quinta-feira, janeiro 24, 2008

VMER's, USF's, "estágios", SEP e a obcessão dos "33"...

Os últimos tempos foram ricos em acontecimentos. Os Enfermeiros fizeram parte de quase todos. À boleia deles andou sempre.... a Ordem dos Enfermeiros...

1º Tópico

"Idoso caiu de maca no Hospital de Aveiro". Lamento. Mas também lamento a excessiva "politização" e mediatização destes casos mais recentes.

2º Tópico

O fim dos TAE (Tripulantes de Ambulâncias de Emergência) nas VMER (Veículo Médico de Emergência e Reanimação) em Portugal. A VMER do CODU-Lisboa já funciona com Enfermeiros. Restam alguns TAE's em Coimbra e na Figueira da Foz (e um no norte), que vão ser substituídos em breve. Dentro de pouco tempo, a equipa exclusiva da VMER será Enfermeiros/Médico. Há quem defenda (eu sou um deles) que o célebre autocolante do pára-brisas ("MÉDICO"), deve ser substituído por "MÉDICO/ENFERMEIRO".

3º Tópico

Unidades de Saúde Familiar (USF) - Desigualdades entre os incentivos dos Médicos e Enfermeiros causam desconforto e reflectem uma tremenda injustiça. Há quem diga mesmo que os incentivos propostos aos Enfermeiros são "migalhas que caem da mesa dos médicos, o que é profundamente escandaloso num País civilizado e, dito, democrático".
Mais grave, os incentivos dos Médicos incidem sobre áreas da competência dos Enfermeiros. Vergonhoso!!

4º Tópico

Privados abusam dos estágios não remunerados dos Enfermeiros. Apesar disso o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses (SEP) continua a apregoar que "faltam 33 mil Enfermeiros". Faltam "33 mil" há 5 anos atrás, faltam "33 mil" agora, e parece-me que faltarão "33 mil" daqui a 5 anos...
Arrisco dizer que o SEP é o sindicato dos eternos "33 mil".... mesmo quando é difícil encontrar colocação para "33", faltarão sempre os "33 mil" da praxe...

Não sei qual é concepção de poder reinvidicativo destes senhores, mas uma coisa é certa, quando todas as classes lutam do sentido do refreamento profissional no domínio quantitativo, enquanto que os Enfermeiros pregam no deserto árido e contra o vento....
Faz parte de uma estratégia errada: evocar a falta de 33 mil Enfermeiros para tentar desbloquear 2 ou 3 mil vagas... pouco mais do que isto será!

O problema é outro. Devemos adequar a formação às necessidades explícitas do mercado. E não, tentar adequar o mercado à oferta existente. É evidente que a solução não passa por aí. Ou alguém pensa que sim?
a
Portugal tem uma política de saúde desconcertada que se reflecte numa distribuição errónea dos profissionais, principalmente Médicos e Enfermeiros. Sobretudo Enfermeiros. Porquê?
Existem poucos Enfermeiros nos Cuidados de Saúde Primários. Se Portugal apostasse devidamente nesta área, a necessidade de profissionais nos Cuidados de Saúde Secundários (hospitais) diminuiria, os episódios de urgências diminuiriam, os internamentos diminuiriam, etc... Todo o sistema funcionaria melhor, sem dúvida, com esta mobilização/redistribuição de recursos. Nem vale a pena explicar porquê...

Onde faltam Enfermeiros? Nas chefias, nas coordenações, na gestão, nos Departamentos de Formação, etc... A posição do Enfermeiro enquanto pivô da saúde continua a não estar devidamente preenchida...
Votemos à táctica dos "33 mil". Dou-vos o exemplo dos professores. Estes rapidamente se aperceberam que o seu excesso não seria resolvido com os sucessivos protestos para admitir mais profissionais, para reduzir as turmas e aumentar o rácio de professor/aluno, etc... a solução passa pela diminuição das vagas no ensino superior.... os advogados partilham desta ideia, os engenheiros, os médicos, etc...., os Enfermeiros, como sempre, não.

não há paciência para tanto autismo. A classe de Enfermagem está profundamente desmoralizada...

