terça-feira, setembro 01, 2015

Há dinheiro para todos...

.
Há dinheiro para os Médicos. Há dinheiro para os Farmacêuticos. Há dinheiro para os Nutricionistas. Há dinheiro para os Psicólogos. Não há dinheiro para os Enfermeiros (mas temos muito orgulho nos nossos bons rácios).

Comments:
Há dinheiro para quem merece...
 
Mas a sério que achas que os enfermeiros deveriam ter o mesmo salário que os médicos? Ou até que farmacêuticos?

Não exageremos...
 
os enfermeiros tem o direito a ter um ordenado equivalente a qualquer técnico superior e desafio todos os colegas a denunciar todos os que se vendem barato para ganhar mais uns trocos
 
Os médicos estão uns pontos bem acima dos restantes técnicos superiores de Saúde em termos de importância e complexidade das suas funções.
Comparar Enfermeiros , farmacêuticos ou nutricionistas aos médicos é meramente um exercício de populismo barato.
Tudo o resto é conversa!


 
"Os médicos estão uns pontos bem acima dos restantes técnicos superiores de Saúde em termos de importância e complexidade das suas funções.
Comparar Enfermeiros , farmacêuticos ou nutricionistas aos médicos é meramente um exercício de populismo barato.
Tudo o resto é conversa!"

A partir do momento que temos estas mentes brilhantes que tentam comparar o incomparável, quem deve ganhar mais, quem deve ganhar menos.... demonstra apenas o nível de médicos (sim, pois este comentário foi reproduzido por um aspirante a medico)que iremos ter nos próximos anos. Relembro a estes putos que esta profissão ira ser banalizada nos próximos 10 anos....

Em relação aos ordenados creio que todas as classes se deveriam unir, pois estamos a falar do nosso sistema saúde, estes profissionais infelizmente ou felizmente são numerosos e poderão fazer mossa no SNS, e qualquer um destes intervenientes poderá passar num ápice de prestador de cuidados a recetor de cuidados!!!

pensem nisso antes de comparar egos...

médicos, enfermeiros, nutricionistas etc... são todos iguais, ninguém é insubstituível....

 
Não, a medicina não vai ficar banalizada nos próximos 10 anos por duas razões:

1) Há um limite cada vez mais apertado no acesso à especialidade, o que significa que haverão médicos a emigrar em massa para se formar no estrangeiro com a manutenção do mesmo número (se não menos) de especialistas que temos agora. Basta olhar para o exemplo dos países de leste para concluir que formar mais médicos sem um sistema que os atraia só serve para esgotar recursos preciosos e prolongar o estado de carência dos mesmos no próprio SNS. Ninguém no seu perfeito juízo escolhe ficar no seu país a ganhar 300 €/mês quando pode ganhar 10 vezes mais no país vizinho.

2) Um médico será sempre médico, a profissão não é, nem nunca será banal. O facto de existirem mais não retira valor ao que cada um faz individualmente (o que não acontece - ver ponto número 1). Sei que queria que medicina fosse uma profissão banal como enfermagem, mas isso não acontece nem nunca aconteceu, mesmo em Espanha que viveu um período de excesso.

Concordo com o penúltimo comentário, não é minimamente possível comparar aquilo que um médico faz diariamente com aquilo que um enfermeiro, farmacêutico ou nutricionista faz. É como comparar um engenheiro com um pedreiro.

PS: Todas as actividades de saúde (farmacêuticos, enfermeiros, psicólogos etc.) vêm beber ao conhecimento produzido pela profissão médica, o que significa que qualquer um deles é substituível. Ver =/= entre profissões e actividades.
 
