terça-feira, outubro 07, 2008

Coffee break...

Enviaram-me esta imagem por e-mail. Não deveria colocá-la aqui, mas uma parte de mim não resistiu. Lá que é sugestiva, é. Não é mais do que um simples cofee break para desanuviar a alma (os mais curisosos e bem-dispostos podem clicar na imagem para a ampliar).


Comments:
Exactamente. Que imagem tão acertada: tem os controlos para limpar... "trampa", fazer camas, obedecer ao mestre senhor doutor... Triste sina a do enfermeiro.
 
Ai que a dor de olecrâneo é tanta Sr. Anónimo da 12:04 PM!
 
O on/off do farmacêutico é sugestivo! Não precisa de mais...
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Se calhar esta imagem define bem oenfermeiro...
Tem tantos botões, toca tantos barcos que algum se afunda...
Não é de admirar que lentamente vá perdendo competencias para outros técnicos...
Afinal de contas estão mais preocupados em reclamar do que em fazer obra...
 
Acho esta imagem uma excelente caricatura humorística, mas um pouco exagerada.
EM PÉ DE IGUALDADE, cada um destes profissionais de saúde tem as suas competências devidamente definidas; O enfermeiro tem umas e o farmacêutico outras.
Lamento é esta INVASÃO DE COMPETÊNCIAS a que estamos a assistir.

Já o ditado o diz: "Cada macaco no seu galho".

Orgulhosamente enfermeira, Planeta M
 
Quantos enfermeiros já ganharam um:

- Prémio Gulbenkian de Ciência?
- Prémio Câmara Pestana?
- Prémio Pfizer de Investigação?
- Prémio International Research Promotion Council?
- Prémio Maria Amélia de Mello para as Ciências da Saúde?
- Prémio Fundação GlaxoSmithKline?
- Etc., etc., etc.

Quantos, quantos, quantos?
ZERO, ZERO, ZERO!

Enfermeiros na investigação CIENTÍFICA na área BIOMÉDICA?
ZERO, ZERO, ZERO!

Ou seja, os enfermeiros, na Saúde, não são mais do que o homólogo dos famosos "trolhas".

Não estou a criticar, porque até os trolhas são necessários.
 
Triste sina a do enfermeiro.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
É tudo muito bonito... Inuteís são todos vocês que não precisam de lutar por nada... Na hora da verdade..todos vão chamar pelo Sr. Enfermeiro.
Inuteis são vocês..e cobardes ainda mais...dizem mal..mas são sempre anónimos...
Até um dia..na enfermaria.
Cordial como sempre..Enfermeira Ana.
 
ao anónimo das 4h36!

Prémios de enfermagem. não sei todos. mas por acaso já ouviu falar no programa PEPT SAUDE 2000!
o enfermeiro especialista em saúde pública do Centro de Saúde de Celorico de Basto, foi granjeado com a distinção de melçhor progrma de saúde pública da Europa sabia. [ver Declaração de Alma Ata e os seus propósitos].

entre outros, a nível de prémios internacionais em nefrologia (enfermeiros do hospital de s joão são sobejamente reconhecidos, por estranho que pareça lá fora e não com esses prémios cá dentro lololol)
as outras especialidades, desconeço grandemente, mas deixo espaço para continuarem.

além de que, se você não ganhou nenhum prémio não fale do que não tem, mas sim outros que fazem por isso

mentes ignóbeis, infrutíferas de sensatez, seu carisma nem paixão
com algias pecaminosas até no coração


ENFERMAGEM RUUULLLEEEEESSSSSS
 
A ex-bastonária (Enfermeira Mariana Diniz de Sousa) da OE acabou de receber o Prémio Nacional de Saúde 2008.

Um dos membros do júri era a bastonária dos farmacêuticos.
 
Peço desculpa, mas os licenciados em Ciências Farmacêuticas não são merceeiros de medicamentos? É que na realidade só os vejo a repor stocks, vender caixas de Diazepam e Aspegic...
 
O facto dos farmacêutico fazerem a administração de vacinas e de outros injectáveis já é grave.

Mas mais grave ainda, é que na prática quem está a fazer administração de vacinas e de injectáveis nas farmácias são os técnicos de farmácia,alguns dos quais nem o 9ªAno de escolariedade tem.

VOLTAMOS AOS TEMPOS DAS TREVAS!!!!

NEL
 
Boa noite.