Comments:
Acho que no para-brisas deve vir "Médico-Motorista do" ou "Médico-Cromo do enfermeiro". É cada uma que vejo! Você autor do blog não existe mesmo! Queixa se dos outros, mas já era altura de assumir quem é.É muito fácil esconder se por detrás de um "apelido"...Assuma se se tiver coragem,que duvido, porque para isso é preciso ser Homem...Ia ter consigo ao seu serviço, para ver se é assim tão valente...Apague o post mas reflita e deixe de ser tão cobarde! Se não quer aqui ninguém debata assuntos de enfermagem, como limpar rabos e assim, e deixe se de incendiar. A enfermagem é o que é, e nunca vai sair disso...isto é nada mais que alguém que é pau para toda a obra, seja dos doentes ou dos médicos...
 
Este sôtor enfermeira verborreia, verborreia e verborreia, mas à frente de Sua Excelência mete o "rabinho entre as pernas" e pia fininho.
 
Os enfermeiros existem para alguma coisa: para serem carne para canhão. Será assim tão difícil compreender algo tão absurdamente BÁSICO? Deixe lá os advogados, os engenheiros, os médicos (que vocês tanto venera/inveja), que para eles você não passa de maqueiro.
 
O senhor é mesmo corajoso!

Será falta de argumentos?

Certamente...
 
Aí está ele!
Bastou falar em tirar o colante MÈDICO do vidro da viatura para darem em insultar os enfermeiros.
Enfermeiro não é motorista.
Médico não é motorista.
Ainda havemos de ver as viaturas conduzidas, ora por médicos, ora por enfermeiros, quando a doutorice besta do nosso reino for mais civilizada.
Por exemplo quando o enfermeiro passa para a ambulância para prestar assistência ao "Emergente", devia ser o médico que não tem o sufixo "eiro" de acção, a tripular a VER (Viatura de Emergência e Reanimação).
Lá se ia o argumento daqueles que denunciam a viatura que não tenha médico.
Mas estas questões são de pormenor.
À medida que os Enfermeiros começarem a dizer bas e impuserem o ritmo nesta música, marcando o compasso como muito bem sabem, este problema da doutorice besta deixa de ter sentido.
 
Os enfermeiros existem por e para alguma coisa e há muitos anos.
 
Essa do Enfermeiro meter o rabinho entre as pernas à frente de sua excelência e de cabo de medicina, para dizer esquadra, porque não tenho aqui o barco.
Mas médicos ignorantes que só sabem de números (e que números eles são!!!), sem qualquer respeito pelos outros, nomeadamente por aqueles que lhes abrilhantam o pouco que fazem e muitas vezes mal.
Se continuarem nesta senda de bestas quadradas ainda vão chegar a cúbicas, atingindo a maior visibilidade possível da estúpidez humana, a 3 dimensões.
Já há a vender óculos especiais para os detectar.
Abasteçam-se, Enfermeiros.
 
O SEP foi uma invenção infeliz no mundo sindical dos enfermeiros.
De concreto sabemos que foi a partir dessa criação que se deve à Bastonária da OE, a Enfermagem perdeu poder reivindicativo e a INTERSINDICAL ganhou uma bandeira de peso.
Os 33 mil são influências da ressonância do 33 que os médicos usavam para ouvirem um som especial dos pulmões do paciente.
Esperamos que não vejam aquele filme do Vasco Santana médico do jardim zoológico, que teve de pedir ao elefante que dissesse 33333, pois achava que 33 era pouco audível em pulmões daquele tamanho.
 
