terça-feira, janeiro 22, 2008

Mais visibilidade!


Esta última semana foi acima da média relativamente à visibilidade dos Enfermeiros na comunicação social. Desde o debate na SIC, onde a nossa bastonária este presente (cometeu uma gaffe na questão das probabilidades) à discussão do caso dos Enfermeiros da sobrelotada urgência de Faro, que, por escrito, pediram a intervenção da Enfª. Maria Augusta de Sousa.

Na semana anterior decorreu um encontro de extrema importância para a Enfermagem. Uma reunião entre o Secretário de Estado da Saúde, Dr. Francisco Ramos, e a Ordem dos Enfermeiros.
Debateram-se assuntos de interesse primordial, tais como a dotação de Enfermeiros nas instituições do SNS ("necessário definir e estabilizar conceitos estruturantes no que respeita às dotações de pessoal"), o importantíssimo processo de Bolonha ("o reconhecimento de competências somente para os detentores de uma formação de 2º Ciclo de Bolonha - grau académico de mestre. Só assim se poderá garantir que a preparação dos enfermeiros não sofrerá nenhum retrocesso."), a passagem da Enfermagem para o ensino universitário ("a Ordem dos Enfermeiros defende a transição do ensino da Enfermagem para o Sistema Universitário (abandonando, assim, o ensino Politécnico)"), o modelo de certificação de competências ("garantir um modelo futuro que salvaguarde processos adequados de desenvolvimento de competências profissionais, bem como a sua certificação"), etc...

No entanto, a OE "esqueceu-se" de focar assuntos de importância básica para a Enfermagem, tal como o excesso de escolas, excesso de formação e a discrepância entre o índice de qualidade dos vários cursos/instituições. Ainda que a tutela responsável por estas questões seja outra, há que chamar a atenção de todos para esta grave situação, que afinal de contas está na raíz de todos os problemas...

Mais uma vez, os Enfermeiros do sector privado (vítimas do mercado concorrencial) foram esquecidos... e abandonados ao sabor do vento....

Comments:
tem graça, a vossa bastonária que parece um símio. Tanto melhor, é da forma que personifica melhor a vossa classe, com a sua bestialidade.

"a passagem da Enfermagem para o ensino universitário" that's a joke. Jamais, jamais...querem ser licenciados, doutores e isso tudo? estudem que não vos faz mal nenhum, pelo menos até prova em contrário!

Daqui a pouco surgem as empregadas da limpeza a pedirem para serem doutoras. Ganhem juízo! Enfermagem está mt bem no politécnico. Querem o segundo ciclo de bolonha? Para quê? Até parece que no dia a dia, os enfermeiros utilizariam as competências intelectuais que eventualmente, reforço, eventualmente, possam adquirir nesses 2 anos de bolonha.
 
Sr médico não seja ridículo.... vá estudar.. é o melhor que faz....
estes cromos com a mania que sao doutores pra mim n passam de uns macacos que deambulam pelos hospitais...ide tirar doutoramento se quereis ser doutores... defs....
faço o comentário nestes modos porque quem não me respeita, não merece ser respeitado...
 
Desculpem lá, mas qual é a fixação com a passagem de Enfermagem a 3 anos? Praticamente todos os cursos politécnicos e, até, universitários (com excepção de formações profissionais regulados ao nível da União Europeia, como a dos engenheiros, farmacêuticos, médicos, arquitectos, dentistas, veterinários) passaram para 3 anos e não é por isso que andam por aí, em histerismo colectivo, a falar em "retrocessos". Acho que estas atitudes, meus caros, só demonstram que há um complexo de inferioridade patente na classe dos enfermeiros. Cinco anos de curso é ridiculamente absurdo para as poucas áreas de actividade onde o enfermeiro actua e para os conhecimentos de que necessita para actuar nessas áreas de intervenção. Os enfermeiros não podem querer ser aquilo que não são.
 
ahahah, doutor enfermeiro, este post e esta reivindicação está demais! Dos melhores posts do ano, acredite!

"mestrado integrado de enfermagem", já agora porque não "mestrado integrado de recepcionismo", "mestrado integrado de técnicas de contínuo", doutoramento em ciências da limpeza...
Ridículo, aliás, é grotesco (e eu sou daquelas pessoas que pensa que existirem doutoramentos en enfermagem é a ridicularidade total. Mas prontos, esses doutoramentos servem para que as pessoas portadores de tal nobreza eheh possam ensinar os jovens enfermeiros. O problema é que se todos ficam mestre e doutores em enfermagem, vão estar a ensinar uns aos outros, vai ser o caos :D

então convem alertar a população, que vai ter de passar a chamar ao enfermeiro, sr doutor ahahah

outra alternativa mais fácil: os enfermeiros frequentarem mais os míticos divãs e extorcisarem lá os seus fantasmas. Assim acaba-se a ridicularidade
 
Tenho o grau académico de licenciado, mas tenho mt orgulho em dizer que sou ENFERMEIRO, porque doutores é o que não falta neste país.... agora ENFERMEIRO só quem o é....
 
Se fosse um licenciado universitário sim, agora licenciado politécnico não deixa de ser técnico. Quer o Drzinho? Vá tirar um curso universitário e se teimar em ficar pela área da saúde pode começar em medicina, farmácia, dentária e veterinária.
 
caro amigo, tecnicos de saúde todos o somos...pelos vistos não me compreendeu ... enfim...mas sinceramente não sei qual é a diferença entre o grau académico licenciatura num politecnico ou numa universidade ... o papel é o mesmo ...as competências adquiridas são as mesmas...as responsabilidades idem idem ...
 
HEM!? LOLOL que mentecapto, um curso é politécnico ou universitário, Medicina/farmácia/dentária/direito existem em faculdades (ensino UNIVERSITÁRIO) o seu "curso" é politécnico como tal existe em escolas.
As competências entre um curso universitário e outro politécnico são completamente diferentes, você não pode por exemplo adquirir um curso de medicina num politécnico porque o mesmo é universitário e como tal não existe em nenhuma escola. Instrua-se.
 
Geralmente quando se perde a razão partesse para a ofensa....se ser mal educado é tirar um curso numa universidade ...benditos politecnicos....mas agora uma questão...na universidade do algarve deverá iniciar-se brevemente o curso de medicina...(licenciatura certo?) e o curso de enfermagem da universidade do algarve vai deixar de ser licenciatura? fica a questão para alguem mentalmente superior....
 
Caro autor do blog:

Pelos comentários que se lêem, acho q deve eliminar tudo o que diz respeito a enfermagem ofensiva e de mero gozo, de quem não tem qq informação ou prestigio dele próprio!
 
Caro colega "Dr Enf":

De facto, os comentários estão a rasar o limiar da pobreza no seu conteudo.
Sem proveito, respeito, crítica construtiva.

Aconselho vivamente a utilizar o seu poder, de balizar este tipo de comentadores.
Bem sei, que existe liberdade de expressão.
Mas, já que nos cortam a Voz em tts situações, merecem que lhes seja tb cortada no acesso ao blog.

A enfermagem não necessita de ser rebaixada por tipos que nem dela praticam! Mas como ignorantes que são na matéria, e se sentem concorridos, iniciam ofensas que na vida real nunca me dirigiram, caso contrário, havia festa!!!

Abraço
 
OH MEU DEUS QUE IGNORANCIA SR DAS 7:47

Ve-se que nao pesca um corno do que está para ai a falar, enfermagem na Ualg é leccionada numa ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE ------> ENSINO POLITÈCNICO!
Medicina será numa FACULDADE----> ENSINO UNIVERSITÁRIO!
Mais uma vez, informe-se.
 
