terça-feira, Novembro 27, 2007

Retalhos de uma crónica (estupidamente) anti-Enfermagem!

(clicar para ampliar e ler)


Numa crónica escrita por Pedro Soares Martinez, licenciado em Ciências Jurídicas e em Ciências Político-Económicas pela Faculdade de Direito de Lisboa, no Jornal "O Diabo", é possível ler algumas tiradas ridículas, características de um indivíduo inculto e idiota, quase a tocar na xenofobia sintomática e desprezível.
A crónica versa sobre o actual estado da nação e a relação do Poder Central com as diversas classes profissionais. Tudo bem, até falar dos Enfermeiros (e não só!).
Este jurista desconhece por completo o que é a Enfermagem e quem são os Enfermeiros. Diz o povo que "o silêncio é de ouro" e com razão. Para desconsiderar assim os Enfermeiros com base na ignorância tosca, estar calado é a melhor alternativa.

O referido senhor, que um dia certamente irá necessitar dos Enfermeiros, afirma o seguinte:

"Chegaram as perseguições aos corpos clínicos. Compreensivelmente, posto que também os médicos sempre gozaram em Portugal de justificado prestígio. Não se estranhará, pois, que a mediocridade se empenhe em reduzi-los ao plano comum de operários especializados, ou de amanuenses, ou, pelo menos, situando-os ao mesmo nível da Enfermagem, da assistência social, da psicologia clínica, cujos elementos invadiram os hospitais em posições, por vezes, desajustadas, sem vantagens assinaláveis para o respectivo funcionamento"

Mas o "iluminado cronista" não ficou por aqui. Ainda conseguiu debitar mais idiotices:

"Nos blocos operatórios como nas enfermarias ou nos conselhos de direcção clínica, onde o bom senso impõe que as posições cimeiras caibam aos médicos"

Há mais:

"Só à ignorância das particularidades das funções clínicas ou a intuitos persecutórios e desprestigiantes poderá atribuir-se a pretensão de aquilatar da diligencia dos clínicos através da aposição de impressões digitais em relógios de ponto. Como seria igualmente inaceitável semelhante exigência em relação aos magistrados judiciais, aos diplomatas e muitos outros profissionais"

(Em suma, os médicos são divindades cujo corpo físico só serve para "carregar" luxuosamente um cérebro ímpar e brilhante de um lado para o outro, estão acima da lei, e devem mandar em tudo e todos!! Mais, colocar a sua impressão digital no pontómetro é um pecado com consequências imprevisíveis...
Médicos, juízes e diplomatas de um lado, simples e reles mortais de outro.)

A bem da classe de Enfermagem, a Ordem dos Enfermeiros (esqueçamos agora as divergências eleitorais) deveria exigir um pedido formal de desculpas a esta personalidade grotesca! Porque este tipo de afirmações, desfazadas da realidade, excede o limite do razoável e da capacidade de perdão!

Comments:
Até pensei que fosse para os apanhados, mas não, é simplesmente o cronista mais estúpido do mundo.
Será que é contagioso?
 
por favor colega doutor enfermeiro. coloque esta noticia em ambos blog´s dos candidatos com a seguinte questão:
"qual a percepção que a sociedade tem dos enfermeiros no contexto na decisão clinica"

Acho que o dito cronista peca pela sua falta de informação e formação
 
Boa tarde

Realmente este artigo para al�m de despropositado em todo o seu conte�do, demonstra um facciosismo atroz, demonstra uma ignor�ncia sem limites e exige uma resposta de ambos os candidatos a Baston�rios.

N�o podemos continuar a permitir que tudo se escreva sobre a profiss�o de enfermagem. Costua-se dizer que quem cala consente. E na verdade temos consentido.

Espero que desta vez seja dada uma resposta assertiva mas contundente.

Esperemos para ver/ouvir.
 
Merece a exigência de no mínimo um pedido de desculpa. Mas merece um pouco mais, que lhe seja reconhecida a sua ignorância quanto ao funcionamento dos serviços de saúde. Que lhe seja prestada homenagem à sua postura medieval, ao seu pensamento retrogado em relação a deuses na terra... Não sabe, ou finge não saber, quantos médicos se demitem das suas responsabilidades por falta de conhecimento, ou ainda mais grave, por desleixo pela pela pessoa, pela vida humana ou pela integridade físsica.

Desassossego
 
É caso para dizer: C'um diabo!!!
De facto fiquei na duvida se este "cronista" supostamente licenciado em ciencias politicas-economicas e ciencias juridicas seria de facto Pedro Soares Martinez ou o próprio Diabo em figura de gente.Mas depois fiquei mais descansado, de facto este senhor só veio confirmar com esta sua escrita que existem classes profissionais onde de facto a inteligência não abunda, não, não é um problema de bunda ou falta dela, é mesmo o contrário de abundância em neurónios.
É prefeitamente ridiculo este senhor colocar num pedestal uns e no curral outros, mas enfim antes no curral que no pedestal e sabem porquê?
Porque a queda é menor e assim aleijamo-nos menos.
Vivam os currais!!!!
Vivam os ambientes onde não corremos o risco de encontrar cromos da bola como este.
E já agora arranjem meio saco de serradura para aconchegar o tico e o teco porque o espaço livre dentro daquela cabecimha deve ser muito e eles sentem-se pouco á vontade!
 
