quarta-feira, abril 18, 2012

Assembleia Geral da OE 2012


Decorreu no passado dia 24 de Março (lamento o post atrasadíssimo!) a Assembleia Geral da Ordem dos Enfermeiros; a primeira depois do empossamento da “nova “ Ordem dos Enfermeiros. Decorreu no Polo A da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, ex-Escola Superior de Enfermagem Dr. Ângelo da Fonseca.

Em antecipação à mesma, vinha eu, já há algum tempo, a tecer as malhas da (im)previsibilidade relativamente ao possível decurso do acontecimento, nos seus diversos e matizados cenários. Por diversas vezes tentei – aqui mesmo, no blog - a minha sorte na futurologia e não me dei mal, até.

A compor a mancha humana do segunda Assembleia mais concorrida da história da Ordem dos Enfermeiros, (excluindo a obvia presença dos actual membros dos órgãos) estavam várias caras conhecidas: o Enf. Jacinto Oliveira, absorto, notoriamente ávido de confrontação, olhos raiados de sangue, prestes a devorar o bigode num só sorvo, pese aqui a minha admiração pela sua astúcia. O Enf. Sérgio Deodato, à semelhança, não quis deixar os créditos presenciais por mãos alheias, e compareceu, estilizado milimetricamente, como é hábito. Nem um fio de queratina fora daquele ordenamento. Calmo e com a postura que é exigível.

Não foi designada nenhuma comissão de boas-vindas para acolher a ex-digníssima ex-Bastonária (prendam-me sob a égide da minha irreverência estatutária), Enf. Maria Augusta de Sousa. Deixou muita tristeza (iupiiii!) no seio de uma classe que frequentemente se posicionava no outro polo opinativo. Aparentemente calma; denunciou-se mais tarde ao levantar o véu. Por pouco não trovejou.

A Enf. Teresa Marçal de Oliveira, dilecta, marcou presença; é mesmo uma querida. Não, não estou a ser irónico.

Enf. Lucília Nunes. Há quem tirite só de ouvir o nome. Dá a impressão de andar sempre sentada nos anéis de Neptuno a falar com o filósofo Heidegger ao telemóvel. A Vodafone, dizem, cobra barato nas chamadas metafísicas.

O “internacional” Enf. António Silva, indomável e fora de si (mais parecia ter engolido o sapo pelo nariz), tomado pela ira, e muitos outros: Enfs. Júlio Branco, Manuel Oliveira, o intelectual Filipe Marcelino… desculpem, mas não consigo deixar passar esta pérola:

(Clicar para amplia e ler... e apreciar bem)
.
Não estando certo de ter compreendido esta mensagem na sua plenitude, questiono: a “ex-OE” (passo a expressão) estava intelectualizada? É que isto pressupõe que sim e que se desintelectualizou depois da escolha do último sufrágio! Bom, se estava, talvez tenha sido o peso de tanta intelectualidade que afundou a OE e estava a levar a Enfermagem de arrasto…
Permita-me que ceda o galardão da anedota do ano ao Enf. Filipe Marcelino. Ele merece! É como o Titanic, a ir ao fundo, mas ao som dos violinos…

A Enf. Guadalupe Simões também esteve presente. Zen e bem-disposta, preocupada com o quintal. Há que ser flexível a bem da profissão. Só querer o bem do nosso quintaleco, ser demasiadamente conservador e não contribuir para a evolução sai caro! Tal como estamos a pagar agora…

O Sr. Enf. Jorge Ribeiro Pires estreou-se como Presidente da Assembleia da Ordem dos Enfermeiros. Seguro e democrático; esteve bem. De resto, como em tudo na vida, a experiência lima as arestas.

Concluído o discurso inicial do Sr. Bastonário, eis que cólera recalcada da derrota de Dezembro entenebreceu o anfiteatro. Aqueles que estiveram na Ordem desde que esta existe, iniciaram, indignados, a política da oposição, da dificuldade, do contraditório: as vírgulas não estavam bem, o papel tinha um vínculo no sítio errado, o tipo de letra esta démodé e uma alínea da catacumbas estatutárias obrigava a que se espirrasse três vezes do início da cada parágrafo do plano de actividades. “É tradição” – foi uma das afirmações mais ouvidas! Embirraram (como na escolinha) para que fosse apresentado o relatório de actividades de 2011! Será mesmo necessário? A realidade não nos deixa esquecer o ano! Ou deixa?!

