segunda-feira, maio 12, 2008

Hoje, 12 de Maio - Dia Internacional do Enfermeiro


O meu desejo para o Dia Internacional do Enfermeiro (hoje, 12 de Maio): que todos os Enfermeiros possam exercer a sua profissão ao mais alto nível - condignamente, muito bem remunerados, reconhecidos e admirados, modernizados, pautados pela qualidade e pelo rigor, unidos, sem desemprego ou precariedade. Só isso.
Gostava, sinceramente, que ao fim de um dia de trabalho, nos sentíssemos orgulhosos em ser Enfermeiros.
Bom dia para vós, estimados colegas e amigos.
.
"O vento e as ondas estão sempre do lado dos melhores marinheiros"
- Edward Gibbon -

Comments:
um feliz dia colegas!

quem gosta do que faz não desanima! melhores dias para a Enfermagem virão com certeza!
 
Bem-haja para si, para o blog e para a sua/nossa luta/resistência!
Um dia ainda o verei Bastonário!
Desassossego
 
Feliz dia para todos os colegas...
Que mostrem com valor, aquilo que valemos, sem vergonhas, sem preconceitos, sem temor.

Com dignidade.
 
Nursing... és tão sonhadora. Mas fico contente por verificar que ainda há alguem que pense que vamos mudar. Penso que julgas que é para melho. ao contrário do que eu penso. Licenciatura, licenciatura... licenciatura. Horas de familia perdidas, casamentos desmoronadas pelo menos durante um ano (outras até se destruiram completamente), 1 ano de trabalho trabalho trabalho, não se sai do hospital a não ser para escola. E a vida onde ficou?! Para quê mesmo???? Para depois chegarmos á conclusão de que à nossa profissão não lhes dão o valor devido. Começando pelos superiores hierarquicos que só querem o tacho. Não consigo perceber onde andam os que lutam por nós. Na TV não se ouve nada, ao contrario de outra profissões que se vêm a lutar. Nós???!!! Conformados. Eu penso que não vamos a lugar nenhum enquanto não fizermos uma greve de 3 ou mais dias, mas a 100%. Claro... as represálias.... que hei-de dizer mais.... Mas eu até gosto daquilo que faço. Da minha profissão. Abranje tantas outras, temos tantos saberes. Mas pronto. somos uns incompreendidos. somos aqueles que damos injeções e fazemos pensos. Tantos anos a queimar pestanas para se resumir a isto, aos olhos de outros profissionais e a população em geral. Perguntem a qualquer um (nos vossos serviços, nas vossas familias, nos vossos amigos) o que faz um ENFERMEIRO? Bom dia dos Enfermeiros. eu adoro a minha profissão e não escolheria outra. Foi um desabafo á nossa politica e ao nosso Portugal, que tanto me está a preocupar.
 
PARABÉNS ENFERMAGEM!
PARABÉNS COLEGAS!
Continuaremos a lutar por esta profissão que abraçámos com amor.
É preciso não desistir!
Dias melhores virão :D
 
Cumprimentos para todos os enfermeiros!
É uma das profissões mais dignas e corajosas do mundo!

FILIPE
 
Estou de boca aberta!!! Como é que é possível um sindicato propor que trabalhemos mais 5h/semanais e negoceie com o governo, um valor mais baixo que o valor de um horário acrescido???

-Será que um enfermeiro sem especialidade não pode ser equiparado a um tecnico superior( que até tem muitas vezes menos anos de formação que um enfermeiro??)

-Porque razão tem que trabalhar mais 5h/semanais que ele e ganhar menos??

-Com o desemprego que existe na classe porque se defende as 40h semanais?

Caros colegas, comparem esta aberração, feita por este sindicato:

http://www.enfermeiros-sipe.com/index.php?option=com_content&task=view&id=40&Itemid=1


http://intranet.uminho.pt/Module.aspx?mdl=~/Modules/ShowArticle.ascx&ItemID=93&mid=169&pageid=36&tabid=36


Seria muito bem se não tivessemos que trabalhar 40h/semana. Aonde estão asseguradas as condiçoes de penosidade e desgaste inerentes à profissão?

Assim se faz (má ) Enfermagem!!
Nem acredito , que é mesmo proposto por um de nós!!!
 
