quarta-feira, janeiro 16, 2008

Remunerações dos Enfermeiros...

Até agora, a OE, sindicatos e comunicação social, têm focado os Enfermeiros e os seus problemas no âmbito dos serviços de saúde e utentes.

Então e a perspectiva da carreira profissional? Para além da excelência do exercício profissional e qualidade dos cuidados, existe também a dimensão laboral (âmbito económico). Estou a referir-me concretamente às remunerações dos Enfermeiros.

O International Council of Nurses procedeu ao estudo e concepção de um relatório (2007) que versa sobre as remunerações dos Enfermeiros nos diferentes contextos. Infelizmente Portugal não é um dos países contemplados no mesmo.
a
As conclusões a tirar do referido relatório são simples. Os Enfermeiro em traços gerais, exceptuando países como os Estados Unidos (sector privado), auferem salários baixos. Muitos colegas ficam com a falsa sensação que os Enfermeiros em alguns países são bem pagos. Falacioso. São-no se compararmos as suas retribuições com a realidade portuguesa, pois se a comparação recair sobre o país em questão (ex. Irlanda, Inglaterra, Suíça, Luxemburgo, Alemanha, etc...), então constata-te que os profissionais de Enfermagem são mal pagos (ver gráficos do relatório). Em alguns países (ex. França), os salários dos Enfermeiros rondam o salário mínimo.
Tivemos oportunidade de testemunhar há pouco tempo uma greve massiva dos Enfermeiros finlandeses, no sentido de reivindicar salários mais elevados. Estes auferiam remunerações ainda mais baixas do que o salário médio do respectivo país. Tiveram sucesso. Esta iniciativa ficou conhecida para alguns como o efeito Finlândia.
a
Nos países com excesso de Enfermeiros relativamente às vagas disponíveis, o cenário agrava-se, como é lógico.
Apesar de tudo (e ainda que muita gente queira desviar a atenção dos Enfermeiros para outros pontos), a Enfermagem, como profissão, regula-se numa lógica de competição de mercado.
Os Enfermeiros têm-se distanciado cada vez mais de outros profissionais de saúde (no estudo existem comparações com Médicos e Fisioterapeutas), para pior, entenda-se. Apenas no sector público dos EUA é que os Enfermeiros em início de carreira auferem de melhores rendimentos comparativamente a Médicos.
a
Em Portugal, de uma forma geral, os rendimentos dos Enfermeiros caíram a pique. Principalmente no sector privado, onde muitos Enfermeiros recém-licenciados trabalham neste momento a título gratuito ou simbólico.
A existência de um excedente de Enfermeiros no mercado e a ausência de acordos laborais (como os farmacêuticos por ex.) fragilizou a classe, aniquilando por o seu poder de reivindicação.
Quando associações profissionais declaram haver "falta de Enfermeiros" e reclamam "mais profissionais", esquecem-se que nem todos os Enfermeiros exercem no SNS. Muitos colegas trabalham apenas no privado, onde o elevado número de Enfermeiros já causou estragos a nível salarial (existem clínicas pequeníssimas que recebem centenas de currículos todos os meses!!!).
A muitos já foi oferecido o salário mínimo nacional! A outros 2 e 3 euros/hora!!
A
Actualmente não existem estratégias que permitam regular as retribuições da classe, e existem claras incompatibilidades entre a profissão e os respectivos salários, pois estes vezes não reflectem a responsabilidade, risco, penosidade e o grau académico inerente à classe de Enfermagem.
Por outro lado, a aguardada carreira de Enfermagem tarda em ser uma realidade, o que torna a situação injusta e lesante. Fazendo as contas, o estado deve largos milhões de euros aos Enfermeiros.
a
O excesso prejudica. Dizer que "nos países da UE há, em média, quatro enfermeiros por um médico" é enganador. A maioria do países da UE não têm falta de Enfermeiros, mas tem carência de Médicos. A Grécia é a única excepção: tem mais Médicos do que Enfermeiros!
No "Índice Europeu do Consumidor de Serviços de Saúde 2007" onde Portugal ficou em classificado em 19º lugar, a Grécia encontra-se em 22º, com uma pontuação idêntica à do nosso país, ou seja, não se comprova a existência de uma relação específica entre o rácio Enfermeiro/Médico e a qualidade de um sistema de saúde. (Um dos países com mais Enfermeiros por Médico é a Irlanda. Apesar disso, notem que outros países com um rácio Enfermeiro/Médico inferior ficaram muito melhor classificados!)
A conclusão inespecífica é que habitualmente os melhores sistemas de saúde têm mais Enfermeiros (mas isso é lógico e característico em quase todos os sistemas do mundo!), mas daí a falar em rácios de 4 para 1, vai um grande passo. A
a
Quer queiramos quer não, a visibilidade, status profissional e sócio-cultural, poder, prestígio, motivação e auto-realização de uma classe profissional depende directamente do seu poder económico!