OLHE LÁ! ONDE TIROU VOCÊ O SEU CURSO DE DRZINHO????
NA FACULDADE DO S.JOÃO OU NAS BIOMÉDICAS....???
MEDICINA EM BIOMEDICAS SÓ SE FOR PARA TRATAR CAVALOS DA SUA LAIA,NÃO QUERO GENTINHA SAIDA DAS BIOS NA MINHA FRENTE AINDA ME MANDAM PARA A HORIZONTAL, COMO TENHO VISTO DTES, TRATADOS E OPERADOS PELOS ZINHOS DESSA DITA BIOSFERA.CHAMA-SE DR. QUEM FAZ DOUTORAMENTO. EU COMO SOU LICENCIADO,NÃO TENHO PRETENÇÕES A DRZINHO,QUANDO QUIZER FAÇO O DOUTORAMENTO
SÓ PLANTANDO BATATAS É QUE VOCÊS SE SAFAM
NEM SEQUER SABEM PUNCIONAR UM DOENTE, NÃO TEM PROGRAMA PARA ESSE NIVEL E OS QUE PUNCIONAM APRENDERAM COM OS ENFERMEIROS.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Sabem uma coisa?! Só vejo aqui pessoas que não querem ver a Enfermagem evoluir.

Pois vejam, não há diferenças entre politécnico e universitário. Apenas uma questão de divisão de competências pedagógicas.

O evoluir da Enfermagem para o ensino universitário só demonstra que a Enfermagem está a evoluir, a ganhar saber próprio. E isto é a diferença de um ensino secundário para um ensino superior: a crescente especialização de saberes.

E a Enfermagem não pode ter mestrados ou doutoramentos?! Em que se baseia nisso?!... Só demonstra assim a visível falta de conhecimentos e cultura.

Vejamos o seguinte cenário:

A situação actual da Enfermagem deve-se em muito à crescente criação de Escolas privadas e aumento das vagas nas restantes. Ora, em tempos quando a OE podia dizer algo não disse. E nem agora, porque existe interesse nisso. Quem lecciona nessas escolas?! Alguns enfermeiros no activo, mas a maioria está ligada aos actuais órgãos da OE. Se porventura houvesse uma OE capaz de contrariar tais interesses, a Enfermagem ganharia uma visibilidade e poder económico junto das entidades empregadoras.

Ora, tal até pode estar perto.

Agora, em relação à Medicina. O desemprego, tal como agora está a acontecer com a Enfermagem, irá abalar a medicina. E aí depois conversamos. Pois meus amigos profissionais de saúde (digo todos!!), a imagem social de uma classe depende muito da relação oferta/procura.

Simplesmente houve um «bum» da enfermagem. E agora vejam, quantos anúncios há de farmácia?! Pois é, farmácia dentro de uns 2 anos enfrentará o mesmo destino de enfermagem.

E tal já aconteceu com direito e psicologia!!

E medicina já na fila de espera com o ticket número 2, a seguir à farmácia.

Por isso meus amigos, não venham discutir tipo de ensinos, ou saberes, porque o que está aqui em causa, e muito mal acho eu, é qual a melhor classe profissional!!

E sinceramente, cada um no seu lugar!

Porque estou farto de ouvir tanta palermice e desconhecimento de pessoas que se dizem cultas!!!

Ah, e reforçando a ideia, para quem de direito e sem conhecimento, vá pesquisar para o que serve e porque se tira mestrado e/ou doutoramento. Ou até mesmo pós-graduações!! É só mesmo estúpidos a palrar sobre isto (alguns anónimos incultos)!
 
38000 Médicos
9000 Farmacêuticos
Quantos enfermeiros?

Não vejo desemprego tão cedo visto que nem todos os que entram acabam o curso e no caso de farmácia e medicina é notória a diferença.
E não, a importância duma classe não se põe somente como o faz entender pelo o rácio oferta/procura, até porque a AO continua a ter a importância que tem independentemente do desemprego que se faz sentir. E enfermagem ainda nos dias dourados nunca teve estatuto social, poder económico ou relevância. Cresça, enfermagem não cresce por causa dos enfermeiros e pela natureza do que é.
Enfermagem com mestrado integrado….(lol)
 
100 mil enfermeiros, para aí. Mas eu acho que eles crescem exponecialmente, como as bactérias.
 
Não sei o que será pior, se ouvir o que "os tolos falam porque têm que dizer algo" (Platão) ou se aqueles que perdem tempo a debater o algo vago e sem sentido de oportunidade e de pertinência.

Porém, apenas vou alertar aqui, os jovens que vêm para aqui provocar apenas, que existem cursos de medicina leccionados em ESCOLAS. Para informações sobre tal curso, consultem o site da Universidade do Minho, creio e citando alguns colegas da vossa classe profissional ligados à docência, esta escola é considerada a melhor formadora a nível nacional. Não vou questionar a idoneidade da afirmação anterior. Mas convido os jovens a falarem daquilo que sabem e não emitirem opinião vazias de contudo e que nada auxiliam o debate e melhoria da saúde da população.

Reflictam, pensem, planeiem, executem e ajam. Porque só assim serão veículos de saúde competente como todos os cidadãos assim exigem.
 
Ok, vou explicar melhor para os superdotados que não perceberam.

Antes havia falta de enfermeiros, logo ocorreu a criação de várias escolas de Enfermagem. Como agora supostamente a Farmácia e Medicina estão em voga, o estado quer aumentar a oferta laboral!!! Burros!

Ou já não sabe que o governo para este ano vai aumentar o número de vagas em medicina.

Calma porque o desemprego vai abater sobre a medicina também, e já falta pouco.
 
"Um médico" disse:

""a passagem da Enfermagem para o ensino universitário" that's a joke. Jamais, jamais..."


Sabe, o último que usou essa expressão deu um tiro no pé.
Por isso, estimado comentador, nem expressões adequadas soube escolher...
 
Dentro em breve o nº de verdadeiros doutores (aqueles que fazem o doutoramento) será maior na classe de Enfermagem do que na classe de Medicina. Para os que não sabem actualmente é possível fazer doutoramentos em áreas de Enfermagem (prova de que afinal sempre produzimos conhecimento) ministrados inclusivé em instituições que também ministram o curso de Medicina (ICBAS por ex.)
A era dos DoutoresEnfermeiros está a chegar! E para quem se sentir agastado com isto, uma solução: vaselina, vaselina!
 
Tanta dor de cotovelo por parte de outras classes profissionais.

A enfermagem subiu nestes anos foi á custa do esforço desenvolvido pela classe e não ás cavalitas de outros.

Não precisa de recorrer a insultos, críticas destrutivas pobres em conteúdo para ter chegado até onde está hoje.

Se cada profissional utilizasse as suas competencias, os seus valores em prol da dignificação da sua classe, em vez de tentar denegrir as outras classes em prol da auto satisfação narcisista de alguns profissionais dessas classes, todas sairiam a ganhar e nenhuma perderia.
 
Tanta dor de cotovelo por parte de outras classes profissionais.

A enfermagem subiu nestes anos foi á custa do esforço desenvolvido pela classe e não ás cavalitas de outros.

Não precisa de recorrer a insultos, críticas destrutivas pobres em conteúdo para ter chegado até onde está hoje.