Na minha opinião falta visão aos gestores da área da saúde para se aperceberem que investir nos enfermeiros é economizar.
Foi assim que muitos países reduziram os custos na saúde e melhoraram a qualidade dos serviços prestados.
Portugal adormece e sonha.
O tal SEP vão lançando ao vento os 33 mil faltosos e não o eco lhe responde.
Devia era preocupar-se com a criação da mentalidade de que os problemas de saúde são muitos deles por escassez de enfermeiros, por isso se investe nos alternativos.
Dizer 33 por dizer é pobreza de espírito.
Vamos ter de aprender à nossa custa.
 
Comentários interessantes especialmente aqueles que não são editados por enfermeiros.
A todos os comentadores não enfºs vão para os blogs das vossas classes perofissionais.
Aos medicos que não teem mais que fazer que comentar o que não lhes diz respeito vão tratar convenientemente os doente que é para isso que lhes pagam (muitas horas extraordinarias nas urgencias e prestam o serviço que se vê!!!).
Quanto ao SEP mais as suas palermices encomendadas pelo PCP cabe aos enfermeiros coloca-los no devido lugar, façam como eu não paguem cotas sem €€€€€ eles calam-se.
Quando os €€ dos enfºs deixarem de entrar na intersindical o SEP deixa de ter interesse!!!!.
Saudações a todos os enfºs livres pensadores não alinmhados!!!!!
 
...amis do mesmo...INFELIZMENTE !


:-( :-(


Teixeirinha
 
Tou farto de vislumbrar aqui comentarios interpostos por atrasados mentais que nao faco a minima ideia se se enquadram no curso de Medicina ou de chupa-pilas (vulgo Medicina)!!!o que e certo e que para virem a este blog constantemente comentar ou melhor escarnecer "a pala" dos problemas dos outros e porque nos serviços onde tabalham/estudam tem muitos conflitos por esclarecer com os enfermeiros desses mesmos serviços que não lhes conseguem dizer "cara-a-cara"!!Meus amigos, conheço muita gente da classe profissional médica e sao excelentes pessoas...ate ver!!!Nunca nenhum deles ousou insultar a mim ou a outro colega e a minha opiniao é consultada assim como eu tenho em consideracao a opiniao clinica da parte deles!!!Por favor chega de comentarios e afirmacoes acéfalas...tou a tentar apelar a paz...ja nao tenho paciencia para ver as merdas que voces escrevem!!!
 
AINDA VOU VER A BASTONÁRIA DA ORDEM A FAZER COMO OS BOMBEIROS DE FAVAIOS:
"...E AGORA? O QUE É QUE EU FAÇO???"
 
Anda um TAE na minha turma a estudar Enfermagem...(Lei dos > 23anos)é um cabulão de primeira... que não sabe nada....mas vai passando à rasca! Diz ele que sabe mais que os licenciados e mestres em Enfermagem.

Quando acabar o curso diz que tem o lugar guardado no INEM!Será possível?
 
Este blog está a ficar muito popular na comunidade ligada à saúde...é bombeiros...é auxiliares...é farmaceuticos...é tudo e mais alguma coisa...só é pena virem aqui despejar disparates...em vez de fazerem críticas mais positivas no sentido de melhorar, o nosso relacionamento interpessoal e comunicação.

Aquela do Bombeiro de Favaios e o INEM...e todos os intervenientes da chamada do CODU,parece uma anedota daquelas mais estúpidas que ouvi até agora e em toda a minha vida!

Uma vergonha!

O problema é que esta história não é a primeira nem a última.
 
