terça-feira, dezembro 21, 2010

Decisão hoje.


Reunião, hoje, entre INEM  e Ordem dos Enfermeiros, para decisão sobre conteúdo funcional dos futuros Técnicos de Emergência Pré-Hospitalar.

Comments:
Também vão la falar das ofensas que o vosso sindicato fez aos profissionais do INEM?

Espero que se fale la disso pois podem ter estudos mas educação e sobretudo humildade falta-vos bastante!

Só acho estanho é que esse texto não foi colocado neste blog, isso é que eu acho estranho!
 
Estaremos prontos, seja qual for a decisão
 
eu se fosse Presidente da OE, nem falava nada....contra a existencia e pronto...então os enfermeiros não sao melhores do que esse bando....please...
 
Boa tarde. Sou enfermeiro e acho bem que a carreira TEPH siga em frente, o mais importante é o doente e não os nossos intersses.
 
Pois claro, antigamente o massagista era o homem da caixa de madeira!! Porque não há-de ser assim outra vez??
Também se chamava enfermeiro a muita gente que andava na tropa a socorrer os feridos etc...etc... com o padrinho Sócrates lá iremos...
 
Sendo eu enfermeiros a 22 anos fiquei supreso e envergonhado por ter um Presidente do Sindicato dos Enfermeiros proferindo palavras tristes a outra classe que actua na area da emergencia.Essas palavras que chamou ao futuros TEPH tais como:
“excrescência maligna
“curandeiros”
“sucateiros”
“os TAE não têm qualquer direito; nem legal, nem moral, nem profissional”
Estás palavras só envergonham a nossa CLASSE

enfº JOKO
 
Mas não é do interesse do doente ser assistido por Enfermeiros? O anónimo das 5:37 não é Enfermeiro de certeza.
Já agora, deixem de ser anónimos e assumam o que dizem.
 
mas que ofensas??
os sindicatos defendem as suas posiçoes intransigentemente.
O Tae´s esqueçem se do que falou o STAE. Esse sim passa a vida a dizer mal ds enfermeiros
 
Mostre onde o STAE disse uma única vez mal dos enfermeiros. Nunca!
 
Anseio pelo resultado...

Depois de ver como o "Dr" Ricardo Rocha do STAE atacou e apedrejou os enfermeiros nas II Jornadas de Internacionais de Reanimação no Porto, fiquei inteiramente contra a criação dos TEPH e da usurpação de funções que estes pretende.

Espero que a OE tenha tomado um posição muito forte.
 
Por favor nós agimos melhor que dessa forma mesquinha. Se não concordam com a carreira dos TEPH usem argumentos válidos e que provem tal posição mas não andem a descer tão baixo e a perder o respeito por outras pessoas ou profissões. Saibam agir de forma mais inteligente.
 
Então se aparece aqui um de vós que tem opinião diferente já não pode ser enfermeiro!

Se calhar este vosso colega é um dos enfermeiros que quis fazer VMER e foi barrado pelos próprios colegas ou ir para o CODU e foi barrado pelos próprios colegas ou de uma SIV e foi barrado pelos próprios colegas, tudo isto simplesmente para terem mais extras e ganharem mais dinheiro...

Que culpa tem os TAE de terem na vossa classe colegas que só vê € á frente e só quererem encher eles a barriga e agora que lhes acabaram com o tacho já vos pedem apoio para fazerem guerra quando foram eles a barrarem a entrada a próprios colegas!?

Eu continuo a dizer que vocês andam cegos a dizerem que querem criar uma carreira nova, quando a carreira já está criada á mais de 5 anos anos e só se vão aumentar as competências e nada mais...

Será a única profissão que terá as suas competências escritas preto no branco, pois nem os médicos ainda foram capazes de se entenderem em relação ao acto medico nem os enfermeiros ao acto de enfermagem.

Só vos digo isto, reparem no exemplo inglês em relação á emergência pré-hospitalar, 5 anos após a criação da carreira de EMT criaram o PARAMEDIC com actos e competências bem definidas por lei, por isso não se entendam não e vão ver para que vos serve o canudo e essa sapiência toda que dizem que possuem...

O TEPH é uma copia praticamente directa do EMT inglês, digam-me então que não possam copiar também o nível seguinte!?

Agora daqui tirem as vossas conclusões.

Fiquem bem e saudinha da boa!
 
O doente tem direito a ser assistido pelo melhor profissional de saúde é verdade sim sr...

Agora pergunto quantos enfermeiros estão dispostos a fazer ambulancia???????

E não se esqueçam que portugal não é so Lisboa, Porto e Coimbra, acham que todas as ambulancias do país podem ser tripuladas por enfermeiros??? E as que não podem continuam a ser tripuladas por nós TAS, não podemos ter mais formação?? não podemos evoluir??
Acham realmente que isso é o melhor para as pessoas??

e as VMER acham que chegam realmente em tempo util a todas as localidades do país?? quem la vai então?? é o INEM?? são as SIV's??? é o heli?? quem ajuda essas pessoas??? em toda a parte do mundo são criados protocolos de actuação, porque é que não podem ser criados em Portugal?? mas acham realmente que isto é uma questão para alguem sem ser para os Lobby's e para quem ganha com isso?? é triste ver enfermeiros no desemprego, a minha mulher é enfermeira e é triste ver pessoal a quem ela fez a integração andar a servir ás mesas depois de 4 anos de curso, mas somos nós os TAS ou é a população que tem que pagar por isso??