Comments:
Não concordo a 100%, concordo a 200%!!!
Merece uma vénia.
 
Mais uma vez, faço minhas as suas palavras.

Está na hora dos Enfermeiros Portugueses acordarem!
Não há falta de Enfermeiros! Há excesso! Quem decide quantos Enfermeiros são necessários é o mercado e não os Sindicatos ou a Ordem!
Basta de falácias e de panos quentes! Limitem a formação de novos enfermeiros ou então mergulhamos no caos para de lá nunca mais sair...

Um abraço e continuação de bom trabalho.
 
O comentarista das 12:36 AM diz que quem decide é o mercado e não a ordem nem os sindicatos.
Por que terá tanto desprezo pelas organizações profissionais, dos enfermeiros?
Será um daqueles administradores que exploram os enfermeiros, mesmo e sobretudo nos hospitais públicos e centros de saúde?
É que o sindicato é o conjunto dos seus associados, tenho ouvido dizer e faz sentido.
Estão é organizados de forma a imporem alguma respeito.
Se os sindicatos são o conjunto dos seus associados desrespeitar sindicatos é desrespeitar enfermeiros, não será?
 
Estava a ouvir o noticiário e veio uma tal de Guadalupe Simões do SEP (Enfermeiros Portugueses) dar um sinal da mais descarada estupidez.
Diziz a "inteligente", com olhos vermelhos de quem anda a precisar de mudar de lentes e disse: «os enfermeiros são agora confrontados com situações para as quais não possuem competências» e que «as consultas abertas são uma falácia e apenas servem para justificar o encerramento arbitrário de outros serviços e tentar diminuir a contestação».
Que o seu partido lhe imponha dizer isto para montar o cenário dos arautos na defesa dos interesses da população, vá - que -não - vá.
Dizer que os enfermeiros estão a actuar para lá das suas competencias é um tiro num pé, dela e dos que são mais bem preparados do que ela.
Quem mandou os experientes na área para Vila Real e foi buscar os outros ao Centro de Saúde, com menos treino, não andou bem. Foi uma besta quadrada ou mal intencionado para fazer política corporativista, médica (ou não se vê, Dona Guadalupe?), mas ir ao ponto de dizer que os enfermeiros não têm competências para fazer uma triagem e mandar dormir sossegado as tais horas dos cartões verdes ou azuis, em cassa;
mandar para o hospital os cartões vermelhos ou laranja ou amarelo, também serão capazes.
Falta a ambulância, que nem sempre está disponível. Mas esse é um problema de organização e não de competência.
Esse pedaço de inteligência sábia não viu que estas provocações e dificuldades são para revoltarem os enfermeiros, para continuarem os mesmos sistemas de Chucha.
Se andasse pelas bandas da Régua e mais para cima, veria que os hospitais SAPs e afins nunca passaram de triagens, feitas por médicos, directamente ou pelo telefone (às vezes através da auxiliar), ou, em muitos e muitos casos pelos enfermeiros.
A única diferença é que neste contexto, os médicos estavam calados porque estavam a facturar, no quente do ninho.
Agora ficaram sem as chupetas e as Guadalupes em vez de limparem as teias de aranha que têm nos olhos, para terem pelo menos uma atenuante, põem-se a dizer que que os enfermeiros seus colegas, em título, mas que trabalham no duro e sabem fazer e o que fazem.
Venham ao terreno e não inventem falta de competências através de delegados vossos, igualmente inúteis.
 
