segunda-feira, junho 04, 2007

Quem não quer, não venha!


Não gosto de entrar em "guerra" de palavras. Muito menos quando a "guerra" é desigual.

Ao longo de alguns posts, fui "obrigado" a apagar alguns comentários, não pelo seu conteúdo, mas pela sua linguagem ofensiva.

A esmagadora maioria desses comentários são tecidos por ilustres anónimos, quiçá frustrados, ou como diria o outro, ressabiados. Se a Enfermagem não lhes interessa, o indicado e preferível seria não comparecer a este espaço. Pessoalmente, por exemplo, há classes profissionais que simplesmente não me interessam. O que faço? Ignoro. Nem dispendo tempo precioso a ler os seus blogs ou explorar os seus sites.
Agora, quando afirmamos que algo não nos interessa e consumimos o nosso tempo e dinheiro com esse algo, então, afirmo com firmeza, que essa é uma situação que entra no limiar patológico.

Ao que parece, existe muito boa gente que não gosta de Enfermeiros, que concebe esta classe de uma forma obsoleta, desconheçe esta profissão e não está interessada em conhecê-la! Mais grave, utilizam argumentos medíocres para ilustrar os seus comentários pueris.

Se não gostam dos Enfermeiros não venham cá! É simples.
Agora, estranho e invulgar é observar o vosso comportamento. Fazem lembrar uns diminuídos e inferiorizados que tentam sobrepor-se a alguém por intermédio de calúnias e argumentos bacocos. Este blog não é local indicado para exprimir os incómodos que fluem da vossa frustração!

Comments:
Ora, aí está uma grande verdade!

Cumprimentos
 
Ora aí está uma verdade que soa a oco de sabedoria e de conhecimentos múltiplos. O ilustre enfermeiro não sabe que nunca se escreve ç antes do e e do i? Não aprendeu isso, no entanto utiliza expressões que soam a colagem semântica, desconhecendo o verdadeiro sentido das expressões. Aprenda alguma coisa com outras profissões, porque a transversalidade é a rainha da aprendizagem. Nos relatórios também infringe tão facilmente as normas da língua portuguesa ou também diz como o outro enfermº - é por escrever à pressa. Essa desculpa é a dos ignorantes, gostava de ouvir a sua, digníssimo enfº.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Curioso! Li o texto mais do que uma vez vez e não encontro qualquer colagem semântica ou erros ortográficos! Parece-me é que os senhores anónimos vêm aqui com "sede" de erros, e ao invés de lerem os posts, andam a perseguir questões ortográficas numa tentativa de provar algo... O que será?
Fazem lembrar aqueles investigadores que por falta de argumentos para refutar as investigações de outros, focalizam a sua atenção na busca de incorreções semânticas que não interessam ao Pai Natal sequer...
Ou então, aquele político que na falta de mais, acusou outro de ter um penteado ridículo... ao que chegamos!
 
o sr. anónimo das 9:25 pm é que não deve saber ler. o título do post é claro: "Quem não quer, não venha"!
 
Aos demais, particularmente ao colega e administrador deste blog DE, peço desculpa pelo comentário que irei redigir de seguida. Este visa única e exclusivamente o direito ao contraditório, que é como quem diz: vais ter de me "gramar".

Vamos lá ver se não me esqueço de nada. Que comece então, de preferência com um PONTO E VÍRGULA.

Factos (ou talvez não):
- um tal de comentador que assina como João tem a informática como profissão (confesso ser uma área que me fascina também; portanto alguns aspectos em sintonia);
- segundo ele próprio e como facilmente se constata, está NUMA ÁREA PROFISSIONAL COMPLETAMENTE AO LADO DA QUE DEBATEMOS; ainda assim refere não estar tão ao lado de um termo que ele conceptualiza como "guerrinhas", isto pelo simples facto de, segundo o próprio, ter "bons amigos" em ambas as profissões. Meu caro em quê é que isso lhe legitima ou fundamenta a opinião ou os seus argumentos?? Um conhecimento baseado no "diz que disse". O facto de eu poder ter um amigo informático faz de mim uma pessoa mais esclarecida relativamente a aspectos informáticos?? Quando muito será uma ajuda relativa, que poderá ser construtiva ou destrutiva (não vá o expert informático ainda saber menos do que quem pede ajuda);
- aparentemente o caríssimo informático João não apresenta nenhum tipo de transtorno na deglutição. Diria que será mais um problema de interpretação - meu caro o recado não era para si, mas se o boné lhe assentou, quem sou eu...);
- o Srº informático João apresenta um défice claríssimo de conhecimentos (na área em questão,claro está) o que o induz em alguns equívocos. Algo só possível baseado em estereótipos e preconceitos esclerosados e inértes, despojados de qualquer sentido de honestidade e veracidade. Em quê é que o médico é mais responsável do que eu próprio, hem?? O "objecto de trabalho é o mesmo", meu caro. O corolário é um só para a mesma situação - se ambos falhar-mos o paciente poderá morrer. "Maior gráu de experiência"?? Mas que é isto?? Mas o conceito experiência só se aplica a medicina? Vai lá vai...;
- tendo em conta o facto de ter bons amigos em ambas as profissões, é evidente, diria mesmo, cristalina a imparcialidade impressa no discurso do prezado comentador - "assim tanta confusão ver os médicos a ganhar mais que você...,não se preocupe, porque considero isso absolutamente normal"...;"Sei que ler isto lhe pode causar algum desconforto ou sensação de "espinha na garganta", mas convença-se que isto é evidente e indiscutível"(JOÃO:2007)
Então não é meu caro. Quase tão natural como a sua sede...
- quer exemplos de ciberlocais? Experimente um tal de "médico explica medicina a intelectuais" (passo a publicidade).

