domingo, novembro 11, 2007

Planos de estudo... originais!


Numa altura em que nos deparamos com a falta de qualidade no ensino de Enfermagem, com o excesso de escolas e de vagas, é possível encontrar perversões inacreditáveis.

Na Escola Superior de Enfermagem Calouste Gulbenkian (Lisboa), uma suposta escola com passado, encontramos um plano de estudos no mínimo... caricato.
Temos preciosidades surreais tais como "Movimento e Drama" (leccionada por o Prof. António Nabais, candidato à OE pela lista da Enf. MAS) e "História das Ideias" (anedótico?), ou mesmo uma cadeira chamada "O Personagem Brinquedo"...
É possível concorrer a esta escola com a específica de... Economia! Sim, leram bem!

No curso de Enfermagem da Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal, também temos uma cadeira especial: "Métodos de Pesquisa de Informação". Nem o curso de Comunicação Social faz melhor....

Na Escola Superior de Saúde de Faro, o plano de estudos da Licenciatura em Enfermagem também prima pela originalidade. Existem sete (7) cadeiras semestrais denominadas "Ciclo das Artes"! Também aqui se rivaliza com outras licenciaturas, desta vez, com a de Belas Artes...

A Universidade Fernando Pessoa, que também lecciona o curso de Enfermagem, deu azo a delírios invulgares. Substituiu a tradicional cadeira de Biofísica por "Biomecância" (?)... E resolveu competir com a licenciatura em Relações Internacionais... tem uma cadeira de alto gabarito denominada "Organização Política Portuguesa e da União Europeia"!!

A Escola Superior de Enfermagem Artur Ravara veicula mentiras. Na sua página é possível ler
"Qual a taxa de empregabilidade destes profissionais?"
"(...)os alunos que concluem o Curso tem colocação imediata nos diferentes Hospitais públicos ou privados, Centros de Saúde e outras instituições, algumas privadas que todos os anos se dirigem aos finalistas com propostas de trabalho imediato, após a finalização do Curso"
Nesta Escola, é quase possível fazer um "escolha-você-mesmo" em relação às provas específicas de ingresso! Mas se pensam que aqui reina a falta de criatividade, estão enganados. Aqui temos cadeiras do género "Desvios de Saúde"...

O Instituto Piaget também aderiu à moda das perversões. Na Licenciatura em Enfermagem do Campus de Macedo de Cavaleiros (por exemplo...), temos cadeira do tipo "Dinâmicas do Mundo Contemporâneo e Evolução do Espaço Português" (sem dúvida útil!), "Trabalho de Campo Antropológico" ou então "A Humanidade e o Futuro: Paradigmas Ecológico, Ético, Poiético e Direitos Humanos"... Neste Instituto, ao invés das cadeiras se adaptarem ao curso, parece que o curso necessita de se adaptar aos professores (oriundos de diferentes áreas), que ali encontraram uma fonte de rendimentos...
a
A Escola Superior de Enfermagem do Porto é a mais fantasiosa de todas. Deu "largas à imaginação". Aqui podemos encontrar cadeiras tais como "Parentalidade", "Cultura e Políticas Europeias", "Processos de Informar", "Respostas Corporais à Doença" ou então "Empreendedorismo". Existe uma cadeira denominada "Língua Gestual Portuguesa" (e se o utente não for Português?), que apesar de poder ser interessante, é desadequada para ocupar currículo logo no primeiro ano! Eu estava mais inclinado para a redistribuição desse tempo por Anatomia, Fisiologia ou Patologia Médica....
a
O Instituto Superior de Saúde do Alto Ave (ISAVE), é o mais misterioso.
Quanto ao plano de estudos da licenciatura em Enfermagem... nem vê-lo (receio de alguma coisa?)! Só refere que o curso tem 120 "numerus clausus" (é para rir? o conceito não está em harmonia com o número de vagas disponibilizadas...)!
Para ultrapassar a desinformação do ISAVE, foi necessário recorrer ao Diário da República para conhecer o referido plano. Aí, é possível constatar porque é que o site não o apresenta. As cadeiras são verdadeiramente reveladoras. Desde "Teatro" a "Música" passando por "Actividade Física" (ginástica??)!!
Vergonhoso!!!
a
Ficam alguns exemplos para reflectir....

Mas há boas Escolas de Enfermagem. Encontrei meia dúzia com bons planos de estudo...

Comments:
Não posso! Como é possível? (estão os links no post eu sei)
Farmacologia é cadeira de 1º ano...

Luz
 
Mais uma post à doutorenfermeiro... genial!
Também pergunto, como é possível isto acontecer?
 
Penso que podemos fazer um pequeno resumo de tudo quanto o "Doutorenfermeiro" nos tem dito. Assim:
Sabemos "agora"da existência de cursos de Licenciatura em Enfermagem que só servem para ir de encontro aos interesses dos professores e para as escolas;
Sabemos dos alunos a mais e dos locais de estágio a menos;
Sabemos da desmotivação da maioria dos colegas relativamente à sua profissão na actualidade,
Sabemmos da profunda inadequação do REPE para a actualidade da profissão de enfermagem;
Sabemos da proliferação de auxiliares de enfermagem que cada vez mais se tornam mais visíveis (demasiadamente);
Sabemos das "Doulas" (esta não conhecia eu);
Sabemos da contínua paranoia e do discurso repetitivo sobre os "racios" que faz a actual Ordem e a sua equipa banalizar a prática da enfermagem e mandar milhares de enfermeiros para o desemprego;
Sabemos da falta de visibilidade política da actual Bastonária e, consequentemente, da falta de visibilidade da própria Ordem;
Sabemos dos contínuos ataques da Ordem dos Médicos ao longo dos anos e de alguns dos seus sindicatos sem que se tenha sabido na maioria das vezes as posições oficiais da actual direcção da OE;
Sabemos da imensidão de profissionais de enfermagem altamente habilitados que estão completamente encostados ás boxes só porque não têm a "visão da actual bastonária e da sua equipa;
Não sabemos já demais? E não é tudo grave?
E ainda há quem afirme que agora a equipe que se candidata pela actual bastonária tem um projecto...
Se for tão bom como o dos últimos 4 anos... estamos.. bem... lixados.
 
O doutorenfermeiro é inteligente, dedicado e sagaz!! Quanto a isso, ninguém lhe tira o mérito!
Por 1 + 1 demonstrou lentamente que a enfermagem não está bem, e que a actual ordem tem de ser substituída...
Ainda houveram alguns que quiseram refutar, mas em vão...
(muito gostava eu de saber quem é este misterioso doutorenfermeiro)...
Pago 500 euros só para saber quem é ;)
É que a curiosidade está a dar cabo de mim...
 
Isto é quase uma investigação jornalística...
Parabéns!
 
A escola superior de enfermagem de artur ravara nao actualiza o conteudo do site ha anos, nao por indisponibilidade tecnica mas porque o conteudo fica a criterio dos professores que tem por sua vez de autorizar. Logo, é compreensivel que ainda se publicite a empregabilidade... Relativamente aos desvios de saude resta-me defender que é uma cadeira adequada e com um nome apropriado. Ora, nestas cadeiras de desvios de saude lecciona-se a patologia relativa aos campos geriartricos, pediatricos, materno-infantis, medico-cirurgicos, psiquiatricos, etc que depois sao complementadas com a respectiva cadeira de enfermagem (ex. desvios de saude I e enfermagem I, ambas direccionadas para a saude do idoso) As cadeiras de desvios de saude tratam de patologias sim mas para a enfermagem da ravara de desvios no continuum saude-doença da pessoa assistida daí o seu nome. Cabe-me tambem elucidar que o plano de estudos da ravara é adequado às exigencias da enfermagem e não da enfermeiragem que por aí anda à solta... Reconheço que enquanto nao se definir o acto de enfermagem, nao se actualizar o regulamento do exercicio e nao tivermos uma ordem com enfermeiros de verdade continuaremos a assistir à alineação da formação inicial dos enfermeiros e com ela a alineação de toma uma classe. Tem de se conhecer para se reconhecer e se o doutorenfermeiro nao conhece por dentro o curso nao pode reconhecer a sua credibilidade cientifica e pedagogica.
 
eu vi a esecg e vi farmacologia, setubal tem farmacologia veja melhor, não dê informações erradas.
 
