terça-feira, abril 01, 2014

"A pill from the nurse is just as safe as a pill from the doctor"!



-
"A pill from the nurse is just as safe as a pill from the doctor"* link

- Netherlands Institute for Health Services Research -


"The clinical outcomes are just as good when nurses are the ones writing out the prescriptions. And with regard to the quality of the care provided, patients experience this as being the same or even better"
.
*Tradução: Um fármaco prescrito por um Enfermeiro é tão seguro como um prescrito por um médico.
.
Antes de mais: "passar receitas" é um termo erróneo. Não é disso que se trata. É de legitimar algo que já se faz por aí, por esse Portugal - autonomia na escolha e administração de fármacos, nas situações que decorrem do exercício autónomo da profissão.
Não será aplicável a todos, obviamente. Esta medida carece de um ajuste curricular. Sempre fui da opinião de que se pode apresentar sob uma espécie de extensão ou complemento formativo, com frequência opcional de cada um. Os que optarem pelo acréscimo de funções e competências, obviamente serão alvo de uma reconfiguração salarial compensatória.
.
Esses enfermeiros apresentarão um perfil e autonomia mais apetecível para os eventuais empregadores. É assim que perspectivo o futuro. Como mulher à frente do tempo e visionária que era, se fosse viva, Florence Nightingale apoiaria esta nova intenção para o futuro da enfermagem. Há muitos anos atrás, defendeu para a profissão um conjunto de actividades consideradas, então, como fora do "galho" dos Enfermeiros. Se fosse pelos velhos do Restelo, a enfermagem não tinha evoluído!
.
Pode não ser para hoje. Pode não ser para amanhã. Haverá, certamente, pressupostos a carecerem de alterações para que isto se operacionalize... mas, meus caros, isto está para breve!! Na próxima negociação de carreira e enquadramento salarial, levaremos, inquestionavelmente, outros argumentos, outros fundamentos. Acima de tudo, ao unir o cuidar à prescrição, traremos mais ganhos em saúde ao sistema e aos cidadãos.

.
Leitura interessante, aqui.

Comments:
Caro Dr Enf, como disse num outro post este é um momento que aparece numa lifetime, no entanto, isso não quer dizer que seja algo importante para o futuro da enfermagem, nisso não concordo consigo, pode ser sim uma ferramenta muito útil a ser utilizada por exemplo para a enfermagem desenvolver investigação, em termos profissionais também poderá ser útil, talvez mas mais do que isso não. Mais uma vez alerto a enfermagem como a conhecemos vai acabar se não fizermos algo que preconizo há bastante tempo: - integração dos cursos de enfermagem nos cursos de ciências básicas da saúde, com especialização em enfermagem de seguida (+1 ou 2 anos), - criação de centros de investigação nas escolas de enfermagem com critérios de qualidade certificados por agentes externos, entre eles publicação mínima em revistas com factor de impacto elevado, as restantes também já falei delas aqui neste blog bastas vezes. Se tal não acontecer no espaço de 5/10 anos a enfermagem acabará como a conhecemos... (em Portugal, claro porque em outros países europeus e não europeus a enfermagem já é diferente e ficará ainda mais....)
 
Mais complementos de formação?
Essa não!!!!!

Ainda não somos todos iguais à luz de um título e duma profissão?
 
É só legalizar o que já se faz...mais nada!
 
UMA QUESTÃO QUE SEMPRE ME FEZ CONFUSÃO ENQUANTO ENFERMEIRO É A SEGUINTE : PORQUE É QUE UM SIMPLES CIDADÃO, UM PAI POR EXEMPLO DE UMA CRIANÇA, NA SUA CASA PODE "PRESCREVER" UM SIMPLES ANALGÉSICO OU ANTI-PIRÉTICO AO SEU FILHO... E UM ENFERMEIRO, PROFISSIONAL DA SAÚDE, COM ANOS E ANOS DE FORMAÇÃO, EXPERIÊNCIA, PÓS-GRADUAÇÕES, MESTRADOS, ETC, DENTRO DE UMA INSTITUIÇÃO DE SAUDE JÁ NÃO O PODERÁ FAZER, PURA E SIMPLESMENTE PORQUE "ESSE É UM ACTO SUGEITO A PRESCRIÇÃO MÉDICA" ????? ALGUÉM ME TIRA ESTA DÚVIDA EXISTENCIAL ????