Então, então?!
Espantam-se?
O nome Soares Martinez não vos diz nada?!
Tsss...tssss...
Vê-se que são da saúde e não do direito.
Aquilo herda-se, é de família!
 
mas afinal mais do que dizer mal da enfermagem veio foi dizer bem dos médicos... e isso dói não dói (não, não temos nada contra os médicos... queremos é defender a enfermagem - já estou a imaginar)
 
há gente que não interpreta nada... eiam bem, pior do que falar mal dos médicos, desconsiderou os enfermeiros...
até nisto os médicos olham para o seu umbigo :(
 
Este senhor que vá tratar do seu henorroidal. Está totalmente a leste da realidade do que quer que seja! Contudo, continuo a dizer: "Deus no céu e o Sr.Dr. na terra!".
Deus me livre, tanta ignorância junta.

OBS: Custa-lhes bem terem a sua assiduidade controlada. É "por-lhes o dedo na ferida"!!!
Vão esgotar o stock farmaceutico de Kompensan!

Madureira
 
Soares Martinez
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Pedro Mário Soares Martinez)


Este artigo precisa ser wikificado.
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Pedro Mário Soares Martinez, nasceu em Lisboa (1925), licenciou-se em Ciências Jurídicas(1947) e em Ciências Politico-Económicas (1949), pela Faculdade de Direito de Lisboa, em cujo corpo docente ingressou em 1950, como segundo assistente. Doutorado em Ciencias Politico-Económicas pela Faculdade de Direito de Lisboa em 1953, foi seguidamente contratado como primeiro-assistente. Desde então tem aí regido disciplinas de Economia Politica, Finanças, Direito Fiscal, Direito Corporativo, Direito do Trabalho, História Diplomática, História das Relações Internacionais e Filosofia do Direito. Foi também funcionário dos quadros diplomáticos do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal.
Desempenhou as funções de procurador à Camara Corporativa (1960-1968) e as de ministro da Saúde e Assistencia (1962-1963) no governo de António de Oliveira Salazar.
Foi também advogado da Comarca de Lisboa, bem como consultor e administrador de algumas empresas principalmente no sector bancário e segurador.
É colaborador de inumeras revistas e jornais (principalmente no semanário "O Diabo") e menbro de numerosas instituições cientificas e culturais, é socio-efectivo da Academia de Ciencias de Lisboa, socio-correspondente do Instituto Histórico e Geografico Brasileiro, socio-correspondente da Real Academia de Historia de Madrid e da Academia Nacional de História da Venezuela.
É tambem professor de Direito numa das mais conceituadas universidades europeias, a Universidade Católica Portuguesa.

Com este curriculum deveria ter mais sabedoria mas a mais não é obrigado. Como foi ministro da saude num governo de salazar deve estar falho..
 
Deve estar aí o galho.... ainda pensa que está nos tempos do salazar....
Ó amigo Martinez, olhe que estamos em 2007 homem.....
 
muito bem Dr enf. por por aki finalmente algo credivel e nao as suas habituais demagogias!!!
 
Este homem está certíssimo... aliás acho que devíamos ter um sistema de castas semelhante ao existente na Índia... que idade tem o homenzinho?

Coitado... tem aquele alemão de que não me lembro o nome a azucrinar-lhe a cabeça(alzheimer).

Pobre povo que advoga a democracia mas cujo comportamento denuncia vontade de viver numa ditadura...

Digam-me uma forma de mostrar a minha indignação para com este "comentador" junto do jornal "o Diabo" (isto sem sarcasmo). É que além da OE, todos nós temos de pôr o indivíduo no sítio devido (a escorregar com a água descarregada pelo autoclismo)

Peço desculpa a todos mas o sistema de hierarquia e reverência cega liberta uma raiva visceral em mim ( e garanto-vos que o faria sem estar protegido pelo anonimato).
 
Acabei de ler um artigo muito interessante.
FICAR VELHO É OBRIGATÓRIO
CRESCER É OPCIONAL.
Este senhor pelo vistos só ficou velho......
 
Meus amigos,
Isto é uma porra de um ultraje grave, só compreendido à luz do que mais medíocre existe, reminiscências bacocas de um tempo longínquo (da era do televisivamente considerado o "maior" português de todos os tempos!??) ou ainda em função da sua NATURAL CAQUEXIA.
Ele até pode ter sido o cara..., quero lá saber. Dos fracos não reza a história (nem que seja à custa de uma ditadura).
E se ele é advogado, como pode ter sido gestor? Não sabem fazer contas, por isso é advogado. Ai desculpem, sabem sim senhor: contas de sumir.
Os magistrados? Um cancro que precisa de ser extirpado. O que são eles? NADA. Sentadinhos na poltrona a ditar sortes sobre a vida dos outros. Querem ser independentes da tutela apenas no que lhes interessa: o ESCANDALOSO ORDENADO.
São pagos com o OE, ou não? Têm carreiras por eles definidas, competências por eles assumidas...é uma alegria. Não na verdade é uma vergonha. Temos um sistema judicial que é uma VERGONHA. Depois não me admira que sejamos chacota nos media, nomeadamente ingleses. Justificam as diferenças, ofuscando as semelhanças. Querem ter direito à greve, porque é um direito consagrado na constituição PARA TODOS; fala-se em férias judiciais e defende-se inconstitucionalidade, fala-se em "ajudas de custo" e advoga-se com "justas pretensões"...
É EVIDENTE que têm de ser tratados como qualquer funcionário público, sem que isso "desvirtue" o seu "douto julgamento" sobre tudo e sobre todos.
Quase que fazem lembrar os também "doutos" médicos (alguns), nesta pequena guerrinha de poderes. Patético.
Meus amigos, sou da opinião do colega estratega: enviar uns mails à redacção do jornal em causa.
Alguém pode enviar o contacto?
 