Acham que por termos finalmente ganho consciencia de classe que somos bandidos?

Somos tudo aquilo que o enf do sindicato nos chamou por querermos ser melhores, pensem nisso um bocado, e ponham-se no nosso lugar um minuto, acham realmente que merecemos todos os insultos que temos ouvido?

Criem o curso, avaliem-nos e depois quem sabe anda para frente e quem não sabe fica pelo caminho, tal como em todos os cursos que existem...

Fico triste ver estas guerras, tal como disse trabalho com enfermeiros todos os dias, a minha mulher é enfermeira e somos todos de acordo, estas guerras são feitas por quem tem algo a ganhar ou a perder, todos os outros apenas querem o melhor para os utentes

Um abraço para todos e boas festas!
 
SE FOSSEMOS MAIS UNIDOS AS COISAS ERAM BEM DIFERENTES... O PROBLEMA É QUE SOMOS MUITOS NARCISISTAS.. SEMPRE FOI O PROBLEMA DA ENFERMAGEM E SEMPRE SERÁ... POR ISSO É QUE A NOSSA CLASSE ESTÁ ASSIM...

ENFº JOKO
 
Tendo em conta que uma parte do conteúdo funcional dos TEPH serão actos MÉDICOS, a ordem dos enfermeiros terá seguramente um palavra decisiva...
 
anda aqui muito lobo com pele de cordeiro!não acredito que nenhum enfermeiro concorde com a carreira de TEPH que estes Srs Tae's querem! Agora que alguém lhes apertou os calos e os pos no seu lugar vem falar de educação, esquecem que andam a ofender os enfermeiros à bastante tempo!

Eu sempre vos disse que a missa ainda ia no adro, agora ainda vai doer mais!

"quem tudo quer, tudo perde!"

Lembrem se foram voçes que tentaram correr com os Enf do PH por isso o que o sindicato disse é muito brando!
 
Bom dia caros colegas, espero sinceramente que se defina o futuro o dte em 1º lugar deve ser tratado por profissionais conpetentes que conheçam a fisiopatologia das dças, e o que os tais tae querem é protagonismo façam um teste geral e que não possam "copiar" ou uma avaliação digna desse nome por outras classes, como os Enfros fazem quando são avaliados no SAV, e vejam quantos restariam daqueles iluminados com um sindicato que tem dispensas sindicais para irem de férias ou gozar as quadras festivas em casa vejam por são publicas as escalas dos tais sindicalistas que tanto apregoao que defedem os tae´s.
Assim coloquem medicação na mão desses srs e vejam o futuro dos vossos familiares... pensem nisso porque se quiserem temos factos reais e provas ...
 
Força vamos em frente..
 
Antes demais, quero esclarecer que não sou TAE, nem enfermeiro, nem outro qualquer profissional de saúde, mas como cidadão português, preocupa-me e enoja-me estas pseudo-guerrinhas que já ninguém tem paciência de aturar. Em relação ao que esse enfermeiro do sindicato dos enfermeiros disse, onde chamou de sucateiros e outros "apelidos" menos inteligentes aos TAE, só tenho a dizer que se o sr. é contra os TEPH, então expresse a sua opinião de uma forma mais inteligente, pois insultar só revela a falta de argumentos da sua parte, existem formas de demonstrar o nosso descontentamento sem insultarmos e os TAE/TEPH são profissionais de saúde que trabalham todos os dias pelo doente e JAMAIS merecem desprezo e desrespeito por parte de quem quer que seja. Em relação a vocês TAE, a única coisa que tenho a dizer é que numa grande maioria são óptimos profissionais de saúde, e como tal, se querem acrescer as vossas competências para ainda poderem ajudar mais o doente, então lutem por isso, não vejo onde está o problema de vocês poderem aplicar protocolos de SAV e medicar um doente, se tiverem conhecimento para o fazer, go ahead, mas isso não significa que tenham de expulsar os enfermeiros do PH(aliás, se o fizessem seria uma atitude estúpida e pouco inteligente). É verdade que uma grande maioria das escolas de enfermagem (não todas) não ensinam EPH ao estudante de enfermagem, mas concerteza que os enfermeiros que trabalham no INEM tiverem formação adicional em SAV, traumatologia etc etc etc. É uma grande pena, e só tenho a lamentar que vocês TAE e enfermeiros não tenham a capacidade e o discernimento de entender que se trabalhassem em conjunto, seria uma mais valia para o doente, mesmo que os TEPH e os enfermeiros tivessem a mesma formação de PH. Imaginem, numa situação de trauma (acidente, queda, etc) não vejo o problema do TEPH completar o enfermeiro com os seus conhecimentos de extracção, imobilização e outras técnicas,e o enfermeiro completar o TEPH com o seu raciocínio clínico mais aprofundado nos sistemas e orgãos da vítima, pois muitas pessoas vítimas de acidentes (p.e.) estão estáveis à chegada da ambulância e acabam por morrer ao chegar ao hospital, pois existem enúmeras situações/complicações que podem ocorrer durante o trauma que são facilmente despercebidos e aí, o complemento do raciocínio clínico de um enfermeiro ou médico, seria uma mais valia para a vítima, assim como numa situação de doença súbita, o raciocinío clínico do enfermeiro pode, e muito, completar os conhecimentos do TEPH, onde a vítima sairá, concerteza, muito mais beneficiada.
 