Caro Dr enf deve tb exibir as escolas onde o programa de estudos é apreciável.
gostamos de saber o mau, mas tb o bom q é feito neste país.
 
Penso que dizer sem se identificar em nada abona para a parcialidade da informação, mais um post à Doutor, não à Enfermeiro, pois isso cada vez mais parece não o ser.

Li no Cogitare o seu comentário e depois isto! Como quer ter uma formação isenta em que são os Enfermeiros a definirem oi que querem para a profissão! Terá que ser atraves do novo modelo de desenvolvimento profissional.

Então o que a OE pretende é uma avaliação 3 vezes academica, profissionalizante e outra isenta feita pela Ordem. Não acha que o no modelo de desenvolvimento isso está contemplado! DEpois não diga inverdades. Vi os cursos de que fala e não é bem assim como diz. Aprendeu bem, aprendeu bem! Ou citando uma celebre expressão " olhe que não, meu amigo, OLHE QUE NÃO".

Manuela Elisa
 
«Métodos de Pesquisa de Informação» no 1º semestre do 1º ano da Esc Sup Saude de Setubal. Por acaso, disciplina comum a todos os estudantes da escola - sejam do curso de Enfermagem, Fisioterapia ou Terapia da fala.
E o «original»? é o quê?
ensinar a pesquisar, a ajuizar as fontes de informação e a usar bases de dados, como a B-On, desde o 1º ano? dir-se-ia que esta é uma competência transversal a estudantes do ensino superior...
 
parabéns doutor enfermeiro por esta divulgação e bom trabalho...
esta informação foi bastante esclarecedora acerca de algumas escolas de enfermagem sem credebilidade nenhuma, ou se a tinham deixaram de ter...
mais uma vez bom trabalho
 
Mas qual quê?
Quem é querem iludir? Não dá. É demasiadamente "triste", excessivamente HUMILHANTE. Por favor, ALGUÉM FAÇA ALGUMA COISA.
Colega doutorenfermeiro, sou eu que lhe peço: seja mais "moderado" na sua investigação, pois temo que me dê um AMOQUE.
Cambada de energúmenos, que tanto mal estão a fazer à Enfermagem.
Desculpem o desabafo, mas às vezes questiono-me: como é que eu, com uma média menos má, vim parar aqui? Estaria louco? Não sei, ou melhor, "já" nem sei.

Só faço um pedido: num desses planos de estudo coloquem umas cadeiras de informática (gostos pessoais...).
Não há PACHORRA.
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
"ensinar a pesquisar, a ajuizar as fontes de informação e a usar bases de dados, como a B-On, desde o 1º ano"

Ó nossa senhora da agrela, é preciso ensinar isso?
Pensava que nos 12 anos de escolaridade antes de se entrar no ensino superior, tinham tido alguma utilidade....parece que não!
 
Tanta ignorancia...
 
Ao anónimo das 11:05

Tanta sabedoria!
????
 
Ao anónimo das 11:05:
- bem vindo ao clube.
 
Fui...
 
Caro doutorenfermeiro:
De facto existem algumas "pérolas" em algumas escolas que eu considero uma autentica catástrofe para o futuro da enfermagem, pobres dos alunos...
Agora gostaria de acrescentar algo relacionado com o que escreveu sobre linguagem gestual:
Independentemente de se considerar ou não matéria cientifica para uma cadeira numa ESF,( eu não considero) existe aqui algum desconhecimento sobre LINGUAGEM GESTUAL: Existe a linguagem gestual universal, mas tambem existe a linguagem gestual portuguesa, que foi desenvolvida e é aplicada pela maioria dos surdos mudos portugueses.Fica aqui a informação/correcção ao seu escrito.
Já agora existem cursos de linguagem gestual portuguesa especificamente para profissionais de saude, que tem um máximo de 40 horas, eu mesmo em breve vou iniciar um curso desses, agora se entendem que isto é suficiente para criar uma cadeira numa escola superior de enfermagem, valha-me deus,andamos mesmo mal...
Para finalizar, quem estiver interessado em frequentar um curso destes sempre pode consultar o site:
www.maosquefalam.com
É sempre util...
Um abraço a todos
 
Caros Colegas,
Eu Ant�nio Nabais, regente da Unidade Curricular de Op�o do 2� ano de Licenciatura em Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, p�lo Calouste Gulbenkian, venho por este meio informar que muito me orgulho de ser regente desta Unidade Curricular, e de dar o meu melhor para corresponder ao magn�fico trabalho iniciado pela saudosa Enfermeira e Professora Arlete Abreu, que construiu um percurso de desenvolvimento pessoal do estudante ao longo da Licenciatura em Enfermagem, objectivamente valorizado pela maioria dos estudantes e onde esta disciplina se integra no 2� ano. Tendo como finalidade fundamental que os estudantes mobilizem recursos individuais, centrado no aqui e agora, para gerir situa�es de conflito interpessoal que tenha tido origem nos diversos contextos de aprendizagem, de forma a desenvolver a capacidade de identificar emo�es e sentimentos em Si, desenvolver a capacidade de expressar sentimentos dif�ceis de verbalizar, aumentando a auto-estima e a confian�a de forma a tornar a express�o verbal mais acess�vel, esta Unidade Curricular recorre a metodologias din�micas, de inspira�o sociodram�tica e psicodram�tica, para a qual se inspirou a sua denomina�o.
Encontro-me sempre dispon�vel para qualquer esclarecimento ou colabora�o com colegas Enfermeiros que valorizem o acesso � vida interior como forma de possibilitar o auto-conhecimento e a capacidade de ajuda.
Cumprimentos,
Ant�nio Nabais
 
Colega Piratão, é verdade o que refere. 100% verdade. Eu próprio tenho uma familiar muito próxima que desenvolveu uma webpage onde são dadas dicas (algo mais do que isso - muito mais), sobre a linguagem gestual portuguesa. Se quiserem posso colocar aqui o endereço (é claro que primeiro tenho que pedir o consentimento da autora :-))
Quanto ao facto de ser matéria suficiente para "criar" uma cadeira, também aqui estou de acordo consigo. A instrução é fundamental, mas neste caso, creio ser ridículo...
 
Caros Colegas,
Eu António Nabais, regente da Unidade Curricular de Opção do 2º ano de Licenciatura em Enfermagem da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, pólo Calouste Gulbenkian, venho por este meio informar que muito me orgulho de ser regente desta Unidade Curricular, e de dar o meu melhor para corresponder ao magnífico trabalho iniciado pela saudosa Enfermeira e Professora Arlete Abreu, que construiu um percurso de desenvolvimento pessoal do estudante ao longo da Licenciatura em Enfermagem, objectivamente valorizado pela maioria dos estudantes e onde esta disciplina se integra no 2º ano. Tendo como finalidade fundamental que os estudantes mobilizem recursos individuais, centrado no aqui e agora, para gerir situações de conflito interpessoal que tenha tido origem nos diversos contextos de aprendizagem, de forma a desenvolver a capacidade de identificar emoções e sentimentos em Si, desenvolver a capacidade de expressar sentimentos difíceis de verbalizar, aumentando a auto-estima e a confiança de forma a tornar a expressão verbal mais acessível, esta Unidade Curricular recorre a metodologias dinâmicas, de inspiração sociodramática e psicodramática, para a qual se inspirou a sua denominação.
Encontro-me sempre disponível para qualquer esclarecimento ou colaboração com colegas Enfermeiros que valorizem o acesso à vida interior como forma de possibilitar o auto-conhecimento e a capacidade de ajuda.
Cumprimentos,
António Nabais
 
