domingo, abril 10, 2011

Mais poder para os Enfermeiros!


Nurse practitioners will be able to admit and discharge hospital patients.



Click here to watch the video
"Nurse practitioners will be able to admit and discharge hospital patients"
Os Enfermeiros de Ontário (Canadá), vão passar a admitir e internar utentes/doentes e providenciar altas hospitalares a partir de Julho. 
Os Enfermeiros aplaudem. Os utentes agradecem. O sistema de saúde torna-se mais eficiente.
O "próximo passo será a prescrição" - afirma a Associação de Enfermeiros de Ontário. link

Comments:
é impressionante aquilo que os enfermeiros podem fazer se os deixarem fazer!!!!! (traduzido) POR FAVOR ENTUPAM A CAIXA DE E-MAIL DA M.SAUDE COM ESTA NOTICIA!!!
 
Por mim era uma tela gigante á frente do ministério...É uma vergonha, vamos continuar a deixar o sr médico a fazer a birra??? FOGO!!!
 
So uma questao, quando os enfermeiros a CIT passam a 35h? a carreira ja foi aprovada quase ha dois anos (set/2009), estrutura de carreira, em que dizia que os CIT eram regulados por ACT mas que seria em tudo igual aos enfermeiros da funçao publica. Mas porque ainda nao passamos para as 35H? nem falo no aumento porque isso vai ser uma utopia, mas pelo menos passar para 35h. Pode me responder, ou o DR Enf ou alguem?
obrigado
 
Para já parece-me impossível isto acontecer em portugal, é que no canadá (por esta notícia), parece-me que os utentes reconhecem as competencias e o trabalho meritório que os enfermeiros executam por lá. Já por aqui praticamente só é reconhecido o trabalho do Sr: DR, nem que por vezes o enfermeiro se desdobre em cargas de trabalho para encontrar encontrar o Sr: Dr: (que por vezes tem o Deck desligado...),para resolver situações que se complicaram, ou mesmo prescrições com dosagens e vias icorretas, e por vezes tem que resolver sozinho...ou não. Parece-me que aqui nem a clsse médica muito podrosa, nem a opinião pública permitiriam que isto viesse a acontecer. No entanto penso que em áreas específicas, temos enfermeiros com formação em farmacologia como por Ex. especialistas em Médico Cirúrgia a exercer em anestesiologia especialistas em obstetricia no bloco de partos e noutras áreas desde que protocolads...
 
No Canadá (e noutros países) existem vários "tipos" de enfermeiros, com categorias, formação e funções distintas. Com esse modelo os enfermeiros têm vindo a assumirem um papel cada vez mais importante na saúde.

Em Portugal temos apenas um nível de formação, funções pouco definidas, a carreira nem contempla os especialistas e estes nem sequer têm funções específicas bem delimitadas (diluem-se entre banhos e comprimidos).

Os outros profissionais vão cada vez mais ganhando o seu espaço ... sem montes de papéis que ninguém liga, sem CIPEs, sem formação sobre formação que ninguém reconhece ($$$), sem ...

Em Portugal a enfermagem adoptou uma estratégia suícida!
 
Caros leitores do Dr Enfermeiro.

Para mim já começa a ser um dado adquirido, através de inumeros exemplos estrangeiros, que os enfermeiros são uma mais-valia para o SNS... mas será que em Portugal essa realidade é possivel?!

Frequentemente, pergunto-me:

1- Será que os enfermeiros estrangeiros são iguais aos portugueses (em nivel de formação)?

A minha resposta é NÃO!

- Somos apenas MELHORES na prestação de cuidados, pois funcionamos muito na base do (desen)rasca, temos muita experiência prática e alguma formação teorica que nos auxilia.

- Somos MUITO PIORES na area da gestão, pois não temos no curso de base maturidade e experiência para intrepetar e operacionalizar os conceitos base da area de gestão. Nas especialidades de enfermagem apenas temos cerca de 30 horas de gestão que são repetição de conceitos basicos da formação de base. Enfim nunca vi nenhum gestor a dominar a gestão sem conhecimentos de economia, finanças, contabilidade, gestão de recursos humanos, logistica, gestão estrategica, sistemas de informação e ...

