terça-feira, junho 12, 2007

Falsos Enfermeiros em Vila Pouca de Aguiar



Um jornal regional de Vila Pouca de Aguiar difundiu a seguinte informação (Jornal Mensagens Aguiarenses).
a
(Clicar na imagem ao lado para ampliar e ler)
a
Qualquer caso semelhante, do vosso conhecimento, que ponha em causa a profissão (ex. usurpação de funções) e a segurança dos cuidados prestados, é nosso dever comunicar às entidades competentes (a denúncia pode ser feita à Ordem dos Enfermeiros).
Proteger os Enfermeiros é proteger os cidadãos e a saúde.

Comments:
Jà não bastava termos enfermeiros verdadeiros a mais, que ainda temos de contar com a concorrência dos falsos "enfermeiros".
No entanto, o problema está também naqueles que não usando de vigarice às claras se dedicam á prática ilícita de actos de Enfermagem, constituindo um sério problema de saúde pública e também uma banalização do que deveria ser algo muito sério que são as acções de Enfermagem (não falo em cuidados de Enfermagem pois cuidar requer muito mais know-how do que aquele que é necessário para executar algumas práticas de Enfermagem).
Não podemos pois compactuar com estas práticas que ofendem a nossa profissão!MAs a defesa do nosso campo passa por uma clarificação urgente daquilo que é realmente o acto de Enfemagem!
 
Alguém me sabe dizer um acto exclusivamente de enfermagem? Quero dizer... algo que só o enfermeiro saiba fazer e que não possa ser realizado por nenhum outro profissional??

Obrigado
 
Sr. "anónimo com dúvidas", o que é que o enfermeiro pode fazer que nenhum outro profissional possa fazer?
É simples. Enfermagem. Para se fazer enfermagem em Portugal, seja no público ou no privado, só o pode fazer se for portador da cédula profissinal da Ordem dos Enfermeiros. Pode consultar mais, se desejar, sobre o exercício profissional (REPE - Regulamento do Exercício Profissional dos Enfermeiros) no site da respectiva Ordem.
Os actos exclusivos não deveriam existir, pois hoje em dia o trabalho em EQUIPA é fundamental, daí que a sobreposição de alguns actos seja de alguma forma benéfica.

Devolvo-lhe a questão.
O que é que um engenheiro informático pode fazer que outro profissional não possa? E um arquitecto? E um contabilista? E um professor? E um jornalista?
E um fisioterapeuta? E um administador hospitalar?

Muito obrigado. Cumprimentos a todos.
 
Basta pensar no seguinte, um serviço de internamento hospitalar por exemplo (seja ele qual for), pode funcionar sem médico (fim-de-semana por exemplo), mas NUNCA pode funcionar sem enfermeiros.
No entanto, à semelhança do comentador anterior ressalvo a importância absoluta do trabalho em equipa, pois o mesmo serviço não poderioa funcionar continuamente só com enfermeiros, pois é necessário auxiliares, médicos, secretários, copeiras, técnicos de diagnóstico e terapêutica, etc...
De facto, o senhor comentador (do 2º comentário) colocou uma questou que só revela desconhecimento acerca dos enfermeiros...
... e provavelmente (e infelizmente) só os irá valorizar quando um dia nse vir desesperado numa cama de um hospital, ou numa urgência em agonia... Relembro-o do facto de que, se (e espero que nunca aconteça!!) algum for vítima de uma paragem cardio-respiratória num hospital clínica, ou mesmo na rua, muito provavelmente será reanimado por enfermeiros... aqueles tais profissionais de aparentemente não gostava.
Os enfermeiros não vivem das boas intenções da pessoas, não vivem do facto de existirem pessoas que gostem da classe ou não, isso é irrelevante... logicamente grande parte da nossa visibilidade profissional é impulsionada por pessoas que já necessitaram e usufruiram do serviço do enfermeiros...
não raras são as vezes que os doentes saem de uma unidade de cuidados intensivos, e meses ou mesmo anos depois nos vistam só para conhecer os profissionaos que os mantiveram "agarrados à vida" e para tecer uma palavra de agradecimento... muitos desses nem sabiam o que realmente fazia um enfermeiro, até um destino infeliz lhes mostrar...
Tenho pena amigo, tenho muita pena que pense dessa forma, mas a sua opinião é semelhante à minha, uma simples fracção de uma pequena gota num vasto oceano.
Cumprimento ao autor do blog pelo fabuloso trabalho desenvolvido e para que saiba que poderá ter alguns "contras", mas tem muitos, mas mesmo muitos colegas do seu lado.
Ao enigmático, corajoso e sem "papas na língua" colega "doutorenfermeiro", o grande abraço do Sul.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Não sei porque fui tão brutalmente "atacado" nestes comentários... fiz apenas uma pergunta sem querer ofender ninguém! Pergunta essa que por acaso não foi respondida...