Relativamente às maiúsculas, no que concerne à tal instituição que referiu, creio que aqui revela ingenuidade. Meu caro, leia bem o meu último comentário. Se não escrevi em maiúsculas lá terei as minhas razões...Quer que explique mais detalhadamente??

Ah, compreendo que o seu interesse no vencimento dos enfermeiros seja nulo. Compreendo ainda que não vislumbre grande interesse ou vontade em comparar ordenados.
Sabe, a mim interessam-me estas coisas, preferencialmente por questões de honestidade (seja ela social, intelectual, etc)

Acabo como comecei:

Ponto e vírgula.
Siga
 
Pois é, agora aguenta a "bucha".
Eis mais alguns exemplos de imparcialidade do Srº informático João:

-"...Senhores enfermeiros: não queiram ser médicos; Para alguns senhores médicos: respeitem mais as enfermeiras..."

Meu caro, se dúvidas existiam quanto a sua imparcialidade...
Então, todos os enfermeiros queriam ser médicos, é isso? Não considera algo exagerado?
Então e só alguns senhores médicos é que são "menos bem comportados" para com as senhoras enfermeiras?
Reveja lá esses conceitos.
 
"Gráu"... eles sabem!
 
ó sr "gráu"(último comentador), "quem não quer, não venha"
 
Olha, olha este! O tal do gráu...
Meu caro se esse bocejo foi cá para o moi fique vossa excelência sabendo que foi uma citação. Não compreendeu foi? O seu GRAU de interpretação não o permitiu foi?? Oh, oh!
Concordo consigo lindo (se for linda tanto melhor):
Eles não sabem que o sonho

é uma constante da vida

tão concreta e definida

como outra coisa qualquer
António Gedeão: pedra filosofal

lINDO NÃO ACHA?
Vai lá vai...
 
...grau ou Graal?
Graal ou red bull?
tinto o verde? Cheio não é?
Aiaiaai, que estou que nem me aguento...
 
tipicos comentarios da classe baixa...
 
Então não?
Estes comentários...
Vamos lá ver: meu caro, porque é que não consegue desenvolver uam frase com mais de 4 ou 5 palavras?
Será o receio de desconhecer qual o sujeito, predicado e complementos? Terá o nobre comentador receio em dar uns erritos gramaticais?
Deixe lá isso camarada. Estamos todos entre amigos.
A classe, se é alta ou baixa?? Tudo depende da perspectiva. Atendendo ao seu elaborado comentário, diria que pertence a uma classe altamente...minguada será o termo correcto. Para si, e para muitos como o caríssimo a perspectiva será circular, ou quando muito vertical, de cima para baixo, e de frente para trás.
 
Sr. Hugo Roque, onde aprendeu a escrever com tanta propriedade semântica? Tanto sentido de humor... tantas anástrofes ... como é belo apreciar um texto como o seu - tanto humor, tantos jogos anafóricos, que beleza ... Só de um enfermeiro da sua estirpe se esperaria tão nobre, eloquente e sublime discurso. Só gente com um curso como o seu ousa fazer humor ou pensar elevar-se com um texto que analisado é nada. Tudo se compreende, pois a sua débil formação não lhe permite mais ...
 
Meu caro Anónimo das 3:31PM, é sempre um prazer ler os seus comentários. Qual poesia para os meus olhos...Lindo! Plenos de conteúdo, de significado; mas acima de tudo de modéstia e moderação. Lindo! Encontro no seu paupérrimo comentário alguma justiça, concretamente quando afirma que identifica nos meus comentários algum sentido de humor. Meu caro é a única forma de ler e responder com algum nível a comentários como os seus.
Meu caro, sou por natureza, contra tudo o que aparenta ser natural. Gosto de inverter a ordem, mas manter o sentido. E depois, sabe como é nestas coisas: há que manter uma "certa imagem". Daí o recurso às figuras de estilo que referiu. Manias...
Onde aprendi? Creio que as minhas bases terão sidos iguais às suas, agora durante o curso simplesmente limitei-me a aperfeiçoá-las, e olhe que tive bons professores. Alguns eram médicos...
Para finalizar, e para quebrar um pouco o "gelo" um último comentário: - meu caro os seus comentários anástrofes; são antes verdadeiras CATÁSTROFES (estou a brincar...aí o meu sentido de amor, oh, humor.)
 