Aprecio naturalmente algum bom humor, mas como uma valsa se dança aos pares junto deixo link para a ilustração real dos profissionais de saúde em Portugal:

http://blogceutico.blogspot.com/2008/10/manipulado.html

Cumps
 
Naturalmente, anónimo das 7:56. Estúpido como aparenta ser e enquanto enfermeiro que é, não diria ser hábito seu ler artigos CIENTÍFICOS (não de enfermagem, lol) ou estar a par dos vários projectos de investigação reconhecidos pelos mais prestigiados prémios de investigação e desenvolvimento nacionais e europeus na área da investigação biomédica básica e aplicada. Aqui não se trata de uma questão de... Enfim, capacidade intelectual (que não tem, mas mesmo que tivesse). É mesmo uma questão de não possuir formação (científica, entenda-se) para tal. Olhe, parece-me que estão a chamá-lo para ir limpar qualquer coisa...
 
Bem...

qto as competencias dos farmaceuticos qem sou eu pa ciritcar o q qer q seja, tenho mto orgulho em ser enfermeira e n trocava esta profissão por nd deste mundo. Mas já que tocam no assunto e falam da dor de "olecrânio", sr farmaceutico de facto o q o vejo a fazer no hospital é a repor stocks, a ir buscar os medicamentos as prateleiras para por nos carrinhos (dp de ler minunciosamente a prescrição médica) e pouco mais. Ah dsclp, qd vem os medicamentos trocados (cm já aconteceu) tb atende o telefone para eu fazer a minha "reclamação"...de facto as suas tarefas são maus doque um simples botão (até o telefone tem mais n e?)

Orgulhosamente, Enf. Joana
 
Vão continuar a discutir quem tem a maior...? É que por muito que cada um diga que tem a maior, não é por isso que ela vai crescer mais!
 
http://blogceutico.blogspot.com/2008/10/manipulado.html
 
Enf Joana, não confunda técnicos com farmacêuticos, assim como ninguém no seu perfeito juízo confundo médicos com enfermeiros.
 
Enf Joana, sabe da existência de uma coisinha discreta apelidada de "Industria Farmacêutica"?
 
caríssimo DR.enfermeiro sempre actual com os posteres, parabéns.


Estou pasmada do nosso dr.naifada ainda não ter aparecido deve estar a ver a Teresa Guilherme....

FLOR
 
Tanta confusão não sei bem porque, todos sabemos qual a função dos farmaceuticos nos hospitais onde trabalhamos, coitados passam a vida a ligar para o Enfermeiro para que ele lhe explique isto e aquilo. Nas farmacias estão circunscritos a um balcão e a contar e arrumar medicamentos nas prateleiras, sem pensar na limpeza das mesmas, como sabemos passam a vida com o pano de limpar na mão. Que grande orgulho!!!!!
Dediquem-se à pesca submarina talvez sejam mais uteis para a sociedade.
 
Os enfermeiros recebem muitos prémios, sim senhor, mas não na investigação médica mas sim na de Enfermagem, que é a que nos interessa. Por outro lado, os médicos recebem muitos prémios, é verdade, quase todos eles patrocinados pela indústria farmacêutica, que como sabemos é abastecida pelas prescrições em massa feitas pelos médicos. Como os enfermeiros não prescrevem, e por isso poupam dinheiro aos doentes mas retiram-no em lucros perdidos aos laboratórios, é normal que estes não recebam prémio algum patrocinado por estes.
Quanto à imagem falta um comando na consola do enfermeiro, que é o da função de "aturar asnos feitos médicos", que é dos botões que mais vezes os enfermeiros ligam
 
Eu adoro os pseudo-farmacêuticos com o verniz estalado. Calma amigos e companheiros. Não vale a pena exaltarem-se. No fundo somos todos profissionais de saúde. Refiro-me aos Médicos e Enfermeiros, não se exaltem vendedores de medicamentos.
 