JS:
Não ponho em causa o trabalho em equipa...
A mim sempre me ensinaram a não responder uma pergunta com outra pergunta mas já que assim foi: um professor dá aulas a uma (ou duas, ou mais) disciplina à qual teve formação para leccionar, nenhum outro profissional o pode substituir; um arquitecto planifica edificios, construcções... certamente não há ninguém que conheça as técnicas utilizadas por eles, não é só pegar num lapis; um engenheiro informático faz milhares de coisas, entre programação, desenho de novos circuitos, etc.


Caro anónimo das 8:41

Tal como referi não quis ofender ninguém, muito menos desvalorizar o que quer que fosse.Não percebo porque se sentiu tão ofendido/a... também acho que teria sido mais produtivo se me tivesse dado uma intervenção (ou uma lista delas) que apenas possa ser realizado por enfermeiros...

Não percebo essa revolta já que são vocês proprios que já vêm dizendo há uns posts para cá que deveriam clarificar-se as intervenções de enfermagem...

só por isso veio a minha pergunta... que apesar dos comentários continua sem resposta... gostava de saber alguma intervenção que SÓ possa ser realizada por um enfermeiro e SÓ o enfermeiro a saiba realizar!
 
Para o anónimo com dúvidas:

Há um documento denominado CIPE (Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem)onde estão identificados centenas de focos, reconhecidos internacionalmente pelas autoridades competentes, que são alvos/competência dos cuidados de Enfermagem.

Traduzindo, há centenas de situações que, provado cientificamente, qundo alvo de cuidados de enfermagem resultam em ganhos de saúde para o doente.

Há vários estudos que o provam,assim como está reconhecido pela OMS e DGS o ganho em saúde, baseado nos indicadores de saúde (identificados para vários profissionais)que resultam dos cuidados de enfermagem!

Consulte o tal documento e verá as centenas de diagnósticos de enfermagem que temos cujo juizo diagnóstico e terapeutico só aos Enfermeiros diz respeito!

Espero ter contribuido para o seu esclarecimento
 
aturar médicos presunçosos , arrogantes e ignorantes, executando o k deveriam ser as suas competencias teóricas, salvaguardando o doente e depois deixar k os mesmos colham os louros por isso... eis o k SO os enfermeiros sabem fazer.....caro anónimo
 
Cara Sara Barbosa:

Mais uma vez respondo... em vez de me enviar para 1001 relatórios e dizer que há centenas de provas de intervenções melhor executadas, etc., etc... porque não me expõe uma dessas centenas de intervenções?


Caro anónimo (4:21pm):

Aturar médicos (e outras pessoas) não é só uma habilidade dos enfermeiros, é de todas as pessoas, assim que não acho que essa seja uma intervenção exclusivamente de enfermagem...


Mantém-se a minha pergunta original...
 
Existem coisas que só os médicos fazem e mais ninguém faz, é verdade: mas não é porque são os únicos com capacidades de as fazer mas sim porque eles, melhor do que ninguém, blindam os seus actos e competências e jamais permitem que outrem externo à classe os execute, mesmo sabendo que pode haver quem os execute melhor do que eles.
 
Caro anónimo AINDA com dúvidas

Como queira:

ALGUNS exemplos da minha área, a Psiquiatria:

1. Gestão de medicação a administrar
2. Preparação de altas (sim, porque alta médica não significa necessariamente alta de Enfermagem)
3. Avaliação 24h/dia do estado psicofisiológico dos doentes;

e mts mais meu caro, para as quais não disponho de tempo para enumerar...