Enquanto se discutia o sexo dos anjos, cá fora, os Enfermeiros, por esse Portugal fora, andar a penar no desemprego ou no emprego humilhante, mal reconhecidos, perseguidos, com imposições não consonantes com a dignidade da profissão de Enfermagem! Mais isso não faz mal, parece. Ainda exibiram propostas (esperem… não estiveram, os velhos do restelo, em sede de elaboração estratégica da OE e operacionalização das linhas de desorientação, durante anos a fio!? Tiveram anos e anos para as apresentarem!) 

Algumas delas (des)interessantes (íssimas). Meta-se requerimento para votação: deve o Presidente da Assembleia Geral tossir, amparando a mesma com a mão direita ou esquerda? Deve o Bastonário pentear com risca do lado esquerdo ou direito? Deve o papel usado na impressão de relatórios da Ordem provir da madeira das seculares árvores do Cambodja ou da Amazónia? Era, mais coisa menos coisa, este género de propostas…

Entretanto um sinal divino. Intempestuosa, a Enf. Lucília Nunes decidiu descer dos anéis de Neptuno e usar da palavra. Fez-se silêncio, que o momento era magno! Para ser sincero, já nem me lembro o que disse (é o que dá escrever posts com vários dias de atraso). Quer dizer, se a memória não me falha, parece-me que intercedeu a favor de um casal de esquilos indonésios que não-se-quê-não-sei-que-mais, e realçou o modo como o acasalamento entre esses mamíferos roedores poderia enriquecer os currículos dos Enfermeiros! Ah, disse, de forma memorável, que o quinquagésimo segundo ponto final do plano orçamental estava deslocado 0,01 milímetros. Revelou-se preocupadíssima com a decoração, apenas.
Esta colega anda a dever umas horas de divã ao Fróide. Sim, ao Fróide; isto porque o Freud não teria pachorra, desditoso.

A Enf. Maria Augusta de Sousa, esbraseada (inicialmente até parecia serena), fez acontecer a sua intervenção. Tanta coisa para dizer e foi logo apontar uma intervenção (um “problema”, cito) relacionada com actual da Ordem relativamente à DGS. Por lapso esqueceu-se que o “problema” foi concebido, redigido e publicado durante o seu mandato, não no actual. Portanto, se é um problema, chegou cá... herdado. Mas pode ficar tranquila, que muita gente anda a desenvolver esforços e a interceder para o resolver.

O Enf. Jacinto Malva Oliveira (a quem eu devo uma resposta relativamente aos rácios da OCDE, porque decididamente o colega não percebe - ou não quer perceber! - ou então quer obrigar-me a desbaratar tempo) também se pronunciou. Durante uns minutos, inebriantes, aquele bigode andou num badanal, numa ira impossível de esconder, com uma derrota mal contida psicologicamente. Convém não esquecer que o sufrágio foi democrático; não é da minha responsabilidade ou de ninguém em particular!

Para quem afirmava que a equipa do Bastonário era a continuidade e não a renovação, certos objectivos do plano de actividades foram criticados (por medo, ou apenas pela vã crítica, sem conteúdo). Um dos objectivos era zelar pela dignidade da Enfermagem, pugnando pelo devido reconhecimento económico da profissão de Enfermagem. Ui, o que se foi dizer! Os sindicalistas da sala logo marcaram a sua posição… obliterada pelo pensamento rígido! O Enf. Azevedo, esteve presente, mas de visita fugaz; trouxe apenas três papaias para a discussão, mas relevou um aspecto importantíssimo: a Ordem deve no seu foco de atenção o conteúdo e não a forma das coisas! Concordamos todos, excepto as Lucílias et les amis…

Parece-me basilar, que a Ordem vele, indubitavelmente, pela Enfermagem e pelos Enfermeiros. Quem se revelou contra a introdução do conceito “remunerações/honorários” no seio das preocupações da Ordem? Isso. Os “afastados”… Pareciam de medo. As outras Ordens não têm tantos pruridos como esta.