Com isto, só queria dizer que, os TEPH são excelentes técnicos de saúde, e a meu ver, devem saber e poder executar técnicas de SAV e medicar, assim como os enfermeiros também são profissionais com conhecimentos técnico-ciêntificos (com formação posterior à formação base) para o importante exercício que é a EPH. O raciocínio clínico que os enfermeiros têm e que será superior ao de muitos TAE, será uma grande mais valia para detectar e despistar certos mecanismos que podem provocar complicações altamente letais para a vítima. O binómio TEPH-enfermeiro deveria ser indespensável em Portugal, pois um, pode complementar o outro e vice-versa. Ponham os olhos em Israel, país que por sinal tem um dos sistemas de emergência pré-hospitalar melhor organizados e reconhecidos a nível mundial, e lá, tanto médicos, como enfermeiros, como paramédicos têm a mesma formação em EPH e ambos fazem parte dessas equipas, e ambos podem aplicar protocolos de SAV, trauma, medicar o doente, etc. É pena, muita pena mesmo, que haja alguns enfermeiros não consigam reconhecer isto, e que partam para insultos para com os TEPH, assim como é pena que os TEPH não queiram fazer parte de uma equipa com enfermeiro. Enfim, mentalidades mesquinhas ao seu pior=Portugal no seu melhor!
Só quero terminar, dizendo que não quis nem quero com este comentário ofender nem insultar ninguém e quero desde já dizer que, se estiver enganado nalguma coisa, corrijam-me, visto que sou um pouco leigo nestes assuntos, mas também não resisti em deixar aqui a minha opinião!

Henrique Martinho, cidadão português preocupado com o futuro da EPH
 
Vá caros TEPH, médicos e demais pessoas acéfalas e pseudo-pessoas, já sei que me vão "atirar pedras" por eu ter dito que os enfermeiros "têm raciocínio clínico". Podem atirar, é das pedras que me atiram que a minha personalidade fica mais forte e construída, podem não querer ver a realidade e continuar na vossa amnésia e narcolepsia mas sim, os enfermeiros como prof. de saúde estão habituados e foram ensinados a pensar nos orgãos e sistemas do paciente, de modo a identificar mecanismos que podem levar a sérias complicações ao doente! Há estudos internacionais que o dizem e contra factos, não há argumentos.

P.S.: para o senhor anónimo das 7:01 PM, o seu comentário só envergonha a classe tão digna que é a Enfermagem. Uma pessoa pode errar, mas não reconhecermos que erramos é ainda pior! Esse tal senhor enfermeiro do sindicato tem todo o direito a estar contra os TEPH, mas existem formas MUITO MAIS ÉTICAS de demonstrar o descontentamento. Insultar só mostra a falta de argumentos e a pouca inteligência da pessoa a articular o discurso! É verdade que o sr anónimo tem razão ao dizer que o STAE passa a vida a insultar os enfermeiros, mas o sr acha bem o sr enfermeiro desse sindicato rebaixar-se ao nível baixo do STAE??? Pense nisto...
 
O comentário anterior é da minha autoria, como gosto de assumir publicamente aquilo que digo e não manter-me no anonimato, tendo em conta que não assinei o post anterior por pura distracção, assino agora

Henrique Martinho, cidadão português farto de pessoas mesquinhas e pouco éticas no sistema nacional de saúde!!!
 
SE FOSSEMOS MAIS UNIDOS AS COISAS ERAM BEM DIFERENTES... O PROBLEMA É QUE SOMOS MUITOS NARCISISTAS.. SEMPRE FOI O PROBLEMA DA ENFERMAGEM E SEMPRE SERÁ... POR ISSO É QUE A NOSSA CLASSE ESTÁ ASSIM...


Concordo plenamente. Somos uma classe de gente jovem e com muitas capacidades que tem uma grande responsabilidade na saúde. Deveríamos dar o exemplo de união, respeito e responsabilidade e para isso é preciso trabalhar defendendo os nossos interesses mas sem pisar ninguém. Vá lá colegas sejamos mais inteligentes.
Usemos uma forma de luta mais eficaz e fundamentada e não de "lavagem de roupa suja"

Enfª aips
 
Mais uma vez...o «Vil Metal» a ditar as suas leis...
 