Temos um medicocentrico aqui. vê-se mesmo que não conhece a realidade dos países mais desenvolvidos do mundo, na saúde em especial. Países esses que servem de exemplo para países como o nosso, mas o problema do nosso é que não tem dinheiro, para o desenvolver. E também dava jeito não haverem tantos médicos a controlar, ou melhor dizendo, manipulando a saúde em prol da sua classe mesquinha e egocêntrica. Nesses países vê-se o desmoronar da medicina, pois os médicos são cada vez mais escassos e felizmente vão sendo substituídos por outros profissionais de saúde que na sua esmagadora maioria são enfermeiros (nurse practitioner). Devo dizer que por exemplo nos EUA há demanda de médicos e no entanto, constata-se menos médicos a saírem formados, ou seja, traduz-se em menos vagas para medicina pois esses "nurses practitioners", são quem os substituem e muito bem.
LAMENTO SENHORES DOUTORES, AS TENDÊNCIAS SÃO ESTAS E UM DIA CHEGARÃO A PORTUGAL
 
Que os médicos não digo tem muitos anos de formação. Agora um enfermeiro especialista e um farmaceutico tem os mesmos anos de formação fora que hoje em dia o vulgo farmaceutico e tipo barman não faz quase preparações logo tb tem de se adaptar a realidade
 
Os médicos só tem 6 anos de formação, porque tem o mestrado integrado na licenciatura, senão teriam como alguns outros um curso de licenciatura de 4 anos.
ATENÇÃO: Isto tudo sem contar com a especialidade.
 
A Enfermagem só teria a ganhar se perdesse a mania de constantemente se comparar aos médicos e começasse a comparar-se aos psicólogos, nutricionistas e farmacêuticos; médico é médico, é uma divisão acima, quer em Portugal quer em qualquer parte do Mundo.

É necessário competir com aqueles que "jogam" na mesma divisão que nós e não na divisão acima, pois perderemos sempre nas comparações e no confronto direto.

Comparar Médicos e Enfermeiros é utópico. Claro que cada um é insubstituível naquilo que faz, como alguém disse anteriormente (apesar dos enfermeiros teimarem em querer substituir os médicos em muitas coisas que estes fazem) mas há graus de relevância diferentes ao nível do que se faz (tal como num tribunal não há julgamentos sem a presença do oficial de justiça, mas isso não quer dizer que este seja esteja ao nível do juíz, que tem o papel de maior relevo na administração da justiça).

Os Enfermeiros têm de aprender portanto a eleger metas credíveis e praticáveis ao nível laboral( por exemplo exigir uma maior equidade entre Enfermeiros, nutricionistas ou mesmo psicólogos) e não se perderem em devaneios megalómanos , pois em nenhum país do mundo os Enfermeiros estão ao nível dos Médicos, em termos de relevância, influência , prestígio e remuneração.



 
Para o medicocêntrico: os restantes são todos substituíveis? É por isso que cada vez a sua (talvez futura) profissão é mais mal vista. Já pensou nas greves? Já reparou na diferença do dia-a-dia dos dias de greve enfermeiros/médicos?

Para o doente, greve dos médicos é quase um dia igual aos outros,
mais enoxa menos enoxa, também não é por isso que morre"... Se for de consulta o atraso passa de um bom par de horas para mais meia-dúzia.
Quando é greve dos enfermeiros, meia-dúzia não realiza higiene (e atenção que não estou de acordo de como se fazem estas greves da treta), mas isso para alguns doentes, também é como se estivesse em casa, hoje não tomam banho, agora sem enfermeiros, quem decide a dieta? Quem avalia PV e decide (sim decide) se a terapêutica deve ou não ser administrada tendo em conta o estado hemodinâmico do utente naquele momento e nos passados dias, quem salva o doente quando aspira a alimentação? Quem gere oxigenoterapia, para não se chegar o dia de alta e o doente continuar com SpO2 100% com ON 3L/min "porque estava prescrito...", pois Sr. Dr, não é você com certeza. O Sr. Dr. sente-se importante porque é xô-tor, e recebe garrafas de vinho, mas depois de sair do quarto, o utente que acabou de sorrir e ser simpático para si, é o primeiro a dizer que está descontente com o seu médico.
Eu prefiro receber sinceridade e agradecimento honesto do que uma EA 2010 que posso comprar a qualquer momento. Já agora, não tenho nada contra médicos, e os que estão mais presentes e discutem os casos dos doentes com o enfermeiro que tem prestado cuidados a esses doentes, dá gosto trabalhar com eles, o doente beneficia disso e a família dele também. Mas é a tal história, existem médicos e Xô-tores, e até um economista é Xô-tor e não percebe patavina de saúde.

Cada macaco no seu galho, sempre defendi, o problema é que existem macacos que pensam que são gorilas, e talvez não passem mesmo disso.


