segunda-feira, janeiro 17, 2011

Pirilampismos.

Ouvi, no ano findo, o Vice-Presidente da Ordem dos Enfermeiros, Enf. Jacinto Oliveira, afirmar alto e bom som que nem sequer sabia quem era o Sindicato dos Técnicos de Ambulância de Emergência  (STAE). Volvido um ano, já sabe e até reuniu com eles no passado dia 12 de Janeiro. É possível ler o resumo do encontro em formato de "comunicado" aqui.
Não vale a pena esmiuçar o conteúdo do mesmo visto que, aparentemente, o tema versado na cúpula foi o sexo dos anjos. Subentende-se, portanto, que a reunião foi dominada pela Ordem dos Enfermeiros.

O STAE é um sindicato jovem, encabeçado por uns quantos jovens sem grande estofo formativo ou enquadramento longitudinal na esfera mais lata do contexto da Saúde. Entre estes petizes reina um marcado sentimento de ódio para com os Enfermeiros. A maioria exprime-o recorrendo a argumentos de calibre rudimentar, desconectados da sensatez e desprovidos de validade intelectual. Ainda assim, merecem existir. Todos os trabalhadores portugueses devem ser representados através da congregação de elementos eleitos para o efeito.

O processo de criação dos Técnicos de Emergência (eles já existem, mas reclamam mais competências) está, à priori, minado por interesses e caracteriza-se pela malsinação de intenções. 

Em Setembro andei pela Europa a partilhar Enfermagem com Enfermeiros e outros actores da Saúde. Facilmente se percebe que a intenção - dos vários Ministérios da Saúde - de munir o seu sistema pré-hospitalar com cada vez mais Enfermeiros, como fazem os espanhóis, italianos, holandeses, belgas, noruegueses, suecos, franceses e por aí fora. Curiosamente em Portugal - que dispõe de um manancial de profissionais que noutros países só é possível em sonhos -  outras intenções parecem sobrepôr-se.

Independentemente da evolução da situação, os Enfermeiros poderão sempre lucrar. Se não for num sentido, será no outro. Haja apenas inteligência. É só pensar um bocadinho. Podia (eu e vários colegas) ensinar à Ordem qualquer coisa mais, mas não o faço aqui. Fica para outros contextos e outros intervenientes.

A Ordem dos Enfermeiros tem culpa no cartório no que diz respeito a tudo isto. Lá o sono é muito, a proactividade pouca, o dinheiro derrete-se em assuntos e problemas com pouco interesse. Não há uma visão que permita prever e antecipar. Não há inteligência. Pior, não há audácia nem ambição.

Ontem jantei com alguns amigos de longa data, Enfermeiros. Recordamos bons tempos, de união e vontades férreas. Recordamos a determinação com que muitos fizeram crescer a Enfermagem. Falamos da desmotivação actual e fizemos futurologia. Os problemas são fáceis de diagnosticar, urge solucioná-los. 

Comments:
Estou estupefacto como é possível colocar o logotipo da OE num comunicado com este tipo de ERROS/LINGUAGEM...
 
O Dr Enfermeiro.
Pode sempre dar um jeitinho pros lados do seu amigo, pissarro na enfermagem,e dizer que já é tempo de acabar com a perseguição nos enfermeiros.
O sr. melhor que ninguem o poderá chama-lo á realidade.
Não é justo, nem correcto da sua parte, estar sempre a cascarem em cima dos outros. Comece a mostrar trabalho, para resolver os assuntos da enfermagem, melhor que o dr enfermeiro, ningúem o fará.
Esperança em si tenho muita.
 
Bolas bolas.
Li o tal comunicado e tenho de referir que o sexo dos anjos é uma temática premente para o futuro da EPH.
Realço o facto de o STAE referir "que não seria justo uma licenciatura em Enfermagem acrescida de formação específica (...) para todos os quisessem vir a exercer funções no PH". A sério, acreditam mesmo nisto?
Ok.
Para a frente com a legislação da carreira TAE, já que é um direito de todos os trabalhadores.
O aumento de competências é claramente redundante.
Ortografia e léxico à parte, é um comunicado algo confuso
Ah último detalhe: "O STAE só aceita que a OE se pronuncie relativamente ao perfil de competências..." - Só aceita!? Really?! Ufa! Ainda bem porque estava com medo que OE se abordasse temáticas como a qualidade na prestação de cuidados, entre outros parâmetros.
Mas se o STAE só aceita...ok.
Vá lá, isto é mesmo a sério?! Parece-me um filme do Trier.
 
Dr. Enfermeiro isto que esta a fazer chama-se propaganda.
Tenha vergonha é muito feio o que está a tentar fazer com este tipo de comentários.