Um retrógado com um canudo só pode dizer disparates e escrever atrocidades do tempo da idade média!É por existirem este tipo de indíviduos a transmitir informações grotescas e desactualizadas que o país não evolui!
 
Não é de admirar que tenha sido ministro da saúde de Salazar, na altura não existia SNS e a saúde era para ricos. Hoje em dia caminha-se para esse cenário, com o Sócrates, o NeoSalazar.

Desassossego
 
Caro Hugo Roque. Permita-me discordar da sua opinião. Apesar dos vícios e regalias excepcionais dos JUÍZES que referiu não penso que devam ser funcionários públicos no sentido lato do termo, ou seja, pertencerem aos quadros do Estado como qualquer um dos outros funcionários públicos pois essa "independência ainda é o mínimo garante da separação de poderes. Apesar de concordar que essas regalias devam ser retiradas não posso concordar com a sua integração na função pública.

Aliás está em "discussão" exactamente isso , relativamente aos magistrados do MP.
 
Doutorenfermeiro, este comentário não diz respeito a este post, mas talvez pudesse dedicar um post ao valor mínimo para o exercício de enfermagem. É lamentável que a Ordem dos Enfermeiros não o faça. Um valor justo seria, talvez 10€ no mínimo? Também é de lamentar que colegas se submetam a pagamentos ultrajantes. Se ninguém os aceitasse, os empregadores seriam obrigados a pagar um valor com o mínimo de dignidade aos enfermeiros. Nunca vi ninguém comentar que um engenheiro, um advogado, etc., trabalha a 3€ à hora ou em voluntariado. Querem-nos explorar e o pior é que alguns de nós aceitam.

Desassossego
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Resposta ao atento
Caro atento desatento os enfermeiros tem curso superior de enfermagem desde 1988. Anda pouco atento. e depois que nos interessam os farmacêuticos ? vamos mas é continuar com o tópico inicial . Caros enfermeiros não respondam aos vampiros emocionais que pululam ocasionalmente neste blog. Não merecem resposta . Andam por cá porque os coitados não têm blogs para se azucrinarem uns aos outros . Mas falávamos de um avôzinho chamado Soares Martinez que escreveu nos infernos um artigo de opinião sobre os supra sumos da diplomacia , do MP e dos médicos. A verdade quanto a mim é que diplomata é o representante de um país nomeado por um governo para o representar e por tanto deverá seguir as linhas de orientação desse país e desse governo. A independência na diplomacia traduz-se em problema diplomático daí que poderá ser substituído...não vejo problema em que seja FP já que é remunerado pelo erário público. Os Magistrados do MP devem no entanto e obviamente manter a autonomia salvaguardada , dependente exclusivamente da legislação em vigor e em no caso de falha legislativa produzir jurisprudência que poderá a seu tempo gerar legislação específica. O poder judicial deve ser independente do poder executivo senão teremos uma bela duma promiscuidade de poderes. Quanto aos médicos...não vejo onde está o problema. Estão nos quadros dos estabelecimentos de saúde estatais ( por enquanto ) . Fazem parte de uma equipa multidisciplinar de saúde , são funcionários públicos , são remunerados pelo orçamento geral do estado que é dinheiro de todos nós, por isso onde está o problema ? Só quem parou no tempo acha médico acima dos outros. Pontómetro sim senhor , mas para todos. Muitos médicos com contrato de 35 horas semanais não as cumprem ; esse processo vai permitir medir a assiduidade deles e o tempo real de serviço . Os enfermeiroa cumprem porque sem eles os serviços param . Os enfermeiros cumprem porque o controlo social informal não aceita falhas..é que sobra para os outros. Os enfermeiros estão habituados a cumprir por isso nada lhes mete medo. Colegas há que dar uma lição de civismo , educação , respeito e democracia a esse senhor da advocacia...vou tentar descobrir algo sobre o diabo dos infernos , mas é um semanário com tão pouca tiragem que vai ser difícil descobrir... quanto às pulgas saltitantes que invadem este blog..deixem p´ra lá, nem merecem comentários.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Sincermanente não compreendo o "fetiche" que os farmacêuticos têm para com os Enfermeiros!!
Os vossos comentários foram apagados por serem indelicados e conterem linguagem imprópria.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Ó "doutor" enfermeiro, a mim parece-me que é mais o contrário. Digamos que os enfermeiros importam tanto aos farmacêuticos que nem no site da nobre Ordem dos Farmacêuticos é feita qualquer referência à "celeuma" levantada por uma auto-denominada "Classe de Enfermagem" em torno de uma das recentes portarias do Ministério da Saúde. Acham mesmo - mas mesmo, mesmo - que alguém vos vai dar crédito? Pois. É óbvio que não! Mas pronto, façam lá o vosso barulho, protestem e façam as birras que quiserem. Afinal, é algo a que já estão habituados. Os meus melhores cumprimentos.
 
