domingo, agosto 24, 2008

Mas o que esperavam os ráciocracistas?


"A ministra da Saúde quer cortar nos salários dos Enfermeiros. As horas de trabalho com horário acrescido de 42 horas por semana, vão deixar de ser pagas com bónus. Os Enfermeiros contestam." link
.
"Este trabalho é actualmente em parte recompensado como extraordinário, o que se traduz num acréscimo de 37% no salário dos Enfermeiros, mas Ana Jorge quer fazer outras contas.Na quarta-feira a ministra vai propor aos sindicatos uma limitação das horas extraordinárias, passando a ser opção dos enfermeiros se trabalham 35 ou 42 horas semanais. José Azevedo, presidente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, considera esta proposta impensável e impraticável.“A proposta que a senhora ministra da Saúde mandou entregar-nos é inaceitável visto que põe um limite que não existe. Os Enfermeiros fazem horário normal que é 35 horas semanais e depois podem fazer as horas que quiserem para além destas desde que sejam pagas no mesmo valor/hora que é a hora normal. É evidente que isto seria andar para trás 30 anos. A senhora ministra considera que a hora extraordinária é igual ou inferior que a hora normal e isso nós não aceitaremos nunca”, disse." link

"A proposta visa uniformizar o pagamento pelas horas de trabalho não extraordinárias. E visa igualmente obrigar os enfermeiros a escolher um horário de 35 ou de 42 horas semanais e será apresentada já na quarta-feira, na primeira reunião para a rever as carreiras. O Sindicato dos Enfermeiros Portugueses é o primeiro a sentar-se à mesa e garante que a negociação termina se a ministra não recuar" link

No site do Jornal Expresso, um(a) leitor(a) deixou este comentário relativamente à notícia em questão: link

"Acho bem. É tirar-lhes a mama! Além disso, também se lhes tira a sobrecarga horária, de que tanto se queixam. Somos dos pouquíssimos países onde o salário dos Enfermeiros se equipara ao salário de um médico, que tem 500x mais responsabilidade! Até querem poder receitar, vejam só! Nem tocando no facto de empurrarem metade do trabalho para os auxiliares da acção médica porque enfermeiro não limpa o cú a velhos, pois é licenciado (ups, agora chama-se "mestrado")!

Hoje em dia qualquer badameco incapaz e incompetente vira Enfermeiro, o que não falta por aí são privadas com enfermagem, onde reina o facilitismo e o baixo empenho académico. Andam todos à procura da mama, daí ser um curso cheio de estudantes (apesar da baixa taxa de empregabilidade)! Isto só acontece pelo dito facilitismo e mama financeira a que podem chegar, se conseguirem arranjar o factor C (cunha). Até nisto a competência é deixada de lado...!"

Bem sabemos qual o bolso-destino do dinheiro que se "rouba" aos Enfermeiros...

Agora, com que poder de reivindicação vamos remar contra a maré? Com a bandeira dos rácios da OCDE? Ou será com a bandeira do "faltam-33-mil-Enfermeiros"?
.
Há aqui um aspecto de difícil compreensão. Se os Sindicatos e a Ordem fizeram tanto pelos Enfermeiros nos últimos anos, porque é, "subitamente", os salários estão a ser cortados, o desemprego arruina a classe e há um batalhão de técnicos a quererem substituir os Enfermeiros?
.
Um dia, a Enf. Lucília Nunes (ver foto), escreveu num post que não sabia porque é que muitos colegas referiam que a Enfermagem tem vindo a perder "terreno" em várias dimensões...
Porque será colegas? É que não está a ocorrer nada à Enf. LN...
Se calhar até tem a haver com certos cursos que se leccionam lá pela escola onde diz ensinar... ou isso, ou por causa do (des)"animador" panorama geral da Enfermagem! Agora fiquei indeciso.

Comments:
Esta semana será de grandes movimentações pois será a semana de negociação com o Governo.

A Ver vamos quem ganha o "braço de ferro".

Apelo ainda à assinatura da petição pelos colegas.

Abraços
 
Ó Sérgio até és bom rapaz...
 
É pá, muita gente ficou de orelhas a ferver. Mas tem razão.

A Lucília Nunes foi minha professora, e era notória que vivia num mundo da lua e raramente tinha momentos de sobriedade.
E deu no que deu.
 