P.S: Para que fique esclarecido, não tenho dor de cotovelo, a única invejo que tenho dos colegas médicos é apenas e simplesmente, o salário, não sinto que a minha remuneração esteja de acordo com as minhas funções... e é só.
 
Para quem redigiu o penúltimo comentário, é notória tamanha ignorância. Como é que é possível pensar que os médicos são Deuses. E ainda por cima nota-se na redação agressividade, mas porquê: será que há alguma insegurança. Faz questão de demonstrar diferença entre os médicos e as outras classes da saúde, que claro não existe, a não ser na remuneração. Evoca ofensas para complementar o seu texto, sim porque dizer que alguém (enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas) está abaixo dos médicos é ofensivo e ainda por cima realçar que noutros países, repito, noutros países há diferenciação entre profissões( com igual grau académico), se claro, estivermos a falar de países desenvolvidos, porque são esses que servem de exemplo.
Conselho: reformule o discurso, porque parece mal, reconhecer uma profissão(médico) pelo poder, influência, dinheiro e corrupção, ao invés de ser pelo que se faz de bom aos doentes, claro que há excessões.
 
"Faz questão de demonstrar diferença entre os médicos e as outras classes da saúde, que claro não existe, a não ser na remuneração"

LOL claro, claro. No teu mundo tudo é possível, se quiseres prescrevo-te um valproato para te trazer à terra. Ah desculpa, podes prescreve-lo tu, pois não há diferença nenhuma entre medicina e enfermagem, só na remuneração. L-O-L
 
oh, meu indouto, caso não saiba, há muitos países no mundo onde é permitido aos enfermeiros especializados, prescreverem. É claro que num pais subdesenvolvido como Portugal, cuja a saúde é manipulada pelos médicos, que tal não acontece, pois querem manter a sua esfera de poder.
Quanto à terapêutica que me aconselha, porque não a toma mensalmente em benefício próprio.
 
Chegou a hora de se fazer um novo sindicato, independente do poder politico. Com pessoas realmente interessadas em defender a profissão e enfrentar o poder politico , nem que tenha que ser com uma greve por tempo indeterminado. Os outros sindicatos se quiserem podem lutar ao lado, se não que fiquem no seu autismo e nas suas guerras (passam a vida a lutar um contra o outro e os governos na plateia a bater palmas)

Vamos lá quem está disposto???

Peço ao autor deste blog que faça um inquérito a perguntar aos colegas:
1. Se querem um sindicato novo nos moldes descritos
2.Se estão sindicalizados e estão dispostos a mudar para o referido novo sindicato
3. Se não estão, estão dispostos a sindicalizarem-se no referido sindicato?
4. Estariam dispostos, após esgotar todas as vias de dialogo, a uma greve por tempo indeterminado, em que a principal reivindicação seria o aumento salarial para TODOS OS ENFERMEIROS?
SE A ADESÃO FOR SIGNIFICATIVA ESTOU DISPOSTO A DAR A CARA E INICIAR UM PROCESSO DE FORMAÇÃO DE UM NOVO SINDICATOS COM ENFERMEIROS MOTIVADOS E INDEPENDENTES!!
 
Bem, quem de facto segue rasteiro no argumento é a falange Enfermeira, que enxovalha uma classe inteira (a médica), apelidando-os de corruptos, de desinteressados pelos doentes, de se venderem por uma garrafa de vinho e outras aleivosias.
Para alguns Enfermeiros (felizmente poucos) , respeito e reconhecimento pela sua profissão é ignorar as diferenças entre as profissões e propalar uma falsa igualdade: são de facto iguais na dignidade e respeito que devem merecer da sociedade, é inquestionável, mas são muito diferentes na natureza da responsabilidade, complexidade das decisões que tomam, conhecimento científico, prestigio, entre outros.