A realidade mostra-me que não conheço enfermeiros chefes dignos desse nome. São apenas uns parasitas que se encostam ás UGI´s, aos S´Doutores e aos seus interesses...

Enfim... é o que temos! Não se podem comparar categorias profissionais, que embora tenham a mesma denominação, são difertentes.

Abraço,

Sr. X
 
Enquanto nos outros países andam para a frente, por cá simplesmente estagnamos ou recuamos para trás.
 
Com o grande poder vem a grande responsabilidade mas acho que no final todos ficam a ganhar.

Aqui também internamos e damos... melhor, pedimos ao médico para assinar.
 
uma enfermagem muito mais à frente do que a que se pratica em Portugal.
Está a léguas de distancia!!
 
Na verdade o nosso serviço de saúde crescia se assim se fosse em Portugal, mas...e a competência?
e a iniciativa?
e a responsabiulidade de admitir que sabe?
pois, os srs doutores ainda são para mts colegas o garante de qualquer coisa, mesmo que seja o desastre!
 
http://www.youtube.com/watch?v=hLRDpQ3x7KQ
 
O DE como bom politico (e frustrado que é) só conta a coisa pela metade...

"The Ontario Medical Association, which represents doctors, issued a media release saying that it intends to offer input to the government on its decision to allow NPs to admit and discharge patients.

“Our primary concern is to ensure that patient safety is protected and that patients are receiving the best care from the most appropriate health care professional,” OMA president Mark MacLeod says."

Portanto como vê, nao é apenas em Portugal que se considera os enfermeiros inadequados para terem tal responsabilidade... e comprar enfermeiros tugas com enfermeiros formados no Canadá, é comparar um barco a remos com um porta-avioes...
 
O senhor so pode ser um pseudo-medico acefalo a que os unicos verbos que o seu pequenino cerebro consegue conjugar sao o verbo cafeinar e desrespeitar!

Mas pronto, o senhor que se pensa detentor de todo o conhecimento esta a se esquecer de um pequenino pormenorzinho. 90% das queixas dos utentes por negligencia vao contra a classe medica e os restantes 10% ainda se dividem pelos auxiliares, enfermeiros e administrativos...

E esta hein?
Mas pronto, deixe-se la viver no seu mundo de egocentrismo que pode ser que assim seja mais feliz ;)!

P.S.: Nao, nao sou enfermeiro.
 
Descobri hj kem é o Dr enf! É um previlégio dizer k já fui seu vizinho! Costumava-o ver sair de carro. As vezes dizia-me boa noite, provavelmente não se lembra de mim! Parabéns pelo blogue!
 
próximo governo psd : ministro da saúde já sondado : fernando de la vietre nobre : médico
 
Enfermeiro é enfermeiro, seja em que parte do mundo for, e por isso, também no Canadá é evidente a velha pretensão dos enfermeiros de quererem ser médicos. Mas assim, arriscam-se a ser médicos de 2.ª e não enfermeiros de 1.ª.
 
OLÁ CARISSIMOS COLEGAS. ESTA É UMA NOTICIA QUE HÁ MUITO SE FALA E ESTAVA LEGISLADA HÁ ALGUM TEMPO NO CANADÁ,SÓ AGORA FOI EXECUTADA MAS NÃO SÓ ESTA SITUAÇÃO SE ESTÁ A DEBATER, E QUE HOJE É JÁ UMA REALIDADE! MAS NÓS PORTUGUESES TAMBEM IREMOS CONSEGUIR ISTO E MUITO MAIS! BASTA PARA ISSO QUE VOTEM NOS PROXIMOS MEMBROS PARA A NOSSA ESTAGNADA OE.ESTAGNADA? SIM! DEVIDO AOS PAUPÉRRIMOS REPRESENTANTES DA E NA ACTUALIDADE. CONFIEM NOS PROXIMOS,NÓS IREMOS DAR-NOS A CONHECER!
 
anónimo das 10.55:

vai plantar batatas! lol
 
nem em tempo de eleições o SEP pia!
nem para valorizar os enfermeiros especialistas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
isto é que é defesa dos enfermeiros, depois quiexam-se das desindicalizações....
 