Atento... não entremos em polémicas está bem? Não tens nada a ganhar com isso. Respeita e serás respeitado.
 
Espera Atento... espera um pouco mais... e verás...
O fado está a acabar.
 
De regresso a casa, por respeito pela greve de 30, hoje, precisamente, aceito o desafio de dizer o que penso e o que fazia se jáo fosse o Bastonário da Ordem dos Enfermeiros.
É evidente que o Sr Prof Soares Martinez reflecte uma tendência para reflectir o "real" de hoje à luz de um paradigma pensante caduco.
Foi assim que Cervantes imortalizou o D.Quixote, esse cavaleiro da triste figura, que interpretava a realidade à luz do paradigma da "analogia", quando despontava o da Ciência exacta o da "mathesis universalis", por isso via o que via e como o via: os rebanhos eram exercitos, os odres do vinho e ou do azeite eram gigantes, ...
Ora o problema de ver os médicos como benemerentes (note-se que clínico significa leito), doadores de serviços aos hospitais das misericórdias, que em troca lhes forneciam "peças" (os que não morriam porque não tinham onde cair mortos)para treinarem a mão e, depois de treinados, fossem quais fossem os êxitos ou inêxitos com os indigentes, entregues à Caridade Cristã, exercerem a profissão em regime liberal.
Este estatuto é hoje uma ficção. Não obstante, é este imaginário que Soares Martinez está pretender eternizar, provavelmente a pedido de algum médico que lhe trata da saúde/doença (com 82 aninhos vividos sabe ele como, deve ter coisas dessas), ou porque também há muitos médicos que lêem o real como o D.Quixote, à luz de um paradigma extinto, fingindo desconhecer que se auto impuseram o estatuto de funcionários para angariação duma reforma nem sempre proporcional aos anos de desconto, para a respectiva caixa.
Agora vem a parte injusta: se foi por conveniência pessoal que se quiseram transformar em funcionários para auferirem a reforma, não é justo que tratem o erário público e a função com a liberdade com que se tratavam os cortejos de oferendas dos hospitais das misericórdias e a assistência por caridade que conferia ao médico que a prestava o estatuto de benemérito.
É este imaginário que confere um valor extraordinário aos médicos, que de algum modo o querem alijar, por conveniência pessoal exclusiva.
Tal como nos hospitais das misericórdias, onde só tinham direitos, que a sua benemerência grangeava, continuam ligados maioritariamente aos hospitais públicos onde treinam e buscam muitos clientes por deficiências do SNS, (da maioria das quais são os responsáveis directos), para a assistência privada.
Se não tivessem salário, podia o pedagogo Martinez invocar a benemência dos médicos e o voluntariado benfazejo não se coadunava com os pontógrafos, mais por isso do que por aquelas coisas com que Luis Filipe Pereira dizia que o Director de Serviço tinha que e que... embora na sua óptica, sentida ou consentida, esse director, também possa ser enfermeiro.
Na minha opinião, Soares Marinez está longe de ser um ingnorante. É um professor jubilado que não entente que as palavras que usa já não significam as coisas que pretende exprimir, como acontecia com D.Quixote.
Como Bastonério que espero vir a ser, como tudo indica, abordarei o prblema das incompatibilidades, onde vou tentar incluir a do exercício público com o privado.
Se os médicos aceitarem este desafio é provável que se acabem com listas de espera e outras invenções, assim como com certos estautos de privilégio, que escondem tantas vezes grosseiramente as escapadelas ao dever de cumprir horários e de justificar minimamente o salário auferido. Esta é a questão de fundo à qual Soares Martinez não podia chegar, porque quem lhe encomendou o sermão não lhe forneceuos elementos todos.
Estamos no limiar duma nova era onde as diferenças de estatuto não são medidas com a escala de Soares Martinez, mas pelo valor que cada corpo profissional demonstrar ter.
Não é das outras Ordens nem dos Martinez, que dependerá a valorização da Arte de cada um. No nosso caso é à Ordem dos Enfermeiros que compete dgnificar a Enfermagem esclarecendo os Martinez dos seus equivocos.
No fim das contas há-de ser um Enfermeiro, mui nobre que lhe
há-de fechar a boca e os olhos, por já não serem necessários. Este ponto final exige muita dignidade e respeito e não é um gesto menor: é o culminar de uma luta que enfermeiro e doente moribundo travam para um desfecho humano digno.
É óbvio que se queremos acertar os paradigmas pensantes dos Martinez desta nossa terra, a Ordem dos Enfermeiros tem de ser pronta na resposta a estes erros de interpretação. Se ele lesse as notas de Florence saberia que se há alguém que está nos hospitais por direito próprio e inerência de funções, são os Enfermeiros.
Dar visibilidade aos Enfermeiros não é da competência dos Martinez, pois, como este, podem enganar-se. Essa competência é da Ordem dos Enfermeiros, também por isto me candidato,
José Azevedo
 
Pois bem, palavras leva-as o vento, os actos caiem por terra...