Se cada profissional utilizasse as suas competencias, os seus valores em prol da dignificação da sua classe, em vez de tentar denegrir as outras classes em prol da auto satisfação narcisista de alguns profissionais dessas classes, todas sairiam a ganhar e nenhuma perderia.
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
Cada conquista da Enfermagem tem sido "interesante", senão vejam:

Poucos se lembram, mas quando Enfermagem foi proposta para curso superior... muitos riram, no final fecharam a boca.

Quando foi proposto o grau de bacharel... muitos riram, no final fecharam a boca.

Quando foi prosposto a passagem a licenciatura... muitos riram, no final choraram.

Quando foi proposto os Enfermeiros poderem ser habilitados com o grau de doutor... muitos riram, no final todos fecharam boca.

Quando foi proposto o projecto SIV... muito riram, no final engoliram.

E como estes, dezendas de exemplos mais...

No fundo, riem-se agora de cenários que já são uma realidade noutros países. E por norma, Portugal, mais cedo ou mais tarde segue a tendência. Por isso, auspicío que a boca de muita gente se feche nos próximos anos...

Esquecem-se que os Enfermeiros têm conquistado tudo a que se propuseram nos últimos 30 anos...
Alguém se lembra de alguma coisa oficialmente proposta, mas não conquistada?
Quem se lembrar dê um passo em frente p.f. e fale!
 
ate pode ser, mas que utilidade tem um doutoramento em enfermagem?

podem doutorar-se, podem armar-se, mas uma coisa nunca vão mudar:

nunca hao de ser médicos, nunca hao de ser farmacêuticos, nunca hão-de ser bioquímicos.

São enfermeiros
 
Explique-me então, qual a utilidade de um doutoramento em medicina, farmácia ou bioquímica...
No final, explicar-lhe-ei a importância do doutoramento em Enfermagem.
 
Somos Enfermeiros e com muito gosto !!
 
No inicio, como disse o Doutorenfermeiro, ninguem acreditava depois uns engoliram em seco e outros choraram,isto porque não acreditavam no desenvolvimento da profissão de Enfermeiro.
Nos próximos anos,na area da saude, a carreira que mais desenvolvimento vai ter é justamente a de enfermagem,e isso vai fazer doer os cotovelos a muitos.Paciência, não gostam? Comem menos.
Num futuro muito próximo o Pré-Hospitalar vai ser feito quase exclusivamente por enfermeiros,a investigação em enfermagem vai-se desenvolver ainda mais, por isso sugiro que as farmaceuticas aumentem os stocks de analgésicos porque vai existir por aí muita dor de cotovelo.
 
Este post era sobre a "visibilidade". Os comentarios estão, genericamente no limiar da peixeirada. Quanto á visibilidade, é justo que o autor deste blog reconheça isso mesmo. As interveções da OE têm sido muito boas, o que nos permite esperar que efectivamente algo tenha mudado a 13 de Dezembro...
 
Acho que as outras classes profissionais começam a demonstrar medo da evolução crescente da Enfermagem.

E por enquanto, tenta elaborar criticas destrutivas ("Ai nós somos melhores, bla bla bla")

Vamos ver quem se vai rir por último daqui a uns já meros anos...
 
Ao das 10.22,( nunca hao de ser médicos, nunca hao de ser farmacêuticos, nunca hão-de ser bioquímicos.)quem é que lhe disse que queremos ser isso tudo????
Só queremos ser enfermeiros e nada mais,deixem-nos em paz.
Há! tenho mais uma coisinha para dizer.
Vocês já se esqueceram de onde vieram?????
Lembram-se do sr. dr barbeiro cirurgião????
Não foi assim á tanto tempo.
Lembra-se dos doentes irem ao Pharmaceutico para se tratarem???
Nesse tempo os srs, não eram precisos para coisa alguma.Muito má memoria a vossa
 
O que os outros dizem, não me afecta, ouço com atenção e se possivel argumento e defendo a nossa Profissão.

O que Realmente estou interessado é à nossa Realidade profissional e laboral.

Noto que as batalhas que eram nacionais, perdem-se e tornaram-se locais; fruto de contratos individuais e certamente da extinção da Função Pública.

O que os outros grupos profissionais dizem acerca de nós, volto a afirmar nada me interessa, no entanto estou Atento à voz dos nossos Clientes. É para estes que trabalhamos e é a estes que devemos estar Disponiveis e fazer valer os nossos conhecimentos e a nassa prática.

As conquistas fazemo-las a caminhando!

Abraços
 
« Caro autor do blog:

Pelos comentários que se lêem, acho q deve eliminar tudo o que diz respeito a enfermagem ofensiva e de mero gozo, de quem não tem qq informação ou prestigio dele próprio!»


E os enfermeiros podem e DEVEM, pura e simplesmente, deixar de responder a essas ABÉCULAS, TROGLODITAS e COMERCIANTES DA SAÚDE SEM ESCRUPULOS!
Para que é que lhes dão troco?
Ignorem-nos, PORRA !

Mário
 
Como dizia um colega muito sapiente:

"As criticas de outros batem na carapaça da minha indeferença e resvalam por ela abaixo"
 
Com a devida autorização do life passenger, reproduzo o seu post, por entender que deve ser esta a linha a seguir e não a de dar importância a quem a não tem e a vem procurar em casa alheia.
Assim:
« O que os outros dizem, não me afecta, ouço com atenção e se possivel argumento e defendo a nossa Profissão.

O que Realmente estou interessado é à nossa Realidade profissional e laboral.

Noto que as batalhas que eram nacionais, perdem-se e tornaram-se locais; fruto de contratos individuais e certamente da extinção da Função Pública.

O que os outros grupos profissionais dizem acerca de nós, volto a afirmar nada me interessa, no entanto estou Atento à voz dos nossos Clientes. É para estes que trabalhamos e é a estes que devemos estar Disponiveis e fazer valer os nossos conhecimentos e a nassa prática.

As conquistas fazemo-las a caminhando!

Abraços»

Obrigado life passenger.

Joana
 
Talvez fosse melhor melhor não responder a esses ignorantes e eliminar os os seus comentários estúpidos.
Então os farmacêuticos agora querem ser enfermeiros...
 
Anda por aqui Muitos TAEs e TAS disfarçados de médicos.

Caso fossem médicos e ou estudantes de medicina, não perderiam tempo a grunhir ou a mugir.... RONK! RONK! MUUUH!

Estariam mas era a estudar, para depois não confundir sinais com sintomas ou lipotimias com sincopes.

Também era bom que soubessem que o estetoscópio não é um adorno que se possa utilizar como colar.

Já agora aproveitem e estudem também para que serve a câmpanula e o diafragma do estetoscópio.

Para que não andem a fazer diagnósticos de "sopro cardíaco" com os estetoscópios dos enfermeiros.

Já agora vejam também o que é a montagem de tipo Billroth II, para não a confundir com alguma posição do Kama Sutra.

E para terminar convinha saber qual a diferença entre embolia, trombose e hemorragia cerebral e não se esqueçam do AIT, pois ao contrário do que possam pensar não é a marca de um shampoo.

Se mesmo assim azia não passar, recomendo leite de magnésio, convém é que não o confundam com leite de burro velho.

Pois podem gostar e não há burros que chegue para todos!!!
 
Entretento com esta "guerra" de interesses cruzados das várias classes de profissionais de saúde, perdeu-se o ojectivo deste post.