Com o devido respeito, parece-me que os doentes (e as diferentes classes de profissionais e gestores) de uma unidade de cuidados intensivos estão-se nas tintas para a expressão dramática dos enfermeiros....
Talvez um pouco mais de conhecimento científico... ajudava!
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Prof. António Nabais

O que penso estar aqui em questão não tem certamente a ver com o facto de não acreditarmos em si, ou de alguém ter colocado em questão a sua competência enquanto regente, ou o facto de dar ou não o seu melhor na respectiva cadeira e, nem sequer ao facto de ser amplamente capaz de efectuar um excelente trabalho. Como podem os que estão de fora avaliar isso? Não só não podem como o não devem fazer. Teriam que ir às suas aulas.
Nenhuma das pessoas envolvidas directa ou indirectamente no desenvolvimento da respectiva Unidade Curricular( agora é assim não é?) está colocada em causa e os seus méritos serão certamente indiscutíveis.
O que estará aqui certamente em discussão é propósito desta cadeira num curso de Licenciatura em Enfermagem. Não o regente, as pessoas envolvidas ou a matéria leccionada.
E, no meu entender, sinto que é legítimo poder discutir-se, do ponto de vista pedagógico, se esta é ou não uma cadeira que contribui efectivamente para a qualidade dos formandos.
Só isso.
Do ponto de vista pedagógico uma disciplina desta natureza, e relembro que estamos a falar apenas do CLE, é claramente passível de nos podermos questionar sobre o que terá motivado a sua origem, ficando a sua justificação, e só em meu entender, limitado apenas na lógica de quem a faz surgir num programa curricular.
 
Obrigado ao colega "Pirata da Foz".
 
Caros colegas,
Não me parece que este seja o contexto mais adequado para podermos falar sobre estes assuntos, até porque o único identificado sou eu, contudo gostaria de informar que:
…desenvolver a capacidade de identificar emoções e sentimentos em Si, desenvolver a capacidade de expressar sentimentos difíceis de verbalizar, aumentar a auto-estima e a confiança de forma a tornar a expressão verbal mais acessível, nada tem a ver com “linguagem gestual”. Não tenho dúvida em considerar que estes são aspectos fundamentais nos cuidados em Enfermagem, independentemente do contexto, pois pessoas a viver processos de sofrimento surgem em todos os contextos, e quem não valorizar as implicações dos processos de identificação com alguém que está a sofrer (transferência e contra transferência), dificilmente poderá afirmar que a relação Enfermeiro - Doente é uma relação terapêutica.
Cumprimentos,
António Nabais
 
“Encontrei meia dúzia com bons planos de estudo...”
O Sr. Doutorenfermeiro é mesmo BOM,
Já pensou abrir uma empresa de creditação de qualidade?
 
Correcção: Diz-se Língua Gestual e não 'linguagem'.
 
Polémicas à parte... que já duvidamos há muito da qualidade de algumas instituição de ensino superior de enfermagem... não é novidade, agora... TANTO? Admito que o doutor enfermeiro possa ter hiperbolado em alguns aspectos (a defesa do nosso ponto de vista padece sempre desse mal), mas caros amigos... por favor... às vezes parece que é de quem não "encaixa" mais "tachos" porque até parece mal!!! A avaliar pela quantidade de escolas e enfermeiros com tanta diversidade pedagógica vamos ter enfermeiros actores nos morangos com açúcar; enfermeiros web masters, enfermeiros políticos... (ah é verdade, desses já temos)... enfermeiros caixas de supermercado, enfermeiros empregados em pastelarias... lá estou eu a emocionar-me outra vez, destes também já existem, às centenas!
QUEM TEM LATA DE DISCORDAR?
PARABÉNS DOUTOR ENFERMEIRO, CONTINUE... NÃO MATAM...MAS ALEIJAM!
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
O comentário que vou fazer não tem como intuito defender nem agredir ninguém. Fui aluna da extinta ESESJ, hoje ESE do Porto. Como mantenho contacto colegas que estudam na referida escola, sei um pouco de quão complexo e pouco transparente o processo de fusão de 3 planos curriculares pode ser.
Reconheço que, à primeira vista, a denominação das unidades curriculares (UC) em si, independentemente da escola, poderá parecer algo a roçar o patético mas... será que o é efectivamente? Gostaria de saber se, por acaso, de todos os que consideraram tais UC um insulto à autenticidade da enfermagem se deram ao trabalho e à consideração de pesquisar um pouco, conhecer quais os conteúdos das mesmas, enviar (quiçá) um e-mail às escolas questionando-as àcerca dos motivos que levaram à inclusão de tais UC no plano de estudos. Decerto que terá sido, de certa forma, para ir ao encontro das directivas emanadas pela União Europeia, mas sei que a capacidade argumentativa de tais planos deverá ir para além desse ponto.
Respondendo a alguém que diz ser necessário "mais conhecimento" e menos "teatro"... Imagine um enfermeiro com bons conhecimentos científicos passar 3 meses a exercer a sua actividade num país onde o desconhecimento da língua é, definitivamente, uma barreira. Será que os seus conhecimentos científicos lhe vão dar uma mãozinha? Ou será a sua capacidade comunicacional a sobressair no meio dessa emaranhada toda?
Mais... Perguntem às pessoas o que preferem: um enfermeiro sapiente na cientificidade, ou um que saiba comunicar e adaptar-se ao público de atendimento. Acredito que a base da enfermagem está, também, na qualidade comunicacional do enfermeiro e isso não se aprende em bonitas teorias científicas.
A maior parte dessas UC é, muito provavelmente, de opção e a sua inclusão num plano de estudos visa abarcar alunos com os interesses mais variados, procurando igualmente o desenvolvimento de pessoas que saibam olhar e analisar o que os rodeia de forma abrangente e não tenham duas "palinhas" à frente dos olhos para que passem a vida a comer "palha".
Saudações cordiais
 
Parabéns Doutor. Aliás voc~e nem deve ser enfermeiro. Porque com enfermeiros assim estamos bem.
Mais um triste tiro no pé como já fez aos Especialistas, aos AAM, aos Professores, às Escolas, aos OS da Ordem.
É tudo uma m....
Voc~e é o único bem no meio de tudo. Você e os seus cegos seguidores.

Salvem a Enfermagem destes Doutores.
O que nos vale é o EA que vai endireitar isto.
Com tiros assim na ESEP há-de ter uma grande sorte.

Dahhhhhhhhhh
 
Caro doutorenfermeiro,
o seu post já começou a ter efeitos. A julgar pelo número de "descontestes" que cá se manifestaram...
É claro que nestas coisas não se agrada a gregos e a troianos. Também não é preciso ser muito perspicaz para saber que uma disciplina chamada "a personagem brinquedo" não é util para os enfermeiros...
 
Extremamente vergonhoso, norteando o ridículo. Para a OE está tudo no trilho certo. Bastonária arrume a seringa se é que sabe, ainda, como se usa.

Desassossego
 
paulo disse...
“Encontrei meia dúzia com bons planos de estudo...”
O Sr. Doutorenfermeiro é mesmo BOM,
Já pensou abrir uma empresa de creditação de qualidade?

Pois fazer o trabalho que a OE não faz em relação às ecolas de enfermagem...

Desassossego
 
Porque é que os professores de enfermagem se deixam se de identificar como enfermeiros?
 
Viva a censura.
O DrEnf. no seu melhor censura os comentários no seu blog.

Será que foi porque se lhe cumeça a ver a careca e o comentário que ele não tem a coragem de "manter no ar" acertou em cheio ou será que foi por causa do cú ?
 