CONCORDO INTEIRAMENTE COM ESTAS NOVAS COMPETÊNCIAS, POIS NA PRÁTICA JÁ SE FAZEM HÁ IMENSO TEMPO.
NO DECORRER DE UM TURNO, DE NOITE POR EXEMPLO, JÁ ALGUM ENFERMEIRO TERÁ DEIXADO ALGUM DOENTE MORRER POR FALTA DE MEDICAÇÃO, APENAS PORQUE O SEU MÉDICO RESPONSÁVEL ESTÁ EM CASA OU ATAREFADO NAS URGÊNCIAS OU BLOCO ???? CREIO QUE NÃO. O QUE ACONTECE NA PRÁTICA, É RESOLVERMOS NÓS A QUESTÃO, E MAIS TARDE O MÉDICO ASSINAR POR BAIXO, A BEM DO DTE E DA EQUIPE.
TENHO DITO.

PM
 
QUANDO SE SENTE APERTADO GERMANO lança mão da demagogia de sempre e lá sai da cartola, com ajuda dos amigos do governo, umas prescrições ou o enfº de família ou uma providência cautelar para o pré hospitalar etc.
Tudo conversa não convém esquecer que este secretário de estado chegou a acordo com o Germano sobre o pré hospitalar depois de dias antes ter assinado um despacho completamente contrário ao que o "frouxo" do bastonário tinha acordado na reunião.
E já agora doutor dois níveis de cuidados de enfermagem terminaram em 76 não queremos voltar tantos anos para trás.
E se é para normalizar o que já hoje se faz não é necessário formação pois já se faz e bem.
 
nao seria mais importante nesta fase, pegarmos em assuntos como dotaçoes seguras, quando vemos os serviços com menos 30 a 40% do pessoal, em que os poucos vêm-se sem os direitos a folga, ferias, gozo de feriados, tec.
Asssunto como o regresso as 35h/semanais, ainda nao se aperceberam que temos muitos enfermeiros com alteraçoes importantes do sono ou com dores cronicas, situaçoes claramente agudizadas desde setembro.
Prescriçoes???!!!!!!!!
Sugiro uma revisao sobre a piramide de maslow...



 
no poço da ignorância onde a profissão está a cair... não me parece grande ideia...
 
Mais horas de trabalho semanais, diminuição drástica dos salários, trabalhar com o mínimo de condições exigiveis e a discussão centra-se nas prescrições ??? mais responsabilidade por menos salário??ACORDEM! Se o ministro precisa dos enfermeiros para diminuir o nº de utentes sem médico de família, por exemplo, tem que nos oferecer algo em troca primeiro!!!
 
Com tantos problemas e injustiças, sentidas até ao osso, há, de certo, assuntos mais urgentes para resolver na nossa classe. Destaco alguns: salários baixos (1024€), não progressão na carreira, não reconhecimento de mais competências, falta de segurança no trabalho, injustiças salariais brutais no sector privado (há Enfermeiros no Algarve, a trabalhar em Unidades de Cuidados Continuados a receber 700€/40 horas semanais, a recibos verdes, que feitos os descontos ganham perto do salário mínimo).
Porque a Ordem dos Enfermeiros aceita que se sobrecarregue os Enfermeiros com mais esse acto, sem receberem mais?
 