"Agora, com que poder de reivindicação vamos remar contra a maré? Com a bandeira dos rácios da OCDE? Ou será com a bandeira do "faltam-33-mil-Enfermeiros"?"
Desta vez é que o DE não tomou mesmo as gotas...
O sindicato não vai aceitar a diminuição do pagamento de horas feitas para além do horário de trabalho, porque a própria legislação do trabalho não o permite. Esta proposta do MS não tem pés nem cabeça. O que está subjacente a esta proposta é a adaptabilidade de horários que está prevista no CT, mas quando se trata de horas extraordinárias têm que ser pagas como tal.
Depois não entendo o que tem a escola de Setubal a ver (e não a haver, como diz o DE) com a proposta do MS e o pagamento aos enfermeiros.
 
Essa Lucília Nunes ou a vossa bastonária têm muito paleio, não há dúvida.
Gostava era de vê-las a cuidar da higiene de um velhinho de 80 anos cheio de escaras que lá temos no serviço (depois de lhe fazerem os pensos, parece o Tutankhamon)!
Ia adorar vê-las de avental branco e manápula em punho.
Nas próximas eleições, vejam lá se escolhem melhor os vossos líderes.
Eu não tenho tempo, senão até me candidatava.

Saudações,
Sr. Dr. Cirurgião da Naifa.
 
Com toda honestidade: Tecnicamente esta medida está correctissíma e já é aplicada aos médicos, e outros tecnicos da função pública.
O problema é a deflação do "valor" do enfermeiro, numa lógica da "oferta-procura" pelo excesso de quadros que tende a aumentar.
Finalmente os enfermeiros vão sucessivamente perder poder colectivo de discussão, devido a alineação da vanguarda "dos mais velhos" que normalmente tem as suas condições de rendimento bem melhores que os mais novos (a diferença salarial entre um enferemeiro recém-formado e um enfermeiro no topo da carreira é muito maior que a diferença entre um médico recém-formado e um no topo da carreira),cdistanciando os problemas destes lideres da classe dos da maioria...os enfermeiros deseperados e em situação precária...
www.hospitalportugal.blog.com
 
A LN é professora e que eu saiba nada tem a ver com as negociações e como professora até é competente, já agora é bom que não se ataque os professores, pois apenas formam alunos, mas sim atacar os sindicalistas que só olham para o seu umbigo e responsabilizar ainda mais os presidentes de sindicatoa que conseguem ser dirigentes sindicais e ao mesmo tempo patrões dos hospitais...tanto defendem emprego para os jovens e depois quando são directores dos hospitais, para ganhar votos dão horários acrescidos e horas extras aos que estão a lamber as botas aos chefes e deixam os jovens em filas á espera de tarbalhar...são estas mentes perversas e desactualizadas que dão cabo da classe de enfermeiros e depois passam o dia e dizer mal do governo, eles estão feitos com o poder e é preciso acabar com esta gente que nos suga até ao tutano e vive faustosamente com as cotas suadas dos enfermeiros a receber mal. São uma cambada de hipócritas, mesmo o Doutor Azevedo que sá tem falado...falado, mas o que lhe interessa é continuas a mamar á custa da classe...seria melhor deixar as coisas como estão, pois já ninguém o leva a sério.Um colega de Montemoro Novo e que sabe que se esconde atrás da FENSE que é outra trapaça.
 
Não há ninguém que despeça esta trampa de gente que vende a enfermagem por um lugarito ao sol, ou seja poder? Quem é o Dr Azevedo para negociar o futuro dos enfermeiros? São mais de 70 anos, Sr Dr, está fora de prazo, quem o vai levar a sério? O Sr Enfº deve pelo menos 14 anos á retirada da ribalta em que teima manter-se, pelo menos uma vez na vida deixe alguém menos entorpecido alterar uma carreira que está obsoleta e que nada tem a ver com a realidade...seja coerente e despeça-se do activo, pois começa a cheirar a putrefação. Depois deixe de dizer mal das escolas , pois fui informado que o Sr Dr também ganha umas boas coroas com o ensino...um abraço
 
O tempo é de mudança e as coisas já não vão ser como eram. Cada um vai ter que lutar por si, pois as lutas colectivas não terão no futuro os impactos que poderiam ter tido no passado (recente).

Acredito que haverá muitos profissionais que quererão trabalhar 42h a troco de remuneração normal, visto que doutro modo também não conseguiriam aceder a esse horário; mesmo não tendo os 37%, o que ganharão a mais pode ser importante num salário baixo. Não os censuro, pois se a conjuntura é propícia a essa opção, também o passado não provou que tivesse havido um aproveitamento correcto das 42h para a prestação de cuidados. Foi sim uma benesse para alguns, que agora vai acabar.

Há outras opções que os enfermeiros vão fazendo nas instituições, que provam que estamos a assistir a um enfraquecimento da luta colectiva e a uma desvalorização por parte da classe em relação às conquistas obtidas no passado.