O Enf. Rui Santos usou da palavra afirmou – e muito bem! – que a Ordem não vai negociar carreiras ou salários (não é o seu desígnio, parafraseando o Enf. Jacinto Oliveira, que repete isto incessantemente, e que o acompanhará na sua jornada eterna entre os bichos da terra – todos para lá vamos). Os sindicatos podem dormir descansados; a Ordem é um parceiro dentro da sua jurisdição e não um inimigo!
A preocupação capital dos “afastados” era a provocação, a procura insensata do pormenor incompleto, o confronto, etc; há ali esteios psicológicos a resolver. Aquelas cabeças preocupam-se com o inconcreto, acessório e pouco essencial. Mas a ira domina-lhes o espírito e não permite que vejam as coisas com clareza.

Alguém que surpreendeu foi o Enf. António Manuel Silva, ex-Coordenador do Gabinete das Relações Internacionais, magnata do turismo, da representação pura, sem objectivos estratégicos definidos. É bom fazer amigos na “estranja”, mas só isso é pouco e não serve a Enfermagem. O móbil é intervir com inteligência estratégica. Estava doido, enrubescido, e os perdigotos voavam como loucos. Pudera; findaram-se as passeatas. Isso enfureceu-o visivelmente (oh sim), ofuscando-lhe a razão…

A razão, essa, estava do lado do Enf. Belmiro Rocha, pragmático e sem papas na língua, desde de logo separou as águas: "quem não quer estar do lado da solução, no mínimo não se coloque do lado do problema". Os “afastados” vêem problemas em tudo. Parece-me um raciocínio pantanoso. Nunca fazem nada, nem saem do sítio a dissecar tantos problemas.

Ainda ninguém os informou, mas dos problemas estão os Enfermeiros conscientes; carecemos é de soluções. E se em tantos anos não as compuseram, fica-lhes mal dificultar a vida a quem as queira construir/edificar!

Com toda esta confusão, um dos Enfermeiros presentes revelou-se inteligente e terminou a paródia que os "afastados" estavam a enredar. Apresentou um requerimento para votação imediata do plano de actividades, aceite e procedida pelo Presidente Jorge Ribeiro Pires. Para tristeza dos “inflamados”, a novela terminou, mas com grande tensão. Simplesmente, porque, eleitoralmente, a classe lhes puxou a cadeira que julgavam garantida e transmissível por herança à linhagem que mais lhes convinha.

Uma nota final para a Enf. Margarida Filipe. Acusou o Presidente da Mesa de falta de democracia, por este ajustar o tempo para cada intervenção dos membros que a requereram, perante a assembleia (todos poderem apresentar a sua opinião é um sinal de justiça democrática). Ela questionou: só se pode falar 2 minutos? E se estivessem aqui os 64 mil Enfermeiros? (a Enf. Margarida Filipe queria discursar uma hora… dizia ela que já saiu à meia-noite de algumas Assembleias…)
A matemática é simples: em teoria, se os 64 mil Enfermeiros comparecessem na Assembleia Geral e todos quiserem interpelar durante uma hora, as próximas 64 mil horas seriam para discursar. Mas enfim, tudo é possível, mas 64 mil horas representam mais de 7 anos de palavra ininterrupta. Façam as contas. Portanto, sairia à meia-noite, mas num qualquer dia de Maio/Junho de 2019.

Embora, inicialmente o ambiente fosse efusivo e com comentários circenses entre eles, os "sensíveis" saíram zangados, enfunados, a fazer birra: "dá cá a minha proposta, vou levá-la embora!" Os “afastados/inflamados” retiraram as propostas. Não bateram nos membros estatutários e apoiantes da actual Ordem (estavam fora de si!) porque estes eram muitos. Estavam em maioria; fosse como fosse, as votações estavam garantidas para o lado do Enf. Germano Couto e equipa, que representam definitivamente a estratégia da renovação. Doa a quem doer, a bem da Enfermagem. A herança negra é pesada...
.
______________________________________________________
P.s. - ... faltou lá alguém... laranja (andava no Congresso do PSD).

Comments:
DE, faltou a tua amiga ARC,
não falaste da suposta ausência
da tua amiga ARC!!!!
 
DE, faltou a tua amiga ARC,
não falaste da suposta ausência
da tua amiga ARC!!!!
 