Se a maioria dos que por aqui escrevem fosse uma amostra da enfermagem ...ser bem remunerados ...Licenciados ...2.º ciclo Bolonha ...que N.ª Sr.ª de Fátima nos ajude...
Isto de ser dos actuais Corpos Sociais da Ordem e passar a vida a desancar na Ordem ...só pode ser estratégia pra manter o ambiente ...pra daqui a 4 anos ...mesmo que raia o ridículo
Quim
 
Dr. Enfermeiro e Colegas,

O dia 12 de Maio foi uma data que , se por um lado alguns lembraram, outros esqueceram desavergonhadamente. Nem outra coisa seria de esperar. Afinal que importância tem, se nem os homenageados O lembraram na sua maior parte? Seria indubitavelmente majestoso o recordar de uma História que se foi transformando e adquirindo contornos irrefutáveis e de verdadeira importância.
Transcende o inimaginável a ausência , por certo propositada...ou não , das referências à efeméride, que mundialmente, dizem...se comemora ou se pretende comemorar um vez por ano. Se como constatei o dia não mereceu relevância nos mais variados aspectos e nas mais diversas organizações, como se poderá pensar numa imagem de visibilidade e da dignificação tão merecidamente reivindicada ? Será que como diz o senso comum “ o que não é visto ou ouvido não é lembrado? ....” . Admira-me sobremaneira que os que pela responsabilidade que assumem ao nível da enfermagem nas instituições , não tenham conseguido dar o passo de sensibilizar os Enfermeiros, o comum dos mortais, a imprensa, e outros orgãos de comunicação social para a menção, mesmo que ínfima , a este dia que todos os Enfermeiros deveriam considerar importante. Ao perguntar se sabiam o que se comemorava...responderam: não sei...Mas houve alguns sim e não fora a OE , o dia passaria em brancas nuvens..Talvez amanhã....quem sabe...
Escuso de referir , que no dia em que não for necessário comemorar este dia e outros do mesmo tipo, a que Organizações Mundiais pretendem dar visibilidade internacional, será o dia em que os referidos nesses dias, são finalmente de tal forma considerados, que não fará mais sentido, lembrá-los mundialmente, pois estarão presentes no imaginário e na vivência colectivos.
Por enquanto o dever de alerta, leva a que haja os dias internacionais de A, de B ou de C....ainda bem que não é necessário relembrá-los a todos senão não chegariam os dias dos meses e os meses do ano para tanta celebração....
Para quem ainda não percebeu o motivo deste meu desabafo, refiro-me ao Dia Internacional do Enfermeiro.....que alguns lembraram, mas que quase todos esqueceram......por isso este é o Dia Internacional do Esquecimento...e quem sabe, não passará a ser comemorado como tal...
 
Concordo plenamente! No entanto, felizmente, hoje é um daqueles dias em que durante o meu turno, me sinto orgulhosa de ser enfermeira!
Hum... Bastonário parecia-me bem!
 
... e a vida continua... como já dizia o poeta... "...Hoje é o 1º dia do resta das nossas vidas..."
 
Por favor não diga que tem vergonha de ser enfermeiro!
Devemos levantar a cabeça e dignificar a nossa profissão, exercendo-a com competência...

O que está a acontecer com a enfermagem é culpa de todos nós!
TODOS
Uns culpados por obras (os enfermeiros professores, directores de escolas, os enfermeiros sindicalistas, da Ordem...)outros por omissão e egoísmo...

Continuar a chorar não adianta, vamos agir chega de conversa.

Veja os noticiários,peregrinos, ajuda, cuidar...só vi podologistas, onde estavam os enfermeiros?
Enquanto ficarmos em casa a ler blogs, outros avançam.

Enquanto cada um a agir por si e não em grupo, os resultados vão ser catastróficos.
Mas vergonha NÃO!
 
"Veja os noticiários,peregrinos, ajuda, cuidar...só vi podologistas, onde estavam os enfermeiros?"

Boa questão. Onde estavam os Enfermeiros?
Em todo o lado aparecem cada vez mais profissionais alternativos.... e os Enfermeiros?
Agora, se nos faltavam também os podologistas...
 
felicidades a todos os enfermeiros e alunos de enfermagem, considerando que melhores dias virão.
 
LAMENTO!!!

Mas não tenho nada para comemorar...
diariamente a nossa classe é humilhada.

A visibilidade da mesma, é no mínimo obscura.

O desemprego é o pão nosso dos recém-formados.

Os nossos vencimentos são ridículos face à responsabilidade inerente ao desempenho das nossas funções.

A nossa ordem vive num mundo utópico, o Carnaval é o seu dia-a-dia.

A fadiga psicofisiológica é o nosso eterno companheiro.

O stress a palavra do dia.

O dor e o sofrimento o doce fel que assombra o nosso sono...

Tudo isto para dizer chega de PALAVRAS é preciso passar à ACÇÃO.

Seja a através da tal petição on-line, da greve às quotas à Ordem, ou através da divulgação deste blog, etc.

Mas é preciso fazer tremer as gamelas dos tais parasitas que dizem nos representar...

É preciso dar vida à enfermagem... e aí meus amigos, então sim, nessa altura eu comemorarei...