E parece-me não haver profissão que nutra tamanho azedume relativamente a outras profissões do que a Enfermagem: ora são os TAE no pré-hospitalar, agora os Médicos, os nutricionistas, os farmacêuticos os psicólogos, todos uma cambada de inúteis aos olhos de alguns Enfermeiros;
No entender desses Enfermeiros , eles próprios são os únicos que salvam vidas, são os que seguram a mão dos médicos e os impedem de matar os doentes, os únicos de quem os doentes gostam, os que sabem tudo, os que sabem prescrever mas não podem, os que têm um curso de 4 anos mas que vale por décadas de formação;

Qualquer dia, esses Enfermeiros vão dizer que querem operar, solicitar TACs e RMNs, atestar óbitos,fazerem consultas de seguimento de doenças crónicas, etc.

Mas esses enfermeiros, que têm essa fixação, só mostram que são os primeiros a depreciarem a sua própria profissão, pois não se sentem bem com ela, e por isso querem transformá-la numa outra profissão, ao seu gosto... Talvez quando decidiram pelo curso de Enfermagem, no fim do 12º ano, se devessem ter informado melhor no que se estavam a inscrever!

Mas ainda vão a tempo de mudar para algo mais a vosso gosto e aliviar a Enfermagem do vosso próprio peso.








 
Há para aqui alguém que quer tentar a todo o custo ofender a classe de enfermagem.
Não tem mais nada para fazer?
coitado não tem vida?!
 
Apoiado o comentário das 11:51.
Força!!!!!!!!

 
Conheço médicos "merceeiros", mas enfermeiros idem aspas.
Conheço enfermeiros zelosos, mas médicos idem aspas.
Conheço péssimos médicos, mas enfermeiros idem aspas.
Acabem com esta mesquinha troca de baboseiras.

Há muito tempo (anos) que não fazia nenhum comentário aqui. Isto mudou. Apenas assisto ao destilar de azedume.
Não entendo o porquê da classe médica ser o cerne dos comentários se o post não tem nada a ver com eles.

O que está em causa é a nossa vontade - Enfermeiros - de renegociação da carreira, algo constantemente negado. Enquanto que para os farmacêuticos/nutricionistas/psicólogos clínicos surge, sem "pó no ar", uma proposta de carreira condigna.

Cumprimentos,
Marlene Q.
 
Reconheço que cometi o erro de entrar na "peixeirada", mas às vezes é impossível conter e de responder a certas coisas descabidas e sem sentido.
 
Anónimo, acertou na muche. Não diria melhor.
 
Vejo que houve uma guerra de palavras aqui.
Mas devo dizer que foi pobre quem tentou ofender a enfermagem e os outros técnicos superiores de saúde. Ficou mesmo muito mal.
Em relação à pastagem, discordo com o que vão fazer, pois se dizem que não há dinheiro para uns não deveria de haver dinheiro para outros.
 
Sim, é verdade, como alguns aqui disseram, que em alguns desses países ditos desenvolvidos os Enfermeiros podem prescrever dentro de certos limites. Mas também nesses mesmos países o salário médio de um Enfermeiro é cerca de metade do salário médio de um médico (basta verificar estes dados no site da OCDE).
Ou seja, se querem igualar Portugal a um país desenvolvido na área da saúde, deixe-se então os Enfermeiros prescreverem, mas ajustem também o racio comparativo entre os salários de médico/enfermeiro; Ou será que relativamente a este último assunto já dá mais jeito sermos um país atrasado? Como diz o povo, não se pode querer Sol na eira e chuva no nabal.
 
Eu quero ganhar metade do valor do salário de um médico com os mesmos anos de serviço do que eu e a trabalhar no mesmo serviço que eu. Não esquecer todos os complementos ... Também vão para o bolso...ou não? Eu sei perfeitamente os valores em causa... Bendita exclusividade, mais as 40 horas... e não falemos das horas extraordinárias que os médicos fazem e que se são negadas aos outros profissionais.

E eu acho que um médico deve ser o profissional de saúde mais bem pago, mas há muito exagero por aí...

 
Em termos ilíquidos há médicos a levar para casa 5000 a 7000 euros/mês e enfermeiros a levar 1201 (com especialidade e muitos anos de serviço...). Eu com vinte anos de serviço levo líquidos cerca de 900 euros, onde está incluído o tal duodécimo do sub de Natal!!!! Senão eram cerca de 800 euros...
 