Acompanho o seu blogue hà vários anos e devo ser ainda o único que não sabe "quem é o Dr. Enfermeiro~". Afinal, quer acrescentar uma nota biográfica no seu blogue a dizer quem é e onde trabalha, ou quer manter os seus leitores na penumbra?
E apelando À sua veia "Marcelo Rebelo Sousa", (que comenta tudo e sabe de tudo)qual comentador rodeado de informação, consegue prever a direcção para a qual caminha a Enfermagem em Portugal?
Sabe como vai a Ordem fazer com 65.000 enfermeiros inscritos?
Será mesmo verdade que a Ordem não se interessa nem vai interessar pelas condições de Trabalho dos Enfermeiros? - A Ordem dos médicos e os Sindicatos dos médicos andam sempre de mãos dadas e negoceiam as carreiras medicas à parte de todas as outras - Será que pelo menos 1 vez não valeria tentar o mesmo com a Enfermagem?
Abraço do seu leitor atento.
 
Boa noite,

durante a campanha disse várias vezes que o apoio deste blogue ao então candidato Germano Couto, “enviesaria” as opiniões que aqui fossem publicadas a esse respeito.

Nenhum enfermeiro deste país é parvo ao ponto de não perceber o seguinte: o Germano venceu as eleições, mas com uma abstenção de 80%. Portanto, no limite, os enfermeiros estão a borrifar-se para a sua Ordem profissional!

O que se pode ler neste pos´t não corresponde à verdade do que se passou em Coimbra no dia 24 de Março. Estive lá, não votei no Germano e não sou apoiante da Maria Augusta (Manuel Oliveira), mas tenho a honestidade intelectual de reconhecer que o que lá se passou foi muito bem diferente do que aqui se pinta.

Estou de acordo que pessoas ligadas à anterior direcção da OE deixaram escapar alguma frustração por estarem do “lado de cá”. Mas cuidado: apresentaram propostas tão válidas como outras quaisquer. Afinal, queremos ou não dar voz aos enfermeiros?!

Quanto à actual equipa da OE: ficará registado em Acta que alguém se dirigiu à Enf.ª Maria Augusta tratando-a por “ex-bastonária”, e que um vice-presidente da OE, na apresentação do Plano de Actividades, não se referiu uma única vez ao SERVIÇO Nacional de Saúde.

Bom, muito haveria para dizer, mas eu já vi vários comentários meus censurados neste blogue. É pena…
 
Caro DE, cometeu uma falha gravíssima!!!!!
Faltou no seu relato o : PONTO DE ORDEM À MESA!!!!!!!!!!!
 
Meu bom e caro DE, estive lá no dia 24. Para tristeza minha revejo aqui na sua escrita os acontecimentos... eu não quero estar do lado dos problemas, quero ser da solução.
Bem haja.
 
Fabuloso relato muito esclarecedor para quem não pode estar presente.

Mas com tantas peripécias, para mim a melhor é sem dúvida o comentário do assumido "intelectualissimo" Filipe Marcelino! É hilariante este este caramelo, que de enfermeiro não tem nada! Mais parece um policia da ex-Gestapo, até tem bigodito a condizer e tudo!
Apenas sabe criticar os outros, mas para trabalhar é apenas uma das ********* dos HUC
 
Seja lá quem for o DE parabens.
Tambem lá estive e até parece um relato vivido!
A Enfermagem Portuguesa precisa de Unidade, mas muito querem a desunião! mas não vão conseguir!
 
DE tambem não falou da ausencia das principais figuras da lista G, Sergio da DGS, Nelson, ...
onde andavam? não gostam de dar contributos asem ser em campanha eleitoral?
 
Este Blog comprova o que sempre se pensou sobre o mesmo. Estratégia para colocar no poder uns amigos que da enfermagem pouco querem saber, sem ideias e discurso próprio, vão buscar ao passado o que interessa com uma roupagem diferente para pior e estamos no início. O "Bastonário" sempre incoerente no seu discurso, ao sabor do vento da popularidade, que em breve cairá pela falta de consistência e alicerces profissionais, tentando agradar a gregos e troianos, defendendo agora o SNS que nunca fez, dotações, vai lá atrás buscar o trabalho feito pelos outros, etc.