Vejamos uma situação caricata que aconteceu há uns meses atrás:


Contactei o SEN sobre um acordo com instituições de ensino, Á QUAL O SEN ESTÁ VINCULADO, que estipulava que o enfermeiro tinha uma carga horária de 35h de contacto directo com a comunidade escolar.


Observando mais atentamente pode se constatar que outras profissões como fisioterapeutas e psicologos tem atendimento directo, cerca de 22 a 26h semanais, ficando as outras horas para planear actividades....

Pergunto me: nao somos licenciados? Nao temos também que planear actividades? Em que somos diferentes?

Face a estas questões, um dirigente do SEN diz que não está para ouvir que nao lutaram pelos melhores interesses do enfermeiros e desliga o telefone na cara!!!!

Pergunto me se isto é defender a Enfermagem e ser civilizado e não mal criado, o que vai ser de nós????


A verdade é só uma: DESACREDITAÇÃO em todos os que se dizem querer defender a Enfermagem!

Não são mais que abutres, atrás de um tacho de um sindicato ou de uma escola ou mesmo uma dita Ordem.


È COM PENA QUE A ENFERMAGEM ESTÁ MORIBUNDA, POIS FALTAM -LHE LÍDERES, EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO, BEM COMO O TAL DITO SABER ESTAR, SABER FAZER E SABER SER....
 
É pá, vejo tantos comentários apagados...
Será que foram proferidos/redigidos por alguns fúteis e torpes "pseudo-intelectuais" "farmacêuticos".
Continuam a querer falar do que não sabem?
Podemos falar daquilo que tristemente todos ficámos a saber: como que num acto de mágica, ao melhor estilo de David Copperfield, o ministro Correia de Campos "desencanta" da cartola um coelho cujos ovos da páscoa se revelaram uma verdadeira oferenda dos deuses, mesmo para os mais cépticos - a tal "portaria" (ou será caixilharia?) que confere às farmácias o "dom" do DIAGNÓSTICO!!!???
O quê? Quem, e onde?
Os comentários foram claros e imediatos, inclusivamente por parte de quem eu estaria menos à espera: os licenciados em farmácia. Mas houve outros que demonstraram a sua inquietação perante tal despautério. Curiosa foi a reacção da classe médica, na figura do seu bastonário: aparentemente inexistente, pelo menos a "olho nu" (quanto aos jogos de bastidores...isso já não sei!).
Então querem continuar a demanda de transformar farmácias em mini Centros de Saúde?
Diagnosticar? Então quem é que quer ser o mini-médico,hem? E que competências? Já sei que vão dizer que têm todas as competências. Têm essas e mais algumas...
Até houve quem dissesse: "se os produzímos não saberemos prescrevê-los?"
Meu Deus como é parco e básico o raciocínio...
O que hão-de dizer os enfermeiros, que em todo o processo "só" (ainda) lhes falta desenvolvê-los. Mas creio que estará para breve, até porque já existem enfermeiros que desenvolvem investigação nestas áreas, nomeadamente pensos.
Só ainda para os mais incautos: não faz ainda muito tempo, que eram os enfermeiros que preparavam os soros (e continuam a preparar...).
Enfim, santa ignorância.
 
Ai, ai Hugo Roque... Investigação em pensos? Hilariante! Essa vale uma valente gargalhada. É que de facto os cursos politécnicos de Enfermagem têm uma base científica inigualável no âmbito das ciências, digamos, não humanísticas. Ó meu senhor, sabe lá você o que é um átomo, quanto mais um medicamento. Sabe aquilo que lhe mandam fazer os seus "chefes" médicos e aquilo que lhes chega dos serviços farmacêuticos, cuja direcção, coordenação e supervisão são efectuadas pelos farmacêuticos hospitalares. Conheço vários farmacêuticos que dão aulas de Farmacologia a estudantes de Enfermagem e de facto o básico é mesmo muito básico (mesmo assim, na opinião de alguns desses mesmos estudantes, consegue ser a disciplina mais "difícil" de todo o curso). Espantoso!
 
E o que preparam mais? Investigam o que de mais? Psicologia? Gestão? Pedagogia?


Investigação em enfermagem é pobre e medíocre! Vejam a quantidade de conhecimento produzido pelos docentes, que se querem afirmar como Universitários!

Enfermagem assim, não vai longe.


A visão é mesquinha: preocupam se em sair de umlugar para ir trabalhar noutro, para estar, onde já devia estar....A correr de um lado pa outro a fazer tarefas, nem tempo sequer têm para pensar ou produzir seja o que for ( investigação nem se fala) e a vida familiar? Muitos nem a têm. Só pensam em acumular, só pensam neles. Nem tempo têm para lutar pela profissão! Venha dinheiro, nem que seja esmola, interessa é cair no final do mês....

Esta é a representação da maior parte dos Enfermeiros Portugueses, mas felizmente há excepções!