Mais uma vez prova com este tipo de comentários que é ignorante e que um grau academico não é sinonimo de inteligencia de boa formação ou de boa educação.

Seja homemzinho, ponha a mão na sua consciencia e pense bem naquilo que diz, e no modo como aquilo que aqui escreve neste blog influencia a opinião dos outros.
 
A Ordem dos Enfermeiros preocupa-se mais com a carreira dos motoristas de ambulâncias do que com a carreira dos Enfermeiros. Como é que estes enfermeiros querem valorizar a nossa profissão? Já viram a Ordem dos Médicos reunir com os sindicatos de Enfermagem? E a Ordem dos Advogados com o sindicato dos magistrados? E a Ordem dos Arquitectos com o sindicatos dos trabalhadores da construção civil?
 
Ainda bem que eu estou a deixar de ser Enfermeiro!
Cada vez os nossos dirigentes me desiludem mais... Com que então o STAE já é um parceiro privilegiado?!?!Muito me contam, por esta lógica o próximo passo é a criação de auxiliares de Enfermagem...
 
Como é sabido, por trás da formação dos técnicos de emergência, esconde-se o negócio da formação que só alguns(muito poucos vão lucrar. Dai além da necessidade de esses técnicos receberem formação, impera a necessidade de dar formação. Em que só entra técnicos e médicos (segundo o stae), agora, já não são mais necessários os enfermeiros que até á data formaram a maior parte dos técnicos de emergência. Desde que esta crise começou, é lamentável que a ordem ainda pouco ou nada fizesse para regulamentar e enquadrar legalmente a realidade das SIV e da enfermagem no pré-hospitalar. O que interessa é cobrar cotas. Qualquer que sejam os enfermeiros independentemente do local onde exercem, mereciam um maior apoio por parte da ordem. Tal como na ordem, estas pessoas são o espelho de quem governa o país.
 
"o tema versado na cúpula foi o sexo dos anjos. Subentende-se, portanto, que a reunião foi dominada pela Ordem dos Enfermeiros"

lol é para o que servem os enfermeiros!!!
 
Realmente ridículo, mas o que é que há a discutir com estas #coisas" de tecnicos de ambulancia, passam de condutores a "ressuscitadores diplomados" que BURRICE...
 
Como me deparei e li no site da OE o comunicado conjunto, nem queria acreditar: como é possível tanta asneirada junta, só alguém muito ignorante na matéria como é o caso do Enf Jacinto Oliveira (que por acaso até nem exerce enfermagem, é há longa data gestor de risco num hospital EPE onde é muito bem remunerado). Como é possível a OE colocar-se ao mesmo nível de um sindicato da treta? Já que queriam reunir, que o fizesses, mas poupassem os enfermeiros com este comunicado que é uma HUMILHAÇÃO para os enfermeiros. A OE definitivamente que bateu no fundo
 
No Diário de Noticias de 12 Janeiro 2011, o Ministro das Finanças a propósito de Francisco Bandeira (O Presidente do BPN), diz: " Quem tem um trabalho a mais deve receber rendimentos a mais. Mais responsabilidade e mais trabalho têm de ser compensados com mais dinheiro, como deve ser feito com qualquer trabalhador".

Como é que passados tantos anos os Enfermeiros e os seus representantes ainda não perceberam este principio?

Enquanto não tivermos respeito por nós próprios não há principio que valha.

Não se deve assumir mais trabalho nem mais responsabilidades sem que sejamos pagos para isso. É só ouvir o Teixeira dos Santos.
 
Este mês os chefes e supervisores já vão receber mais 200€ e 300€ respectivamente.

Todos os outros NADA... Vejam em:

http://dre.pt/pdf1sdip/2010/11/21900/0509905101.pdf
 
Realmente a prepotência e a arrogância impera naqueles que mais vociferam contra estes mesmos defeitos.
Aqui vão aquelas afirmações que são a cerejinha encima do bolo.

“…uns quantos jovens sem grande estofo formativo”? Mas que paternalismo enternecedor. Lá estamos nós a fazer os outros pequeninos para NÓS parecermos GRANDES. Que nobre.
“Entre estes petizes reina um marcado sentimento de ódio para com os Enfermeiros.”??? Mas porquê, agora todos invejam os enfermeiros? Porquê? Dar banhinhos aos doentes e administrar-lhes umas picas faz dos enfermeiros uma classe invejável? Pode ser nobre para alguns, pode não ser “trabalho” para outros, mas para mim não é uma profissão para ser invejada ou odiada por ninguém! Que mania da perseguição!
“…argumentos de calibre rudimentar, desconectados da sensatez e desprovidos de validade intelectual.” Este discurso está desconectado e fora de contexto, é que às vezes parece-me que está a falar da OE ou dos sindicatos dos enfermeiros.
E finalmente;
“Ainda assim, merecem existir.” Uauu Sr. Dr. Enf. este foi o toque final do despotismo e da altivez.