Se é médico ou não, é-me indiferente, mas que revela uma falta de cultura e senso comum grosseira (pelo menos disso) pode estar certo.

Se encontrar algum outro profissional que para além das funções enumeradas consiga "amparar-vos as quedas" diga qualquer coisa!

E mais uma vez, se existe um manual com diagnósticos de Enfermagem creditado pelas instituições competentes, por mais pruridos que lhe possa causar, é porque definitivamente os Enfermeiros fazem Enfermagem, disciplina do conhecimento e ciência evidenciada teórica e empiricamente!

Tenho dito
 
...e muito bem colega Sara Barbosa.
Mais nada!
 
O sr. anónimo com dúvidas, desculpe mas parece-me que não deve ter um sentido de compreensãoo bem apurado.
Respondendo à sua questão: só os enfermeiros sabem e podem realizar os actos inerentes à Enfermagem...

p.s. - Não chegou a responder à MINHA questão. Relembro-lhe qual era: "O que é que um engenheiro informático pode fazer que outro profissional não possa? E um arquitecto? E um contabilista? E um professor? E um jornalista?
E um fisioterapeuta? E um administador hospitalar?
"
 
Caro JS:

Anda desatento aos comentarios porque já lhe respondi a essas questões (creio que estão no 5º ou 6º comentario)


Cara Sara Barbosa:

Não é necessário exaltação... por favor mantenha o nível...
Não sei porque pensa que sou médico mas também penso que a minha classe profissional (seja ela qual for)não está a ser para aqui chamada, fiz uma questão sobre enfermagem, num blog de enfermagem, sem ser mal-educado e sem ofender ninguém... acho que também mereço um pouco de respeito...

Continuo sem perceber porque estou a ser tão mal "recebido" pela minha questão... creio que foi uma questão simples e que deveria ser de fácil resposta para vocês, enfermeiros mas até agora só ainda a sara barbosa me respondeu... mas não concenveu, vejamos:

"1. Gestão de medicação a administrar"
Não estou a dizer que não sejam os enfermeiros a realizar esta tarefa... mas médicos e farmaceuticos, por exemplo, não estariam aptos também para as desempenhar? Sendo assim já não é uma tarefa exclusivamente de enfermagem...

"2. Preparação de altas (sim, porque alta médica não significa necessariamente alta de Enfermagem)"
Perdoe-me a ignorância, mas em que consiste a alta de enfermagem?
Ainda desconhecendo, uma alta não poderia ser preparada por profissional do foro administrativo?? Assim, também não é uma tarefa exclusiva...

"3. Avaliação 24h/dia do estado psicofisiológico dos doentes"
Já sei que me vão dizer que os médicos estão 5 minutos nos serviços... mas não poderia também ser este um acto realizado por um médico? Se existe a minima possibilidade de isso ser possivel, lamento informar mas também não é um acto exclusivo...


Pois... o anónimo continua com dúvidas...
 
Pois bem, caro anónimo, a sua resposta à minha questão foi deveras infrutífera.
Senão repare:

qualquer indivíduo com formação informática sabe executar tudo o que um engenheiro informático (veja os hackers por exemplo, muitas vezes estes nem possuem formação superior);

um engenheiro civil faz o mesmo que um arquitecto (um eng. pode mesmo ter mais sensibilidade estética que um arquitecto);

Um contabilista é facilmente substituível, olhe, um exemplo prático: sou eu quem faço o meu próprio IRS;

Um professor, Facilmente sunstituíveis por um profissional com o mesmo conhecimento: há engenheiros a leccionar matemática, biólogos a leccionar informática, etc;

No que toca ao jornalismo, qualquer um sabe escrever ou apresentar um programa (um exemplo são as "meninas bonitas", que sem formação jornalística rapidamente passam a apresentar programas ou a ser colunistas....)

Um fisioterapeuta? Simples. Um enfermeiro especialista em reabilitação faz tudo o que um fisioterapeuta faz e ainda mais...

Etc, etc, etc....

A alta de enfermagem só pode ser dada apenas por enfermeiros. Caso não esteja informado (e pelo que parece não está mesmo...), nos hospitais portugueses, muitos utentes continuam internados apesar de ter alta clínica... pois ainda não tiveram alta de enfermagem!