Nós, enfermeiros, passado, presente e qual será o nosso futuro?
 
este nel não perdoa uma....;)
 
O futuro será na lama a servir os senhores doutores obedientemente

E não é preciso munirem-se de mestrados para isso, simplifiquem a coisa... n gastem propinas para acabarem a mudar fraldas e pensos
 
servir na lama....

bem ao menos este assume que é um porco e que nós enfermeiros para o tratarmos temos de ir à poçilga onde vive.
 
Uma anedota com moral:

Cachorro VELHO

Uma velha senhora foi para um safari na África e levou seu velho vira-lata com ela.

Um dia, caçando borboletas, o velho cão, de repente, deu-se conta de que estava perdido.

Vagando a esmo, procurando o caminho de volta, o velho cão percebe que um jovem leopardo o viu e caminha em sua direção, com intenção de conseguir um bom almoço ..

O cachorro velho pensa:

-'Oh, oh! Estou mesmo enrascado ! Olhou à volta e viu ossos espalhados no chão por perto. Em vez de apavorar-se mais ainda, o velho cão ajeita-se junto ao osso mais próximo, e começa a roê-lo, dando as costas ao predador ...

Quando o leopardo estava a ponto de dar o bote, o velho cachorro exclama bem alto: -Cara, este leopardo estava delicioso ! Será que há outros por aí ?

Ouvindo isso, o jovem leopardo, com um arrepio de terror, suspende seu ataque, já quase começado, e se esgueira na direção das árvores.

-Caramba! pensa o leopardo, essa foi por pouco ! O velho vira-lata quase me pega!

Um macaco, numa árvore ali perto, viu toda a cena e logo imaginou como fazer bom uso do que vira: em troca de proteção para si, informaria ao predador que o vira-lata não havia comido leopardo algum...

E assim foi, rápido, em direção ao leopardo. Mas o velho cachorro o vê correndo na direção do predador em grande velocidade, e pensa:

-Aí tem coisa!

O macaco logo alcança o felino, cochicha-lhe o que interessa e faz um acordo com o leopardo.

O jovem leopardo fica furioso por ter sido feito de bobo, e diz: -'Aí, macaco! Suba nas minhas costas para você ver o que acontece com aquele cachorro abusado!'

Agora, o velho cachorro vê um leopardo furioso, vindo em sua direção, com um macaco nas costas, e pensa:

-E agora, o que é que eu posso fazer ?

Mas, em vez de correr ( sabe que suas pernas doídas não o levariam longe...) o cachorro senta, mais uma vez dando costas aos agressores, e fazendo de conta que ainda não os viu, e quando estavam perto o bastante para ouvi-lo, o velho cão diz:

-'Cadê o filha da puta daquele macaco? Tô morrendo de fome! Ele disse que ia trazer outro leopardo para mim e não chega nunca! '

Moral da história: não mexa com cachorro velho... idade e habilidade se sobrepõem à juventude e intriga.

Sabedoria só vem com idade e experiência.
 
Por outras palavras farmacêuticos vão fazer trocos e querer brincar aos enfermeiros. Fora deste blog, arre cromos. Basta.Chega de dar troco a esses parvos. Qualquer dia muda-se o nome do blog para farmacêuticoqueseengananotrocofrustradovemaesteblog ou faço um blog para a expiação dos referidos cromos.
 
Bom a intervenção do anónimo das 12.12h.

Foi curta, grossa e esclarecedora.

Nem eu consigo dizer tanto em tão pouco.
 
concordo com o nel.
 
Para assumirmos uma posição cada vez mais preponderante e eminente, não nos precisamos de nos disfarçar de médicos, farmacêuticos ou outros. Precisamos de saber ocupar o espaço que a sociedade nos confere e isso é o bastante para que sejamos uma profissão com a qual a sociedade precisa de contar para se modernizar.
O pruridos de coutras classes relativamente à nossa emergência são um bom augúrio...significa que de algum modo mexemos com o status quo instituído e isso só é possível a profissões que tenham vitalidade e influência. Da gente fraca ninguém fala...
 
PS no post anterior onde se lê "emergência" deve-se ler imergência
 
Vitor A. a sua analogia foi brilhante.

Mas tenho dúvidas que os "maganos" e os balconistas entendam as entrelinhas.

Já agora desafio os meus colegas e ou futuros colegas a responder à provocação do nel.

Mas como não são médicos, tal como o nel diz, não terão os conhecimentos nem capacidade para tal.
 
Morte de Idoso nas Urgências, deixo no Cogitare a noticia bem como a resposta da nossa Ordem.

Abraços a todos e bom dia de trabalho
 
Obrigado Dr. Pedro Alves.
 
O anónimo das 8.45h disse:

"100 mil enfermeiros, para aí. Mas eu acho que eles crescem exponecialmente, como as bactérias".

Para começar Vossa excelência nem sabe o que são bactérias!!!!

Talvez esteja a confundi-las com as galinhas do seu vizinho.

O Anton LeeWenhoeck no séc. XVII ao observar gotas de água da chuva ao microscópio, descobriu uns pequenos animais, que ele designou por "Animácula".

Talvez o que Anton Leewenhoeck viu afinal foi o único neurónio que os anti-enfermeiros tinham.

E pelos vistos foi levado pela água da chuva.

Logo a pergunta que se impõem é o que existe dentro do cránio desses "abéculas".

Resta-me então divagar: será que apenas ficaram cocos, bacilos, espiroquetas, bolores, míldios, leveduras, virús, protozoários, clamídias ????

Parece-me que pelas afirmações que fazem neste blog, apenas lá existe dentro são fungos saprófitas.

Os tais que se alimentam de matéria orgânica morta.
 
uau, nunca pensei ouvir da boca de um enfermeiro as palavras como cocos,bacilos,espiroquetas,bolores, míldios...

Andamos muito evoluídos, andamos... Ou então é a wikipedia....

E conhecemos antony leewenhoeck, e dissertamos sobre histologia, estes enfermeiros sim senhor... ou então é a wikipedia...


Por este andar, a academia sueca ainda vai inventar um prémio nobel de enfermagem, tanta sapiência subaproveitada... ou então é a wikipedia...
 
Pessoal tenho uma duvida.

Um farmacêutico diz com orgulho "sou farmacêutico"
Um médico diz com orgulho "sou médico"

Porque é que os enfermeiros têm vergonha, dizem em voz baixa imperceptível que são enfermeiros? Pois é, é aquilo que na psiquiatria se chama frustração. E estes blogs pró-enfermagem, estas tendências pseudo-modernistas de enfermeiros isto e aquilo, na psiquiatria é recalcamento.