Bom para começar,os insultos nao sao bonitos nem de um lado nem de outro.
partindo deste principio, se alguem quiser fazer um pequeno exercicio de memoria, verá que quem passa a vida a insultar a classe dos enfermeiros é o STAE. Esse sindicato defende intransigentemente a sua classe.
O primeiro insulto é a sua proposta de Carreira, eu nao estou contra a carreira dos tae´s , estou contra é que copiem literalmente a minha.
A minha carreira nao se fez em 1550 ou 550(segundo a "experiencia de cada TAE"), tenham paciencia, querem ser enfermeiros estudem, estudem muito.
Nao me venham com a historia de que nao se ensina EPH nas escolas, porque em medicina tb não se ensina, mas claro como os medicos estao se a borrifar para os TAE, e nem lhe ligam nenhuma, nao lhe faz frente entao os medicos sao diferentes.Nao se confundam senhiores TAE os medicos nao vos apoiam...eles pura e simplesmente vos ignoram.
No dia em que se meterem com eles ,irao ver como a atitude deles muda. Lembrem se do inicio das SIV´s.
E sobre o problema de dinheiro, e que os enfermeiros só pensam nisso...meus amigos eu conheço TAE´s que andam a contar qts turnos extras faz o colega para poder reclamar. Atras do dinheiro andam todos ENF e TAE e isso nao é ilegitimo. Imoral é dizer que os ENF só querem dinheiro e que os TAE só querem ajudar as pessoas.
 
É hoje que estes tecnicozitos ficam no seu lugar!!

Servem para auxiliar Enf´s...e já é mto bom!!!
 
Está tudo muito distraído, então caros colegas sabem da melhor? O Presidente da Administração do S,João virou o bonzinho (é para rimar com Joaozinho, então não vai distribuir cabazes de natal pelos funcionarios "pobrezinhos"?! Grande lata sr. Dr. por um lado tira por outro dá... como sabe quem é pobreinho? Ele que gastou 1 milhão com a porcaria da fardas... pois para dar €€€€ ao seu grande amigo ...Nuno Gama, pois está claro...
 
Caro admnistrador, devia publicar todos os comentarios e nao só aqueles do seu interese...

ENFº JOKO
 
"competências escritas preto no branco, pois nem os médicos ainda foram capazes de se entenderem em relação ao acto medico nem os enfermeiros ao acto de enfermagem."

como enfermeiro assumo que, TODAS as competências da saúde, são actos médicos. TODAS. é a lei, está na lei, sempre esteve...

isto é, muitas classes fazem, e executam, mas se eles (os drs) quiseram, basta quererem e mais ninguém faz, ou volta a fazer.
ex: a algaliação era um acto do cirurgião, agora é de enfermagem.
não fomos nós que ganhamos, não.
a questão é ao contrário... eles é que quiseram deixar para os empregados, técnicos e/ou afins executassem, como hoje.
para a executarem basta... quererem!
e ninguém pode recusar e afirmar que é um assalto às competências 'de'.

perspectiva diferente, mas realista
 
Ler estes comentários diz tudo. Acho até que todos, sem excepção, já têm é funções a mais a julgar pela peixeirada que se lê aqui.
 
entao a decisao?
 
Adoro estas guerras entre "básicos" e "iletrados"... Tanta gentinha a tentar ser aquilo que não, nem nunca será...
 
E QUE DEU?????
 
ja alguem sabe de alguma cosia?
 
É hoje que estes tecnicozitos ficam no seu lugar!!

Servem para auxiliar Enf´s...e já é mto bom!!!


Caro colegas... vamos manter o nível!

Isto tb não!
 
Os TAE's são básicos, são sim senhor, sem o básico não se faz mais nada, já dizia a minha avó "sem limões não se faz limonada", queremos evoluir, deixar de ser básicos? Claro, e isso não faz sentido? Dito por quem?? Um classe sem estatuto, fraca em convicções e que de pré-hospitalar sabe tão pouco? Sim se soubesse mais haviam argumentos válidos em cima da mesa...são os recém-licenciados que vão para uma SIV??Poupem-me vocês para irem para o PH têm que adquirir mais competências que o vosso curso base certo? Quando passaram a ser tripulantes de ambulância numa SIV, sim, porque apesar de enfermeiros têm de ser também tripulantes de ambulância... mas a proa é tanta que andar a carregar um doente na maca fica mal aos srs enfermeiros, andar a esfregar o chão cheio de sangue e vómitos idem...são uns hipócritas, eram incapazes de sobreviver numa ambulância sem o "básico" do TAE, era engraçado ver 2 enfermeiros numa SIV, era só discussões a ver quem agarrava primeiro no abocath, quem conseguia puncionar, quem era o herói...tanta pergunta, duvido que tenha respostas válidas!
 
Foi preciso vir o "Limonete" das 7.50pm para alguem dizer algo de jeito! A questão é mesmo essa, aquilo que hoje em dia muitos enfermeiros apelidam como "acto de enfermagem" ou competencias dos enfermeiros, não são mais do que actos Médicos considerados "menores" os quais são delegados noutros profissionais menos qualificados! Esta é a realidade! Claro que nenhum enfermeiro ou técnico gosta de ouvir estas verdades. Entendo. No entanto não existe rigorosamente nada que em saúde um médico não esteja legalmente habilitado a fazer, enquanto o contrário simplesmente não se passa...
 