Exemplo disso é a concordância em gozar os feriados através do desconto diário de uma das 8 horas, à entrada ao serviço i.e., em vez de entrar às 8 entra às 9 durante oito turnos e ficamos todos satisfeitos.

Também pode não haver lugar a horas extras, na medida em que os turnos necessários sejam compensados em alturas de menor necessidade ou em circunstâncias em que o enfermeiro necessite de faltar. Esta é já uma prática aceite em vários locais.

Se calhar também se alteraram os interesses das pessoas e o que era válido há uma década já não fará tanto sentido hoje, não?

Do ponto de vista tácito, muitas destas opções que se inscrevem no domínio da negociação individual, são boas; porém, do ponto de vista estratégico poderão não ser o melhor caminho para a profissão.


Vanda
 
Cirurgião da Naifa disse:
"Nas próximas eleições, vejam lá se escolhem melhor os vossos líderes.
Eu não tenho tempo, senão até me candidatava."


Não é o que parece. A julgar pelo tempo que passa por aqui, diria que é um homem sem problemas de "tempo".
 
se hoje os enfermeiros ganham um acrescimo de 37% do SEU ordenado base fazendo 42 horas, é deviso ao DRº AZEVEDO...
Acho que se estas novas cabeças pensantes não sabem, não deviam cuspir em quem lhes deu o que têm...
Já se diz na campanha eleitoral dos EUA, que governar não vai aprendendo. Aqui é igual, negociar carreiras não é nas Escolas nem nos cafés com os amigos que se aprende. tem que se saber muito e de muitas coisas, tem que se ser HOMEM e Humano e principalmente ENFERMEIRO.

Obrigado DRº AZEVEDO.
 
Não me faças rir carlinhos azevedo. Quem é que tem horários acrescidos? Mas ainda bem que já não existem, pois se dizes que há enfermeiros a mais para quê recorrer a este engodo? Tu és o máximo da hipócrisia, ladras conforme os interesses daqueles que te seguem cegamente...essa do humano, homem e enfermeiro é bué de porreiro, porque em primeiro lugar tu és uma micas com umas calçolas e um berbigão dentro delas, depois humano é a tua hermengarda, pois só te vês a ti, pois o que tens entre paenas só com uma pinça e um elástico e enfermeiro nunca o foste e até tens vergonha que te chamem enfº...vai contar histórias aos velhos e aposentados da tua idade, pois só tu lês o que escreves...e eu também seu escroque. Mas vamos ao que me trás aqui...Quero que me respondas. Então desde que te expulsaram do HSJ por excesso de idade, por que se não fosse assim ainda hoje estavas debaixo das secretárias a ouvir as conversas e depois a responder como presidente do sindicato, desde que te puseram na rua és do exercício privado...não tens vergonha de andar a tirar o pão a quem não tem trabalho, ou és professor? Quem diria um anoso, a urinar para a dodot e a tarbalhar no privado...ou querias dizer privada... Assume que estás fora do ringue e que tens de enganar os enfermeiros com mentiras...e como ninguém acredita em ti passas dias e dias a vir-te nos blogs que inventas...pobre carlitos e já agora aconselho-te a ler tudo o que escreves na tua revista e logo verás que escreves sem te enganar porque o que dizes dos outros é o que se passa contigo, nisso tu és mestre. A tua vida vista em rectrospectiva é uma fraude...um professor das escolas que tu tanto difamas, mas que também vais buscar uns euritos...
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Cá está um "ataque" aos enfermeiros, vamos como "ripostamos". E ganhar como decíamos ganhar à muito tempo, não?
A OE deve retirar as suas responsabilidades.

Desassossego
 
Há por aí muita gente frustrada e cheia de inveja dos enfermeiros.
Mas infelizmente é esta a ideia que a mairia das pessoas tem dos enfermeiros (que o enfermeiro ganha o mesmo que um médico e que não tem responsabilidade nenhuma).
É pena a parte do ordenado não ser verdadeira.
Acho que os enfermeiros não se importariam nada de ganhar o mesmo que um médico.
 
OMG anónimo das 4:15 ou você é um maçarico ou uma criança! Veja este blog! Veja as noticias! Veja a actualidade! Abra os olhos! Acha que alguém tem INVEJA dos enfermeiros!??!!? Duvido que alguma vez alguém tenha tido, e se alguém eventualmente tem inveja, de certeza que não seria nos dias de hoje! Hoje em dia ninguém quer ser enfermeiro só os miúdos com visão utópica do mundo que não entram em medicina, farmácia, fisioterapia e algumas tecnologias da saúde acabando por sobrar para as escolas de enfermagem com médias ridículas.
 