Já cá faltava o sr. henrique martinho... digo-lhe, para quem nao é enfermeiro o sr. demonstra já grandes dotes para a arte, sobretudo a arte de mal dizer outras classes profissionais, de resto tao bem ensinada pelo DE...(será inveja??)

Em relaçao às queixas, é evidente que elas teriam de ser contra a classe médica, nao fosse ela a única responsável por aquilo que se faz, administra, ou decide em relaçao ao doente!!

E esta hein??

Ps: Aprender a escrever também seria uma boa ideia, embora tal nao seja imperioso para muitas escolas de enfermagem com médias de acesso de 9.5 ;)
 
LOL

Caro Henrique Martinho;

Desculpe o meu LOL, mas foi o que aconteceu quando li o seu comentário. O Sr. sabe que quando alguém vai a um hospital, numa urgência (onde ocorrem a maior parte das queixas), vai à procura de um médico e não de um enfermeiro. Sabe disso com toda a certeza.
Ora deve saber que quanto maior é a responsabilidade, maiores são os riscos e as consequências. É precisamente por isso, que médicos e enfermeiros não são remunerados da mesma forma. Dos seus actos, resultam consequências bem diferentes.
O erro é algo que pode resultar de um acto médico, que a meu ver possui muitas mais consequências que os actos dos enfermeiros.
É muito natural que a maior parte das queixam sejam dirigidas ao médicos, porque são estes que serão os responsáveis por um tratamento mal dirigido, diagnostico mal feito, procedimento diagnostico invasivo mal executado, consequências de uma cirurgia … percebe Henrique onde reside a grande diferença?

Cumprimentos.

P.S. Gostaria que, caso responda a este comentário o faça como alguém civilizado e sem agressões ou nomes insultuosos. Acha que o consegue fazer?
 
entao e acerca das 35h/semana? ninguem sabe dizer nada?
nem os sindicatos....
 
Bem primeiro tudo, o que entende por acto medico, onde está definido o que é um acto médico?

Os Enfermeiros no Regulamento para a Prática de Enfermagem, onde está definido o que é um cuidado de Enfermagem!

Não conheço o teor das reclamações feitas, mas sinceramente dúvido que tenham a ver com um engano no diagnostico ou um procedimento que correu menos bem, porque errar é humano e por muita prática que tenha-mos não estamos livres de errar, ao contrario da forma como muitos médicos tratam os doentes, olhando para eles e só vendo a doença, e por se julgarem senhores do mundo por serem médico, acharem que podem tratar como bem vos apetece.
 
Anónimo das 12:13h:

Gostei muito da sua resposta. Raramente se encontra alguém que, com tão poucas palavras, consegue exprimir um conjunto de ideias tão cheias de significado. Focou o essencial da questão que estamos aqui a apreciar: Deus no Céu e os médicos na Terra!

Pois fique sabendo que as pessoas que vão aos SUrgência não vão à procura do médico, mas sim de resposta para os seus problemas relacionados com doença, ou seja, procuram CUIDADOS DE SAÚDE. E mais, vão à procura daquilo que não encontram no que deveria ser a porta de entrada do sistemas de cuidados de saúde, ao nível dos cuidados de saúde primários. E sabe porque é que não encontram essa resposta nos centros de saúde? Não queira saber! E sabe também que grande parte desses cuidados que as pessoas procuram e não encontram EM TEMPO ÚTIL antes do SU podem e desem ser prestados por enfermeiros?

As consequências dos erros têm a ver com intervenções que hoje em dia raramente são actos isolados. Um erro terapêutico relacionado com medicamentos por exemplo, envolve uma cadeia de acontecimentos na qual o médico é um elo. O que é que é pior, uma prescrição errada ou a dar continuidade a esse erro administrando o medicamento? Quem é que introduz a droga no corpo da pessoa e assume essa responsabilidade, isto é, responde por esse acto? É o médico? Onde?

Sobre a responsabiliadde do médico no diagnóstico mal feito, tratamento mal dirigido e tal e tal... pois, se o enfermeiro não realizar correctamente uma colheita para hemocultura e se todo o resto do processo não decorrer correctamente, o resultado pode comprometer o tratamento e isso está relacionado, não com o médico, mas com o PROCESSO. Na saúde há PROCESSOS e RESULTADOS. O médico intervém, tal como outros profissionais. Nem no BO o médico realiza os procedimentos cirurgicos sózinho.