PArece que os currículos de algumas escolas de Enfermagem, ao invés de se regerem por preceitos de índole pedagógica, parecem ser feitos à medida dos interesses pessoais de alguns docentes que necessitam de serem encaixados a "toda a força" num qualquer curso superior.
Não desprezando a importância de determos conhecimentos em várias áreas do conhecimento, não podemos imputar a responsabilidade exclusiva da sua transmissão ao contexto académico. É indesmentível que a todos faz falta conhecimentos de fiscalidade, de línguas, de política, de economia, de transculturalidade etc... mas isso não quer dizer que agora temos de inserir nos cursos de Enfermagem disciplinas acerca destas áreas. O curso de enfermagem tem propósitos precisos dos quais não devemos divergir. A demasiada heterogenicidade curricular é um problema a ser enfrentado pela OE. Estabelecer pricípios gerais orientadores para a elaboração dos planos de estudo do curso de Enfermagem é, a meu ver prioritário, para que a formação em Enfermagem não seja um processo arbitrário e acidental!
 
"…desenvolver a capacidade de identificar emoções e sentimentos em Si, desenvolver a capacidade de expressar sentimentos difíceis de verbalizar, aumentar a auto-estima e a confiança de forma a tornar a expressão verbal mais acessível..."

A mim parece-me, sem duvida que tudo isto é importante, para a formação do enfermeiro enquanto ser humano, enquanto agente cuidador, mas e existe sempre um mas, em termos curriculares considero que tudo isto se insere numa só cadeira: PSICOLOGIA.
Infelizmente a Psicologia que é dada nas escolas de enfermagem foi esvaziada de conteudo e surgiram entretanto novas cadeiras que todas juntas e bem espremidas dariam uma só: Psicologia.
Sem querer ferir a susceptibilidade das pessoas, parece-me a mim que isto só tem um propósito: Criar postos de trabalho para docentes...
Tá mal...
 
caro doutorenfermeiro:

estou a tirar a licenciatura na Escola Superior de Enfermagem do Porto, e algumas das coisas que por aqui passam podem nao ser bem interpretadas quando ditas assim.
devido ao processo de Bolonha, as cadeiras anuais tiveram de se desmembrar em semestrais, pelo que surgiram alguns dos nomes que referiu. Na ex-cadeira de Enfermagem III - Comportamento e Relação, falava-se de autocuidado, parentalidade, estilos de vida, comunicação, etc... Sendo que parentalidade se refere aos comportamentos dos pais em relação, sobretudo às crianças. área esta que tem muito que se lhe diga, pois com crianças o importante é saber interpretar os pais, visto que a maior parte das crianças nao são grande ajuda, na maior parte das idades, para o diagnóstico. mas se nao soubermos interpretar a relação aparente (ou não aparente) dos pais com a criança, talvez se façam juizos errados que nada ajudam a criança, nem são benéficos para a prestação de cuidados.
já "Processos de informar" se dirige para as formas de comunicação e estabelecimento de relação terapeutica a ter com os doentes. senão falamos todos como nos apetece, e como se vê por aí... a não ser que defenda que assim é que que deve ser...
quanto a outras cadeiras que falou, como LÍNGUA Gestual, Empreendedorismo, estas cadeiras são de opção. entre elas, existe SBV, SAV, Intervenção em catástrofes, terapias complementares,... tudo isto são cadeiras opcionais, e empreendedorismo dá noções sobre como construir uma "empresa" de raíz, para aqueles que decidirem envergar pelo negócio individual e próprio em enfermagem. tudo o resto tem o intuito de cultura geral, porque fica bem a qualquer pessoa, e quer queiramos quer não, pode ser útil para os enfermeiros saberem um bocadinho sobre o que se passa à nossa volta (e contra mim falo, pois de muitos assuntos poderia e talvez devesse, saber mais).
Todas as cadeiras que falou, são as mais complementares, pois não referiu que no 1º ano há anatomia, fisiologia, bioquímica,... E não adianta dar patologia se não se perceber o funcionamento antes, razão pela qual a patologia fica para o 2º ano, bem como as respostas corporais à doença, que se referem à circulação, respiração, nutrição, sono e repouso, entre MUITAS mais... E um outro aspecto relevante, é o de que o plano curricular da ESEP se divide em dois anos teóricos e dois anos práticos, pelo que a matéria tem de ser mais concentrada que o normal. mas nem 8 nem 80, porque já assim é complicado que chegue. eu já passei pelos dois anos teóricos, e sei do que falo.

não sei se ajudei... mas já parecem mais lógicas algumas opções??? ...
tudo tem um sentido, depende é se estamos dispostos para o vermos bem...

**
 
Oh Ju

Ainda não percebeu que a crítica é perfeitamente gratuita e como os programas foram feitos por enfermeiros professores para a maioria dos enfermeiros não prestam. a maior parte tem uma inveja de morte dos professores.
 
Oh Doutor

Você é realmente um grande homem.
Não lhe conhecia essa capacidade para dar opinião sobre Planos de Estudos.
Pode começar a dar pareceres.
O País precisa de pessoas assim: que sabem de tudo, dizem mal de tudo, criticam que lhes aparece à frente.
Atrás do anonimato é fácil.
Se der a cara, eu tb dou a minha.
Fale do que sabe.
 
Ora cá está:
"a maior parte tem uma inveja de morte dos professores" (ANÓNIMO;7:07 PM)
Parece que afinal os enfermeiros têm inveja...dos enfermeiros. Sim senhor!
Creio que está tudo dito.
Não raras as vezes tenho pelos professores (alguns), sentimentos de repulsa. Daqueles que tive, há um outro que simplesmente me dão vontade de rir, sempre que me lembro da sua imbecilidade. Tive um que deu uma nota menos favorável a uma colega porque, segundo ele, ela terá entrado muda e saído calada!!? O que é que isto que dizer? Áh, creio que é aqui que entram as tais novas Unidades Curriculares para:
"...desenvolver a capacidade de identificar emoções e sentimentos em Si, desenvolver a capacidade de expressar sentimentos difíceis de verbalizar, aumentar a auto-estima e a confiança de forma a tornar a expressão verbal mais acessível..."
Sem dúvida. E umas secções de psico-drama?
Sabem quel o antídoto para aumentar a auto-estima? Saber o que se está a fazer, aumentando o Know-how, o savoir-faire. Aumentando as competências, defenindo o que é ou deverá ser o "Acto de Enfermagem/REPE actualizado". Fazer porque se sabe e pode e não por benevolência, "compaixão" e uma palmadinha nas costas, deste ou daquele profissional. É isso meus caros. É assim que se aumenta a auto-estima. Assim e com reforço positivo (condição básica em qualquer "relação" pedagógica).
Sem dúvida que o País precisa de alguém com eles no sítio. Mas nada como umas UC sobre política. Sem dúvida.
O que hão-de dizer os "outros" profissionais do outro lado da circular?
Por favor: STOP!
Fisiologia, psicologia, anatomia, biofísica, gestão, farmacologia, genética, SBV,SAV, enfermagem clínica, enfermagem, enfermagem e mais enfermagem, isso que que os enfermeiros precisam. E de informática também, pronto. E de melhores salários. E de uma Ordem FORTE. E de uma profissão coesa.
E não "queimem" que entre nós se sente enfermeiro de gema apesar de ter alcançado o "estrelato" (??!!!) da docência. Vamos, com um pouco de boa vontade chega para todos.
 
"Será que foi porque se lhe cumeça a ver a careca e o comentário que ele não tem a coragem de "manter no ar" acertou em cheio ou será que foi por causa do cú ?"

Ex.mo anónimo, seja qual for o conteúdo opinativo do comentário, estará sempre disponvel para ser lido por todos... excepto se... contiver linguagem pouco adequada.

"A mim parece-me, sem duvida que tudo isto é importante, para a formação do enfermeiro enquanto ser humano, enquanto agente cuidador, mas e existe sempre um mas, em termos curriculares considero que tudo isto se insere numa só cadeira: PSICOLOGIA."

Concordo.