Feliz Natal!
 
"Decisão hoje" desde do dia 21.... e então??? qual foi o resultado??
 
ATENÇÃO AO QUE SE PASSA NO ALGARVE COM A HELPED...

ONDE ANDA O SEP??????

INICIATIVAS PÚBLICAS NÃO CHEGAM...
 
A minha alma está parva!
Parece que so os enfermeiros é que não têm o direito de se defender e defender a sua profissão ou o conteudo da dita.
Já em 1940 através do DL 32170 se dizia que havia 3 profissionais na "arte de curar": médicos, parteiras, enfermeiros.
Mas dizia-se mais; que nenhum destes profissionais tinha competências para interferir na área dos outros. Há lá determinadas multas e prisão para quem interferir através seja de quem for na área do outro. Por isso os médicos não têm nada, mesmo nada a ver com o que os enfermeiros definem para si, de acordo com a ética que é a lei cos costumes, do que é costume fazer; do que é hábito fazer. Este hábito faz lei e são as ordens profissionais que dedimentam essa lei.
Quando não havia a OE era a OM que ditava tudo. Hoje teria de bater a bola mais baixinho se a OE não tivesse tantos ignorantes a representarem enfermeiros.
 
Os enfermeiros que se interessam pela coisa sabem quem foram os seus colegas que ajudaram a fundar os SDTAE no âmbito da Central Comunista (SGTP). Esse ainda lá está a ajudar o Miguel a montar o esquema TAE e STAE.
Infelizmente não é único.
Quando neste país se chega ao cúmulo de ter os bombeiros/parteiros a comemorarem as suas façanhas, indo ao ponto de confraternizarem com os nacituros que ajudaram a parir entre Santa Marinha do Zezere e Penafil ou qualquer outro sítio, só porque não se quer que as parteiras com experiência estejam nos centros de saúde a orientarem as mulheres grávidas desde o ínicio da sua gravidez, algo vai muito mal na saúde, porque se calam todas as vozes perante estas enormidades, para que a classe médica continue a fingir que sabe tudo e de tudo, mesmo aquilo que por lei está entregue às parteiras.
Mas também estas não se livram de uma dose q.b.p. de covardia pois deixam os seus créditos por mãos alheias.
Ainda discutem o que está mais que definido para os paises da UE e não só, através da OMS.
Ainda pedem que se aplique a norma comunitária, quando ela já está mais que vertida na lei portuguesa, como nem podia deixar de ser. S
ó precisa é de executantes: as parteiras.
Se fossem os TAE já estavam a elogiar-se e a alardear cxompetências que julgam ter mas não têm nem podem ter, porque não se nasce ensinado.
 
Se o SE chamou sucateiros e curandeiros e balconeiros e usurpadores aos STAE e TAE e afins, está no seu dever. E quem assim fala não é parvo, como muitos dos pinantes e opinantes ali de cima classificam quem tem o dever de defender o objecto de trabalho e conteúdo funcional dos enfermeiros.
É pena que outros Sindicatos se prestem ao papel covarde de não atacarem, porque não podem os STAE, só porque 500 ou menos cidadãos resolvem fazer um sindicato comunista, mais um, para provocarem os que desde 1913, pelo menos, defendem a Enfermagem e os Enfermeiros como é seu dever e direito.
E para acusarem os ou o responsavel do SE de ignorante, usam e abusam da mais perfeita ignorância, como aliás é próprio de quem é atirado para projectos que têm origem devidamente identificada.
Mas nem todos são tão estúpidos como julgam. Há quem tenha, no seio dos enfermeiros, critérios científicos fundadaos na mais cientifica hermenêutica para classificar com algum rigor a autoria dos ingénuos anónimos, que pinam e opinam acerca dos enfermeiros.
E há um pouco de tudo; até há os que se dizem enfermeiros para subtilmente os insultarem armados em enfermeiros bem educados e mais bem pensantes.
Basta ver como escrevem de "à tempos para cá" para se saber que ainda não conhecem o "h" para o porem na expressão de "há tempos para cá".
Mas não é só por isso porque ignorante é muita gente boa de boa gente. O problema é de escola, pois é a falta dela que os torna atrevidos, para se meterem onde não sabem nem são chamados, como é o caso dos assuntos de enfermagem.
E não é a OM que vai autorizar o que é das competências dos enfermeiros e que é a sua Ordem que tem competência legal para. A OM pode fabricar paramédicos, mas não paraenfermeiros. Quando se entra na execução prática é com os enfermeiros e quem os representa que tem de se falar. O resto é treta da treta.
O problema é termos representantes com as gónadas a funcionarem correctamente e sem estarem subjugados à opinião de partidos políticos, mormente o PCP, que têm o seu lugar na sociedade, mas não a abandalhar os conteudos funcionais das profissões.
É a leitura hermenêutica que nos desvenda as anonimadas ali acima vertidas em prosa ingénua.
Sossega jacaré que a lagoa há-de secar, diz o indiano.
 