O ódio aos médicos (tão bem demonstrado nos comentarios deste site) não sei como se chama na psiquiatria, mas no dia a dia sei: DOR DE COTOVELO
 
Boa tarde. Dr Enf. diz que Bastonária se esqueceu de abordr de assuntos como : excesso de escolas , excesso de formação e discrepância entre o índice de qualidade dos vários cursos /instituição. Concordo com o facto de haver excesso de Escolas de Enfermagem. Para mim deveria congelar-se o acesso aos cursos de licenciatura em enfermagem , pelo menos até diluir o desemprego no sector. Quanto ao excesso de formação , parece-me que a aprendizagem nunca é demais seja no âmbito da Enfermagem seja noutro. Há muitas pessoas licenciadas com um défice cultural acentuado. Ora CULTURA GERAL não faz mal a ninguém. É necessário que os licenciados , seja em que área for , saibam não só do seu ofício , mas saibam entender o que se passa à sua volta , quer do ponto de vista político , quer do ponto de vista económico no nosso País e no mundo. Se pensarmos que anualmente milhares de crianças morrem de fome ; milhares de famílias estão em êxodos permanentes , devido aos senhores da guerra ; se pensarmos nos milhares que em todo mundo morrem devido a SIDA ; se pensarmos que a Amazónia está a morrer ...então as nossas pequenas questões do dia a dia são insignificãncias tamanhas , que quase dá vontade de as ignorar.
Quanto às discrepâncias entre o índice de qualidade dos vários cursos , deduzo que de Enfermagem , penso que a Ordem deveria analisar estas situações pois tem pessoas com capital científico , para levar a cabo tal análise e preparar um dossier para apresentar ao Ministério competente.Os conteúdos programáticos das disciplinas do Curso de Licenciatura em Enfermagem deveriam ser iguais em todos os locais onde é ministrado esse ensino. Quanto à competência de quem lecciona , é obvio que a ordem tem uma palavra a dizer e deve intervir em matéria sensível como esta , que é o ENSINO DE ENFERMAGEM.
A dignidade de SER ENFERMEIRO , não está tanto no cifrão , ou noutras boboseiras , está sim , quanto a mim na forma de ser e estar em ENFERMAGEM e nas respostas que damos , bem como nas nossas atitudes perante as pessoas que recorrem aos nossos cuidados profissionais . Devemos lutar pelos nossos direitos , mas também devemos lutar pela nossa cada vez maior e melhor competência profissional. Um abraço Doutor Enfermeiro , um abraço lifepassenger , obrigada ena rot. Passei pelo teu blog..um abraço a todos.

Margarida de Barros
 
Colega Nel,
És uma máquina.
Mas olha que ainda corres o sério risco de ser designado de "ordinário", como já aconteceu à minha pessoa. Por isso não leves a "peito".
Algumas perguntas que ficam pendentes, tipo: para quê os doutouramentos em medicina? Quando alguém souber a resposta...
E o outro mamífero que escreveu:
- nunca serão médicos, tal, tal tal.
Óh seu fungo saprófita, creio que descobriste a pólvora. Nem um médico ou farmatrolha será ENFERMEIRO. Creio que mereces um nobel qualquer.
Mas ainda assim continuas (para variar) na ignorância. Se me apetecer posso sempre perder o meu tempo e ir frequentar os cursos que referes. Mas não, preferiria frequentar um curso verdadeiramente difícil (matemática ou física), ou então que me desse prazer (informática).
Vá,continua:
- eu vi um sapo...
 
Agora o cogitare vem aqui fazer publicidade?
 
Mas você é estúpido ou quê?? Para quê doutoramentos em medicina ou farmácia!?!? Mas o que é que você tem nessa cabeça?
Diga-me uma coisa, em que consiste um doutoramento em Medicina? É capaz de me responder? È que se não sabe nem vale a pena explicar.
 
É preciso ser ignorante para ainda questionar a utilidade e a importância do ensino superior politécnico português.

Em ambos os sistemas saem todos licenciados!

Os cursos ministrados em ambos os sistemas, conferem num 1º ciclo de estudos, o grau da Licenciatura e no 2º ciclo estudos, pelo Processo de Bolonha, o grau de Mestrado. No 3º ciclo o Doutoramento...

As Universidades em breve vão passar a fundações e o politécnico também vai mudar e só quem tiver muito dinheiro vai conseguir tirar uma licenciatura, como acontece há muito tempo nos E.U.A.

Para além de existir bastantes enfermeiros portugueses com vários tipos de Doutoramento nas mais diversas áreas do saber.

Nos Estados Unidos a Licenciatura em Enfermagem está enquadrada no ensino superior Universitário desde a década de 40!!!!!!!!!!!!!!E não da década de 90 como aconteceu em Portugal.

Em Portugal existem algumas Universidades com esta licenciatura mas enquadrada no ensino superior politécnico.

Para aqueles que ainda vivem no passado...já é altura de inovar e acordar para o futuro.

Em Portugal é o único país aonde os médicos são encarados como "REIS!" E se dá muita importância aos títulos académicos.

Os médicos estrangeiros são muito mais profissionais, pois não têm o rei na barriga e possuem uma mentalidade evoluída... antes prefiro ser atendida por um deles.

O Modelo Biomédico da Saúde em Portugal...em que só o médico é que sabe... e o que interessa tratar é a doença e não doente precisa de mudar!
 
Umas Lições de história de um aluno da Licenciatura em Enfermagem retirado de um trabalho da minha autoria.
...................................


Os principais momentos na História do processo de Investigação em Enfermagem nos E.U.A.


1850 - Aparece a Observação e notas de Florence Nightingale, em Inglaterra, sobre a promoção da saúde, a prevenção da doença e o cuidado dos doentes, assim como a colheita sistemática de dados, dos soldados, vítimas da guerra da Crimeia.

1900 - Educação e necessidades em cuidados de enfermagem.

1940 - Formação de enfermagem universitária. Início da Investigação

1950 - Revista Nursing Research

(1952). Fundos de Investigação disponíveis. Investigações sobre as enfermarias. Estudos de casos.

Antes de 1950,as actividades de investigação eram orientadas para a educação das enfermeiras.

Após 1950, e com o aparecimento da primeira revista de investigação em ciências da enfermagem, assiste-se a uma transformação na formação das enfermeiras, que se desloca do hospital para as universidades.

1960 - Investigação sobre as enfermarias e a profissão. Pioneiras: Teorias e Modelos de Enfermagem. Investigações ligadas à educação e à administração.

1970 - Aumento do Número de Investigadores. Mudança na Orientação das Investigações: Ênfase nos problemas clínicos.

1980 - Aumento dos programas de Ph. D. e de licenciatura em ciências de enfermagem. Diversidade nos métodos de investigação. Novas Revistas de Investigação.

1990 - Elaboração de uma base de conhecimentos científicos. Orientação das prioridades. Aplicação e verificação de teorias em ciências de Enfermagem.

..................................

Os principais momentos na História do processo de Investigação em Enfermagem em Portugal.


1964 - Necessidade de rigor no tratamento de dados - 1º inquérito EE. Necessidade de justificar cuidados de enfermagem. Maior contacto com literatura inglesa e americana. Acesso a Revistas de Investigação em Enfermagem.
“Introdução aos métodos de Investigação em Enfermagem”. Estudos (Enfª. Bessa).

1968 – “ Avaliação do Serviço de Enfermagem do Hospital S. João” (Enfª. Rezende). Divulgação da Técnica de resolução de problemas” e de planeamento. Desmistificação da Investigação em Enfermagem (Enfª. Bessa).

1971 – Grupo adhoc para revisão do exercício, ensino e pesquisa no sector de enfermagem.1º Mestrado em Saúde Pública (Enfª. Corsepius).

1972 – Programa de investigação em enfermagem. Contacto com metodologias de investigação na área das ciências sociais, licenciatura em Psicologia, Direito e outras.

1974 – Avaliação do curso Complementar de Enfermagem (Escola de ensino e Administração de enfermagem). Introdução do conceito e metodologias de investigação. Disciplina “Investigação”. Trabalhos de Investigação.

1980 – Grupo de Enfermeiras Investigadoras da Europa (Associação Portuguesa de Enfermeiros).“ Observação das actividades de Enfermagem na Chefia Regional de Lisboa, Centro de Saúde Sofia Abecassis, Inspecção Técnica de Exercício de Enfermagem” ( Enfª. Mª. Alcina Fernandes).
Iniciativas de Investigação em Enfermagem – S. Saúde. Início de utilização de metodologias qualitativas. Prémios de Trabalhos individuais. Preparação de Teses de Mestrado.