Como uma desgraça nunca vem só, estava a comentar as burrices da Guadalupe Simões, que se encaixa mais bem na farda de ceifeira alentejana, eis que vejo aquele matulão do J. Carlos Martins da masma cor e família sindical (está mais gordo o matulão) a ler o mesmo comunicado que o Dr.Mário Jorge da FNAM lhes mandou do PCP por via mail. Não é que o tipo leu também a falta de competâncias dos enfermeiros.
Até aqui diziam que faltavam 23 mil enfermeriros. Quantos mais fossem a berrar maior era a marcha dos contestatários.
Agora dizem que estão a ira além das competências.
Será que é precispo ser médico para requisitar uma ambulância aos que a têm e, se preciso for, acompanhar o doente ao hospital de referência e atendimento mais complexo?
Este Zé Carlos prestou um mau serviço aos Enfermeiros Portugueses, como eles dizem. Prestou um péssimo serviço aos Portugueses Enfermeiros.
Que mal fizemos a Deus ou ao Diabo, para termos de aturar estas asneiras de asnos radicais?
Nem sei se hei-de mandá-los para o pcp ou para a pqp ou para o qbp. Escolha você, caro leitor.
 
Estes comentários fazem sentido. Deviam ser divulgados por muitos, mas mesmo muitos enfermeiros, para saberem como reagir quando recebem a visita desses vermelhos.
São mais incómodos do que a menstruação
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Quem quiser tirar o curso de auxiliar TAE e quiser aprender a puncionar e administrar farmacos EV:

Telefone: 214 940 449 * Fax: 214 940 445 * Móvel: 963 406 308


NOVAS INSTALAÇÕES: Centro Empresarial Sintra-Estoril V, E-17 Estrada de Albarraque * 2710-144 Sintra



Nem queria acreditar, mas o k é certo é que os ensinam.... e a Ordem nao faz nada?
 
«Quer queiramos quer não, a visibilidade, status profissional e sócio-cultural, poder, prestígio, motivação e auto-realização de uma classe profissional depende directamente do seu poder económico! »

Verdade !!!!!!!!

Está aqui uma boa matéria para os Sindicatos trabalharem !
 
É evidente que tanto conheço da gente dos sindicatos não comunas, não vão ficar indiferentes a estes atropelos e vão inviabilizar estes "técnicos martelados".
Muitas destas situações são criadas pelo imobilismo dos enfermeiros.
Quando ouvi falar que a Ordem tinha caído nas garras do PCP, via Augusta Sousa, Guadalupe Simões, Viterbo de Freitas, com o calado comprometimento da Sara Brito, sem pre esperei que os enfermeiros acordassem, mas não acordaram, ainda.
Para se saber a verdadeira razão destes TAs é bom que se diga que o esforço de comunizar a enfermagem feito pelo PCP, através dos enfermeiros, não tem dados os frutos esperados.
Por isso é preciso meter na área, TA e afins militantes do PCP, por isso é que a Ordem dos Enfermeiros não ataca;
por isso é que a a CGTP está calada;
por isso é que se lança a cortina de fumo, sobre as competências dos enfermeiros.
Uma nova forma de usar os enfermeiros, para os manter humildes e suservientes. Umas vezes o SEP usa-os para defender a frente comum sindical (PCP) da função pública, agora e, neste caso concreto, para os distraídos se avisa que é mais uma manobra de subserviência dos enfermeiros.
O SEP e os seus dirigentes não têm esse direito de estarem a remar contra a corrente numa altura em que é preciso dignificar mais ainda a Profissão.
Quando eram os bpmbeiros a transportar os doentes e os auxiliares a decidir, onde andava o SEP?
Abram os olhos, colegas enfermeiros; abram os olhos.
 
Peço desculpa pelo erro - onde se lê "tanto conheço, deve ler-se "tanto quanto conheço";Sem pre deve ler-se sempre.
Errar é humano;
não corrigir o erro e desumano.
 
Estimados colegas,
-Não raras as vezes dou por mim a perguntar: mas como raio é que vim aqui parar? Estaria bem de saúde quando tomei a decisão? Provavelmente não.

Quanto aos futuros candidatos à Licenciatura em Enfermagem só tenho a dizer: DEPOIS NÃO SE QUEIXEM E NÃO DIGAM QUE NÃO FORAM ACONSELHADOS. E se forem procurar por "esmolas", não se lamentem...

Quanto ao sindicato comunista e seus dirigentes(também já fui associado desse sindicato): amordacem-lhes a boca, para não prejudicarem ainda mais a enfermagem.