Bem. Existe aqui alguém a promover a medicina num site de enfermagem. Então? porque não frequenta os sites da sua classe para falar com pessoas da sua estirpe. Afinal sempre está a degladiar-se com pessoas de "divisão inferior", como referiu. Não tem vergonha? Na verdade comparar medicina com enfermagem é utópico apenas porque são cursos diferentes e não pelas razões que refere. Não me lembro de alguma vez ter ouvido ou lido que a licenciatura em medicina é uma licenciatura especial ou você é algum "special One"? Porte-se bem e tenha vergonha daquilo que escreveu...
 
Porque é que um medico tem horarios diferentes dos restos funcionarios no hospital? (sendo a hora de almoço contada como pretexto pa sair mais cedo uma hora e uufruindo do almoço e das pausas durante a jornada de trabalho?)

Porque é que um medico por fazer jornada continua (por cada 7h de trabalho seguidas tem direito a mais 1h de compensação, alem de 1h de almoço no final do turno?)

Porque é que um medico ganha em horas extraordinarias as noites e fins de semana e o resto dos profissionais em suplementos?

Porque é que o médico ganha incentivos de 500 euros de premio de assiduidade (conhecido como de produtividade sem ter de trabalhar mais por isso e os enfermeiros CIT tem de trabalhar mais 5h por semana e os enfermeiros funcionarios publicos fazer 40h a custo zero???). Ainda existem medicos no SNS a ganhar estes premios...

Porque é que não se aplica o banco de horas aos médicos e não se usam para suprir as necessidades hospitalares?


Porque é que os medicos a partir de determinada idade tem direito a redução do número de horas trabalhadas por semana e os outros profissionais não?

Como é possível existirem enfermeiros e outrosprofissionais de saude com 11 anos de funções e ainda ganham menos que um licenciado, desde que terminaram a licenciatura?

Como é que existem vagas para a progressão de medicos na carreira e não para outros profissionais de saude?

Porque é que um medico tem a sua especialidade em Portugal paga e noutras países sao os próprios medicos que a pagam? Porque sao pagas em Portugal só aos medicos e não aos outros profissionais?

é OU NAO UM PAÍS QUE PROMOVE A DISCRIMINAÇAO?
 
Para quem escreveu o comentário das 11:52. não são somente os enfermeiros que ganham metade da média dos médicos, são todos aqueles outros licenciados e mestres que o ganham ou ate menos, ou acha que os enfermeiros ganham mal, fazendo uma comparação com outros licenciados ou mestres(engenheiros,psicólogos, farmacêuticos, etc.) . Olhe que eu sei a resposta. O salário dos médicos é que é escabroso. Posso lhe garantir que nos países onde os enfermeiros estão autorizados a prescrever, a sua qualidade de vida é muito boa. E não há descriminação de classes sendo elas constituídas por licenciados ou mestres, para com os enfermeiros.
 
Muito bem dito(comentário das 03:21 da tarde)
 
É mentira aquilo que foi escrito acerca dos enfermeiros ganharem menos de metade da media do salário dos médicos. O que é preciso é comparar o salário de um medico generalista( que habitualmente, na Europa, tem mestrado integrado) com o salário de um enfermeiro generalista( apenas licenciado), o que mesmo assim é injusto, porque estamos a comparar o salário de alguém com mestrado com alguém com licenciatura, respetivamente. Depois comparar o medico especialista(licenciatura, mestrado e especialidade) com o enfermeiro especialista( licenciatura e especialidade de nível de mestrado) ou nurse practitioner(licenciatura e especialização de nível de mestrado) , que li num dos comentários que este papel existiria e confirmei, pesquisando. Esta ultima comparação também é injusta pois os médicos fazem-se acompanhar de três graus académicos e os enfermeiros de apenas dois graus académicos. E bem avaliando a coisa podemos dizer que os enfermeiros auferem de salários comparáveis aos dos médicos de igual grau académico.
Portanto, cuidado com as informações incorretas.
 
Na última frase quero corrigir informações para afirmações.
 