DE poderá por no ar (destacar) os famosos post aqui colocados contra os discuros da falta de enfermeiros dos anteriores, em que o seu protegido dizia que havia enfermeiros a mais em Portugal.
DE na vida a coerência e verdade sobrepõe-se smepre à mentira, à imparcialidade e à fachada. Um destes dias quando menos esperarem a queda acontecerá com estrondo para todos nós. Não sendo uma profecia, não auguro nada de bom com esta conduta.

Pena que no relato da AG não coloque a saída de algumas pessoas com muito valor na nossa profissão no país pelo triste espetáculo a que se assistiu e que aqui continua. Tenham decoro e aprendam que que quem não se dá ao respeito não será respeitado.
DE a sua popularidade tem os dias contados e a dos seus amigos também, porque a vossa visão está enviesada pela sede de poder. O que vale é que na prática ainda há enfermeiros com vontade de transformar e valorizar a profissão. É ai que vou continuar a fazer e ser enfermeiro como até hoje com orgulho e sem estes pavoneios e más línguas que nada dignificam a profissão.
 
DE não ofenda e brinque com a dignidade dos enfermeiros. Conheço muito bem o Marcelino e é um enfermeiro modelar desde sempre nos HUC e muito respeitado, Haja muito cuidado com o que aqui se diz e os comentários em relação a alguns, não nos dignificamem nada. Não tarda nada a PGR vai ter que entrar em ação e ninguém lhe valerá. Quem te avisa teu amigo é.
 
Eu também estive lá e sem duvida que o nos apresenta É um retato fiel e verdadeiro do que se passou...
Pairaram no ar sentimentos de frustração, prepotência, snobismo...enfim algumas das realidades que marcaram a anterior equipa...
Neste momento é preciso que TODOS estejamos juntos por um objectivo claro, nobre e importante ... A ENFERMAGEM ...
Pode ser lirismo da minha parte mas a Enfermagem só tem a ganhar se Sindicatos, Ordem e Associações Profissionais falarem a mesma voz ...
Parabéns DE ...
 
Caro DE:

comentários sobre o facto de uma auditoria às Escola de Enfermagem com vista a reduzir o excesso de oferta formativa só estar prevista para 2015 (ou mais tarde) ?
 
os perdedores ficam sempre enfurecidos e desorientados ainda mais quando perdem para outros a vida boa que levavam, é o que se está a passar NOS HOSPITAIS COM A SUBSTITUIÇÃO DAS DIREÇÕES DE ENFERMAGEM (nomeadamente aquelas que tal como a anterior direção da OE lá andaram muitosssss e muitossss ANOS e AGORA NEM SABEM O QUE É ENFERMAGEM, TRABALHAR !!!!!!!)
A equipa do Manuel Oliveira perdem porque claramente se rodeou de muitos elementos dessas DIREÇÕES DE ENFERMAGEM que agora já quase todas caíram do PEDESTRAL, SERÁ UMA LIÇÃO PARA MUITOS!!!!!!!!
 
Caro DE

muitas falhas existem na sua analise à AG, de Coimbra!!!!!então, e a postura da exma Vice -presidente???? então, e o mutismo do Dignissimo bastonario????
Sendo eu um simples enfº o que vi e muito me desiludiu foi: da proximidade tão apregoada e prometida, vi neste local de decisões (o unico proporcionado a qualquer simples enfº como eu), serem recusadas as propostas de actividades!!!Ou seja, tudo muito, muito longe da proximidade prometida!!!ou será que o entendimento de proximidade é encherem as caixas de correio electronico com noticias nada potenciadoras do desenvolvimento profissional ??? será que aproximar a OE aos enfºs, é isto??? então, e o acompanahmento do exercicio profissional???o estar proximo dos enfºs nos locais onde se tomam decisões complexas, dilematicas...ajudar os enfºs na sua arte ? para quando???? tenho esperança, até porque sou optimista e acredito que é esta visão de proximidade, que integra o conceito de PROXIMIDADE, que tanto anunciaram e prometeram. Vou estar atento!!!!!
 