Quanto às remunerações: continuo a aguardar por uma iniciativa do tipo efeito finlandês. Podem contar comigo.

PORRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!
 
Por um qualquer motivo foi-se criando na imaginação colectiva que os enfermeiros ganham bem. Como "ganham bem" não se entende o porquê de volta e meia falarem de baixas remunerações! Porque "conhecem um ou outro enfermeiro que trabalha em 2 ou 3 sitios e ganha o que quer." O que leva à necessidade de alguns enfermeiros trabalharem em 2 ou 3 sitios estranhamente não é tido em conta. Não se faz a ligação com - porque ganham mal de base!! E esta situação vai piorar, sem duvida que vai. E nada se faz!!!! As escolas de enfermagem continuam a proliferar como cogumelos e a inundar o mercado com enfermeiros ansiosos por trabalhar que fazem o que quer que seja, seja por que preço for. Esta situação vergonhosa vai continuar enquanto não existir alguém com poder suficiente para cortar drasticamente no numero de enfermeiros que entra todos os anos e que diga: enquanto não abrirem VAGAS no SNS para colocar os enfermeiros em numero suficiente, não precisamos de tantos. (nem o sistema privado comporta tantos enfermeiros quantos estão a sair)
Quem ouviu falar de excesso de oftalmologistas? Ninguém!! Porquê? Porque essas vagas são bloqueadas, de forma a existirem sempre poucos.
E ainda por cima não só temos um exceso de enfermeiros a pulular como até acham que os enfermeiros ganham demasiado para o que fazem e querem substitui-los num futuro proximo por auxiliares.
Adivinha-se um futuro muito negro para enfermagem e a melhoria da remuneração não passa pela cabeça de ninguém que tenha poder para modificar esta situação.
 
O blogista das 5:04 PM está muito pessimista.
Os enfermeiros têm que confiar uns nos outros e não é isso que está a acontecer.
Os enfermeiros têm que aprender a contar com a comunidade dos enfermeiros. Cada qual é ensinado e aconselhado pelas circunstâncias a ser individualista. Esta é uma forma usada pelos que exploram a enfermagem que dá sempre resultado:
Ontem era por uns serem auxiliares, outros do curso geral; hoje é por uns serem licenciados e outros também; Uns por serem mais novos e cheirarem mais a leite e outros mais maduros e considerados velhos.
São estes planos de clivagem, traçados por mão invisível que dividem os enfermeiros.
Aos mais novos deixo o aviso: unam-se e respeitem os mais velhos. Na Enfermagem, quanto mais velho mais sábio e mais vale a pena ouvir se se quer aprender enfermagem.
Aos mais velhos deixo o aviso: respeitem os mais novos e ensinem-lhes tudo o que sabem, porque aprenderam. Pode muito bem suceder que entre um desses aprendizes, seja o que vos vai tratar da saúde quando acamarem ao peso dos anos e da doença.
 
Com o pouco que estudam e com a natureza laboral de complexidade idêntica à de um almeida, querem ganhar como doutores?
 
A falta de vagas é, antes de mais da culpa dos próprios enfermeiros, porque continuam a trabalhar de mais, fazendo o indispensável, muitas vezes sem a qualidade exigida. Se exigissem fazer coisas bem feitas, abriam lugares para colegas no desemprego.
Vejam lá que agora puseram nos concursos "ter experiência profissional" é um factor de preferência.
Sem se aperceberem, pensamos, estão a promover estágios gratuitos com este critério estúpido.
Õ pior é que depois não pagam e por isso também não emitem os respectivos certificados. Isto é kafkiano.
Ah! esquecia-me de referir que finalmente a Ordem dos Enfermeiros está a fazer inquéritos a estes enfermeiros perversos.
Vale mais tarde do que nunca.
Algum dia a Ordem que nos deram devia reparar na selva que alguns dos seus filhos mais dilectos e amados, promovem.
 
"Com o pouco que estudam e com a natureza laboral de complexidade idêntica à de um almeida, querem ganhar como doutores?"

Permite-me, caro anónimo, saber qual a sua profissão?
 
Sábias palavras, as do «anónomo das 8:29.
 
«Com o pouco que estudam e com a natureza laboral de complexidade idêntica à de um almeida, querem ganhar como doutores?»