"não sei se ajudei... mas já parecem mais lógicas algumas opções??? ...
tudo tem um sentido, depende é se estamos dispostos para o vermos bem..."

Um currículo necessita de dar resposta às necessidades técnico-científicos dos alunos, quer por sua vez, têm de dar resposta às necessidades da vida profissional.
Quando iniciar a sua vida profissional, constatará (infelizmente) a fragilidade da sua formação, e compreenderá quanta falta lhe fazem determinados conteúdos...
... que foram substituídos por cadeiras específicas pouco relevantes.
O curso em geral necessita de mais anatomia, farmacologia, psicologia pura, patologia médica, etc....
O que uma insituição espera de si, é que seja competente, que possua conhecimentos, que domine a técnics, que saibar actuar, e não (apenas) que saiba falar/lidar com os pais das crianças.... imagine que vai para medicina interna... dificilmente conhecerá os pais de alguém, pois como sabe a média etária é elevada....
 
"Fisiologia, psicologia, anatomia, biofísica, gestão, farmacologia, genética, SBV,SAV, enfermagem clínica, enfermagem, enfermagem e mais enfermagem, isso que que os enfermeiros precisam. E de informática também, pronto. E de melhores salários. E de uma Ordem FORTE. E de uma profissão coesa.
E não "queimem" que entre nós se sente enfermeiro de gema apesar de ter alcançado o "estrelato" (??!!!) da docência. Vamos, com um pouco de boa vontade chega para todos."

Vê o que quero dizer?
 
Penso que todos tem uma opinião formada sobre o que querem da profissão. Optimo. Apareçam nos locais de discussão, envolvam-se informem-se! É disto que precisamos na nossa profissão, de interesse de iniciativa.

Precisamos de união, haverá no proximo dia 30 Novembro uma Greve. Aqui sim é necessário união para se obter uma Carreira e melhores Salários! É necessário termos uma uniformização dos conteudos academicos, isso será uma realidade com o novo modelo de desenvolvimento profissional, volto a insistir Dr. Enfermeiro, e já tivemos discussões anteriores sobre o mesmo assunto. No final a todos os futuros enfermeiros seria exigido um exame de avaliação (bem como um internato), teriamos uma avaliação da formação academica, não?

Abraços a todos
 
"Com o devido respeito, parece-me que os doentes (e as diferentes classes de profissionais e gestores) de uma unidade de cuidados intensivos estão-se nas tintas para a expressão dramática dos enfermeiros....
Talvez um pouco mais de conhecimento científico... ajudava!"

Resposta: Caro colega, parece-me que está fora do que realmente é a enfermagem. Dramaterapia, Psicodrama,dinamicas de grupo e mesmo arteterapia estão cheios de conhecimento cientifico. Lembre-se do seu raio de intervenção enquanto enfermeiro, lembre-se de que pode e deve permitir que os doentes possam exprimir as suas emoções, estas tecnicas são cruciais. Cada vez mais os enfermeiros podem e devem desde que preparados abraçar esta area de intervenção. Para que serve por exemplo a especialidade de psiquiatria, se também não for para abordar estas tecnicas para poder conhecer melhor apessoa que cuidamos, falamos muitas vezes de pessoas sem qualquer tipo de critica. Como se pode abordar o suicidio eas suas motivações, como se pode abordar os comportamentos aditivos, etc... O enf. Nabais aborda num curso inicial estas técnicas mais viradas para a construção interior, porque não? como se lida com a morte? com a doença psiquiatric, com o sofrimento humano, com o tempo não é? Isso era dantes, por isso é que existem depressões nos enfermeiros, e tambem eles se tentam ou conseguem suicidar. Esta cadeira, parece-me, permite dar esses instrumentos de defesa de modo a que se possa sublimar e não reprimir ou recusar.
Relativamente á questão dos cuidados intensivos, meu caro a enfermagem não se resume a tecnicas invasivas. Que me interessa a mim saber o que outras classes pensam de mim, quando a minha classe desempenha um papel que só nós temos competencias para desempenhar. Tive em tempos uma directora que me dizia, não queiras ser um mau médico, sê somente um bom enfermeiro. Naquela altura não tive o alcance para perceber, hoje tenho essa consciencia. Parece-me bem esta diversidade de cadeiras. Não se preocupem que os conteudos programáticos estão lá, a farmacologia é abordada, como podem constatar nos programas.
Não sou professor nem assim o desejo, mas fico triste quando nós proprios os pomos em causa. Traumas? nada que uma dramaterapia não possa ajudar a resolver.
 
colega psikiatrices,
compreendo a sua pespectiva visto que o colega trabalha na áera. mas nem toda a gente trabalha. esse tipo de conteúdos deveria ser do âmbito da especialidade...
 
Pode ser que a Familia SuperStar Azevedo proponha uma matriz para os planos de estudos da Licenciatura em Enfermagem. Mas olhe que nem todos aqueles que aponta são desprovidos de sentido, nomeadamente aquele Cultura e Políticas Europeias, se não sabe, fique a saber que estamos num espaço europeu e não queira que os nossos licenciados sejam analfabetos nessas matérias,...
Estou a ver que prefere mais as disciplinas de ambito biomédico: Patologia Médica e Patologia Cirurgica, Bioquimica, Anatomia e Fisiologia, Pediatria Médica, Pediatria cirurgica e disciplinas nucleares tipo ENFERMAGEM seriam leccionadas no 1º ano, 1º semestre. Não seja tão tacanho de pensamento, nós queremos formar enfermeiros e não ajudantes de médicos. E viva à originalidade e diversidade.
Parabéns pelo levantamento que fez só revela que tem muito pouco que fazer, ou então está a consumir horas de serviço publico enquanto que os seus utentes se contorcem com dores!!!

M.Neves
 
Acho que antes de qualquer pessoa falar sobre o assunto se devia informar acerca dele, não fazendo desta forma comentários que chegam a ser ridiculos...Enfermeiros com estas mentes tacanhas deviam simplesmente ser proíbidos de exercer "esta mui" nobre profissão, se calhar nem eles próprios sabem a razão pela qual a exercer...
Será que o ser humano como ser holístico lhe diz alguma coisa? Ou será que trata os utentes como seres desprovidos de conhecimentos...se calhar para comunicar com alguns utentes é necessário possuir um grande leque de conhecimentos, e bem haja às escolas que transmitem esses conhecimentos aos alunos, pois terminam os seus curso com uma licenciatura bem mais enriquecida...
Enfim, o que realmente interessa na cabecinha de muitos enfermeiros é a técnica, a técnica, a técnica e o resto não interessa...
Sem mais palavras, porque não vale mesmo a pena estar aqui a perder o meu precioso tempo!
 
(cont. do comentário anterior):
Já agora gostaria de deixar um desafio, que o Sr. Doutor Enfermeiro disse-se em que escola se formou???Sim, porque essa escola deve ser um exemplo, para ter formado um Enfermeiro assim...
Agradecia uma resposta!
 
Parece uma guerra, enfermeiros contra enfermeiros. "deixem-nos poisar..."
 
Ola caros Colegas, aproveito pra divulgar o SITE :

http://www.consigopelaenfermagem.org/

Ora quando o vi fiquei abismado, depois voltei a entrar... Era mesmo um site de Enfermeiros!Um site de Colegas que vão concorrer à Ordem. Pelo que vejo houve mesmo renovação de Gerações, assim gosto de ver a evolução! Parabéns Maria Augusta e restante equipa do "Projecto Nacional" Vale a pena verem, muito à frente..

Manuela Garcia
 
Já vi, já vi e adorei o Site, mas extinguiram o blog anterior? Estamos a evoluir. Parabéns a esta lista. Gostei do discurso da actual bastonária no video e gostei de ver caras, projectos\progrmas de acção e curriculos.

Continua a dar para comentar e está muito mais prático. Será que este novo mandato da Maria Augusta traz novidades, para já gostei que acompanha as alterações informáticas. É um bom prenuncio para a alteração do site da O.E.