1988 – Comissão Nacional de Investigação.

1990 – Aparecimento do 1º Doutoramento em Enfermagem (Enfª Amador) e de vários novos mestrados.

1992 – O primeiro CD_ROM em Enfermagem.

1993 - Aparece o mestrado em Ciências da Enfermagem no ICBAS da Universidade do Porto.

1996 – (ICN 1996), investigação sobre os cuidados de saúde, condição de cliente, intervenções de enfermagem e resultados dos cuidados de enfermagem.

.................................
 
O objecto da Investigação em Enfermagem

Segundo um Modelo Holístico encarando a pessoa como um ser biológico, espiritual ...mental... e social...não focando apenas a doença mas a pessoa no seu todo.


De forma mais precisa , o domínio da investigação
em enfermagem, corresponde sensivelmente aos
conceitos próprios da enfermagem que são:
• Pessoa
• Ambiente
• Saúde
• Cuidado de enfermagem
e a relação entre eles
(Fawcet,1984)
 
1990-
• Os Enfermeiros continuam a frequentar cursos de
Mestrado e Doutoramento noutras áreas do saber.

• Em 1991 abre o 1º Mestrado em Ciências de Enfermagem na Universidade Católica Portuguesa
(Lisboa).

• 1993 - 1º Mestrado em Ciências de Enfermagem no
ICBAS /Porto.

• 199… o Enfermeiro Abel Paiva inicia o Doutoramento
em Ciências de Enfermagem no ICBAS/Porto.
• Contacto e partilha com investigadores e pensadores
de enfermagem internacionais.

2002 - 1º Doutoramento em Ciências de Enfermagem
em Portugal – Enfº Abel Paiva /ICBAS

• Março de 2005 - 1º Doutoramento em Enfermagem na
Universidade Católica Portuguesa

• Março de 2006 - 2º Doutoramento em Enfermagem na
Universidade Católica Portuguesa
• Organização na UCP de Grupos de Investigação em
Enfermagem
 
BIBLIOGRAFIA
ACONSELHADA:


FORTIN, Marie-Fabiene – O Processo de Investigação. Loures:
Lusociência.1999, Capítulo 17 (p.239-265)


POLIT, Denise F. ; HUNGLER, Bernardette - Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem. 3ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995, 391 p.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari - Investigação Qualitativa em Educação: Uma Introdução à Teoria do Método. Porto: Porto Editora Lda, 1994, 336 p.
 
•AZEVEDO, Carlos M. & AZEVEDO, Ana G. Metodologia Cientifica: Contributos Práticos para a elaboração de Trabalhos Académicos, 7ª Edição. Porto: C.
Azevedo, 2004
 
Cogitar já não é 1ª vez que aqui vem fazer publicidade. Experimente criticar a bruma, a inércia da OE e terá mais visitantes.
D.
 
A essência do problema reside no facto de a partir deste momento os enfermeiros, devido ao desemprego, começam a desenvolver capacidades que não lhes interessavam ou a poucos dizia respeito. neste momento criou-se a necessidade de se desenvolver a capacidade académica para poder sobreviver no mercado de trabalho. ora, a desenvolver-se os conhecimento académicos entramos em áreas incomodas a outras profissões e começam-se a ver enfermeiros a dar aulas a médicos (caso do INEM, pós-graduações, mestrados e doutoramentos) sim porque conheço em todos estes casos enfermeiros a leccionarem a todo o tipo de profissões. ora este facto incomoda muita gente que até à pouco tempo se considerava detentor de todo o conhecimento académico. A enfermagem evoluiu muito nestes últimos anos a nível académico por isso torna-se imperativo lutar para passarmos a altos estudo académicos ou por assim dizer universidade. no estrangeiro somos considerados um curso médio, mas estamos no bom caminho. Neste momento o entrave está na Ordem que contém pessoas desatualizadas, sem vontade de lutar por algo que nos devia pertencer mas mais ano menos ano isso vai acontecer porque há-de chegar alguém À ordem que nos proteja e crie estatutos modernos e actualizados de modo a intervir-mos em certos mercado até agora interditos como são as farmácias, morgues e muitos outros sectores. O que é certo é a capacidade de evolução da enfermagem e isso ninguém pode negar. A medicina evoluiu o que tinha a evoluir, a partir de agora com as politicas de contenção económica a mão de obra mais barata e mais especializada a seguir aos médicos são os enfermeiros, logo à que lutar por nos credibilizarmos a nível de conhecimentos académicos para que confiantemente possamos assumir essas responsabilidades que nos são imputadas. somos tão competentes como qualquer outro por isso nada é impossivel. Aos enfermeiros e outros tecnicos ou doutores nao é necessário recorrer a afirmações sem argumentos sustentáveis só descredibiliza a profissãoq ue cada um representa. Uma coisa é certa os enfermeiros vai abrir o leque de actuação e que se preparem todos os outros profissionais de saúde porque vai tocar a todos.
 
hã? doutoramentos em medicina? Utilidade?!?!?!? pergunta mais estúpida

Pesquisas biomédicas, ensaios clínicos, descobertas de novas terapêuticas, investigações de patologias?? doutoramentos na área da oncologia, da neurologia e nas áreas cirúrgicas (procura de procedimentos mais infalíveis, menos invasivos)...

Nunca ninguém ouviu falar da evolução das ciências biomédicas - medicina - nos últimos anos? Em cada 15 segundos, há um novo artigo médico publicado. Tomara os enfermeiros publicarem num ano o que os médicos publicam num minuto.

Ah, esperem, querem ver que são os enfermeiros a fazer investigação biomédica ahahah
 
Já que estamos numa de BIBLIOGRAFIA, aqui vai:

HUOT, Réjean- Métodos Quantitativos para as ciências Humanas- Neograf: Artes gráficas, Lda. 1999.

Agora convém explicar, se tal for possível, aos anti-enfermeiros que estes livros podem-se encontrar numa biblioteca qualquer.

Agora não confundam a biblioteca com o local onde vossas excelências costumam esvaziar o úbere.

Cuidado para não escorregar na ufania do vosso pasto uliginoso, pois podem trincar a lingua... e lá se vai toda aquela jactância excrável.

Se não compreenderam o que acabei de escrever não vale apena consultar a tal wikipédia...ah! também escusam de procurar lá qualquer informação sobre o tal Anton Van Leewenhoeck, pois não há qualquer referência ao mesmo.

O que precisam mesmo é de um bom dicionário...não! não! esse livrinho que tem muitas letras e folhas soltas é o livro de receitas da vóvó!!!!
 
O anónimo das 11.12 disse:

"Tomara os enfermeiros publicarem num ano o que os médicos publicam num minuto".

Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!!!!

Tem toda a razão, essas tais publicações médicas são conhecidas como PAPEL HIGIÉNICO!!!
 
Os médicos têm jeito mas é para o corte e costura: deve ser herança dos barbeiros (aka cirurgiões). De resto nãO passam de um Harrison's ambulante...
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
O anónimo das 5.06h disse:

"(...)O ódio aos médicos (tão bem demonstrado nos comentarios deste site) não sei como se chama na psiquiatria, mas no dia a dia sei: DOR DE COTOVELO."

Estive a pensar sobre qual seria a causa da sua dor de cotovelo!!