Cumprimentos!

NEL
 
Onde está a petição, eu quero assinar!
 
12 de Maio

Faleceu enfermeira heroína polaca que salvou 2500 crianças.
Irene Sendler, a enfermeira polaca que arriscou a vida para salvar 2500 crianças judias de um gueto em Varsóvia, morreu ontem com 98 anos de idade. Durante anos da ocupação alemã, Sendler foi membro da resistência e evitou que milhares de crianças fossem transferidas para campos de concentração. Em 1943, as suas actividades foram descobertas pela Gestapo e Sendler foi presa e torturada. Contudo a heroína nunca revelou o paradeiro das crianças que resgatou.

Esta é a notícia que retirei de um jornal "Metro".

Até no dia da sua morte soube escolher....
 
Gostava que os colegas investigassem qual a verdadeira actividade profissional de Irena Sendler (julgo ser enfermeira polaco) que salvou milhares de crianças durante o holocausto nazi.
É que se é realmente enfermeira...a nossa OE está a dormir. E que as assistentes sociais já se encarregam de lhe dar um curso à pressão...até já li em qualquer lado que a florence N. era Assistente Social!!!
Não é vaidade, mas quando falamos em dia do enfermeiro, em visibilidade social...não devemos esquecer os nossos enfermeiros e sermos nós próprios os apagadores da nossa visibilidade...

Consultas:

http://servicosocialportugues.blogspot.com/2007/04/irena-sendal-assistente-social.html

http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=345638&tema=31

FILIPE
 
Os comentários deste blog, exceptuando um ou outro são um descredito para o blog e para a profissão. Acham que é com desilusão e com reclamações vãs que vão conseguir algo? Lutem por vocês e façam aqueles que estão ao vosso lado lutarem também.

Triste sina a do português, de se lamentar sempre de tudo...
 
Parece que a Irena Sendler não era enfermeira ... fez-se passar por enfermeira para poder salvar as crianças.
Uma história de coragem e uma grande mulher sem dúvida.

FILIPE
 
È impressionante ver classes, como a dos professores, que lhes sao reconhecidos, a penosidade da sau profissão e têm redução da carga horária na sua carreira.

Estudos recentes demonstram que os enfermeiros são o grupo profissional que sofre de burnout ( mais que os professores!!!).


Pergunto-me, como é possível nao estar em cima da mesa a redução da carga horária semanal na futura carreira d enfermagem???? È tao importante como o salário mísero que o Estado se prepara para pagar os enfermeiros, em contrapartida, com os 300 milhoes de euros que pagam aos médicos só em horas extraordinárias todos os anos!!!


E assim, andamos de mal a pior!!!
 
Tanta depressão....
Para desanuviar.. e atentar na letra.

http://www.youtube.com/watch?v=yHJMp5bz9u8

Fiquem bem
 
Irena Sendler, em 1939 era ENFERMEIRA no Departamento de Bem Estar Social de Varsóvia

http://www.youtube.com/watch?v=RXEp0h_i2gw
 
Difícil perceber a destrinça, mas altura o enfermeiro devis ser responsável pelo serviço social. Ponto assente é o ser humano corajoso e empático que era. Não esqueçamos, também, Aristides de Sousa Mendes, tendo conduzido 30 mil pessoas à fuga das garras nazis. Merecia um filme do Spielberg ...

"Irena Sendler, uma enfermeira polaca, conseguiu salvar duas mil e 500 crianças judias, que viviam no gueto de Varsóvia." in http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?headline=98&visual=25&article=345638&tema=31

"Faleceu aos 98 anos, esta segunda-feira, aquela que é considerada a "Schindler polaca", Irena Sendler. Nascida a 15 de Fevereiro de 1910, a enfermeira e assistente social salvou cerca de 2500 crianças judias de um gueto de Varsóvia e é hoje conhecida como sendo uma das maiores heroínas da resistência polaca ao nazismo, apesar de ter vivido muito tempo sob anonimato, à semelhança de Oskar Schindler, eternizado por Steven Spielberg em “A lista de Schindler"". in http://jpn.icicom.up.pt/2008/05/12/irena_sendler_a_schindler_polaca_faleceu_aos_98_anos.html

"fez-se o primeiro tributo oficial a uma extraordinária Assistente Social, Irena Sendler, “a mãe das crianças do Holocausto” a quem foi atribuído o prémio para “A Mais Distinta Assistente Social da FIAS”." in http://servicosocialportugues.blogspot.com/2007/04/irena-sendal-assistente-social.html

"Assistente social, Irena Sendler trabalhava antes da guerra com famílias judias pobres de Varsóvia, a primeira metrópole judia da Europa, onde viviam 400.000 dos 3,5 milhões de judeus de toda a Polônia." in http://afp.google.com/article/ALeqM5iRyltOoDRDS2qF0fNtgQTxnb9qPg
 
Cara margaridadebarros:

Irena Sendler na realidade não era enfermeira, ela fez-se passar por enfermeira para poder ajudar as crianças. Ela trabalhava como "social Worker" e nessa condição não podia salvar as crianças.
Claro que nesses anos não existiam os cursos de enfermagem ou de assistente social como hoje.. e também é verdade que foi fazendo-se passar por enfermeira que conseguiu ajudar as crianças!
É uma mulher admirável se dúvida!