As pessoas queixam-se dos médicos como se queixam de outros profissionais que as tratem mal. O que não dizem é no momento aquilo que sentem quando são mal tratadas, por razões que todos conhecemos. Quantas e quantas vezes não falam quando o médico não está, desabafam em surdina sobre a forma como são tratadas, embora sempre com medo que o enfermeiro vá contar ao doutor? É ainda a mentalidade que está enraizada no povo, mas a abertura do sistema ao cidadão permite isso mesmo: que as pessoas exijam o respeito pelos seus direitos e um deles tem muito a ver com a forma como são atendidas por todos os profissionais.

VV
 
DE,
Gostaria de saber se tem informação sobre o tempo de demora de inscrição dos recém licenciados na OE?
É igual para todas as escolas, isto é, ficam todos à espera meses até terem a documentação que lhes permite exercer?
Ou há escolas que t~em esse processo agilizado (as que têm gente infiltrada lá dentro da OE como algumas privadas) e os seus alunos são os primeiros de cada fornada a ocupar as poucas vagas existentes no mercado?
 
A noticia não deixa de ser interessante...mas só acontece, ou pode acontecer em paises de mentes abertas e disponiveis...Em Portugal nunca acontecerá, vivemos entre duas realidades: o "culto do DR" e o estigma da inferioridade. Não é com diálogos como acabo de ler acima, que se dignifica a classe de Enfermagem. Quantos enfermeiros temos por vocação... era interessante fazer esse estudo.Por força do exercicio profissional, o médico habitua-se a olhar o enfermeiro como executor das suas prescrições e como tal seu subalterno.É errado, mas isso é-lhes incutido desde muito cedo e acentua-se quando chegam á prática e verificam isso mesmo. Há que ser profissional e mostrar que o somos, por actos e não por palavras...seremos respeitados na medida das nossas competencias, e não na medida das nossas palavras...
 
Anónimo das 6.04 blábláblá

Tanta palavra e tão pouco conteúdo... Suposições, preconceitos e uma pontinha (grande!) de dor de cotovelo... Tenha dó.
 
So para responder ao anonimo das 10:21 AM se essa do aprender a escrever foi para mim, fique a saber que o teclado do meu computador nao e' portugues, dai a nao poder colocar acentos ortograficos. Isto de o sr falar sem saber o que esta por tras da causa tem muito que se diga. Em relaçao as queixas, tenho a dizer-lhe que muitas nao vem de diagnostico errado, mas sim por arrogancia e ma-educaçao por parte dos medicos. Todos nos sabemos que muitos medicos tratam muitos doentes abaixo de cao. Uns, ate se da desculpa porque trabalhar tantas horas seguidas nas urgencias consegue "fritar" qualquer um, mas outros, digo-lhe, nao ha desculpa que lhes valhas.

Para o anonimo das 12:13 PM:

Tenho a dizer-lhe que erro medico, na minha opiniao, e' muito diferente de negligencia medica. Todos somos humanos, os medicos tambem o sao, logo podem errar. Nao sou a favor de que la por um medico errar, ir logo fazer queixa, agora negligencia, para mim e' tolerancia zero.

Sabem o que e' negligencia?
Aquilo que se passou comigo devido a uma crise de asma. Se nao fosse uma enfermeira, hoje estaria sabem onde? Provavelmente no QUINTAL DO PADRE, a servir de vizinho aos mortos! Estava eu a agonizar com falta de ar, a enfermeira atribuiu-me pulseira laranja e esperei mais de 30 minutos para ser visto por um medico, enquanto as directrizes dizem 10 minutos. Estava eu com a saturaçao de O2 a 70% com franca dificuldade respiratoria e voces sabem o que os medicos estavam a fazer? a cafeinar e a passear no corredor a conversar uns com os outros todos na risada. Um medico, inclusive olhou para mim, viu que estava com dificuldade em respirar e virou a cara!!! Apetecia-me chegar ao pe dele e espetar-lhe 2 crencos bem assentes. Depois, uma enfermeira que viu o meu estado e como nao tava medico presente, deu-me o aerossol e uma injecçao intravenosa, isto sem o medico prescrever, e ainda ponderou com um colega a necessidade de intubar. E eu, em vez de a criticar como muitos fariam, tenho mais e' que lhe agradecer a vida. Nao sou HIPOCRITA ao ponto de criticar alguem que me SALVOU A VIDA!