Estas são as tais «vozes» que não chegam ao céu...ainda bem senão ficaria deserto !
 
Em resposta ao carissimo das 10:13, futuro médico.
 
embora a organização da carreira de Enfermagem seja igual à de um "almeida", queira o futuro médico saber que sem trabalhar com enfermeiros não fará muito no seu futuro local de trabalho (a não ser que seja um médico mediocre e vá para um C. saúde, e mesmo assim vai andar sempre atrás do enfermeiros).
quando estiver de banco fique descansado que os "almeidas" farão o o seu trabalho devidamente e você não será chamado com a frequencia que seria se vossemos mesmo "almeidas".
Boa sorte para o seu futuro. Já vi que é tão asno como o seu bastonário.
 
Caro anónimo das 10:28.

Se pretende ser um bom médico no futuro, certifique-se que trabalha com bons "almeidas". Acredite que de nada lhe adiantará você ser competente se estiver rodeado de "almeidas" incompetentes. E pessoas com competência e capacidade de assumir com segurança o que fazem, devem ser pagas de forma justa.

Acha que o salário base de um enfermeiro é uma fortuna? Para ganhar uns míseros 800 e tal euros por mês não é preciso assumir tanta responsabilidade como a que um enfermeiro assume. Com o devido respeito pelos profissionais da construção civil (como o meu pai), qualquer trolha ganha isto ou mais...
Ainda continua a achar que um enfermeiro não deveria ser melhor remunerado?
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
""Com o pouco que estudam e com a natureza laboral de complexidade idêntica à de um almeida, querem ganhar como doutores?"

Permite-me, caro anónimo, saber qual a sua profissão?"

"Em resposta ao carissimo das 10:13, futuro médico."


Sr. Anónimo, ainda o meu caro não tinha escrito a sua resposta, já eu sabia qual seria.
O mais racional seria ignorá-la...
Mas preferi comentar.

É mais do que evidente que o sr. não é "futuro médico".
Se o fosse, saberia muito bem qual o teor do trabalho perfilado pelos Enfermeiros. Se fosse médico, saberia melhor do que ninguém, pois são os profissionais mais próximos dos Enfermeiros, e como tal, os mais propensos a reconhecer a injustiça salarial a que os Enfermeiros estão expostos.

Não é necessário reflectir muito para concluir que, além de não ser "futuro médico", é obviamente alguém com um complexo de inveja e inferioridade relacionado com os Enfermeiros, de outro modo os nossos "problemas" não lhe interessariam ou seriam alheios (tal como a minha indiferença para com os problemas de algumas classes)...
Mais não será do que um "anti-Enfermeiro".... à semelhança de muitos outros!


Ditado Popular: "É mais fácil apanhar um mentiroso do que um coxo...""
 
Não está nada mau. Cheguei de longe. Li e gostei.
Este doutor é mesmo enfermeiro!
 
Estimado colega doutorenfermeiro,
Ainda bem que teve a disponibilidade de explicar ao energúmeno anti-enfermeiro, NÃO-ENFERMEIRO, sobre aquilo que em traços muito gerais (pois de outra forma não seria perceptível para o tal rapazote) sobre o que é a Enfermagem e o que serão os enfermeiros.
Então o pouco que estudam? És asno hoje e serás sempre. Com um pouco de sorte até vais dizer que tiveste muito melhores notas, nunca foste atleta de competição, nunca ouviste falar em contingentes de acesso especiais, nunca foste militar, nunca tiveste "explicadoras" particulares que até eram as mesmas na escolinha, nunca frequentaste colégios privados, que os teus pais são pobríssimos e não te deram "cavalos de competição", nunca foste campeão nacional de matraquilhos, e que os teus exames de acesso não foram os mesmo que os meus.
Já sei que vais dizer tudo isso, e que é tudo mentira. Está bem Humberto...
Podes sempre fazer o seguinte: ser enfermermeiro por um dia, num qualquer serviço de ortotrauma, psiquiatria, medicina, urgências, bloco, etc.
E sim, e ser empresário é muito melhor...
 