Inerente a esta forma de se Estar na profissão, não se vai longe, ai não, não....são como alguns grupos profissionais os intutilam: sopeiros, maqueiros, meninas, meninos, empregada. Alguns só se limitam a abrir coisas para o sr dr usar. No fim, a função deles é arrumar o k foi usado.


Para limpar cus,posicionar, dar banhos, dar de comer, dar medicação, algaliar; entubar, avaliar sinais vitais e fazer camaas e servir de empregado do sr. dr, não é preciso ter uuma licenciatura! Não deixo de considerar ou valorizar as actividades, pois são muito nobres. Mas não é preciso uma licenciatura para isto. Um tecnico nos estados unidos com uma formaçao de 2 anos faz isso e tem muitos mais conhecimentos que os foram descritos.

As funções de um enfermeiro licenciado em termos de competencias são precisamente as mesmas que de um enfermeiro há 20 anos atrás.


Não será tempo de repensar a licenciatura e a certificação de competencias?


O porque de se mudar o grau de bacharel para licenciado, não surtiu efeito.


Neste momento, a maioria dos cursos superiores para entrar no local de mercado, são feitos a nível de mestrado.

Em enfermagem ainda se luta pelo atraso de se lutar por uma coisa que todos os outros têm: licenciatura. Está se mais uma vez longe: pois já devia se lutar pelo mestrado integrado no curso com a aquisição real de competencias específicas!
 
É evidente que "não há mal que não se acabe nem bem que sempre dure".
Correia de Campos quis legitimar as práticas ilegais de enfermagem nas farmácias a pretexto duma vacina não PNV que vai passar a ser ministrada ao domicílio.
A tudo isto a Ordem dos Enfermeiros não teve capacidade de resposta.
O actual elenco directivo só conhece serviços de enfermagem nos hospitais e nos centros de saúde.
O muityo que fica por fora e de que vivem lautamente os aux de famácia, não passa nos sensores de alerta da OE.
Só agora vai ver se vê de que se trata.
Nunca mais chega o Janeiro 2008
Ainda demora tanto!
 
Hugo disse:

"O que hão-de dizer os enfermeiros, que em todo o processo "só" (ainda) lhes falta desenvolvê-los."

LOLOL!!!!!

Sem comentários, só para que saiba, no curso de C.F são abordadas todas as cadeiras necessárias à prescrição.
Não é como em alguns cursos que até musica e teatro se ensina!
 
Ó inventor anónimo essa de ligares para o SEN (será o mesmo que eu conheço como SE?) a propores horas de meditação e planeamento deve ser inspirada nas escolas onde os professores têm horas de aulas efectivas e horas de preparação das ditas mesmo quando já estão preparadas há décadas.
A resposta é mesmo adequada à pergunta, pois se não é a gozar, parece.
Já agora quem desconhece o art. 1 da carreira de enfermagem que define o método de trabalho do executante é que faz perguntas a respostas que já estão dadas. Depois inventa um desligar de telefone.
Ninguém acredita que haja quem tenha resposta para a imaginação criadora de quem não sabe como começar o dia de trabalho.
Se perguntasse pelo processo de enfermagem e como se leva à prática não fazia perguntas óbvias com respostas óbvias, também.
A arte de Enfermagem tem especificidades que não se compadecem com quem não sabe como ser diferente e inventa coisas para caluniar.
Nunca fui tratado dessa forma por aquele SEN ou SE.
Não terá ligado para outro número e está convencido que ligou para o SEN?
Valha-te Deus, Ambrósio!
 
alguem já sabe se as actuais candidaturas a bastónarios da OE já comentaram esta noticia? se sim Onde? gostava de ler.
 
Caro membro enfaixado do SEN, devo-lhe dizer que desligaram me o telefone na cara!


Não sabem defender os interesses dos enfermeiros. Veja a discrepancia entre as horas feitas por um enfermeiro ( atendimento directo) e um psicologo e fisioterapeuta!


É tempo de mudar para melhor. As outras profissões evoluem e querem sempre mais e prestar melhores cuidados, mas os sindicalistas do SEN que compactuaram com a aberração do protocolo assinado com as instituições de ensino, espelha a imagenm da inércia e falta de educação para com os enfermeiros.


È uma pouco vergonha a diferença de horas, bem como a própria definição que fazem do que é ser Enfermeiro.... Como é obvio o enfermeiro tem que trabalhar 35h por semana como os outros profissionais. Mas é de louvar a acçao sindical feita pelos SINDITE, que conseguiram fazer que um fisioterapeuta de contacto directo com a comunidade escolar fosse de 26 horas de cuidados, sendo as restantes para planeamento de actividades.

MAs o suigeneris SEN só olha para si e não para os outros. Como resultado que se lixem os Enfermeiros: eles que trabalhem 35h de contacto directo!!!!!


Enfermagem, nos sindicatos faz se assim: com pessoas mal educadas, e que só sabem mamar o nosso dinheiro no final do mês.

Devo lhe informar que já tratei de anular a minha inscrição como membro. Prefiro lutar sozinho a estar agregado a este tipo de abutres que só pensam na mama do tacho no sindicato!