A gestão e administração de fármacos tb é exclusivo dos enfermeiros. Como sabe, este sector do conhecimento é complexo e APENAS executado por enfermeiros. Um exemplo flagrante é a administração e assinatura de administração fármacos estupefacientes e derivados humanos, onde o enfermeiro tem de assinar impresso nacional concebido para o efeito (exclusivamente os enfermeiros)!

Outro exemplo, o processo de enfermagem. Só pode ser concebido e assinado apenas por enfermeiros!

Pronto, está respondida a sua questão!
 
Acho k os enfs tem algo a retirar da questao do sr anonimo com duvidas que probavelmente nem e da area da saude, é que apesar de todas as mudanças k ocorreram na enfermagem ainda nao conseguimos mudar a opiniao k as pessoas têm da enfermagem, continuamos a ser vistos socialmente como os paus mandados dos medicos, e pior de que isso e k alguns enfs acham msm k o sao...
Por ex kd numa noite precisamos de administrar um simples paracetamol e este nao esta prescrito nao chamamos o medico mas administramos
mesme k legalmente nao estando autorizados. Pk nao chamamos o medico pra preescrever: a maior parte pk reconhece k temos mais k conhecimentos para o fazer sozinhos, mas lamento informar que uma parte nao o faz pk tem medo de incomodar o sr doutor.
Isto e a realidade e vamos ter de a mudar pra pudermos avançar , temos tudo pra avaçar, ate este "excesso" de enfs pode tornar -se uma vantagem.
Na minha opiniao se mudarmos o que pensamos sobre nos proprios podemos ir longe, o que se esta a passar com a enfermagem actualmente e so mais uma mudança.
 
Caro anónimo com dúvidas:

Penso não lhe ter faltado ao respeito, muito menos tive qualquer atitude com menos nível.

Denota alguma ignorância sobre o sitema de saúde, vejamos:

1. Como poderá a gestão da medicação(não administrativa, claro)ser realizada por um médico quanto mais por um farmacêutico????
Explique-me que critérios de avaliação dos doentes poderiam estes dois profissionais utilizar para realizar determinada tarefa?
Como poderão saber quando, o quê e como administrar determinada medicação prescrita em SOS se são os ENFERMEIROS que fazem a avaliação contínua do estado de saúde dos doentes?

2. A preparação da alta é muito mais que o tratar de um processo administrativo (isso sim, competência de um administrativo). O culmatar de um tratamento médico não significa necessariamente o fim da necessidade de cuidados de Enfermagem. Vejamos, um doente tem alta com o diagnóstico "AVC". Os médicos tratam as suas consequências, previnem, na medida do possível o seu reaparecimento, mas a pior parte para o doente e familiares é o seu regresso a casa. São os médicos que ensinam o doente a readaptar-se à sua nova condição? São os médicos que ensinam o prestador de cuidados a executar as tarefas que o doente não conseguirá executar? Quem ensina o doente e familiares a adaptar-se e a aceitar esta nova situação? Eu digo-lhe: SOMOS NÓS ENFERMEIROS! E a isto denominamos preparação de alta de enfermagem!

3. O proceso de avaliação é tanto mais efectivo e efeciente, quanto mais minucioso for. Assim, nenhum outro profisisonal procede a uma avaliação dos doentes como os ENFERMEIROS, não é por acaso que os médicos recorrem constantemente aos regisos de enfermagem para realizarem o seu trabalho, pois têm plena consciência da importância da nossa avaliação ininterrupta.