Os enfermeiros, mesmo os mais distraídos começam a despertar dum sono e dum sonho que tinham com adquiridos, pois julgavam-se dignos de respeito.
Um dos males do nosso SNS é não ter os enfermeiros no CENTRO das operações a solicitarem ordenadamente e com conhecimento próprio, a intervenção de cada qual dos que fazem coisas que os ultrapassam.
Quanta massa, cinzenta e da outra, se poupavam ao erário público...
Mas isso é que os exploradores de sistemas falidos não querem.
Despertos do longo sono, porque pensavam que podiam dormir descansados, porque eram respeitados na medida em que respeitam os outros, os Enfermeiros vão dar nas vistas nos anos mais próximos. E só quando assumirem o lugar para que estão devidamente preparados e legitimados, que está longe de ser o actual, é que o SNS dará mais um passo em frente na sua sustentabilidade e consolidação.
Se não fosse este impagável e único DE, quanta asneira nós deixávamos de poder analisar, para sabermos como os cães ladram quando passa a caravana.
Já agora, se não querem ser atacados por aqueles sindicatos que ainda e sempre defendem os enfermeiros, não se metam onde não são chamados; vão para trolhas, que é arte que vos assenta melhor.
 
O "Limonete" das 7:50 não percebe que as profissões evoluem bem como as suas competências!O que era à 200 anos atrás quando enfermagem ainda não tinha "actos clinicos" definidos não se verifica agora! Se todas as competências são actos médicos que trabalhe só essa profissão...por favor...existem pessoas muito ignorantes que são de tal ponto quadrados que só vêm o umbigo!

Parece que vivemos no seculo passado...evoluam...pela positiva claro!
 
O "Limonete" das 7:50 não percebe que as profissões evoluem bem como as suas competências!O que era à 200 anos atrás quando enfermagem ainda não tinha "actos clinicos" definidos não se verifica agora! Se todas as competências são actos médicos que trabalhe só essa profissão...por favor...existem pessoas muito ignorantes que são de tal ponto quadrados que só vêm o umbigo!

Parece que vivemos no seculo passado...evoluam...pela positiva claro!
 
vesse mexmo kisto é tudo conversa dómens e por isso bolas!
 
Anónimo das 9.54 o que o sr. se esquece é que tudo aquilo que se faz ao doente (sob o ponto de vista clinico) merece o aval e autorização do Médico. Bem sei que não faltam exemplos do contrário. È certo. Mas por Lei, o que se faz, quando se faz e como se faz, algo a um doente, é uma decisão que ao Médico compete. Os enfermeiros são executantes de actos Médicos que lhes são delegados!! Actos próprios de enfermagem?Higienização? Não convém falar, é mais giro prescripção, parece mais "à Médico" (mesmo que disso não pesquem puto)... Mas o mais engraçado, é ler os posts. deste blog, e depois dar um salto aos hospitais... Onde aqui se lê que "eu faço e aconteço, eu isto eu aquilo" nos hospitais vê-se "sim sr. Dr., é melhor esperar pelo Médico, precisa de alguma coisa sr. Dr?" etc... Enfim, fantasias de enfermeiro...
 
Para o senhor(a) HD:
Apesar de demonstrar ser uma pessoa bastante inteligente, recomendo-lhe que reflita melhor antes de opinar sobre o que quer que seja, pois o facto de saber articular bem o discurso e saber "jogar com as palavras", não lhe dá o direito de insultar quem quer que seja. Concordo com algumas coisas que disse mas:

1º ponto: Não compreendo como é que o senhor(a) pode apoiar e defender aquilo que o presidente do SE disse... É que, chamar aos TAE de usurpadores de funções, até aí tudo bem, nada de mal, mas sucateiros e excrescência maligna?? Desculpe mas isto não é defender os enfermeiros, isto é rebaixar-se ao mesmo nível do STAE (quando insultaram a classe de enfermagem) e pior ainda, é insultar ao menos ético possível, o rebaixar e o desacreditar social dos TAE! Tal como os enfermeiros, os TAE trabalham todos os dias pelo doente, sujeitam-se a uma infinidade de situações físicas e psicológicas degradantes e mesmo assim não desistem de lutar pela vida do doente! Como tal merecem respeito! Se estão a usurpar funções de classe de enfermagem, ok pronto, devem de ser repreendidos e chamados à atenção para tal, MAS NUNCA REBAIXAR QUEM EM VIRTUDE DO OUTRO TRABALHA!!!!!! Com todo o respeito que tenho pelos enfermeiros, vocês também não gostam que vos chamem de "limpa-cus" e de "técnicos de Halibut" pois não??? Então como tal, o senhor deve reflectir, antes de insultar os outros, naquilo que também não gosta que o insultem a si!