Reina a mediocricidade sindical. Com gente mesquinha que só pensa no seu umbigo e no dinheiro que recebem no final do mês...


Perguntem se caros colegas, o que conseguiram fazer os sindicatos desde que enfermagem é licenciatura?


Todos sabem a resposta: NADA. A diferença é que estamos ainda a contribuir para o emagrecimento do nosso magro salário ao dar a nossa dízima a este bendo abutres!!!!
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Caro colega observei realmente o trabalho suigeneris feito ou melhor dizendo não feito pelo SEN!!!

Devo lhe dizer que também telefonei para o SEN e me desligaram o telefone na cara, por nao ser sindicalizado.

É aberrante terem me dito que nem sequer sabiam deste protocolo e quem o tinha feito, teria sido uma entidade afecta ao SEN.
 
Atentinho!!Estás aí??
Não creio...Estás no mundo da lua!
Então temos doutos licenciados em farmácia a leccionar para estudantes de enfermagem? Mal, muito mal vai a Enfermagem.
Olha, por acaso no meu curso quem deu a cadeirita (quase um sofá) de farmacologia foi um médico. Compreendes a relação? Médico--»medicamento (já sei: fármaco-» farmacêutico, será? Então eu digo: químico---»QUÍMICO, pode ser?).
Então O VERDADEIRA CADEIRÃO? E por demais patético (por mais propedêutico que queiram). Eu vou dizer-te quais foram as genuínas cadeiras que algum "mau estar" provocaram: BIOQUÍMICA/BIOFÍSICA. Compreendes? Duvido.
Então os átomos e tal...e ciências humanísticas, terei lido bem?
Graças a Deus que no meu ano os exames nacionais de acesso foram QUÍMICA E BIOLOGIA. Como vês, disciplinas de humanidades.
Olha, vai ver se estou ali à esquina a aprender como se avia uma receita.
 
Ainda para o desatento:
- então não sabe que existe investigação na área que referi? Não, claramente. Anda muito distraído...
Continue com a sua boa disposição (é da euforia de poder diagnosticar??).
Mas atenção: muito riso, é sinal de pouco siso...
Vá, um bom feriado.
 
Ao atento... quando quiseres lições de farmacologia vem ter comigo que eu explico-te o que é o acetaminofeno ok?

É chato ser vencido no próprio território não?

Em última análise um farmacêutico também não precisaria de saber grande coisa ora não? Português para ordenar as prateleiras por ordem alfabética e excel para fazer os trocos.

Não é assim tão redutor pois não? Entãonão fales de Enfermagem pois é algo que desconheces...
 
Por este andar qualquer dia temos bacharéis em enfermagem a doutorar-se em Farmacologia ou Bioquímica nas Faculdades de Farmácia. Hilariante, Hugo Roque. Você é hilariante! Vá lá tentar candidatar-se! Ou então, já que é adorador de médicos, tente o mesmo mas desta vez numa Faculdade de Medicina. Falta, muita falta de noção. Assim se vê a "qualidade" do ensino da enfermagem em Portugal. Deixo-vos nos vossos delírios de enfermeiro (serão efeitos secundários de cadeiras como "Movimento e Drama"?). Cumprimentos.
 
Mais caro Estratega:
- é que nem português precisa de saber, basta ter um pouco de conhecimentos em Excel (ok, também têm cadeiras de informática; na verdade não precisam de informáticos para nada pois têm competências para tudo, inclusivamente informática. Será caro distraído e desatento?). Olha por acaso até tive informático no curos enfermagem (sabes eu fui daqueles que já saiu licenciado - não leves a mal) Continuas a falar do que não sabes.
E sem dúvida que o meu sonho é ser licenciado em farmácia. Aliás foi a minha primeira opção, a contar do fim. Não, na verdade nem foi opção. Biologia era opção, assim como desporto e psicologia. Farmacologia nunca o foi. Mas isso não interessa nada.
Quem é adorador de médicos são os caríssimos, e sabe porquê? Porque agora querem "diagnosticar". Podem "prescrever"; logo que têm hipótese candidatam-se para medicina (não vou dizer que o mesmo não se passa em Enfermagem...) e prontos (pode ser prontos?). Está tudo dito, certo?
Cumprimentos para si também.
 
Estas discussões sobre a importancia relativadas profissões de saúde são no mínimo estéreis para não lhe chamar outra coisa...

É o mesmo que discutir qual o orgão humano mais importante ( será o cérebro ? o coração ? os pulmões ?... ).

A única verdade é que cada tem a sua função específica e devem trabalhar em complementariedade. Mas mais importante é que SÒ existem porque exite o DOENTE que é o único que nestas discussões nunca é abordado.

Fiquem bem.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Mais uma vez farmacêuticos por estas bandas.
Mais uma vez os comentários foram apagados por falta de respeito.
Será fruto de algum complexo esta "atracção" que os farmacêuticos têm para com os Enfermeiros?
É a única explicação plausível.
Provavelmente será alguma questão "mal resolvida" dentro das suas próprias cabeças...
 