Pelo que escreveu pode-se eliminar: a tenosinovite, a tendinite, a bursite, arttrite, a artrose e até a existência de urato a nível do olecranio...Uhm! Uhm!

A sua dor de cotovêlo é de origem psicossomática, havendo claramente um sindrome fóbico-obsessivo....

o que vossa excelência sofre é de ENFERMEIROFOBIA, já que evidencia claramente sintomas homólogos.

Diria até mais, ao sindrome anterior acrescentaria também o sindrome histeróide, já que há claramente uma necesidade não satisfeita.

Aquilo em que Psiquiatria se chama de FRUSTAÇÃO.

Quem sabe??? se isso foi pelo facto de não ter consigo fazer uma Licenciatura em Enfermagem.

Nota-se nas suas palavras uma certa agitação psico-motora, que inicialmente denota um certo delirio onírico, mas que rapidamente se torna em alucinação.

Há aqui claramente uma dissociação entre o pensamento e a acção, aquilo em que Psiquiatria se chama de ESQUIZOFRENIA.

Talvez tenha sido por isso que vossa excelência tenha vindo fazer ergoterapia para este blog.

Pelo visto não terá feito paludoterapia, pelo facto de não ter sido encontrado um símio compatível.
 
nel, tanta falsa inteligência. Mas não chegou para ser médico não é? temos pena, ó enfermeiro
 
Acordem, o melhor curso científico com mais química, biologia, imunologia, ciências neurológicas, etc é medicina. É o curso científico de topo, tanto que nos E.U.A e em França só deixam ser médicos quem tem um curso científico de base antes tirado.
 
É assim curandeiros vão à badamerda.

DR feche os comentários que isto é curandeiros frustrados. só sabem fazer trocos, comentários não.
 
E se estes cangaceiros deixassem o nosso blog ? heim ? cambada e se fossem estudar para serem razoáveis médicos ? Um dia dia necessitei de acompanhar uma criança a um hospital e exigi a presença de médico na ambulância. Mandaram-me um médico que quase não sabia pegar no estetoscópio e que de auscultação percebia tanto como nada. Vão estudar para não fazerem figuras tristes e tratem de não continuar a insultar os enfermeiros . Podem ter muita disciplina de química , biologia , microbiologia , farmacologia , patologia etc......mas se não souberem aplicar a teoria à prática de nada vos vale a vossa licenciatura médica . Haja santa paciência para vos aturarmos.. só fala mal dos enfermeiros quem é ignorante o bastante para não saber que uma equipa de saúde se constrói multidisciplinarmente. acordem senhores estudantes de medicina ou senhores médicos.Vejam se ganham maneiras , porque já não há pachorra para continuar a aturar os vossos complexos de superioridade besta. Vá almoçar que deve é estar com fome. E não falte às aulas nem eixe de estudar diariamente porque depois empinam a matéria para os testes e acabam por não pescar népia das disciplinas. Resultado...desastre sr. médico ou lá o que você for.
Questo ragazzo è uno mascalzonni .
arriverdeci a tutti. ciao
 
curandeiros vão lá fazer uns troquitos pro café
 
dizem que se matam a estudar pra fazerem assim comentários e trocos, mais valia não se matarem, curandeirozinhos
 
Atenção : no blog a revolta do enfermeiro vi isto :e cito :Tal como denunciado por outros Blogs de Enfermeiros, alguns atentados à independência de competências da Enfermagem estão a ocorrer.

A última grande ocorrência está a ser divulgada e organizada pela COOPROFAR (Cooperativa dos proprietários de farmácias). Esta Cooperativa propõe-se a ministrar cursos a farmacêuticos, e possivelmente a técn. auxil. farmácia, de 8h. O curso é intitulado "Gestos Básicos de Enfermagem", cujo os conteúdos do curso são entre outros:
- Administração de primeiros socorros.
- Exame da vitima,
-Alterações cardio-respiratórias,
- Administração de medicamentos,
- Métodos e vias de administração de medicamentos,
- Administração de vacinas não incluídas no Plano Nacional de Vacinação (respeitarão as normativas técnicas exigidas pela DGS, em caso de anafilaxia? E como actuar em caso desta ocorrer?),
- Gestos de Enfermagem (o que será isto??) aplicados a programas de Cuidados Farmacêuticos
Penso que o âmbito do curso invade sem dúvida competências dos Enfermeiros, nomeadamente vias e administração de fármacos (incluem IM e IV ?) e administração de Vacinas.

E esta heim ????????????????????????
 
é para vocês verem, enfermeiros , que qualquer um com o cursozinho de um mês, como esse "gestos básicos de enfermagem", consegue desempenhar as vossas funçoes.

(e talvez melhor)
 
Este gajo está a chatear-me , ou será antes um burlesco troll ?
 
Pois para ser médico não deve ser preciso muito pois por vezes há pessoas que se fazem passar por médicos. E não é que vão desempenhando mais ou menos ? caro ter a licenciatura de medicina não é difícil. Difícil é ser bom médico.Digo MÉDICO.......porque doutores há muitos .... médicos , há poucos........
 
MB,
"tal como denunciado por outros blogs de Enfermagem"...


O blog é este. Pode ver o post abaixo.
 
Sou enfermeira e o meu namorado e medico.. Frequento a esfera dele e ele a minha.. Acho ridiculo esta troca de acusações entre ambos.. Aos Estudantes de medicina e futuros médicos, gostaria de lhes lembrar ou relembrar a humilhação e submissão que passam durante o internato médico e de especialidade.. Pensem nisso.. Um bom médico e o profissional de saude que consegue integrar-se e trabalhar numa equipa multidisciplinar para o bem estar do doente.. Ambas as profissões precisam uma da outra.. Sempre respeitei muito a minha classe profissional, outras e a de medicina.. Agradecia que começassem a fazer o mesmo, ou assim ninguem se entende.. Conheço muitos médicos que sem as informações que o enfermeiro lhe passa nunca conseguiriam chegar a um diagnostico clinico.. Tambem conheço muitos enfermeiros que sfaram o pêlo a muitos internos.. portanto nao sejam mal agradecidos.. Um bem haja a todos.
 
Estes comentários anti-sociais não podem ser de um médico...alguém de baixo nível, anda a mandar bocas viperinas, para nos intrigar uns contra outros(profissionais de saúde).

Tanto ódio não faz bem à saúde...era bom que pudessemos evoluir juntos...

sem esquecer o velho provérbio: "não faças aos outros...aquilo que não queres que façam a ti".

Cumprimentos e paz para todos...
 
Meu caro,estimado e GRANDE NEL,
Não dás hipóteses a estes trogloditas.
Um outro cavernícola escreveu que "soava" mal a designação de Sr. Enfermeiro. Nada mais errado.
Quem tem vergonha de ser aquilo que é, parece, serem os dótores médicos, tal é o seu devaneio pelo termo dótor. O que realmente não "soa" nada bem é chamar um médico por: Óh Sr. médico. Que "fatela"... Parece que têm vergonha (de ser aquilo que são; gostam mais daquilo que aparentam querer ser).