Caro DE, adorei o post. E porque confio nesta Equipa quero-lhe perguntar para quando uma posição firme da OE contra estes insultos à nossa Nobre Profissão:

http://www.acessoensinosuperior.pt/indcurso.asp?curso=9085

http://esa.ipb.pt/cursos/licenciatura-enfermagem-veterinaria/

http://www.ipcb.pt/index.php/ciencias-biologicas-e-alimentares/enfermagem-veterinaria-esa

http://www.esav.ipv.pt/bolonha1.htm

e ao que parece até já têm Mestrados:

http://www.ipcb.pt/index.php/ciencias-biologicas-e-alimentares/mestrado-em-enfermagem-veterinaria-em-animais-de-companhia

http://www.esav.ipv.pt/mevac/


isto só para citar alguns exemplos!!!!
 
01:013 AM

Enfermeiro respeitado nos HUC? Por si talvez e por muitos que porventura com ele trabalharam!!!! Como ele muitos outros.

Nos HUC sabe muito bem qual é a cultura e quem são os mandantes!
Ou estás comigo ou contra mim!!!

Neste momento sabe muito bem quem são os protagonistas e os seus acólitos. Porventura será um deles não? Ou não defende quem já deu o litro ali dentro??
 
Esses "colegas" deram cabo da profissão!!!!!
 
Que post tão pouco interessante...
MA
 
Grande DE!
 
Tenho-me divertido imenso nos últimos tempos…
Estive em Coimbra e tenho uma opinião clara sobre o que lá se passou.

Chamo a atenção para o seguinte: no pos´t do dia 24 de Março prometia-se um comentário “para breve” sobre a AG; no dia 6 de Abril, pode ler-se “sai hoje ou amanhã” e no dia 13 de Abril diz-se que é “amanhã”.
Palavras para quê!?

Faço desde já uma declaração de interesses: o Germano é um justo vencedor das eleições e é o legítimo representante da classe, em Portugal.
Porque é que não votei nele? Muito simples:
Fala-se muito em ruptura, mas basta olhar para as revistas da OE (as tais em papel…) e percebe-se que afinal, ele e os seus amigos também embarcaram nas viagens ao estrangeiro. Nessas viagens estão muito sorridentes na companhia de outros que agora ostracizam!
Fala-se (agora) em desemprego em Enfermagem, mas eu já convivo com ele desde 2008. Onde andou o Germano durante esse tempo todo? A dar aulas numa privada do Porto!

Neste blogue fez-se muito “show de bola” com a visita ao Cavaco Silva e à Assunção Esteves. Cuidado com as ilusões:
- não estamos a falar de órgãos (democráticos) com funções executivas; muito antes do Germano ser bastonário já eu tinha escrito ao Cavaco sobre a profissão e a resposta foi “encaminhei para a Sr.ª Ministra da Saúde”;
- quer o Aníbal, quer a Assunção andam nas bocas do mundo por aquilo que se passa com as suas reformas (o Cavaco prefere a reforma choruda do Banco de Portugal em vez do ordenado de Presidente! A Assunção é a 2ª figura do Estado, mas já está reformada desde os 42 anos!). Como vêem não são grandes exemplos;
- mais: em nenhum dos casos foi assumido qualquer tipo de compromisso; tudo não passou de uma visita de cortesia do tipo: “olá, nós representamos a Ordem dos Enfermeiros e estamos aqui para o que for necessário”;

A história da MAC vem dar razão ao que digo. Lembram-se do que o ministro disse na tomada de posse do Germano? Pois é, palavras leva-as o vento. E pior: esta direcção da Ordem prometeu que ia fazer-se ouvir junto do poder político. Está aí a prova!

Quanto ao que se passou em Coimbra, não vou entrar em conversas do tipo “bota abaixo” dos Jacintos e das Lucílias. Vamos a factos:
- um enfermeiro director disse que era um “boy” dos partidos políticos. Toda a gente sabe que é assim de norte a sul do país. O digníssimo bastonário não disse uma palavra sobre a matéria!
- o vice presidente da OE não se referiu uma única vez ao SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE na apresentação do plano de actividades para 2012. Pior: depois de o chamarem a atenção, reagiu como se tivesse toda a razão do mundo. Para que saibam: os optometristas reuniram-se há cerca de 1 ano e reivindicam a incorporação no SNS. Os psicólogos estão em congresso neste momento em Lisboa e pedem o mesmo.
Fica a prova do erro monumental do Sr. Bruno Noronha.

