIRO COMO ESTAVA NO 157/99.

OUVIRAM ALGUM SINDICATO DIZER ALGO?
OUVIRAM ALGUM REPRESENTANTE DOS ENFERMEIROS DOS CSP DIZER ALGO?

POIS BEM NÃO VALE A PENA CONTINUAR A TENTAR QUE AS PESSOAS VEJAM PARA ALÉM DA SUA REALIDADE.

OS INCENTIVOS PARA OS ENFEREMEIROS VÃO SAIR ANTES DE FIM DE OUTUBRO.

PESSOALMENTE E NÃO OPINIÃO DO GRUPO, OS PROFISSIONAIS DEVEM SER RECOMPENSADOS TENDO EM CONTA A PRODUTIVIDADE E QUALIDADE DA MESMA!!

GESTÃO POR OBJECTIVOS NÃO É BOA, MAS É MELHOR DO QUE A QUE TINHAMOS.

QUANTOS MAUS PROFISSIONAIS JÁ NÃO CONHECERAM AO LONGO DA VOSSA VIDA? QUANTOS TIVERAM INSUFICIENTE NA A.D.? FORAM RECOMPENSADOS COMO OS OUTROS QUE TENTAVAM DAR O MELHOR DE SI!

ACHO QUE OS VALORES FINANCEIROS DEVIAM SER IGUAIS ENTRE MEDICOS E ENFERMEIROS, MAS ISSO É UM ASSUNTO QUE AOS OLHOS DA LEI SÓ OS SINDICATOS PODEM FAZER.
ESPERO QUE EM BREVE ISSO ACONTEÇA.

QUANTO AO COORDENADOR SER SÓ MÉDICO, A RAZÃO OFICIAL É ESCOLHA POLITICA, NÃO OFICIAL, A PRESSÃO POLITICA DAS A. MÉDICAS JUNTO DO GABINETE DO MINISTRO.

ESPERO QUE TENHAM FICADO ELUCIDADOS.

TODA A DOCUMENTAÇÃO ESTA NA PAGINA DA MCSP. ANTES DE DIZEREM SEJA O QUE FOR, FALEM COM COLEGAS DE USF's, LEIAM A DOCUMENTAÇÃO E DEPOIS DEVEM OPINAR.
ATÉ LÁ FALAM ERRADO.

RUI CARDEIRA
 
NOTA:
TRABALHAMOS PARA O UTENTE, NÃO PRO MÉDICO!!! TODOS, USF, CS, HOSPITAL!!!
NAS USF'S TEMOS UMA PALAVRA A DIZER. ANTES COMIAMOS E CALAVAMOS OU ENTÃO ESPERAVAMOS QUE FOSSE AO CHEFE PARA ELE SE IMPOR, PORQUE NA MAIORIA DAS VEZES AINDA LEVAVAM,OS DO CHEFE SE TENTASSEMOS FAZER ALGO:"AQUI QUEM MANDA SOU EU!!!FAZEM O QUE DIGO E ACABOU-SE!!"
eu não quero ser pago pekas SI, PF, SM. QUERO SER PAGO POR TAREFAS ESPECIFICAS QUE EU DECIDIR E CONTRACTUALIZE COM O ACS.

RUI CARDEIRA

P.S.: É DE BOM TOM ASSINAR AS MSG's QUE SE ENVIAM.
 
Pois...é um facto que os sindicatos e ordem pouco ou nada disseram sobres este tema. É também um facto que em termos monetários serão os médicos que sairão a ganhar. As USF trarão mudanças positivas para a Enfermagem? Com o tempo veremos. Quanto ao Enf de Família, tenho a dizer que no meu CS e nas respectivas extensões, já se pratica antes de existirem as USF´s.

JP
 
Caro colega Doutor Enfermeiro,

O texto é do SEN e não do SEP!!
Peço-lhe que corrija, até porque o SEP foi o único sindicato que nos contactou e ouviu.

Rui Cardeira
 
Ex.mo Colega Rui Cardeira,
obviamente tem toda a razão, motivo pelo qual o post já foi imediatamente corrigido.
No entanto, no primeiro post sobre este assunto (já alguns meses atrás), a fonte estava correcta.
Peço desculpa.
Cumprimentos.
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!