Há meses li um artigo na visão que dizia que em Portugal se investe pouco em Investigação Científica na área do medicamento. Ora tendo, pressuponho , os senhores licenciados em farmácia formação em química, bioquímica, microbiologia, etc, não seria mais útil à sociedade portuguesa começarem a investir em investigação farmacológica, e deixarmos de andar a manter multinacionais a preços exorbitantes? Comecem a pensar em fazer o que lhes compete , em área de investigação , para que os poucos recursos que temos não continuem a engordar empresas que exportam para Portugal os resultados das suas investigações e criações farmacológicas, que os senhores farmacêuticos vendem ao público alegremente...
Quanto à investigação científica, ela não é apanágio de uns quantos que por artes de influência em revistas científicas, vêm por lá o seu nome, mas cujos trabalhos são o resultado muitas vezes do esforço de colaboradores, que provavelmente não aparecem no momento de receber a "Medalha".
A complexidade da imagem do post do DE fala por si. A Enfermagem é profissão complexa que exige cada vez mais saber, como outras profissões que têm de se adequar aos tempos que mudam a um ritmo frenético.Por isso os farmacêuticos aparecem com um único botão/interruptor. Façam aquilo para o qual estão capacitados e complexifiquem o vosso quadro de competências.Investiguem e deixem-se de ficar à sombra das pesquisas médicas em exclusivo.
Se atentarem ao curriculum específico da licenciatura de farmácia perceberão que há aspectos que não lhes dizem respeito.Se actuarem no âmbito do que lhes é ensinado já têm muito com que se entreter e não se esqueçam que a investigação sobre o medicamento precisa de incentivo.Ponham na vossa parte da máquina os botões que lhes faltam e não invadam competências específicas de outras profissões.
 
A Enf Joana está tão habituada a tarefas de tarefeiro que quando vê os técnicos e auxiliares dos Serviços Farmacêuticos hospitalares a repor stocks e a encher carrinhos julga que são... Farmacêuticos. Que raciocínio tão básico. Também, não seria esperar um raciocínio mais elaborado...
 
"Quanto à imagem falta um comando na consola do enfermeiro, que é o da função de "aturar asnos feitos médicos", que é dos botões que mais vezes os enfermeiros ligam"

Não é para admirar. É histórico o ódio visceral dos inferiores pelos seus superiores...
 
Alguém disse um dia e com razão: "Neste país todos se acham iguais aos seus superiores e superiores aos seus iguais". Mas não confundámos as coisas; o enfermeiro vai ser sempre o assistente, o ajudante , o escriturário,etc do médico !
 
É tão triste ver colegas abraçarem guerras tão futeis.

Devidamente ensinado até um macaco administra injectáveis. Porque pelo que me lembro também não precisei de muitas horas para aprender.

Devemo-nos esforçar por uma diferenciação a nível de conhecimentos e de crescimento prático no cuidade que podemos prestar ao doente. Não em pequenas guerras de quem "espeta a agulha".

Existe tanta coisa onde podemos fazer a diferença. Mas têm razão mais vale perder tempo com guerras de "quintas" do que "crescer" como profissional...
 
Concordo com o colega das 4:24.
Numa hora (se tanto) apreendi a técnica de administração de injectáveis, noutra hora (se tanto) aprendi a puncionar, correr soros, SBV.
Parece que em vez de crescermos tal como outras profissoes, ficamos tão circunscritos num numero muito preciso de actividades que desenvolvemos (que quase um macaco treinado as faz) à espera que alguem nos diga: "Não precisamos de voces".
Que tal crescermos?
 
Por acaso a imagem é plagiada de uma muito conhecida em que em cima se tem "Homem" e em baixo "Mulher".
 
"Tanta confusão não sei bem porque, todos sabemos qual a função dos farmaceuticos nos hospitais onde trabalhamos, coitados passam a vida a ligar para o Enfermeiro para que ele lhe explique isto e aquilo."

10:38

Sabe que n querendo denegrir a minha classe, mas descer assim baixo é feio. Na minha experiencia ja vi 1a colega minha a administrar um med IV em IM e IM em IV por duas vezes quase consecutivas. Quem veio a correr dos serviços foi um farmaceutico dps do telefonema em panico da colega. Veio ver os meds e as formulas e o que se passava dando um raspanete muito bem dado à tal colega. A sorte é que eram soluçoes as duas.
Os colegas que se armam em espertinhos sao aqueles que menos sabem, fazendo toda a porcaria e mais alguma. Principalmente essa malta das privadas sem qualquer controlo de qualidade pelo que tenho visto, so fazem m*rda.
portanto em vez de se armar em carapau de corrida olhe para si ou para seu lado encontrará mtos da privada da esquina que obram mais que gado mal disposto.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
"Numa hora (se tanto) apreendi a técnica de administração de injectáveis, noutra hora (se tanto) aprendi a puncionar, correr soros, SBV.
Parece que em vez de crescermos tal como outras profissoes, ficamos tão circunscritos num numero muito preciso de actividades que desenvolvemos (que quase um macaco treinado as faz) à espera que alguem nos diga: "Não precisamos de voces".
Que tal crescermos?"