Para terminar: nunca votei na Maria Augusta; reconheço-lhe coragem por estar presente na AG de Coimbra; achei lamentável que se tenham dirigido a ela como “ex bastonária”. E notem que nem estou a falar do Presidente de Mesa (que aliás, corrigiu a gafe com um pedido de desculpas). Vi várias pessoas a intervir na assembleia e que intencionalmente não lhe dirigiram a palavra.
 
Imperdoavel foi a atitude da Srª do sindicato...
Então não faz e não fez o seu trabalho e vem dizer que a Ordem não pode falar em valorização salarial !!!
Esta srª nunca mais sai de cena ?
Que vergonha ...
 
Então DE onde está o meu anterior comentário? Não lhe agradou? Aguardo a sua publicação, em nome da defesa da dignidade da profissão!
GRB
 
Dr Enfermeiro.

Devia mas era ir trabalhar para o circo.
Uma vergonha
 
"um dos Enfermeiros presentes revelou-se inteligente";golpada e chico espertismo no seio de amadores que votam como "carneiros", sem medir consequências e sem aproveitar o que de bom alguns Enfermeiros tinham para discutir.

Já passaram 4 meses e de concreto/objectivo - quase nada.

P.S Ainda está por descortinar/esclarecer a história do "SPA..." que a delegação do Norte da OE está ou quer construir com o dinheiro de todos os Enfermeiros, em detrimento da investigação e estudos na área da Enfermagem, que a OE tem e deve promover como algo estratégico. Vamos ver.
 
Para Anónimo 4/19/2012 01:13:00 AM:

O DE já nos habitou à sua frontalidade e força para denunciar o que vai mal na Enfermagem. Não se deixa intimidar por aqueles que querem manter na Enfermagem no tempo da idade média. Denunciou a corrupção no CHVNG/E, mostrou a incoerência e a falta de estratégia das diferentes listas à OE, não se calou face ao show de um processo judicial da Ana Rita Cavaco... acha mesmo que se vai deixar intimidar por pseudo-intelectuais?

DE, sempre com muito nível, ninguém o pára.
 
Dizia um fiel seguidor do DE aqui num comentário acima:

" O DE já nos habituou à sua frontalidade..."

Mas isto é alguma piada??? Frontalidade??? Um individuo que escreve o que quer e lhe apetece, manipulando acontecimentos, sob a COBARDIA do ANONIMATO???

Só por isto já demonstra bem o tipo de pessoa que é, sempre a jogar na penumbra não olhando a meios para atingir os fins... e é este o ídolo de muitos enfermeiros.. que vergonha!
 
Fabuloso este post! AHAHAHAH!! rebolo de rir!
Então de imaginar a ira vaporosa dos "ex", dos mamões que perderam (melhor, foram CORRIDOS) a cadeirinha da OE, dá-me um real gozo!

Saber que os malfeitores, são cedo ou tarde punidos, apraz-me =)!

Agora esteebuchem o que quiserem, Augustas, Lucilias, Jacintos e Marcelinos; o vosso tempo já foi (e até que enfim!! RUA!!).
 
""DE a sua popularidade tem os dias contados e a dos seus amigos também, porque a vossa visão está enviesada pela sede de poder. O que vale é que na prática ainda há enfermeiros com vontade de transformar e valorizar a profissão. É ai que vou continuar a fazer e ser enfermeiro como até hoje com orgulho e sem estes pavoneios e más línguas que nada dignificam a profissão.""

Dias contados? Acha mesmo?? HAH! =D
 
Entao Ana Rita Cavaco, tu que tre afirmavas incontornavel defensora dos interesses dos enfermeiros.. onde andavas tu??

Tavam bons, os rissois no congresso do PSD?? Ja te andaste a fazer a quantos poleuros? (e nao precisam necessariamente que ver com enfermagem, como sabemos, não é ARC??)
Entao e todos os teus acólitos enganados? Nao te enviaram mails ou bocas no facebbok??
 
E uma posição da OE sobre a MAC??

e onde anda a Enfª directora?
 
Penso que a grande maioria dos enfermeiros não tem a mínima noção da importância que este blog tem na vida da Enfermagem e dos enfermeiros. Espero que um dia seja reconhecido.
Parabéns pela coragem. Obrigado
 
grande DE! So falta a chamar as pessoas pelos nomes corretos Enf Teresa Oliveira Marçal, obrigada
 
Bom dia!