Resposta ao anónimo que deu esta resposta :Em resposta ao carissimo das 10:13, futuro médico.
Caro , com 7 universidades neste País que leccionam o Curso de Medicina : 2 Porto , 2 em Lisboa , 1 em Coimbra , 1 no Minho , 1 na Guarda e 1 na Madeira..não tarda nada e vai procurar emprego ..é que a mama não dá para os dois mil que saem anualmente. A culpa até nem é sua..aposto que é da D. Teresa. Se ela não tivesse parido o mui digno cavaleiro Afonso Henriques , tornado Rei Fundador deste Pais à venda , que se abespinhou por terras muçulmanas do Sul , talvez os Reis de Aragão ou Castela o tivessem feito. E se os Condes de Borgonha não tivessem ajudado o Real pai de Dª Teresa e Dª Urraca talvez o Condado Portucalense não fosse o futuro Portugal e talvez mientras tanto nossotros hablaramos espanõl.E não estaríamos na M---a , com um ordenado a ter em conta valores de inflação de 2,1 quando foi de 2,8..enganados...sempre enganados. Peço desculpa a todos e ao doutor enfermeiro pelo palavreado , mas às vezes tem que saltar a tampa.
 
"Com o pouco que estudam..."

É incrível!!! esse anti-enfermeiro, é concerteza, no mínimo um oligofrénico.

E olhem que há muitos por aí.

Aliás penso que nos dias de hoje se intitulam de TAEs, TAS.

Também temos os sofrem de anúria intelectuam e que são vulgarmente conhecidos por farmacêuticos...

Não sei em que grupo esse anti-enfermeiro se enquadram, mas pouco interessa.

O que eles tem em comum é a hipo microcefalia que professam aos quatro ventos, como se isso fosse um dogma de omnisciência.

O primeiro grupo (TAE e TAS), não entendeu o que aqui escrevi.

Pois são poucos os que sabem ler e desses, os que sabem ainda agora estão a bater palmas para determinar as sílabas das palavras que escrevi.

Agora falta saber se eles sabem o que são sílabas.

O segundo grupo( farmacêuticos)ainda estão em cima do escadote á procura do medicamento "insulto", prescrito por este enfermeiro.
 
Boa Tarde

"An Internet troll, or simply troll in Internet slang, is someone who posts controversial messages in an online community, such as an online discussion forum, with the intention of baiting other users into an emotional response."

http://en.wikipedia.org/wiki/Troll

http://en.wikipedia.org/wiki/Troll_%28Internet%29

Abraços
 
Enfermeiros de todo o mundo, uní-vos contra os anti-enfermeiros!!!

Este blogue e os seus assíduos está cada vez mais próximo daquilo a que eu chamaria de lixeira intelectual.

Que cambada de mentecaptos. Acho que este fórum é bem representativo da enfermaria... LOL!
 
Bati no teu orgulho anónimo das 7:23 PM ?
Quando os Enfermeiros de todo o Mundo se unirem será caso para dizer :UAU , não é que conseguiram ?
 
"Com o pouco que estudam e com a natureza laboral de complexidade idêntica à de um almeida, querem ganhar como doutores?" Comentário da Autoria de um anónimo "Almeida" ignorante.

Se for licenciado obviamente tenho direito de receber um vencimento concordante com as minhas habilitações académicas e com as minhas funções.E para ser doutor tenho que tirar um doutoramento...dah...Santa ignorância!Todos os Licenciados podem usar o título de Drº

Sabes lá quais são as minhas funções e do que é preciso estudar e trabalhar para ser enfermeiro.

Basta ser uma licenciatura cuja média de acesso ronda os 17 valores.

É por causa dos retrógados como tu que este país não evolui...podia fazer-te um diagnóstico mental mas não me apetece...lol
 
Também existem "almeidas" médicos, um desses incompetentes quase que matava a minha mãe!

Não acredito que sejas futuro médico mas se fores vai estudar e não cabules... em vez de andares para aí a perder tempo nos blogs dos teus futuros colegas Enfermeiros... e não fales do que não sabes...
 
É preciso reduzir já as vagas para Enfermagem e o Acesso dos maiores de 23 que entram no ensino superior sem habilitações e tiram a licenciatura em part-time e com um monte de cunhas e cábulas debaixo do casaco!
 
Agora está na moda ser bombeiro e auxiliar da acção médica e ter um tacho qualquer na função pública para estudar Enfermagem ou outro curso superior qualquer sem possuir habilitações.