Quanto à produção de "conhecimento" nas áreas referidas é o que se vê: na área oncológica, ter uma patologia é quase uma sentença de morte; os que "escapam" ficam com mazelas para o resto das suas mais ou menos desagradáveis vidas; ainda nesta área temos os tais "avanços nas técnicas cirúrgicas", habitualmente designadas de amputações/mutilações.
Depois temos a investigação na área dos antibióticos. Uiiiiuiui, é melhor nem ir por aqui, e então quando chega à patologia dérmica, bom, temos tratamentos altamente diferenciados. Já nem vou falar do HIV - Sida, ou de outro vírus qualquer como o simples Herpes Simplex ( e tantos outros). Ainda em relação ao HIV, "andam" por aí umas teorias um pouco "conspiratórias" relativas à sua "origem"/criador. Um tal que terá "desenvolvido" uma vacina(s) tipo poliomielite ou não sei quê...Rumores!
E depois temos algumas mentes brilhantes (de origem asiática - sul coreano, creio eu) altamente prestigiado no contexto mundial, que até publica umas coias na Science, que é tão só e apenas uma das mais prestigiadas revistas científicas do mundo, que não passaram de TRAPALHADAS E MENTIRAS. Enfim...

Colega NEl, continua...
 
Claro que estes comentários não podem ser de um médico (porque eles são Deus e Deus é Todo-Poderoso). Estes comentários só podem ser de enfermeiros invejosos que exprimem as suas frustrações em antros pestilentos como este.
 
«A última grande ocorrência está a ser divulgada e organizada pela COOPROFAR (Cooperativa dos proprietários de farmácias).»

Ó homem/mulher, sabe o que é a COOPROFAR? Acha mesmo que tem alguma hipótese? Não seja ridículo. É que é logo esmagado que nem uma barata tonta. Ninguém dá importância às suas (vossas) lamúrias infundadas.
 
Só na nossa sociedade é que os médicos se julgam o Deus Todo-Poderoso...até os médicos estrangeiros, aqui em Portugal ficam admirados com tanto excesso de prepotência. (Só quem é ignorante é que pensa que sabe tudo).

Começa a florescer em Portugal, à semelhança do que acontecia em países desenvolvidos, as Terapias Complementares, a Medicina Chinesa, Reiki, Hipnose, Acunpuntura, Shiatsu, Massagem Terapêutica e Toque Terapêutico realizado sobre a responsabilidade e competência de alguns licenciados na área da Saúde.

Os médicos gradualmente vão caindo do pedestal, pois as pessoas e as sociedades vão se apercebendo da grande limitação da medicina tradicional.
 
Aproveito para deixar a sugestão para começarem aprender a fazer relaxamento e Meditação.

Os maiores líderes do mundo usam estas técnicas por isso já sabem que resulta...

Recomendo os cd's e os livros do Brian Weiss.
 
Enfermeiros a "meterem-se" com a COOPROFAR. Ridículo.
 
Curandeirozinhos vai uns troquinhos. vão bugiar, mas assenta bem curandeiros, só dizem disparates se tivessem argumentos válidos o nível seria outro.
D.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Olha lá, COproquê?
Ah! COPROFAR a associação ligada a Coprofilia e seus devaneios...
Está tudo explicado.
A Colgate por causa do Flúor levou uma talhada na Irlanda que até andou de lado; mas a "cooprofiliar", neste bocado de manjericos nem pensar.
Vai lá vai...
 
O anónimo das 11.39h disse:

"nel, tanta falsa inteligência. Mas não chegou para ser médico não é? temos pena, ó enfermeiro"

Iooh! iooh! iooh! iooh!....OK! ok! pode parar de zurrar, já sei que não gostou da palha.

Eu tenho algo mais requintado para vossa Excelência e para os anti-enfermeiros.

A palavra OLIGIFRENIA é composta por dois étimos gregos: oligo, que significa pouco e frenos, que significa mente.

Do ponto de vista prático as oligofrenias podem classificar-se em três graus:

*Débil mental;

*Imbecil;

*Idiota.


Em que "idiota" é o grau mais baixo da capacidade mental.

O problema desta escala é que não mede o VAZIO do vosso quoficiente intelectual.

Penso que a classificação ideal para si e para os anti-enfermeiros será "ESSÊNCIA EXCREMENTAL".
 
Srs. médicos:

Grande parte da investigação biomédica de base é feita por:
Engenheiros
Físicos
Bioquímicos
Biólogos
Químicos
...
Srs. médicos:
O que interessa é a competência e o conhecimento e já agora...a base de qualquer investigação é a humildade e a partilha dio saber...primeira lção para os futuros médicos ou médicos que por aqui andam

SEJAM HUMILDES

Estão aqui a deixar uma triste imagem...

De alguem que percebe alguma coisa de investigação científica...
 
Porra, caro Nel:
- Desisto, é muita areia para a minha camioneta :-)

Continua...
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
O dia mais feliz do "Dr." Enfermeiro (uau! E em apenas 3 anitos, que prodígio!) e das suas focas:

-O dia das colocações na Faculdade!

Há testemunhos fidedignos que asseguram que o mesmo foi para casa a correr, as lágrimas a escorrerem-lhe pela face, e terá dito alto e bom som:
-Mamã, papá, consegui, entrei numa Faculdade (ou lá onde aprendem "enfermagem"...) de Enfermegem, a minha 1ª opção, o meu sonho de criança tornou-se realidade, vou ser Doutor, andar de helicóptero e de ambulância, vou ser Ministro da Saúde, Presidente da República, enfim, o céu é o limite, este é o dia mais feliz da minha vida!

...
Verdadeiro ou Falso?
lolll
 
Estou chocado com tanta falta de eduação e civismo. A ignorância é imensa...Meu Deus
Discutam mas não se insultem. As profissões completam-se umas às outras...
 
É de louvar tamanha evolução na mente humana.Em crianças, comparamos quem tem mais carros, as bonecas mais bonitas e lá desculpamos por serem crianças. Na adolescência só sabemos falar daquela rapariga com excesso de peso, ou do rapaz "cromo" por só sabe estudar. Na faculdade tentamos provar a todos que o nosso curso é mais importante da sociedade. Após tanto tempo de estudo,experiências e conhecimento (pelo menos 15 anos), apenas conseguimos insultar-nos uns aos outros de forma a demonstrar que todas as profissões são piores que a nossa.

A enfermagem, a medicina, os auxiliares de acção médica,os o técnicos de saúde e todas as outras profissões que de forma directa ou indirecta intervêm no quotidiano da realidade de uma instituição de saúde, são importantes na sua respectiva área.
A enfermagem tem um papel de grande importância nos cuidados diários de um doente, enquanto a medicina tem um papel de "curar" o doente ou no "restabelecimento" da saúde.
Esta discussão lembra-me da velha discussão de qual o orgão mais importante no organismo : Coração vs Cérebro... Ambos com funções diferentes, mas com grande importância no ser humano, sem os quais a vida não é possível.


O doutoramento em enfermagem
Após tanto comentário fico a pensar se alguém sabe o que é uma tese de estrado ou doutoramento.

O doutoramento, não é só uma forma de poder chamar Doutor/ Professor aalguém. Qualquer licenciado em Portugal é Doutor. Uma pessoa com Doutoramento é denomidado de Professor e não Doutor como referido anteriomente.

O doutoramento, uma vez que é uma tese sobre um determinado assunto extremamente específico numa determinada área, sempre original.
Logo um doutoramento em enfermagem é tão válido como em qualquer outro curso.

Concluindo, ninguém trabalha sozinho e o êxito só é alcançado em equipa.

Termino então com as sábias palavras de Stephen Covey:
"Strength lies in differences, not in similarities".

Sou um médico que tem um grande respeito por todos os que trabalham à minha volta e que sem eles não seria nada...

Obrigado
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!