2º Ponto: O senhor(a) tem a noção daquilo que disse sobre os bombeiros efectuarem partos??????? Por acaso você sabe o que é uma pessoa viver a mais de 50 km de distância de uma maternidade com estradas cheias de curvas, estreitas e com buracos que mais parecem crateras??? Se não sabe CALA-SE! O que é melhor? a criança nascer numa ambulância com as mínimas condições? ou nascer na sua própria viatura com o parto efectuado pelo marido ou familiar que não tem as mínimas noções de assepsia e de partos??? A culpa dos bombeiros fazerem partos não é dos bombeiros, mas sim por culpa da aberração do ex-ministro da saúde Correia de Campos, que teve a infeliz ideia de fechar maternidades!!! Eu próprio sei o que é ir numa ambulância, não em trabalho de parto como é lógico, mas sim com uma crise aguda de asma que só eu é que sei, sentir que o oxigénio parecia nem sequer entrar nos meus pulmões, cada vez mais sonolento e a bombeira a SUPLICAR ao CODU que enviasse o apoio da VMER, mas esta estava inoperacional! a bombeira teve de se desenvencilhar sozinha, sem o apoio de profissionais clinicos e felizmente estou vivo!Por isso, não admito sequer que diga mal dos bombeiros, porque eles, se por vezes fazem coisas que se calhar não lhes compete, é para salvar o doente, porque isto das VMER's e SIV é tudo muito bonito, mas elas muitas vezes estão inoperacionais e ou ocupadas noutra ocorrência e olhe que, o senhor(a) como enfermeiro(a) deve saber que lidar com a sensação de que alguém morreu nos seus braços porque não pode fazer mais ainda, é muito mau, e isso também se aplica aos bombeiros!
Isto tudo só para lhe dizer que, pense bem antes de insultar ou repreender os bombeiros por aquilo que fazem, porque eu até estava a gostar de ler o seu comentário, mas quando cheguei a essa parte, até me meteu NOJO!
 
Em Portugal existe alguém mais usurpador de funções do que os enfermeiros?
 
Caro anónimo das 11:37, mais uma vez está a confundir actos "médicos" com actos "clínicos"; e não vamos confundir prescrição com qualidade de execução! Vê-se mesmo que não sabe o que é enfermagem...de qualquer das formas não será num breve texto que lhe vou explicar a essência do cuidar! Não vamos aqui expor quem é melhor que o outro mas sim tentar compreender o que melhor fazer em prol de quem precisa!

Se alguém pede para fazer uma cadeira isso quer dizer que perceba de carpintaria?

Se quer um serviço onde os enfermeiros executam a sua função com qualidade e estão sempre alerta para qualquer intercorrência proveniente de um acto médico, venha ao meu, chama-se Especialidades Cirúrgicas.
 
E desculpe...não pesco nada de prescripção pois tal não existe!
 
Alguém me consegue explicar porque é que existem afirmações contra o STAE por este ter denegrido os enfermeiros! Apresentem me essas declarações por alguém do STAE! Agora a efectuada pelo SE é excelente mesmo, vem lançar a confusão dentro da classe de enfermagem pois muitos enfermeiros não se revêm nessas declarações! Curioso é como se utilizam artefactos linguísticos para a falta de argumentos; tudo vale para que os TEPH não surjam e até já se ofende pessoas que nada têm a ver com isto!

um enfermeiro em cada ambulância é impensável e a nível de RH e Logísticos impossível!

A verdade é que quem ganharia com isto seria as escolas de enfermagem! sim porque existe grandes interesses no ensino superior! Pensem bem se estas pessoas que estão ligadas a Ordem, aos sindicatos, etc... Não são professores (muitos deles sem a mínima formação em pedagogia mas ok!) !? será que a enfermagem não esta lotada!? porque não reduzem o número de vagas e fecham as escolas privadas!? pois ai já não existe interesse! é que isto do INEM só existe porque os hospitais estão lotados! os enfermeiros não deixam os seus duplos... triplos...

Mas será que ninguem vê isto?
 
Vamos esclarecer uma coisa ou duas coisas:
Os actos clínicos tanto são dos médicos como dos enfermeiros, porque são actos que se prestam a doentes acamados, deitados.
Até foi uma enfermeira inglesa que começou a dar nas vistas na guerra da Crimeia e reduziu com a sua arte e saber e intuição a mortalidade; reduziu a mortalidade de 42 para 2%, foi uma enfermeira que inventou o chamado "processo clínico" que não é de médico mas de doente acamado.
Os actos dos médicos são dos médicos e só;
Os actos dos enfermeiros são dos enfermeiros e só.
Os enfermeiros não actuam por delegação de ninguém, porque têm um raio de acção tão amplo ou mais do que o dos médicos; simplesmente ainda não se aperceberam disso e a sua modéstia, às vezes exagerada, não lhes permite fanfarronices nem que sejam a limpar cus a merdosos, ou a executar as mais elevadas técnicas em saber e jeito.
depois vem um médico qualquer e põe na conta dele porque é atrevido e não respeita quem o respeita.
Para os enfermeiros subordinarem o seu saber e arte, aos médicos estes tinham de saber mais enfermagem do que eles. Ora como de enfermagem sabem os enfermeiros a pergunta é: quem é que sabe de enfermagem?
Para os médicos é: quem é que sabe de medicina?
Como diz o povo, cada macaco no seu galho.
Dizem os bem intencionados, que até fazem o que compete aos enfermeiros, que por se reclamar o que é nosso se insultam os atrevidos que sabem fazer de tudo, porque a ignorância e as circunstâncias assim o permitem.
Mas não têm que assumir culpas que não têm realmente.
Se houvesse parteiras nos centros de saúde, como já houve nos postos das caixas de previdencia, os bombeiros não precisavam de fazer de maternidade nem de parteiro.
 
afinal qual foi a decisão? isso é q interessa.
 