P.S.: Peço desculpa aos medicos que nao se reveem neste perfil. Eu sei que medicos "antagonistas" a este perfil sao uma especie em vias de extinçao, mas ainda os ha, FELIZMENTE!
 
Caro Anónimo das 6:04;

Tem razão no diz, no entanto, para mim a arrogância ou a prepotências que estão implícitos nesses actos, não são exclusivos da classe médica. Infelizmente, estão mais relacionados com a formação pessoal de cada um, do que propriamente com a facto de serem médicos. Porque se tal fosse requisito de médico, seriam apenas os médicos os únicos arrogantes, e se fossem os únicos o mal poderia ser facilmente resolvido, não acha?
Mas tenho para mim (infelizmente) que tais formas de trabalhar também são visíveis noutras classes.

Quanto à palavra "acto", não me referia literalmente à expressão de "acto médico" ou "acto de enfermagem". Referia-me mais propriamente às especificidades do trabalho de cada um, a aquilo que cada um faz e as consequências que resultam de tais actos. Exemplo; num bloco operatório, qual é o profissional que está mais sujeito a que algo corra mal no decorrer da sua actividade profissional. Se algo corre mal, quem terá a fasquia das responsabilidades e consequências mais elevada?

No entanto, estamos de acordo que existem médicos que olham para os pacientes e vem doenças apenas, mas discordamos quando generaliza na justificação, “por se julgarem senhores do mundo por serem médico, acharem que podem tratar como bem vos apetece”. Até mesmo porque não somos senhores de ninguém, apenas do rumo das nossas próprias vidas. E depois tratamos as pessoas com respeito que elas merecem. Quem não o faz, procede numa má prática da sua profissão. Mas mais uma vez, tal não é característica exclusiva de médico, mas não é por não o ser, que deixa de ser, a meu ver, grave.

Cumprimentos
 
É fantástica a LATA de enfermeiros que vem aqui escrever sobre a má educação de alguns médicos, sobre arrogância e coisas do género, como se a enfermagem fosse alheia a esses problemas!! Tenho visto cada coisa com enfermeiros que sinceramente nem no veterinário!!! Mas disso não se fala... Enfermeiro = Santo LOL

Basta ver o nivel de alguns, que se lhes tira logo a pinta... por favor...

Sr. Henrique Martinho:

1º toda internet já conhece a sua historia da crise de asma, já não há pachorra para a ouvir outra vez...

2º você é completamente tendencioso nas apreciações de faz, e ridiculamente acusa outros de o serem...

3º e ultimo, você não faz ideia nenhuma do que fala, e isso nota-se bem na ignorância que demonstra... o sr. é muito provavelmente mais um frustradozeco que não consegui entrar em Medicina e quer fazer da enfermagem aquilo que ela nunca foi...
 
Caro Anónimo das 9:09PM

Parece que alguns pontos estamos de acordo, até mais do que aqueles que referiu.
Com a minha intervenção não quis dizer que a arrogância é algo exclusivo de médicos, porque é uma realidade que não. Como disse se fossem os únicos, seria fácil de o resolver, mas em qualquer profissão à gente arrogante.

Eu não tenho nada contra a classe médica, pelo contrário, respeito-os, mas como tal peço respeito, porque deve ser algo mutuo. E como já foi referido neste blog, queiramos ou não, Enfermeiros e Médicos andaram sempre lado-a-lado, e teremos benefícios se soubermos trabalhar em equipa, cada um com as suas funções e responsabilidades, alias o maior beneficiário serão os doentes.

Para terminar, algo que em nada comparamos a nossa profissão com a vossa, simplesmente queremos uma profissão reconhecida social, politica e economicamente, simplesmente à uma comparação com outros profissionais da area para que se entenda que se todos estes tem salários adequados às suas competências/responsabilidade, porque a Enfermagem não?!

Não quero entrar em guerra com colegas, médicos ou outros profissionais. As minha intervenções tencionam encontrar um caminho aceitável das discussões. Peço desculpa pela longa intervenção.