Há alguns anos a Enfermagem era um curso prestigiado, referido na comunicação social como um dos cursos com as mais altas médias. Agora é um curso de portas abertas, entra de tudo, o inteligente e o estúpido, o estudante aplicado , muitas vezes brilhante mas também o coirão, o anencéfalo da turma que graças à mercantilização do curso de Enfermagem pelas privadas consegue aí arranjar a única maneira de cursar no superior.
O 33000 não é um número ao acaso, por causa do 33. Tem duas explicações: é o número da egofonia e é a idade com que Cristo levou com a cruz, tal como a Enfermagem leva agora coma sua cruz, onde um dos pregos pertence o SEP.
Quanto ao autocolante, nem devia ter médico nem Enfermeiro...Bastava VMER e acabou, tal como as SIV não Têm um mcolante a dizer Enfermeiro-TAE. O colante de médico é uma reminiscência atávica dos tempos monárquicos em que o Pagem apregoava "abram alas para o REI" , sendo agora o suposto Rei o médico e a voz do Pagem substituída pela Sirene e o colante...no entanto esse REi já não tem reino há muito tempo e na maioria dos casos vai nú!
 
não sou médica nem enfremeira nem trabalho na área da saude, mas sinceramente e como mera espectadora acho que do mesmo modo que existem bons medicos e enfermeiros existem tambem os maus, do mesmo modo k aparece medico deveria aparecer enfermeiro, do mesmo modo que um enfermeiro ouve um medico um medico devia ouvir um enfermeiro, talvez assim toda a gente se desse melhor e morressem menos portugueses em situações tão lamentosas como as que se tem visto ultimamente...em vez de discutirem sobre que tipo de roupa leva o rei e quem o vestiu... vejam que esta nu e que precisa de ajuda...
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
www.tinoni-emergenciaprehospitalar.blogspot.com
 
www.tinoni-emergenciaprehospitalar.blogspot.com pessoal quero comentários, os enfermeiros estão desmoralizados e temos de agir, Acabou a paciência! BASTA
 
Enfermagem nunca foi, não é nem nunca será um curso prestigiado na área da Saúde. Nem a profissão de enfermeiro.
 
Podemos aqui discutir longamente sobre o prestígio da profissão da Enfermagem. O prestígio é propriedade de quem o reconhece e não de quem o tem. No entanto é das profissões que mais cumprem as suas atribuições, que mais empenho se constata nos seus profissionais e das que mais confiança grangeia da população . Os médicos pelo contrário podem ter muito prestígio mas são uma classe de burlões, que parasitam o estado, que não aparecem ao serviço mas ganham como tal, que contribuem com a sua inércia para o avolumar das listas de espera às quais nem todos sobrevivem apenas porque é necessário saciar a voracidade da privada. O seu bastonário (muito prestigiado, diga-se) faz da luta anti- dedómetro um cavalo de batalha (porque será?).
Com prestígio ou não prefiro ser Enfermeiro com Honra (a honra pertence a quem a tem)a que embandeirar com um prestígio fruto do marketing da instituição médica que apenas é a cobertura de um núcleo de coisas putrefactas!
 
PARABÉNS doutorenfermeiro pelo seu blog.

Já agora cumprimentos ao Vitor A. que é para mim um ponto de referência na emergência pré-hospitalar e hospitalar.

E um bem haja a todos os enfermeiros deste blog.
 
A palavra médico deve ser a palavra mais repetida neste blog. A verdade é que vivem obececados com eles.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
não sei não mas se vives obcecado por alguém, não será o caso de consultares um psicólogo, psiquiatra, não sei mas aqui não iras encontrar ajuda, é que os enfermeiros fazem de tudo mas ainda não curam malucos
 
Os médicos são citados sobejamente neste blog porque são eles que subrepticiamente se metem em tudo e tudo querem controlar. A classe médica é um entrave à enfermagem, é uma influência nefasta (Digo classe médica e não os médicos pois não personalizo a questão). Os médicos é que vivem obcecados por nós , basta falar-se em Enfermagem que lá vêm eles opinar sobre o alheio, na televisão, na rádio nos jornais.
 
lol, "a classe médica é uma influência nefasta"...

Quando estiveres doente ou a morrer, chama um enfermeiro então
 
tanta dor de coovelo que aqui vai...
contra a enfernagem que está a progredir e as outras classes a involuir.

obrigado colega nel.
 