Conclusões, não há?
 
O Sr. HD percebe de enfermagem...!
Bem haja...
 
MORTE AOS TEPH.....
ISSO VAI FICAR NO PAPEL...PORQUE O PALHAÇO DO PIZARRO VAI ACORDAR DEPOIS DO PESADELO QUE LHE VAI ASSOMBRAR A VIDA.....
CAROS COLEGAS ENFERMEIROS; A GUERRA ESTÀ ABERTA....MOSTREM O PODER QUE TEMOS E AINDA NÂO FOI VISIVÈL...
ISTO È UM ATENTADO Á SABEDORIA DE UM SER CULTO E INTELIGENTE COMO NÒS.....
 
Creio que o senhor(a) HD quando se refere a parteiras, suponho eu que se esteja a referir a enfermeiros de saúde materna e obstetrícia, é que o termo parteira causa-me uma certa urticaria, faz-me lembrar as parteiras de antigamente que nem um curso de partos tinham, enquanto os enfermeiros especialistas em saúde materna e obstetrícia são profissionais de saúde altamente qualificados para acompanhar a dita gravidez "normal" e o respectivo parto. Sim, tenho que concordar consigo que era o ideal haver Enfermeiros obstetras em todos os centros de saúde que pudessem acompanhar acompanhar as grávidas na ambulância até ao hospital, mas o senhor(a)esquece-se que Portugal não é só Lisboa, Porto Coimbra, Faro e outras cidades desenvolvidas... Existem lugares transmontanos, alentejanos, e outros onde se encontrar-mos um único médico e um único enfermeiro de cuidados gerais é quase como encontrar um tesouro perdido, quanto mais um enfermeiro ESMO. Convido-o a ir passar um dia à terra do meu pai, terra essa onde a cidade mais próxima fica a 40 km de distância e a vila mais próxima a 20 km (com estradas cheias de curvas e super estreitas onde uma viagem normal até ao centro de saúde mais próximo demora no mínimo uns 25 minutos), onde sempre que por algum motivo existe a necessidade da presença duma VMER, ninguém lhe tira menos 1 hora de caminho (isto a acelerar bem!), agora imagine uma grávida a fazer este caminho todo! Se entrar em trabalho de parto dentro da ambulância, o que é que o bombeiro faz? Começa a rezar umas quantas ave-marias e pai-nossos para que lhe caia um enfermeiro do céu??? ou agarra numas luvas e ajuda a realizar o parto? repare, como ouvi um bombeiro dizer na televisão, eles não fazem o parto, a grávida é que tem o trabalho todo, eles apenas ajudam ao agarrar o feto e observá-lo para ver se respira ou traz alguma complicação visível...
Repare, a intubação endotraqueal é um acto médico, está na lei, mas felizmente em Portugal alguns enfermeiros e cardiopneumologistas (pelo menos os que têm formação em SAV) podem fazê-lo. E ainda bem que podem, para bem do doente. Experimente um enfermeiro ir para o Brasil ou para a Alemanha intubar o doente, que se encontrar um médico de nariz mais empinado, vê logo a sua licença automaticamente tirada. Felizmente, em Portugal isso não acontece. Repare, aqui ninguém está a pedir que os bombeiros realizem episiotomias, nem episiorrafias mas sim ajudar uma criança a nascer, que não tem culpa nenhuma do espirito egoísta, egocêntrico e desumano de alguns enfermeiros.
Para terminar, como futuro enfermeiro que sou, só lhe quero dizer que tenho vergonha de vir a ser seu futuro colega, não quero de forma alguma pôr em causa as suas qualidades como profissional de saúde, mas como pessoa, não é preciso ser médico para lhe conseguir diagnosticar muita falta de humildade, pelo menos no que toca a este assunto...
 
http://tecnicoambulancia.blogspot.com/2010/12/teph-uma-realidade.html

Aqui vai um cheirinho do resultado lol
 
Caro anonimo das 12:38.
Se tivesse o minimo de formaçao nao dizia tantas ASNEIRAS...
Digo mais
"Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo…"


A realidade é esta: a Ordem dos Enfermeiros vai finalmente entrar para a mesa de negociações com o STAE e INEM, para ser finalmente reconhecido aquilo que sempre se negou: TÉCNICOS DE EMERGÊNCIA PRÉ-HOSPITALAR em Portugal SIM!


Drº JOKO
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!