Parabéns, comparei com o blog do enfº Azevedo, não tem nada a ver. ISto traz competição e inovção, ainda bem que há outros candidatos, se assim for. Parabéns no entanto à equipa da Enfermeira Maria Augusta, o site está bem conseguido, com roteiro de campanha e tudo.

De facto um lugar a visitar.

http://www.consigopelaenfermagem.org/
 
QUEM SÓ SABE DE ENFERMAGEM, NEM DE ENFERMAGEM SABE...
 
M. Neves disse:
"Estou a ver que prefere mais as disciplinas de ambito biomédico: Patologia Médica e Patologia Cirurgica, Bioquimica, Anatomia e Fisiologia, Pediatria Médica, Pediatria cirurgica e disciplinas nucleares tipo ENFERMAGEM seriam leccionadas no 1º ano, 1º semestre. Não seja tão tacanho de pensamento, nós queremos formar enfermeiros e não ajudantes de médicos. E viva à originalidade e diversidade. "

Claro que tudo isto aliado à enfermagem. Afinal de contas não quer andar dentrop dos hospitais, no INEM, etc... com paz , amor e carinho, pois não? Há que aliar e enfermagem ao conhecimento.
A exagerada demarcação do modelo biomédico leva a esta tipo de bacocadas!
Já... agora porque não extingue todas as disciplinas tipo anatomia e fisiologia, bioquímica, etc... do curso de enfermagem? Assim demarcava-se na totalidade dos médicos!!!!!
Um enfermeiro alia o conhecimento médico à perspectiva holítica e à dimensão humana, ninguém tenha a ilusão de que o enfermeiro só vive do holismo... precisa de MUITOS conhecimentos médicos....
Há-de vir para a urgência do HGSA com essa filosofia e não se dedique à electrocardiografia, suporte avançado de vida, etc.... que depois queixa-se!!!!!!!
 
oU ENTÃO FIQUE SOZINHO DURANTE A NOITE NOS sap SÓ COM ENFERMEIROS E NÃO ESTUDE QUE NÃO PRECISA....
DEDIQUE-SE AO DRAMA E AO MOVIMENTO..... TAL COMO NA ESECG LISBOA
 
uau!!! uau!!! Uau!!! O manuel Garcia viu pela primeira vez algo de espantoso... vejam só... novo site da Maria Augusta.

uau!!! Festa! Festa...vale mesmo a pena ver... agora é que é.. é agora... esqueçam o passado recente... acreditem que agora é que é...

Parabéns...
 
Atenção:
- tal como todas as outras profissões, também a Enfermagem tem que obrigatoriamente que sorver conecimentos noutras profissões, disciplinas ou ciências (esqueci de colocar uma cadeira tão importante e que tanto gosto: BIOLOGIA). Nada de transcendental.
Tudo o que possa "enriquecer" a Enfermagem é bem-vindo, mas estas unidades curriculares não têm "enquadramento" numa licenciatura em Enfermagem (acho eu). Se quando eu concorri ao ensino superior existissem estas unidades curriculares no plano curricular, seguramente não teria concorrido para enfermagem (mas não só...). Seguramente.
Compreendo que estas "cadeiras" possam ser dadas a posteriori.
Mais uma vez volto a fazer o pedido: coloquem umas cadeiras(ou sofás) de informática, porque penso ser realmente e sem demagogias, uma mais valia para a Enfermagem.
Quanto ao blog sugerido, vejo que apenas mudou a interface.
Verifico também que não conheço nenhuma das personalidaddes lá apresentadas. Verifico ainda, e após uma análise rápida que todos os colegas são realmente uns "jovens" (sangue novo - mudança), alguns com mais de 20 anos... de experiência profissional claro está. Será esta a mudança?
Algures por lá pode ler-se:
" Contexto sócio-económico, adverso para os Enfermeiros e para a profissão, levando a grande desmotivação dos colegas, com sentimento de perda e de instabilidade profissional, com necessidade de uma liderança forte e coesa
Possibilidade de integrar um projecto nacional que valoriza e não coarcta a autonomia e intervenção regional, reforçando a sua capacidade de êxito, liderado pela S.ª Enfermeira Maria Augusta de Sousa, cuja competência em liderar equipas, visão estratégica e capacidade de mobilização e coesão profissional, reconheço há vários anos e acredito ser a pessoa com capacidade de levar adiante este projecto, não obstante as adversidades por todos identificados".
Liderar equipas? Visão estratégica e capacidade de mobilização e coesão profissional? ONDE?QUANDO?QUEM?
Pode não ser representativo, mas eu não me considero nada motivado...
Coesão profissional? Santa Mãe...
 
Hugo roque disse...
"...Verifico também que não conheço nenhuma das personalidaddes lá apresentadas. Verifico ainda, e após uma análise rápida que todos os colegas são realmente uns "jovens" (sangue novo - mudança), alguns com mais de 20 anos... de experiência profissional claro está. Será esta a mudança?..."

1- Só se muda com gente com menos de 20 anos de profissão ?
2 - É estranho que não conheça "nenhuma das personalidades lá apresentadas "... a maioria já lá está há algum tempo... Tem todo o direito de não concordar com a sua actuação...conhecer, devia !!!
3 - Esta é excatamente a altura para se motivar.

Cumprimentos
 
Garanto-lhe que estã pessoas nas lista da Candidatura Nacional com menos de 20 anos de Profissão, algumas até bem conhecidas. Deixo o misterio tal qual Dr. Enfermeiro.

Caro Hugo Roque, pode-me dizer quem são os elementos jovens ou menos jovens que o Enfermeiro Azevedo, tem . Ah esqueci-me o seu blog é pessoal. Terá algum complexo de Narciso?

Manuel Garcia
 
http://consigopelaenfermagem.org/

Repito o digo vale a pena ver a diferença entre um projecto sustentado e claro e um projecto individual tal como o do Enfermeiro Azevedo!

Manuel Garcia
 
Vim do Cogitare onde se debate a temática eleições deixo o comentário seguinte :

"O Enfermeiro Azevedo deu muito pela profissão acho que é um politico, vejo-o como a Pessoa a seguir. Fico curioso para saber se o seu passado Sindicalista, não interfirá nos designios da Ordem. Para já vejo movimentações. propostas e mudeanças, temos a Ordem Viva.

Para quando as pessoas, que o rodeiam a candidatura do Azevedo? Concordo a Candidatura da Maria augusta, para já ganha em ideias e conteudos, tenho pena, pois contava ver mais do Azevedo!"

Miguel Santos"


Cumprimentos boa semana

Anabela Simões
 
Viram o video da Maria Augusta?
 
Projecto sustentado e claro? Só pode estar a brincar ou então a gozar com os pobres.

Sustentado em quê? Não se lê nem uma palavra sobre nenhum projecto.

Não se vê uma ideia, não se lê uma proposta, não se prevê uma única proposta de resolução dos problemas.

E sabe porquê? Porque ao se apresentarem a querer resolver algum problema ou problemas, significaria assumir que criaram mais problemas do que aqueles que solucionaram. Simples não?

Não só foram capazes de nada resolver como tiveram a capacidade de levar a Enfermagem para o maior descrédito social e profisional após o 25 de Abril de 74.

Chama Projecto a quê? Só se for apenas às caras dos nossos colegas que se apresentam tendo por base um "slogan". E o "slogan" e meia dúzia de palavras filosóficas e que a maioria dos enfermeiros e enfermeiras já estão fartos de ouvir.

Realmente tem razão. Não há comparação com o espaço do Enfermeiro Azevedo. Este último nao tem tanto "show-off". Nós já estamos habituados e fartos de tanto "show-off". Chega de filosofia barata. Queremos saber de propostas e soluções para que daqui a 4 anos as possamos avaliar.