Óh anónimo das 11:44 AM,
Quando alguém estiver a morrer só tem uma coisa a fazer:
- aguardar serenamente pela sua vez, pois nada mais poderá ser feito.
E é precisamente aqui que entra (como sempre) a Enfermagem. Compreendes?

Ainda quando se estiver a morrer terá que se contactar o coveiro (horrorosa figura).

Esperemos que não tenhamos de ficar doentes ( e aqui a enfermagem tem um papel FUNDAMENTAL). Se ficarmos doentes, e se não tivermos dinheiro morremos pois não há bons samaritanos (daqueles à moda muito antiga).
 
Ainda para o hércules do primeirro comentário (1:53 AM):
- não é a Enfermagem que não muda, é este país de merd... que não muda.
Diga lá gosta do cromo a dizer médico no carrito? Hem? Que náuseas...
E deverá ser assim no autocolante: Enfermeiro / não-enfermeiro.
 
Este Hugo Roque não passa de um comuna... Vá para as ruas gritar por revolução seu comuna!!! Emigre para a Venezuela!!!
 
O dia mais feliz do "Dr." Enfermeiro (uau! E em apenas 3 anitos, que prodígio!) e das suas focas:

-O dia das colocações na Faculdade!

Há testemunhos fidedignos que asseguram que o mesmo foi para casa a correr, as lágrimas a escorrerem-lhe pela face, e terá dito alto e bom som:
-Mamã, papá, consegui, entrei numa Faculdade (ou lá onde aprendem "enfermagem"...) de Enfermegem, a minha 1ª opção, o meu sonho de criança tornou-se realidade, vou ser Doutor, andar de helicóptero e de ambulância, vou ser Ministro da Saúde, Presidente da República, enfim, o céu é o limite, este é o dia mais feliz da minha vida!

...
Verdadeiro ou Falso?
lolll
 
E porque não pode enfermafem ser um sonh, e porque não pode ser o dia mais feliz quando o conseguimos. não foi o meu sonho de criança, ~como todos os que não ~são enfermeiros não fazia ideia de todas as nossas funções, responsabilidades, conhecimentos necessários (que nem todos os srs doutores têm infelismente, e quentas vezes nos perguntam o que devem prescrever ou como resolver determinada situação, ou se forem muito orgulhosos faze tanta merDa que se fossemos nós já estavamos no olho da rua). considero ser a profissão mais gratificante do mundo mas só quem nos dá valor são os doentes. Mas mesmo assim não é valor suficiente. qundo o sr doutor explica com palovrões o que vão na cirurgia fazer dizem amém,o deus no céu e o doutos na terra, nem questionam, no fim ficam chocados porque nimgem lhes disse que parra fazer uma glossectomia iam ficar sem lingua. enquanto alguns questionam 10 vezes 10 enfs diferentes para se certificarem que todos dizem o mesmo ou se são só estupidos com uma farda branca. Acordem para a vida e vejam quem é que passa 24horas com voçes o vos satisfaz as necessidades básicas e vos cuida e se devem ter mais confiam-se no medico que muitas vezes passa o internamento inteiro sem vos olhar nos olhos, que apenas abre corta e fecha e temos de correr atrás dele para prescrever antibioticos e analgesia para não morrerem de dores. e implorar-lhes para vos virem observar. e se os chamamos de noite quase nos insultam porque estavam a dormir, umas vezes para prescreverem medicação que toda a gente toma em casa e nem precida receita, muitas vezes so porque o doente está a morrer. e se morre consideram que não há nada a fazer e vêm de manha quando acordam ver o doente ja dento do saco e passarem a certidão de obito em como o doente morreu as 7 quando está morto desde a uma.
 
http://dossierdeaprendizagem.blogspot.com/2008/02/ainda-as-questes-do-emprego.html
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!