Meu caro, já que acha saber alguma coisa então que proponha uma síntese para o acetaminofeno a partir de um anel benzénico.
Então, anda por aí a administrar fármacos e não sabe como se sintetizam?
Imagine-se num laboratório com vários reagentes, sendo um deles o benzeno.
Agora, explique lá, proponha reagentes e catalisadores, descreva intermediários, indique se o ataque é nucleofílico ou electrofílico, se os substituintes são activantes ou desactivantes, qual o movimento dos electrões - e porquê - nos vários passos reaccionais, enfim, todas essas coisas que você domina que nem um mestre.
*Sarcastic Mode* Saber nomes de cor e salteado deve ser muito giro. *Sarcastic Mode*
Os meus melhores cumprimentos.
 
Para o atento...

Não faria melhor comentário... isso resume a tua visão sobre o acetaminofeno... enquanto tu lidas com químicos e diriges a tua atenção para a sua produção e conservação eu dirijo a minha atenção para as suas indicações;sua administração, efeitos esperados e secundários num doente. Daí que diga... eu estou habilitado a lidar com pessoas... tu estás a habilitado a lidar com químicos.

Obrigado por me expores um discurso paradigmático da tua visão sobre a Saúde e os utentes... não arranjaria argumentos tão bons mesmo que o quisesse.

Obrigado
 
Errado, a fisiopatologia, as cadeiras biológicas (fisios, imuno, hemato, bioq , micro etc) e as 3 farmacologias e 2 farmacoterapias servem para esse mesmo fim:

Terapeutica, indicações, administração, efeitos esperados e secundarios.

Dê uma olhadela a um curriculo de C.F.
 
O anónimo das 6:09 sou eu. Peço desculpa mas não me identifiquei por lapso.

Recomendo-lhe ler melhor as competências do farmacêutico quanto à administração de fármacos. Vá la ver aos estatutos da sua Ordem...página 7060 julgo...
 
Ali arriba encontrei uma referencia ao SEN feita por astronauta vindo doutra galáxia a falar de horas de planeamento. O objecto era um colaborador com uma escola, que certamente tem o estatuto de professor em fisioterapia que lhe foi ensinada no Alcoitão por uma enfermeira. E é bem feito.
Esse só trabalha 26 horas como docente, percebe-se mal, mas é isso.
Depois ligou para o SEN e desligaram-lhe o telefone. Se não o mandaram tocar falauta sem buracos já esteve com sorte, pois serão pessoas de bem.
Vejamos se não se estivesse em campanha para a Ordem este argonauta ou astronauta, estaria a falar do SEN daquela maneira.
Por que em vez de estar a pedir o que é impossível e inverosimil, não adiantou um esboço de trabalho para celebrar protocolos que não existem...
Em vez disso aproveita para se fazer de vítima e desacreditar os Sindicatos dos Enfermeiros. Por este gesto se vê que não é Enfermeiro. Dava-lhe jeito vê-los mais frágeis e desorganizados.
Experimente ligar para o SEP, o LEC ou outro, para ver se consegue resposta para perguntas impossíveis.
Essa de pretender comparar o horário de trabalho dos doecentes com o dos Enfermeiros, não lembraria ao diabo.
Deve haver outras falhas no SEN, mas essa de dar resposta a quem não é identificável é uma boa maneira de levar a sério as informações que se dão, aos sócios (membros são os da Ordem), pois são os únicos que têm direito a elas. Aquilo não é maninho nem baldio: tem donos que são os sócios.
Para bufar terá de pagar.
Veja lá, seu extraterrestre, se arranja desculpa mais credível para denegrir bons nomes conquistados ao serviço da Classe. Vá para Enfermeiro, se for capaz...
 
Atento...

Já conseguiu ler?
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
A técnica de como administrar uma injecção IM foi ensinada em 5 minutos.
 
Esquecem-se que "farmacologia" é apenas uma cadeira na imensidão de cadeiras que compõem a enfermagem. O mesmo se passa com a medicina!
Para ser enfermeiro não é necessário apenas farmacologia... temos anatomia, fisiologia, biofísica, bioquímica, psicologia, patologia médica, patologia cirurgica, etc, etc....
 
caro senhor dignissimo ladrão dos magros salarios dos enfermeiros,


Eu sou Enfermeiro a trabalhar numa escola e a situação que o senhor trata de forma leviana, revela a forma como o sen lida com a enfermagem e os direitos dos enfermeiros.


È uma pouca vergonha que não defendam os direitos da classe e sobreponham os interesses pessoais do SEN e as dizimas que os senhores colectam, em detrimento da luta pelos enfermeiros e seus direitos, quando comparados com as outras profissões e sua carga laboral nos estabelecimentos de ensino.


È ridicula a proposta que voçÊs assinaram. Por outras palavras, mais uma vez assassinaram a ENFERMAGEM com o vosso acordo.


È a Enfermagem do SEN, presidida pelo Enfermeiro Azevedo.

Está tudo dito.....
 
O Dr. Pedro Soares Martinez foi ministro da Saúde quando ainda havia governo neste país... Um bem haja a este Senhor
 
Este senhor não é um coronista qualquer não é um jurista... é um ex-ministro certamente falará com alguma propriedade...
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.
Mais informações, aqui (programa, poster e ficha de inscrição). 

.
Ler aqui.