Muito dotado. Mas digo-lhe mais, nem uma hora precisei para aviar receitas e vender loções corporais ou cremes paras as rugas.
Qualquer técnico com a 4ª classe faz o que vós fazeis.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Ó anónimo das 6:36, claro que vende, vender qualquer um vende. Mas nem só do vender se faz a casa. Se bem que é o VENDER que me encher - e BEM - os bolsos ao fim do mês, ao contrário de si e dos seus, que vivem no limiar da pobreza, a correr para o centro de emprego ou a gritar e gesticular que nem miseráveis no meio da rua contra o Governo. Eu se pudesse, a si, vendia-lhe era um frasco de permanganato de potássio, mascarado, com a seguinte indicação: ADMINISTRAÇÃO ORAL.
 
Desculpem, a imagem está errada.
A zona com mais botões é dos enfermeiros, os senhores ligam o complecometro em tudo, e fazem uma tempestade num copo de agua por nada
 
"E o bom do velho de tão entretidoque estava a adorrar a Deus na montanha nem deu conta que Ele tinha morrido na sexta-feira santa". - Nietzsche em assim falava Zaratrusta (Zoroastro).
Estes cientistas ali do alto podem copiar este tipo de raciocínio porque se lhes ajusta perfeitamente. É que de tão entretenidos que andam à batizar a ciência deles nem reparam que a dos outros é igual ou maior, embora desapoiada dos fabricantes e vendedores de droga de laboratório: pastilhas e afins que nos desgraçam as disponibilidades orçamentais da saúde e da doença.
Vamos acentar que ciência não são os prémios (brinquedos para crianças vaidosas que os laboratórios inventam, para os alegrarem no seu orgulho "científico").
Ciência é tudo que contem [conhecimento científico].
Ora conhecimento científico é todo aquele que é universal e necessário, não é o que os laboratóriios impingem a esses pândegos que um dia destes ainda rebentam de tanta prosa que inventam.
Se universal é o que se adquire de gual modo em todo o orbe terráquio; necessário é o que é assim e não pode ser de outra forma.
A água ferve a 100º, ao nível do mar. Este conhecimento é científico.
Mas se formas para as vacinas, por exemplo, que belos lucros proporcionam, o conhecimento que delas se tem já não é científico, porque se pegarmos numa vacina da gripe começamos por não ter a garantia que virus (se é que a gripe é provocada por um virus)é que a vacina está a prevenir; se é a versão do dito que se manifesta hoje ou se é a de amanhã.
No caso do Sr. Joaquim a simples vacina de gripe que os famigerados médicos de família em época de indefinição familiar enquanto a JS não conseguir, duma vez por todas o casamento para os homosexuais, que comem e... como os outros, mas por vias diferentes e, haja respeito,foi parar, o dito Joaquim, nosso conhecido de Covadonga, aos cuidados intensivos de CHVNG, em coma tendo arrefecido da cabeça para os pés.
Graças aos cuidados dos cientistas humanos por excelência; os enfermeiros, manteve-se um ano a respirar, a suapirar e a transpirar, ligado ao bufa-bufa.
Pela Outono das vindímas, começou a acordar do coma e a aquecer dos pés para a cabeça.
Vão lá confirmar este fenómeno.
A ciencia dos promotores deste tipo de vacina gripal não conseguiram descobrir as causas do fenómeno, porque estas vacinas, a uns não fazem nada, a outros provocam a gripe e a outros só não matam porque a resistência humana é um mistério.
Já agora e para não estarmos com mais rodeios, a ciencia não é compatível com o ser humano, único e indiviso, porque este não se adpta à universalidade do conhecimento científico nem à tendencia necessária do mesmo,para aquilo e não para o que os cientistas de resultados feitos e escritos em inglês, pretendem que seja.
Fica-nos a certeza que com o ser humano só se pode ter um conhecimento empírico que é aquele que se obtem com a experiência (LEMBRAM-SE, Ó CIENTISTAS?, e para mais aprofundamento aconselha-se a leitura do 2º volume da "teoria do conhecimento científico" de Armando de Castro, ainda á venda nos alfarrabistas por falta de leitores.
Ora como se ia dizendo que mais experiência feita de saber e de saber feita são exactamente os enfermeiros que passam 48 horas por dia junto dos doentes.
Por isso, seus malvados ignaros, não atirem mais pedras às Joanas por elas vos lembrarem que nos seres humanos não se aplica a ciência, mas a prática científica eivada de subsídios da ciência como a ebulição da água, a dilatação do mescúrio com a temperatura corporal, nos termómetros, entretanto substituídos pelos de fabrico chinês.
Mas quem tem mais experiência do que são os doentes são as Enfermeiras Joanas, que não devem ser insultadas só porque começam a tomar consciência disso.
O cientista médico tira a doença do doente e leva-a para casa e estuda, ou faz que estuda, pois também já há estudos feitos, depois troca os papeis e quando volta a pôr a doença no doente, às vezes, não raras, engana-se na cama do doente. Apesar de ter 20 em matemática, trigonometria e álgebra, base de sustentação na sua inscrição no curso de medicina, nem sempre acerta nos números ds doentes e a doença vai para a cama errada, como aconteceu aos das análises com nome trocado, o Sr. Francisco.
A cência possível nos doentes, essa detêm-na os empiristas enfermeiros, por isso andam a informar-se com o Sr David Hume (não confundir com o David do King's Found), para saberem que se todos os dias o sol nasce, como nos diz o saber experimental ou empírico, também é possível que determinadas práticas se possam ajustar a diversos doentes, com "arte".
Quando os insultores das Joanas descobrirem que elas estão a acordar para a vida da ciência humana possível, terão de mudar de ramo porque o negócio vai perigar.
O nosso (dos enfermeiros) problema maior não é o que esses papagaios dizem, mas sim termos quase a certeza que acreditam no que dizem.
Isto no campo das probabilidades, pois também, nestes casos se aplica o saber feito da experiência e essa diz-nos que alguns acreditam e muitos também não acreditam, por isso o estado da sua arte deles está como está, ainda mais abalada que os depósitos nos bancos falidos.
Vou dar mais umas corridas para treinar o cavalo e rechaçar uns sarracenos infiéis, antes de regressar ao cálido aconchego da caverna, onde Hermengarda esoera.
 