Quer queiram quer não, o Enf. Germano foi democraticamente eleito! ponto final!

A Corja que lá esteve todos os anos passados, que vá lamber "as feridas" da humilhação, geradas pela sua gritante incompetência numa pastagem qualquer!

A verdade é que nem sequer são dignos das pastagens que alimentam as vacas leiteiras, bem mais importantes à sociedade!

E dada a seca que o país atravessou nos últimos meses, a solução passa mesmo por engolir os "sapos" sem os mastigar...

Sinceramente espero é que se engasguem com eles!!!

Quanto à identidade do DE! não entendo qual é a necessidade de saber quem é!!!

Principalmente, quando a Enfermagem carrega o fardo da intelectualidade "balofa" da Ex-bastonária e da sua equipa de parasitas, que aliada a uma "passividade" mórbida nos colocou num poço sem fim....

Tenham dó!!! esse reinado ignóbil de "nabos" acabou!!!

A verdade é que os estragos são muitos!

Mas estou convicto que o Enf. Germano e a sua equipa nos vão levar a bom porto!

POR ISSO DEIXEM O "HOMEM" TRABALHAR!

Cumprimentos!
NEL
 
É a 1ª vez que coloco um comentário, mas sem querer colocar-me do lado de ninguem acho que uma coisa básica deve ser entendida por todos quantos por aqui discorrem... Um Blog, por definicao, não é institucional. Ele é sim propriedade intelectual de quem nele escreve. Assim, parece-me legitimo que quem nele escreve opine como bem entenda, pois a nenhuma isencao está obrigado.Um Blog é a expressao da liberdade do seu proprietário, nao cabendo nos comentários de quem o lê queixas de falta de isencao ou de tomadas de posicao.Para isso, parece-me que existe a liberdade de nao visitar ou ler o Blog em questão ou em ultima análise criar o seu próprio Blog...

AAFS (Coimbra)
 
A GUADALUPE ANDA COM UMA AZIA................................................................................................................................................................................
 
Mas uma azia valente!
 
Mas uma azia valente!
 
" O DE já nos habituou à sua frontalidade..."

Mas isto é alguma piada??? Frontalidade??? Um individuo que escreve o que quer e lhe apetece, manipulando acontecimentos, sob a COBARDIA do ANONIMATO???

Só por isto já demonstra bem o tipo de pessoa que é, sempre a jogar na penumbra não olhando a meios para atingir os fins... e é este o ídolo de muitos enfermeiros.. que vergonha! “”


..RESPONDE UM ANÓNIMO AHAHAH!! BOA, TU TENTASTE ; )

E SIM, O DE É UM iNCONORNAVEL MARCO DA ENFERMAGEM PORTUGUESA, QUER GOSTE OU NÃO! E QUE NÃO LHE CUSTE MUITO A ENGOLIR =D
 
EHEHEHE o bigodinho tem-se em boa conta...
 
é que nem com Rennie =D
 
Transcrevo linearmente as seguintes palavras:
"...mas sem querer colocar-me do lado de ninguem acho que uma coisa básica deve ser entendida por todos quantos por aqui discorrem... Um Blog, por definicao, não é institucional. Ele é sim propriedade intelectual de quem nele escreve. Assim, parece-me legitimo que quem nele escreve opine como bem entenda, pois a nenhuma isencao está obrigado.Um Blog é a expressao da liberdade do seu proprietário, nao cabendo nos comentários de quem o lê queixas de falta de isencao ou de tomadas de posicao.Para isso, parece-me que existe a liberdade de nao visitar ou ler o Blog em questão ou em ultima análise criar o seu próprio Blog..."

Injusto, verdadeiro, ou desconexo, não há dúvidas que o autor tem sentido humor. E quem o quiser calar, muito pior que ele será.

Ponto claro: se queremos evolução, precisamos de união e acção. Deixemos de falar no passado e de picardias que não levam a lado nenhum.

G.Carmo (PDDSE)
 
P.s. - ... faltou lá alguém... laranja (andava no Congresso do PSD)...

Olhe que não...lol
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!