Eu avisei que isto ia acontecer....

Temo que já não haja retrocesso possivel....
 
Meus caros:

É normal que haja uma intenção do governo em reduzir as 42 horas para 35 horas, exemplo disso são mts hospitais EPE que retiraram as 42 horas, mas contratam novos enf a 40 horas. Está visto o porquê... deixam de pagar esses 37%.
Creio que além de uma medida de redução de custos, pode ter o factor de admissão de mais colegas.
Esta medida era mais que previsível, não estariamos eternamente em défice, chegou o momento do excesso, e não compensa obviamente a nenhum empregador pagar mais, se pode pagar menos - até qq um de nós o faz nas suas compras do dia-a-dia.

Por outro lado, devemos sim bater-nos por um ordenado justo, manter as 35 horas como base, que mantenha quem está na profissão e atraia outros para a mesma. Não podem dizer que não temos capacidade de negociação, etc, etc, os espanhois aqui mesmo ao lado, mantêm o seu brio, importância na sociedade e um salário bastante compensador por mt menos trabalho, mas sp a alcançar mais competências - peq cirurgia, ECG, gasimetria, etc....
(os comentários à notícia publicada, não são obviamente para levar em conta, pq em qq lado do mundo - excepto na china, etc - qq um pode comentar tudo e todos, mas qd sente na pele o que diz dos outros muda rapidamente de opinião, são aqueles que andam ao sabor do vento)

Apostar numa formação sólida, competência, dinamismo, comunicação, aquisição do respeito dos outros por nós e mais que isso, "de nós por nós".

Existe um turbilhão de enfermeiros a querer mudar, mas ainda não é o suficiente, pois este turbilhão não tem ressonância nos "média".

Abraço
 
Fico espantado como estas noticias no blog são sempre repetidas, parece que alguem tem interesse que assim seja.
Sempre a falar do mesmo e das mesmas pessoas. Deveria ter vergonha Dr.Enf. pela divisão que está a fazer na profissão. Todos já sabemos do seu odio pelos professores, mas só não entendo porque está a dar aulas numa escola privada.
É demasiado baixo o que tenta fazer com os Enfermeiros. Não pense que nos engana. Estamos demasiado atentos aos seus passos.
Já agora parece que lhe convem esta confusão constante com o SEP, será que o seu objectivo era ser Presidente do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses. De facto só falta concorrer a esta estrutura.
Caros colegas o momento que atravessamos na Enfermagem não é facil, mas temos de ter em atenção estas jogadas sujas de quem só pretende protagonismo e poder.
Tenho esperança no futuro porque acredito que ainda há gente de bem nesta nobre profissão.
 
Sr. Dr. Cirurgião da Naifa disse:" (...) Nas próximas eleições, vejam lá se escolhem melhor os vossos líderes.
Eu não tenho tempo, senão até me candidatava".

Presumo que o Dr. esteja confundido com a vara a que habitualmente pertence...lamento mas aqui não se vendem bolotas.

Ora! procure "poleiro" lá no quintal do vizinho...parece-me que que o suíno que lá estava se reformou!!!
 
Para conquistarmos algo temos de arrasar a classe médica. Porque não, sob a coberta de um pseudónimo, escrever um livro onde se traga à luz do dia a verdade acerca da classe médica? Já estou a ver o título: "Mitos e podres da classe Médica": um best seller garantido!
 
O Dr. da Naifa parece-me ser um enfermeiro disfarçado de médico!
 
Caros Colegas o comentário do(a) leitor(a) do Jornal Expresso vem demonstrar que pouco se tem feito para dar visibilidade às nossas Competências Profissionais.

A Enfermagem está dividida...Uma metade remou e continua a remar para alcançar a afirmação da profissão...Outra metade trabalha porque tem de trabalhar, mantem-se passiva e inerte.

Para que a Enfermagem dê um passo em frente temos que incorporar o espirito de "técnico superior"; Alguém detentor de um corpo de conhecimentos que lhe permite desenvolver actos autónomos, assumindo conscientemente a renponsabilidade desses mesmos actos.

Não menosprezando os procedimentos inter-dependentes, considero que se deve investir cada vez mais nas intervenções autónomas de enfermagem.

A CIPE foi o «COMEÇO»...Cabe a todos nós o passo seguinte: «Colocar em prática os seus enunciados».

Colegas, caso ainda não esteja implementada a CIPE nos vossos locais de trabalho, LUTEM pela sua implementação.

PlanetaM
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!