Como se atreve a utilizar a palavra anástrofe numa situação em que não significa nada, ou seja não tem sentido? Se pensa q tem algum humor, penso que ele apenas é reflectido pela ignorância e burrice q demonstra. Não sei onde estudou, mas o q aprendeu e sabe é muito pouco, a ver pelos textos q apresenta
 
Que comentários tão BIPOLÁRES!!!!!
 
Como me atrevo? Será que posso escrever: por que sim?
Não tem sentido? Mas o caríssimo percebeu, de forma forma que o justificou com o pretenso "sentido de humor", de maneira que pela interpretação (não muito aprofundada - por não ser necessário) dos seus, mais uma vez, vis comentários, concluo que o único burro e ignorante aqui será sua eminência.
Ler os seus comentários, é como que ter uma conversa com mudos, com a diferença de que com mudos é possível "communicare", tornar perceptível, inteligível, tarefa essa impossível nos seus comentários (NEM COM RECURSO À "Pedra de Roseta").
Faça-nos a todos um favor: VÁ APANHAR CARACÓIS.
 
Hugo Roque, sugiro-lhe contenção nas palavras, pois pelo q escreve apenas denota, efectivamente aquilo q o outro comentador diz, e mais, q é detentor de uma formação q é indigna de qquer enfermeiro. Considero-o eu, tb, inculto e utilisador de uma linggem inapropriada e com pretensões a intelectualismo. Se não aceita as críticas, não utilize o q não sabe - a língua portuguesa, utilize a do cão, pq é + fácil e acessível para si.
+ 1 comentador
 
Peço a todos um pouco de CONTENÇÃO na linguagem, p.f.
 
Peço desculpa ao "doutorenf.", mas a ignorância não pode ser subvertida com laivos de falsa e inexistente cultura, independentemente de ser enfermeiro ou não, pq há muito enf que, custa admitir, não têm estruturação intelectual, nem humana e muito menos cultural pra exercerem o q exercem.Estou a referir-me, como é evidente aos rastos de intelectualidade sórdida deixados pelo enf. Hugo Roque qndo respondeu a um comen.
+1 comentador
 
Uma andorinha não faz a Primavera e um enfermeiro mal formado como H. Roque ainda bem k não retrata a nossa enfermagem.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Colega doutor enfermeiro, permita-me apenas o direito ao contraditório. Procurarei ser contido nas palavras (o máximo possível...).
Sem grande necessidade de pesquisa, eis a primeira resposta ao PM anónimo das 7:38:
- " não utilize o q não sabe - a língua portuguesa..."
Atente bem nas suas próprias palavras. E agora preste atenção no que escreveu:
"...e utilisador..." (ANÓNIMO:2007;7:38)
Meu caro, meu caro...(já sei que vai escrever que foi da "press" ou da ira com que dactilografava os seus hieróglifos)
Se é um defensor da língua portuguesa, deverá sê-lo na totalidade, quer seja na sua forma falada ou escrita. Quantos atropelos, meu Deus. Uso sistemático e inapropriado de abreviaturas (q; tb; pq) com adição grosseira de sinais matemáticos (+), enfim, o descalabro. E vem para aqui o caríssimo dar aulas ao padre? Compreenda que não tenho que lhe justificar nada; aliás nem sei porque estou a perder o meu precioso tempo com vossa excelência, mas...bom honestamente confesso que me divirto (a julgar pelo número de gargalhadas que dou cada vez que leio um comentário seu).
Se aceito críticas? Seguramente, mas não vindo de alguém com um intelecto como o seu (está quieto...).
Aceito a sua sugestão: utilizar a linguagem dos canídeos. Terá contudo sua excelência de disponibilizar-se a ensinar-me o referido "dialecto", nem que seja o de ternura.
O outro anónimo (pergunto se não será uma das faces da mesma personalidade) das 10:16, disse a verdade quando escreveu o seguinte:
"...sórdida deixados pelo enf. Hugo Roque qndo respondeu a um comen.) Exactamente meu caro. Foi uma resposta à letra a um comentário. Terá ficado claro? Ainda bem.
Finalmente (last but not the least - neste caso será) temos um comentador que é poeta. Mas permita-me a correcção: por morrer uma andorinha, não acaba a Primavera - assim é que está correcto - vai ter de desculpar mas por vezes sou perfeccionista. Manias...
De que enfermagem está a falar? Poupe os meus olhinhos.
 
Ainda para a(o) "andorinha" das 10:19 PM, tenho a dizer o seguinte:
- eu não represento ninguém; limito-me a expressar MINHA OPINIÃO. Quando muito haverá alguém, que num dado momento, e relativamente a um determinado assunto, partilha das mesmas opiniões.
Da mesma forma, creio que o meu caro não representará NINGUÉM, muito menos a Enfermagem (e não a sua enfermagem - duvido que seja enfermeiro).
Terei sido minimamente perceptível?
Thank you very night.
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!