Aonde está a qualidade do Ensino Superior e a qualificação dos recursos humanos superiores em Portugal?

Assim não vamos lá!
 
Quem tira doutoramento é Professor doutor, duh santa ignorancia.
Dr. está reservado a antigas licenciaturas universitárias, não politécnicas.
 
Caros colegas ENFERMEIROS

Este tipo só quer perturbar o ambiente deste blog e vocês estão a ir na onda...
Os cães ladram e a caravana passa...mas...cão que ladra não morde...lol
Quando ele algum dia estiver "entalado" vai saber onde estão os "almeidas"...

Não é ignorante, é mesmo burro!!!!

Fala,fala,fala,fala...mas não diz nada!!!

Saudações
 
"Quer queiramos quer não, a visibilidade, status profissional e sócio-cultural, poder, prestígio, motivação e auto-realização de uma classe profissional depende directamente do seu poder económico!" by doutorenfermeiro

Ó sôtor está visto qual é o seu problema!!! Mas olhe, os médicos até têm algum prestígio e poder económico não têm nenhum! Para além disso já são mais que as mães. Como se diz, já há mais médico que cama de hospital: 38 mil médicos inscritos na OM é muita fruta. Se trabalhassem mais onde deviam é que era! Mas a privatização do SNS vai resolver isso em três tempinhos. Não tarda nada, ó sôtor enfermeiro, já têm companhia médica neste seu querido espaço na WWW. Aí já poderá dizer que não é o único sôtor aflito!
 
"Quer queiramos quer não, a visibilidade, status profissional e sócio-cultural, poder, prestígio, motivação e auto-realização de uma classe profissional depende directamente do seu poder económico!"

É muito verdade, coisa que a enfermagem pela natureza da profissão nunca vai ter, infelizmente.
Nunca vi um enfermeiro com prestigio, e muito menos um enfermeiro rico. Até a bastonária é silenciada por um gato pingado...
 
Caros:



A coisa tá má, mas vai piorar!!!


Vai começar o atentado ao acto de enfermagem, preparem-se!!!

http://www.cooprofar.pt/portal/page?_pageid=53,82608&_dad=portal&_schema=PORTAL&NOT.p_action=1&NOT.p_data=&NOT.p_obj_id=418466


http://portal.iefp.pt/xeobd/attachfileu.jsp?look_parentBoui=28616896&att_display=n&att_download=y



Cumprimentos!!!
 
Enfermagem não tem acto, não existe acto de enfermagem. Esse é o grande problema.
 
Acto de enfermagem?! Isso NÃO existe!
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
estou realmente preocupado, pois faço enfermagem no Brasil e não consigo ver muita diferença entre a situação de Portugal e a daqui, acho que todos vocês deveriam fazer o mesmo que os finlandeses pois nós seres humanos só nos damos conta de quanto aquilo nos era importante quando perdemos, quem sabe uma semana sem enfermeiro em portugal não poderia ser útil para a nossa classe !

Marcelo R. Bezerra - enf.mrb@gmail.com !
 
O dia mais feliz do "Dr." Enfermeiro (uau! E em apenas 3 anitos, que prodígio!) e das suas focas:

-O dia das colocações na Faculdade!

Há testemunhos fidedignos que asseguram que o mesmo foi para casa a correr, as lágrimas a escorrerem-lhe pela face, e terá dito alto e bom som:
-Mamã, papá, consegui, entrei numa Faculdade (ou lá onde aprendem "enfermagem"...) de Enfermegem, a minha 1ª opção, o meu sonho de criança tornou-se realidade, vou ser Doutor, andar de helicóptero e de ambulância, vou ser Ministro da Saúde, Presidente da República, enfim, o céu é o limite, este é o dia mais feliz da minha vida!

...
Verdadeiro ou Falso?
lolll
 
Pessoal, infelizmente aqui no Brasil também não é muito diferente não. Se continuar assim, a enfermagem sem praticamente nenhuma representação política, daqui a poucos estaremos todos recebendo um mísero salário mínimo. Conheço inclusive alguns colegas daqui que já mudaram de profissão!!! Paga-se mal, seleciona-se maus profissionais, em escolas mal estruturadas, acaba-se com atendimento de qualidade duvidosa com frequentes iatrogenias. É um risco que poderá ceifar muitas vidas, caso não seja levado a sério.
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!