Cumprimentos
 
Com todo o respeito, ao sr. anónimo das dúvidas:
Tem razaão ao dizer que o que o enfermeiro faz qualquer pessoa pode fazer, a diferença é se a coisa é feita ou não com excelência e rigor. O problema que pôe é extensivo a qualquer profissão. Por exemplo, o que faz o médico que qualquer outra pessoa pode ou não fazer? o Arquitecto, o engenheiro, etc???
Alguns exemplos: quantos falsos advogados já não foram encontrados a exercer a advocacia? Quantos falsos médicos já não fora apanhados a exercer medicina, se bem me lembro uma que se fez passar por psiquiátra, até era considerada pelos doentes como execessional...lembro-me de um cirugião(falso), que nunca lhe tinha "sido apanhado" qualquer erro...enfim em todas as profissões tem havido alguns jeitosos...
Outro exemplo: o que é que os médicos fazem que os enfermeiros não conseguem fazer?? Podemos discutir o rigor e a exceLéncia, e aí concordo, que medicina fazem os médicos...Por exemplo no tempo da guerra colonial, mitos enfermeiros faziam sózinhos grandes cirúrgias para salvar vidas, e não é que salvaram!!! Não sei se teve cohecimento de uma reportagem que passou na RTP1(senão estou em erro)em que numa zona de guerra de Angola, após as tropas governamentais terem abandonado uma cidade, e por arrasto todos os médicos fizeram o mesmo, só ficaram os enfermeiros locais, que se viram obrigados, para salvar vidas, a fazer amputações, cirúrgias para drenagem de hematomas craneanos, amputação de globos oculares, etc...
Para terminar, quantos projectos de edificios neste país não foram feitos por individuos que não eram engenheiros nem arquitectos?? Quantos arquitectos não fazem cálculos de engenharia?? Quantos engenheiros não fazem projectos de arquitectura??? Quantos profissionais não qualificados não fazem solicitadoria e até aconselhamento jurídico??
Enfim era interminável a descrição de casos...Já agora faça uma simples reflexão acerca da sua profissão e penso em quantas outras profissões ou pessoas não qualificadas conseguem fazer o que o senhor faz. Não digo com isto que o façam com a sua excelência profissional....
Ao dispor
Carlos
 
Podemos tomar conta de crianças e não somos educadores de infância, podemos jogar futebol e não somos futebolistas, podemos fazer o almoço e não somos cozinheiros, podemos plantar árvores de fruto e não somos fruticultores... Nada é exclusivo de ninguém. Se sei fazer algo e sinto que o devo fazer, faço. Se o meu estatuto profissional me impede de fazer algo que está fora do âmbito das minhas competências, e eu faço-o na mesma, terei que simplesmente assumir isso e sujeitar-me às consequências do meu acto.
Conheci uma falsa enfermeira que trabalhava num bloco operatório de um centro hospitalar. Tinha comprado um diploma que fora falcatruado numa escola de enfermagem portuguesa. Estava sempre a instrumentar e até fazia privada, pois vários cirurgiões convidavam-na a trabalhar com eles. O disfarce durou uns bons anos e nunca ninguém suspeitou da falsa enfermeira. Quando a verdade veio ao de cima (segundo se constou através de denúncias) além da indemnização ao Estado, cumpriu pena de 2 anos de prisão.
No filme «catch me if you can» também temos um burlão (e a história é verídica) que se fez passar por médico, piloto, etc...
Ninguém pode dizer que é especialista nisto ou naquilo, senão não passa de um pobre coitado que só sabe fazer uma coisa.
 
Alta de Enfermagem... eh pa, sera que foi daqui que copiaram a alta med... ah nao... deve ser engano!
 
Para Informaçao dos senhores do leito geral, afinal, quando dizemos médicos de clinica geral é mesmo isto que queremos dizer( senao o sabem, sao ignorantes quanto à origem grega da palavara clinca), posso dizer lhes:

A organizaçao do processo clinico deu os seus primeiros passos com Florence N.
Esta revolucionou a forma de cuidar dos doentes a varios niveis entre os seus contributos focamos os primeiros estudos epidemiológicos!


Já nao vivemos na era do médico barbeiro, mas dados os conhecimentos que eles manifestam relativamente a outras areas de Saber, podemos afirmar que por este andar a medicina não vai longe(não vai nao!) ao querer viver num mundo utópico e fantástico, só deles nos quais o dr. barbeiro é rei!

Mas não se esqueçam da história do rei. Agora não sao apenas os enfermeiros, mas a sociedade em geral a dizer:
Olha o rei! O rei Vai Nu.....
 
Ao último comentador (que só peca por ser anónimo...):
- parabéns pelo seu comentário "carago".
Bem haja!
 
Ordem dos medicos , ordem dos advogados , ordem dos enfermeiros , ordem dos engenheiros... enfim tantas ordens. Portugal no seu melhor.
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!