A administração de vacinas pode ter implicações graves, como o choque anafiláctico, que necessitam de
cuidados especializados – ou seja, para lá da intervenção de «primeiros socorros». A circular normativa n.º
8/DT de 21/12/2005, tem em anexo o protocolo da anafilaxia3, o que implica que a administração de
vacinas deve ser realizada, para segurança dos cidadãos, por quem tenha as condições para executar
competentemente as medidas necessárias: o que inclui “administrar adrenalina a 1:1 000 IM (1 mg/mL) (...)
pode ser repetida cada 10 a 30 minutos, até 3 vezes (...) “Canalizar uma veia e iniciar perfusão com soro
fisiológico EV”(...) “Se a pressão arterial continuar a baixar, administrar: • hidrocortisona EV (4 mg/kg na
criança; máximo 250 mg no adulto) ou prednisolona EV (2 mg/kg na criança; máximo 75 a 100 mg”. Este
protocolo, incluído na circular normativa, é dirigido quer ao sector público, quer ao sector privado. Faz-se,
assim, notar, que a administração de vacina pode ter como consequência necessária a intervenção em
situação de emergência, nomeadamente a administração de injectáveis IM e EV, bem como soros.
 
É assim mesmo, misterioso gardingo. Mostra-lhes o que é a ciência. Fala-lhes de epistemologia que eles até vão ter de ir a correr para o WC.
Lembra-lhes que a Enfermagem também lá tem um cantinho reservado, no campo da ciência possível.
Atira-lhes com um "themata" do Thomas Kun, que é para eles saberem o que é um núcleo duro duma teoria.
Vais ver como eles vão pensar que apanharam com um tomate...
 
O Gardingo não é assim tão misterioso, e por saber quem se esconde por detrás do mistério faço-lhe a devida vénia...
 
Bem acho triste que o proprio DE se dê a estas lutas e barracadas... eu sou enfermeira e a minha irmã farmacêutica... eles não foram dados nem achados nisto da administração das vacinas... certo esta que so faz o curso e administra quem quer.. são decisões das farmácias.. a nossa ordem n se mexeu quando devia... para que estas lutas estupidas.. deviam ter vergonha...
 
Apenas digo isto: não tem fundamento nenhum, absolutamente nenhum o facto de certas pessoas, particularmente ao Anónimo TROLHA das 4:36 que aqui neste blog escreveu as coisas mais estúpidas e revelantes de ignorância. Vê-se mesmo que não reconhece o trabalho dos enfermeiros e o esforço que fazem por garantir a saúde na população. Anónimo TROLHA: É pena haver pessoas assim como vc! Devia de ter vergonha! Eu, como estudante de enfermagem, sinto uma revolta por haver pessoas que ainda pensam os enfºs como meros "auxiliares"!
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!