Sou enfermeiro e encontro-me a realizar um breve estudo sobre a opinião dos cidadãos portugueses relativa à prescrição de medicamentos por profissionais de enfermagem. Neste sentido solicito-lhe que responda às questões que se seguem evidenciando, assim, a sua opinião nesta temática. As suas resposta são confidenciais. O questionário encontra-se no link: http://goo.gl/AmU3t9
 
Fazer acontecer

As pessoas podem ser dividas em três grupos:

Os que fazem as coisas acontecerem;
Os que olham as coisas acontecendo;
e os que ficam se perguntando o que foi que aconteceu.

Nosso caráter é aquilo que fazemos quando achamos que ninguém está olhando.

Nunca deixe de ter dúvidas, quando elas param de existir é porque você parou em sua caminhada.





X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.X.





SIGNIFICADO DE HONESTIDADE

O que é Honestidade:

Honestidade, é uma qualidade de ser verdadeiro; não mentir, não fraudar, não enganar. A honestidade é a honra, uma qualidade da pessoa, ou de uma instituição, significa falar a verdade, não omitir, não dissimular. O indivíduo que é honesto repudia a malandragem a esperteza de querer levar vantagem em tudo.

Honestidade, de maneira explícita, é a obediência incondicional às regras morais existentes. Existem alguns procedimentos para alguns tipos de ações, que servem como guia, como referência para as decisões. Exercer a honestidade em caráter amplo, é muito difícil , porque existe as convenções sociais que nem sempre espelham a realidade, mas como estão formalizadas e enraizadas são tidas como certas.

Para muitos, a pessoa honesta é aquela que não mente, não furta, não rouba, vive uma vida honesta para ter alegria, paz, respeito dos outros e boas amizades. Atualmente, o conceito de honestidade está meio deturpado, uma vez que os indivíduos que agem corretamente são chamados de "careta", ou são humilhados por outros.

 
SALÁRIO DIGNO PARA TODOS

A verdade é que deveria ter respeito e valorização dos nossos profissionais, salário digno é assim:
Graduado... Dr. Médico - 100%
Graduado... Dr. Enfermeiro - 70% do Dr. Médico
Graduado... Outros Doutores da saúde 70% do Dr. Enfermeiro

Nível Médio – Técnico de Enfermagem ou outros da saúde - 50% dos outros Doutores da saúde
Ensino fundamental – Auxiliar de Enfermagem ou outros da saúde - 70% do Técnico de Enfermagem ou outros da saúde.

30 HORAS JÁ: ENFERMAGEM E TODOS – ÁREA DE SAÚDE




... xxx ... xxx ... xxx ... XXX ... xxx ... xxx ... xxx ...




Acredite: SER DOUTOR É MAIS FÁCIL DO QUE SE TORNAR ENFERMEIRO OU MÉDICO

Os 10 MANDAMENTOS DOS DOUTORES: MÉDICOS E ENFERMEIROS

1 - Se você não sabe o que tem, dá VOLTAREN;

2 - Se você não entende o que viu, dá BENZETACIL;

3 - Apertou a barriga e fez 'ahhnnn', dá BUSCOPAN;

4 - Caiu e passou mal, dá GARDENAL;

5 - Tá com uma dor bem grandona? Dá DIPIRONA;

6 - Se você não sabe o que é bom, dá DECADRON;

7 - Vomitou tudo o que ingeriu, dá PLASIL;

8 - Se a pressão subiu, dá CAPTOPRIL;

9 - Se a pressão deu mais uma grande subida, dá FUROSEMIDA!

10 - Chegou morrendo de choro, ponha no SORO.

...e mais...

Arritmia doidona dá AMIODARONA...

Pelo não, pelo sim, dá ROCEFIN.

...e SE NADA DER CERTO, NÃO TEM NEUROSE...
...DIGA QUE:

É SÓ ESSA NOVA VIROSE!!!

Parece brincadeira, mas... É verdade!