Vote na MAS se é isso que quer para o seu futuro. É o seu FUTURO que está em jogo! Nao ponha o nosso futuro em jogo. Mas não nos tente atirar areia para os olhos. Já não dá.
 
Obviamente não leu as divisorias das secções e as mensagem e os programas de acção nacional e regionais! Sejamos serios.
 
Anónimo disse...
Obviamente não leu as divisorias das secções e as mensagem e os programas de acção nacional e regionais! Sejamos serios.


O caro colega queria que num blog apoiante do sr. Enfº- Azevedo... se se falasse bem da outra candidatura... ???

Os locais de apoio de uns ou de outros são para isso mesmo e para "desopilar"!!!

Para discutir realmente ideias e propostas tem que ser em locais isentos...
 
Sejamos sérios? Continua a brincar não continua?

Comecemos então pelo princípio. E é pelo princípio que logo vemos o resto.

Muitos dos colegas que se apresentam falam da visão estratégica da sra. enfermeira MAS. Podem por favor dizer-me onde está essa visão estratégica?

Eu recordo que estratégia é o seguinte:

A estratégia surge com uma visão de futuro para a Ordem e implica uma definição clara de seu campo de actuação, na habilidade de previsão de possíveis reacções às acções empreendidas e no assumir de uma direcção que a levará ao crescimento.

A definição de objectivos, em si, não implicam obrigatoriamente uma estratégia.

Os objectivos representam os fins que a organização - Ordem dos Enfermeiros - está a tentar alcançar, enquanto a estratégia é o meio para alcançar esses fins.

Sabia? Agora que o conceito está mais claro pode dizer-me (por favor) onde é que está essa visão e estratégia definidas?

E diz-me a mim para ser sério...

Se for a mesma visão e estratégia que temos tido até aqui estamos bem tramados...

O melhor é deitarmo-nos a adivinhar...

E está você de boca aberta com o fantástico site... nada mais legítimo.
 
Os muitos anos de serviço podem não ser sinónimo de bom trabalho na OE como se verifica nos órgãos sociais da actual OE. O problema pode até consistir no facto de estarem demasiadamente longe da realidade.

Desassossego
 
"Repito o digo vale a pena ver a diferença entre um projecto sustentado e claro e um projecto individual tal como o do Enfermeiro Azevedo"

estou plenamente de acordo com o colega Miguel Garcia... enquanto que a Srª Enfª Augusta tem um projecto para a Ordem de TODOS OS ENFERMEIROS, o sr Azevedo tem apenas um projecto pessoal que é simplesmente de SER BASTONÁRIO

M. Neves
 
Mas afinal... ainda não vi o projecto da actual bastonária... alguém tem a amabilidade de me dizer onde está?
 
Cuidado M. Neves...
Sabe... "pela boca morre o peixe". Conhece o ditado?
 
Colegas, ruidos à parte, tenho procurado ajuizar atentamente a pluralidade de candidaturas a Bastonário para a nossa Ordem. Nesse sentido, quero expressar a minha preocupação relativamente à candidatura do Enfermeiro Azevedo. Muito pouco, no seu pensamento, me assegura que saiba do que fala, quando fala em Enfermagem.
 
Anónimo das 10:32... deveria em simultaneidade ajuizar também atentamente a pluralidade da candidatura de MAS pelo que deveria de igual forma estar procupado.

E, já agora, na sua opinião, o que o leva a pensar que Azevedo não sabe do que fala, quando fala em Enfermagem? Pode precisra a sua ideia? É que para mim é dos poucos que não só sabe exactamente do que fala como sabe o que deve fazer se vier a ser Bastonário.
 
N conheço mt do trabalho da nossa actual bastonária mas... Do pouco que conheço só posso ficar revoltada! É muito triste ver outros Bastonários a falar e a reivindicar e na Enfermagem é só falar de rácios...Ainda por cima irreais!Como é que é possível??
Tive a oportunidade de assistir, enquanto aluna, a duas palestras do Enf.º Azevedo e, devo dizer que... Adorei... Aquele homem captou a atenção de uma plateia de cerca de 120 alunos, do princípio ao fim...Não só por saber do que falava, mas porque sustentou tudo aquilo que disse com estratégias e objectivos perfeitamente realizáveis!
Parece-me que... Se as coisas estão mal na nossa Ordem, devemos abrir o nosso espírito à mudança...E se a nossa Bastonária continua firme às suas (más) ideias, só há uma solução...
VAMOS TODOS VOTAR NO DIA 13 DE DEZEMBRO!
 
Tal como a colega 7:23 PM refere, como pode haver mudança numa candidatura se TUDO SE MANTÉM? Até as caras são as mesmas.
Será assim tão difícil de perceber?
Claro que não (pelo menos para mim).
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Deixem o Sr Azevedo vir salvar a Enfermagem portuguesa. Chega de marasmo, chega de tacho, vivá mudança!
 
Concordo.
 
Pelo amor de Deus?!?!? Quem é essa Bruna apoiante do Sr. Azevedo?!??!?!?
Será sua amiga?!?!.... Classe não lhe falta!!!!!

M.Neves
 
Ó Neves, olhe por si abaixo!
Um aviso.

Um amigo.
 
Ó meus amigos... os enfermeiros que conheço não são assim ignorantes, aliás não sabia que era possível ser-se tão básico e desinformado, tenham dó.
Dizia umelustre médico e investigador de seu nome Abel Salazar que dizia que "Um médico que só sabe medicina nem medicina sabe" não se arreliem por referir um médico. Mas queria ele dizer que quem sabe só da sua profissão não sabe nada.
Deveriam estar mais informados para perceber que essas cadeira que referem como se de uma blasfémia se tratasse, não são mais do que opções, repito, opções para os alunos desenvolverem outras competemcias e interesses que os ajuda a formar como pessoas contribuindo para que sejão no futuro enfermeiros mais capazes e não alimentem blogs como este.
Noutros paises é assim que as pessoas se formam estudem o processo de Bolonha e o que lá se defende para a formação superior.
Tenham juiso.
Joaquim
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Ó Joaquim, de facto consigo nem vale a pena alimentar qualquer blog. Você dá erros ortográficos (por exemplo juíZo) graves!

Depois, quando você diz que não é enfermeiro, mente com quantos dentes tem. Que má estratégia para tentar vingar um ponto de vista!!!
Vá embora, não o queremos cá!
 
"Ó Neves, olhe por si abaixo!
Um aviso.

Um amigo."


Olhem, olhem!!! O sr Azevedo vem aqui escudado pelo anonimato para fazer ameaças?!?!?!?
 
Oh Sr.Doutor penso que devia informar-se das coisas antes de poder falar sobre elas...pelos vistos é importante aprender a escolher fontes fidedignas, o que as suas não são...a unidade curricular de métodos de pesquisa de informação leccionada na ESSSetúbal é muito importante, pois os trabalhos que fazemos ao longo dos 12 anos de escolaridade não se comparam aos elaborados no ensino superior. E mais, sei se estudantes de outras escolas que nem uma bibliografia sabem fazer...isso sim é vergonhoso! informe-se antes de escrever...
 
Olha, olha....Este que aqui falou é de Setúbal...
Não posso estar mais de acordo com aquilo este sr(a) comentou.
Meus senhores...a investigação em Enfermagem não pode ser somente no Google... embora muita gente que frequenta este espaço julga que o Google é o motor de busca de eleição para recolha/cópia/plagio de trabalhos para apresentar uns powerpoints em congressos e seminários afins...
Haja sabedoria

M.Neves
 
Pois, até me apetecia comentar, mas o "post" que dá origem a toda esta discussão é tão modesto em conhecimento que me fico...

PS: Ok, podem chamar-me EnfermeiroDoutor, pois sou-o, realmente.
 