Eis as fontes originais:


http://www.irenasendler.org/default1.asp

http://www.irenasendler.org/

FILIPE
 
Caro colega Filipe consulte:

www.auschwitz.dk/Sendler.htm
 
Cara margarida:

Naquele tempo o papel de enfermeira e de assistente social era muitas vezes pouco delimitado. Muito antes de surgir a profissão de assistente social (ou Social worker, em inglês) eram as enfermeiras, as responsáveis por essa nobre função de cuidar das maleitas sociais, da fome e da pobreza (principalmente em tempo de guerra).
Depois de investigar um pouco (e tendo também em consideração o LINK que deixou aqui), concluí o seguinte:
- Irena Sendler formou-se em literatura polaca (nem enfermagem, nem serviço Social);
- Trabalhou como “Social Worker” para o partido socialista polaco;
- "Fez-se passar" por enfermeira, trabalhando como enfermeira (foi a melhor forma que encontrou de poder ajudar as crianças sem ser impedida pela Alemanha nazi);
- A nossa OE tinha (quanto a mim) o dever de ter homenageado esta Senhora, a qual deu um exemplo de grande coragem e é um exemplo de humanidade e de relação desinteressada de ajuda. Os Assistentes Sociais não se cansam de chamar a si os feitos desta "Assistente Social";
- Para mim a Irena Sendler foi um exemplo de coragem para a humanidade, sendo um exemplo da nobre profissão de enfermeira e também (porque não…) um exemplo para o serviço.

FILIPE
 
Errata: "...exemplo para o Serviço Social."

FILIPE
 
caro colega também há enfermeiros que vão dar apoio aos peregrinos de Fátima.


Não ouvi os meios de comunicação falarem do dia do enfermeiro, para mim o dia do enfermeiro é todos os dias pois GOSTO e tenho orgulho em ser enfermeira e naquilo que faço para ajudar o outro.

PARABÉNS A TODOS OS ENFERMEIROS POR ESTE DIA.

Saudações,
 
Os dias mundiais destinam-se a chamar a nossa atenção para a necessiade que há por savaguardar as espécies em vias de extinção ou por destacar as coisas que vão vendo a luz do dia.
Se estivessemos atentos veriamos que já puseram outro evento no dia 12 de Maio que é o dos "doentes sem doença" uma mística de quem vai descobrindo ou tentando descobrir novas doenças. Mas há um grupo de doentes que apesar de todos os esforços da ciência comercial dos medicamentos não conseguem demonstrar uma doença de acordo com o que se sabe na forma e método de descobrir doenças.
Não sei quem foi o autor, mas sei que já nos apanharam o dia.
Se não é provocação até parece.
Por isso não se guerreem.
 
Estava procurando imagens de enfermeiros quando encontrei o Blog, li os comentários pensando "de qual parte do Brasil, será esta criatura?" e descubro que são portugueses. Fico triste por reconhecer o mesmo discurso que ouvi de meus alunos da faculdade la no interior, onde só tem um hospital na comunidade e por isto se da ao luxo de pagar o salário que quer aos profissionais de enfermagem, que se submetem, sem aos menos espernear. No momento que nossa categoria pensar como UM, no momento que parar-mos de ser "as mães" e " os pais " de todos talvez consigamos pensar em nós, e revindicar nossos direitos, não adianta espernear por que medico ganha mais que eu, adianta eu pensar o que farei para me valorizar, o que farei para impor minha profissão, nós enfermeiros precisamos sair deste lugar passivo, e ir a luta , levantar a voz e a cabeça.
 
Quando a Alemanha Nazi invadiu o país em 1939, Irena era Assistente Social no Departamento de bem estar social de Varsóvia, trabalhava com enfermeiras e organizava espaços de refeição comunitários da cidade com o objectivo de responder às necessidades das pessoas que mais necessitavam. Graças a ela, esses locais não só proporcionavam comida para órfãos, anciãos e pobres como lhes entregavam roupas, medicamentos e dinheiro. Ali trabalhou incansavelmente para aliviar o sofrimento de milhares de pessoas, tanto judias como católicas.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Irena_Sendler

Entendido?
 
Publicar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!