(Recebido por e-mail - Autor Desconhecido)

 
Enfermeiros a prescrever medicação e exames complementares de diagnóstico é simplesmente ridículo ponto! Assim sendo deixará de haver distinção entre médicos e enfermeiros pois só falta estes fazerem o diagnóstico! A cadeira de Farmacologia que tive no ensino superior era igual à de Enfermagem, aliás até tive 1 Semestre a mais com outras temáticas mais relacionadas com a minha área, e jamais prescreveria o que quer que fosse. Sei que no exercício profissional adquirem mais conhecimentos sobre esta temática mas não havendo avaliações que o comprovem e só pelo facto de não fazer parte das competências profissionais isto PARA MIM é rídiculo.
Ass: Estudante de Cardiopneumologia.
 
Sou enfermeiro há 17 anos e discordo frontalmente desta medida. Não vejo qualquer interesse em os enfermeiros se meterem nas prescrições de medicamentos e exames. Para isso já há médicos. Nós enfermeiros temos de nos afirmar na diferença e especificidade das nossas funções e não querermos funções "remendadas" nem sermos o refugo e sucedâneo doutros.
 
Mais vale um enfermeiro de primeira que um médico de segunda...
 
Sinceramente acho que esta questão se resume a 2 coisas...dinheiro e emprego...infelizmente o facto de os enfermeiros tentarem fazerem coisas que não lhes compete não irá trazer-lhes um acréscimo do salário ou mais emprego...O governo a ir com isto para a frente é mesmo e só para poupar...o ordenado de um médico é 1200 euros para 40 horas. Não há margem para subirem o ordenado aos enfermeiros...só vão levar com a parte chata...processos e trabalho
 
Não julgar o próximo
Um médico entrou num hospital apressado, depois de ter sido chamado para uma cirurgia urgente. Ele respondeu à chamada imediatamente e mal chegou trocou-se e foi direto para o bloco operatório. Pelo caminho encontrou o pai do rapaz que ia ser operado a andar para trás e para a frente à espera do médico. Quando o viu, o pai gritou:
-”Porque demorou este tempo todo a vir? Não sabe que a vida do meu filho está em perigo? Você não tem o mínimo de sentido de responsabilidade?”
O médico Dr. José, sorriu e respondeu serenamente:
-”Peço-lhe desculpa, não estava no hospital e vim mal recebi a chamada… Agora, gostaria que você se acalmasse para que eu também possa fazer o meu trabalho.”
-”Acalmar-me?!?! E se o seu filho estivesse dentro do bloco operatório, você também ficaria calmo? E se o seu filho morresse o que faria?”, disse o pai visivelmente agitado.
-”Ficar nesse estado alterado e de nervos não vai ajudar nada, nem a si, nem a mim e muito menos ao seu filho. Prometo-lhe que farei o melhor que sei e consigo dentro das minhas capacidades”, disse o médico Dr. José.
-”Falar assim é fácil, quando não nos diz respeito.”, murmurou o pai entre dentes.
Passadas algumas horas, a cirurgia terminou e o médico Dr. José e a enfermeira Drª Maria, saíram sorridentes de encontro ao pai.
-”A cirurgia foi um sucesso. Conseguimos salvar o seu filho! Se tiver alguma questão pergunte à enfermeira Drª. Maria.”
Sem esperar pela resposta, o clínico prosseguiu caminho visivelmente apressado. O pai irritado dirigiu-se à enfermeira Drª. Maria e desabafou:
-”O médico Dr. José é mesmo arrogante… Será que lhe custava muito ficar aqui mais uns minutos para eu lhe questionar em relação ao estado geral do meu filho?”
A enfermeira Drª. Maria, um pouco abalada e quase a chorar respondeu-lhe:
-”O filho do Dr. José morreu ontem num acidente rodoviário. Ele estava no funeral quando o chamamos para a cirurgia do seu filho. Agora que a cirurgia terminou e o seu filho foi salvo, o Dr. José, voltou para o funeral a correr para prestar a última homenagem ao filho dele.”

Pense Nisso: NUNCA JULGUE!

 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!