Caro colega, sabe que levantar juizos de valor é muito feio.... Tanto quer pesquisar que nao pesquisa nada... Eu até lhe dava alguma credibilidade...mas agora...em fim!!!Já agora sabe quais são os conteúdos teóricos da cada cadeira???Pois, provavelmente não...Onde tirou o curso? Ou é daqueles que pós 25 de Abril, e no meio da anarquia se lembrou de dizer que era enfermeiro...e prontos, foi logo para os quadros da função pública???Olhe a sua sorte é que no meio de tanta palhaçada no mundo a sua quase que passa despercebida pelos mais desatentos.
Por fim, sublinho desde já que não é pela minha escola de formação estar ou deixar de estar vincada, que fiquei arrepiado, mas sim pela sua precipitação.DA MINHA PARTE ESTA DESCULPADO!!!!
 
Parabéns doutor enfermeiropelo excelente treabalho realizado ao longo deste blog.
De facto é com muita tristeza que lei este post. Coitados dos alunosque tem de aguentar com esta situação, afinal são eles que são os lesados. A culpa de tudo isto é da nossa O.E..
Não poderia ficar indiferente a isto tudo. Alias pertenço a este enorme grupo que esta no desemprego, ou melhor, recem licenciado a procura do primeiro emprego.
Permita-me apenas corrigir um aspecto. Estudei na U.F.P. e desconheço as cadeiras ai apresentadas. de facto nunca ouvi tamanha barbaridade, nada que me surpreenda, enfim. Mas também outras perolas poderão ser encontradas.
saudações e continuação do bom trabalho realizado.
 
é triste realmente alguém levar a sério o que aqui está escrito. não há planos de estudos perfeitos, é certo. mas eu sou estudante de uma das escolas de enfermagem mencionadas e refiro com toda a certeza que todas as cadeiras mencionadas foram de extrema importância para a minha formação e para a realização de projectos nesta área tao VASTA que é a enfermagem. esta não se reduz, de facto, ao estudo da fisiologia e da anatomia. quando assim for, queixem-se quando chegarem aos hospitais com os vossos familiares, filhos ou amigos. o bem haja a todos os enfermeiros que exercem a sua actividade com coerência e bases teóricas.
 
Conclusão: O GESTO É TUDO!
 
caro colega,

para complementar a sua pesquisa, fraca é certo, deixo o seguinte link: http://www.isave.edu.pt/beta/filas/File/Enfermagem(3).pdf.
 
Em dezº de 1989 terminei na Calouste Gulbenkian o bacharelato e terminei recentemente a licenciatura numa privada por sinal muito deficiente. Se já em 1989 achei o plano preocupante imaginem quando acabei o complemento... ainda hoje me questiono o que lá fui fazer... certamente pagar o ordenado a uns tantos senhores que são "artistas convidados" dos hospitais a ganharem mais uns trocados em troca de uns assuntos que elaboraram no 1º ano do complemento e continuam a "debitar" nos anos seguintes, completamente alheados da realidade, sim porque integro recém formados desde 1990 e o que me choca é que NÂO sabem nada, não por sua culpa obviamente mas por conta de uns "programas curriculares" completamente desviados da realidade actual.
Uma coisa observo: todos os recém formados sabem muito de word, publisher, excel, etc, etc, etc, agora como posicionar um doente correctamente, puncionar uma via, identificar uma complicação, até mesmo como se dirigirem a um utente, não vejo isso não e de facto quem é que devia ganhar o ordenado dos "senhores enfermeiros professores"? Parece-me que não deviam ser estes uma vez que são os enfermeiros "no terreno" que realmente reabilitam os 4 anos de cursos que estas pessoas acreditavam estar "funcionais"...
Muito preocupante os conteúdos programáticos... muito preocupantes mesmo...aliás uma coisa tenho a certeza: Não quero que nenhum familiar meu seja alguma vez atendido por um "professor" de enfermagem porque se for uma situação grave...aliás acho que os "trabalhinhos" copy paste uns dos outros ficam lindamente na biblioteca da escola...valha-nos os verdadeiros trabalhos científicos de verdadeiros pedagogos.
 
Eu encontro-me a frequentar o 1o ano da escola superior de enfermagem do porto , e posso-vos dizer que metades das unidades curriculares (que no primeiro ano são 20) metade delas são completamente desnecessárias. Mas que havemos de fazer? é como as coisas estão estabelecidas...
 
encontrei mencionada nesta pagina a escola superior de enfermagem do porto e resolvi abrir para perceber ate que ponto o ser humano fala daquilo que realmente sabe e percebe.

quanto as outras escolas não me posso prenunciar, pois estaria apenas a "cuspir para o ar", mas frequentando a escola acima referida sinto-me na obrigação de deixar um comentário.

Antes demais assino por baixo de quase tudo o que a *ju* disse.

A ESEP foi nomeada a melhor escola de enfermagem a nivel nacional. trocando por miudos, é a melhor escola de enfermagem do pais. Atenção, não foi nomeada por nenhum leigo...

Quanto ao plano curricular: na Escola do Porto temos uma grande carga horaria de bioquimica, fisiologia, anatomia e patologia, nomeadamente leccionadas pelos melhores medicos do hospital de s.joao e enfermeiros.

se perceberem alguma coisa de enfermagem facilmente identificarão grandes "cabeças" desta ciencia a leccionarem neste estabelecimento de ensino, nomeadamente Carlos Sequeira, entre outros.

quanto a cadeiras como respostas corporais a doença I e II, para mim, foram aliciantes, pois levam a que integremos conteudos teoricos de muitas outras cadeiras e os relacionemos, para que assim se justifiquem os procedimentos que os enfermeiros executam nas suas praticas (introduzir SNG, sonda vesical, aspirar secreções, executar tratamento de feridas, etc etc etc..). exigem articulação de pensamento, desafiam os alunos e estimulam o pensamento critico.
Parentalidade e extremamente importante para a pratica da enfermagem em serviços como obstectricia e pediatria. Aborda-se a criança ate aos 18 anos, gravidas e puerperas e todos os cuidados que implicam.

Quanto a lingua gestual portuguesa.. que infelicidade a tua pá! tamos em portugal, parecia-te melhor termos linguagem gestual inglesa?! Esta cadeira, por acaso, é opcional, mas ate acho que deveria ser obrigatoria, uma vez que qualquer enfº pode encontrar na sua pratica surdos. Mas s por acaso o surdo em questão for de outra nacionalidade, então esperemos que saiba ler os labios porque nesta escola tambem se aprende ingles, espanhol.. Pois e.


Uma vez um professor desta escola, por sinal grande enfermeiro e espectacular pessoa, disse: voces ate podem sair daqui apenas razoaveis enfermeiros, mas de certeza que saem melhores pessoas.
Aqui, para além de aprendermos enfermagem com os melhores, também nos são encutidos valores.

poderia ficar horas a falar-vos da pertinencia de cada cadeira do plano de estudos da escola superior de enfermagem do porto e dos objectivos de cada uma.. acreditem que este senhor q aqui fez este post, bem como os que fizeram comentarios ignorantes não fariam melhor.

Mas como nada e perfeito e esta escola busca a perfeição, houve recentemente uma nova alteração do plano de estudos.
deixo um conselho: não avaliem as escolas e os cursos pelo nome das cadeiras.
Oh humanidade podre.. ganhem juizo.
 
Interessante apenas um facto! Por exemplo na Esep, se tivesses feito um estudo mais aprofundado, que não requisita nas mais que alguma perspicácia e ser uma pessoa letrada, e não mais que 5 minutos do teu tempo, vias que na Esep algumas dessas cadeiras são opcionais, e na tua opinião até poderão não ser essenciais, no entanto poderão ser úteis para outros tantos que utilizam esse conhecimento nos seus trabalhos. Isto tudo para dizer que não fizeste uma pesquisa bem feita, e mais que se tens assim tantas dúvidas acerca da gestão de tantas universidades no que toca a este curso um site, e a internet dizem-te muito pouco da realidade. A experiência empírica vale mais que tudo isso!
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!