Cumprimentos
Anónimo das 6:04
 
Dor de cotovelo tem, sempre teve e continuará a ter a classe de enfermagem e infelizmente que é assim, em relação aos médicos e até ao tratamento que é dado a outros licenciados de "Dr.". É o velho complexo de inferioridade. Querem também prescrever medicamentes e exames, mas para quê, se já há médicos para isso? Não terão os enfermeiros funções próprias que deveriam preservar e desenvolver? Não queiram ser médicos de segunda, mas enfermeiros de primeira.
 
O estado da enfermagem está como está porque não há um unico enfermeiro em destaque no panorama nacional português! Não ha bastonario que se chegue á frente, e marque a nossa posição!

Não ha quem conduza a profissão de enfermagem em Portugal! Está ao abandono (em termos de carreira).

Eu estou muito desiludido pelo serviço prestado pela OE estando eu a pagar 8eur/mes. (mas isso seria outro assunto com pano pra mangas)

Resumindo, enquanto não houver um bastonário "com eles no sitio", a enfermagem continuará estagnada ou em regressão!
 
anónimo das 10.55:

vai plantar batatas! lol
Anónimo das 6.04 blábláblá

Tanta palavra e tão pouco conteúdo... Suposições, preconceitos e uma pontinha (grande!) de dor de cotovelo... Tenha dó.

8:18 PM

O "PALHAÇO" QUE ESCREVE ISTO NÃO É DE TODO ENFERMEIRO!! Certo??
 
http://www.net-empregos.com/detalhe_anuncio_livre.asp?REF=1228801
 
Anónimo das 10:07 PM

Tanto fala, mas pouco diz, restringe-se a criticar as intervenções dos outros, onde está o seu conteúdo? Se quer ser diferente, sai do anonimato e mostre os seus conteúdos, ou é tão limitado que só consegue criticar os outros?
 
o marasmo da enfermagem.....
a pensar que este blog mudava de temática diariamente, agora temos o mesmo assunto semanas e semanas....
 
Sou Enfermeiro e estou tão farto destas discussões entre Médicos e Enfrmeiros e sei lá mais quem... Sejamos honestos o Médio olha para o Enfermeiro como "criado" daí nessa classe e cá em Portugal ser impensavel o Enfermeiro ter mais autonomia! sejamos realistas existem muitos procedimentos e um vasto campo que pode perfeitamente ser ocupado pela Enfermagem como é exemplo nos paises mais desenvolvidos...Agora é tambem verdade que os Enfermeiros são tipo cão que ladra mas não morde, gostam de dizer que sabem e realmente sabem mas na hora de se chegarem a frente e mostrarem isso não o fazem! preferem ficar na sombra do Médico e atender a todos os pedidos de sua divindade por mais ridiculos que sejam só para o alegrar...Basta destas discussoes que se mostre o valor da Enfermagem no campo usando o conhecimento que adquirimos e deixando de fazer de criados dos Médicos só assim seremos respeitados!
Que se mude a formação basica da licencitura de Enfermagem e que acrescente mais conhecimento para nos dotar-mos de mais ompetencias ainda!!! mas fazer frente a esta gente como fazem nos estados unidos e canada!
 
A enfermagem ja é assim ha muitos anos... se queriam prescrever, ou fazer outras tais coisas que competem ao médicos, tivessem escolhido medicina.
 
Concordo. Espero que os enfermeiros sejam mais reconhecidos e valorizados, até mesmo mais independentes. Mais entrar em questões que competem a outros profissionais, não é o caminho para o reconhecimento. Se vocês querem prescrever, operar, consultar, admitir e dar altas, é simples, FAÇAM MEDICINA,e parem de ficar comemorando migalhas de atenção. ISSO NÃO É EVOLUÇÃO.
 
Um comentário " LOL ".
 
sou enfermeiro à 10 anos. Concordo com a descentralização do acto clínico partilhado mas com a condição de tornar a saúde mais eficiente e que a população tire clara vantagem disso. De outro modo é mais uma competência que para a qual não somos gratificados. Não esqueçamos que há medidas mais urgentes e assuntos mais importantes que o passar e não passar receitas. Por outro lado, se querem enfermeiros para fazerem de fotocopiadoras não contem comigo.
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!