Estou impressionado com tanta sabedoria e conhecimento. Só gostaria de ter conhecido os fundadores da OE ou dos sindicatos dos enfermeiros “do antigamente”. Se hoje é o que é, imagino naquele tempo, em que os enfermeiros eram muitos instruídos e providos de conhecimentos…
 
Dantes acompanhava este blog com orgulho na minha classe.
Contudo, ultimamente, tenho vindo a admirar menos que que aqui se lê..
Afinal, neste assunto dos TEPH, parece que estamos a projectar caminhos, que tanto criticamos por vezes. A ser conservadores. Já ninguêm fala em substituir os Enf por TEPH, mas sim em k ambos coexistam. Não se esqueçam que serão sempre os bombeiros um dos principais intervenientes no PH, então qual o problema em aumentar-lhes a formação, sem interferir com as nossas competências?
Parece que afinal, somos apenas uma novela mexicana.
 
Doutor enfermeiro desculpe o off.topic mas dê uma olhadela a esta noticia

Paquistão poderá enviar enfermeiras qualificadas para Portugal

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/paquistao-podera-enviar-enfermeiras-qualificadas-para-portugal
 
Quanto á carreira afinal o faseamento fica suspenso ou aqueles que devem subir já em 2011, mais uma vez ficam prejudicados ?
Alguem sabe?
 
If you visit forums in English, you will see that most emergency professionals criticizes the US system (based in non-graduate -non university- technicians). Most EU countries have high-level systems (Physicians and Nurses in Mediterranean countries, Belgium,... or nurses in Scandinavia, Netherlands,...), and even other anglo-model countries (Australia, New Zeland,... even UK- with ECP) demand university degrees for their staff (ECP in UK, Bachelor Degree in Health Science in NZ or Bachelor Degree in paramedicine in Australia...). The "only EMT"-based system is outdated. Advanced countries use professionals with university degrees (Physicians, nurses, health degrees,...). The US system is pefect only in movies or films.
 
A Enfermagem anda como o próprio país...à deriva, sem rumo! É hora, e pegando nas suas palavras, de unir vontades férreas, para que haja novamente rumo e esperança!
 
É preciso ler o art.10 do D.L 122, para se perceber que só após a publicação do diploma da A.Desempenho é que se inicia a aplicação do D.L 122.
 
Há muitos anónimos!!!
Porque será??
 
"Evidence from many studies indicates that primary care services, such as wellness and prevention services, diagnosis and management of many common uncomplicated acute illnesses, and management of chronic diseases such as diabetes can be provided by nurse practitioners at least as safely and effectively as by physicians.1 "

Broadening the Scope of Nursing Practice

Julie A. Fairman, Ph.D., R.N., John W. Rowe, M.D., Susan Hassmiller, Ph.D., R.N., and Donna E. Shalala, Ph.D.

N Engl J Med 2011; 364:193-196January 20, 2011


Quando ou se os envolvidos (políticos)perceberem o que está em causa, é provável que o rombo do SNS pode diminuir e os enfermeiros tornarem-se interlocutores de verdadeiras politicas de saúde.

Declaração de interesses:
Não sou professor ou gestor ou chefe, sou um simples enfermeiro graduado que lê.
 
http://dre.pt/pdf1sdip/2010/11/21900/0509905101.pdf

ahhh que bem, os chefes e os outros já são aumentados, agora quem se esfola "cá em baixo"... tá quieto!!

Obrigado SE, obrigadíssimo Ordem dos Enfermeiros.
Mª Augusta, tá quase a bater com o rabo na porta! Talvez aí a Enfermagem se possa ver definitivamente bem representada!

Porque o que foram fazendo, é uma valente m
 
Não entendo como é possível tanta discórdia para com os TAE...
Eles sabem que somos importantes... Querem a carreira deles equiparada à dos motoristas dos nossos governantes...
 
E triste e vergonhoso ler tantos comentarios negativos em relação a carreia dos TEPH , tanto por parte de alguns TAE como por certos enfermeiros que se intitulan inteligentes.Falo en nome dos poucos TAE LICENCIADOS que por azar do destino e de burocrasias institucionais trabalhamos como TAE.A carreira proposta dos TEPH nunca teve a intenção de tirar competencias aos enfermeiros, pelo contrario a idea e formar adecuadamente profesionais en emergencia prehospitalar com cursos de 2 ou 3 anos ( bachalerato) ministrados por medicos e enfermeiros, para assim garantir um atendimento adecuado e de qualidade a comunidade.
A Emergencia prehospitalar deberia de funcionar como uma equipa com um objetivo comun ; o bem estar do utente.
TAE da DRA. Faro
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!