TENHO QUE ADMITIR QUE OS ENFERMEIROS ESTÃO MAIS PREOCUPADOS EM OLHAR PARA O LADO DO QUE SEREM PROACTIVOS NO SENTIDO DE RESOLVEREM DE REIVINDICAREM OS SEUS DIREITOS...E A PROVA ESTÁ QUE AQUI MESMO, BASTA LER OS COMENTÁRIOS E VER QUE SEGUEM O CAMINHO DA CRITICA SOBRE OUTROS EM VEZ DE SE ASSOCIAREM E DAREM IDEIAS PARA ATINGIREM O QUE PRETENDEM, POS HOUVE UM ENFERMEIROS QUE FEZ UM COMENTÁRIO NO SENTIDO CONSTRUTIVO PARA A CLASSE SE UNIR NUMA LUTA REIVINDICATIVA E PARA MEU ESPANTO NADA DIZEM ...CONTINUEM A OLHAR PARA O QUE OS OUTROS GANHAM QUE ESTÃO A SEGUIR UM ÓPTOMO CAMINHO.....

POR TUDO ISTO É QUE EU JÁ ESTOU NOUTRA E EM NADA NE ARREPENDO DE NÃO ME ESPECIALIZAR NEM EM FAZER LICENCIATURAS, MAS SIM SEGUIR OUTRO CAMINHO, OUTRA PROFISSÃO OU SEJA JÁ QUE ESTAVA NUM COLECTIVO QUE ESTÁ A MORRER À FOME PORQUE NÃO QUER TIRAR A COMIDA DA TRAVESSA RESOLVI LUTAR PELAS MINHAS PRÓPRIAS MÃOS E EM NADA ME ARREPENDO...FOI DURO MAS CONSEGUI!!!
 
O problema está também nos enfermeiros conformarem-se com a situação em que a enfermagem se encontra. Digo isto, porque muitas vezes ouço colegas falarem da situaçao da enfermagem e não se expressão com revolta, indignação e com vontade de fazer algo para mudar, aliás pensam que é normal. Falam como se fosse normal alguém ter-se esforçado para atingir algo, que lhe proporcionaria, supostamente, uma vida melhor e no final o resultado ser pior do que se não tivesse tirado um curso, pelo menos o de enfermagem.
Por fim, o máximo que posso fazer é dar apoio à ou ao colega que manifestou vontade de criar um sindicato. Aliás para captar mais atenção seria mais eficaz propagandear esta iniciativa por via Facebook, penso que estaria mais propício ao sucesso.

 
TENHO DE ADMITIR QUE OS ENFERMEIROS ESTÃO MAIS PREOCUPADOS EM OLHAR PARA O LADO, DO QUE SEREM PROACTIVOS, NO SENTIDO DE RESOLVEREM E/OU REIVINDICAREM OS SEUS DIREITOS...E A PROVA ESTÁ AQUI MESMO, BASTA LER OS COMENTÁRIOS E VER QUE SEGUEM O CAMINHO DA CRITICA (MAL DIZER) SOBRE OUTROS, EM VEZ DE SE ASSOCIAREM E DAREM IDEIAS PARA ATINGIREM O QUE PRETENDEM… POIS HOUVE UM ENFERMEIRO QUE FEZ UM COMENTÁRIO, NO SENTIDO CONSTRUTIVO, PARA QUE A CLASSE SE UNISSE NUMA LUTA REIVINDICATIVA E, PARA MEU ESPANTO, NADA DIZEM ...CONTINUEM A OLHAR PARA O QUE OS OUTROS GANHAM!!!
CONTINUEM QUE ESTÃO A SEGUIR UM ÓPTIMO CAMINHO.....

POR TUDO ISTO É QUE EU JÁ ESTOU NOUTRA E, EM NADA ME ARREPENDO DE NÃO ME ESPECIALIZAR, NEM EM FAZER LICENCIATURA, MAS SIM SEGUIR OUTRO CAMINHO, OUTRA PROFISSÃO!!
OU SEJA JÁ QUE ESTAVA NUM COLECTIVO QUE ESTÁ A MORRER À FOME, PORQUE NÃO QUER TIRAR A COMIDA DA TRAVESSA, RESOLVI LUTAR PELAS MINHAS PRÓPRIAS MÃOS E EM NADA ME ARREPENDO...FOI DURO MAS CONSEGUI!!!

 
Não se pode comparar vencimentos base apenas, pois os médicos recebem por exclusividade e pelas 40 horas, pela especialidade...aspectos negados aos enfermeiros. Era preferível assumir como vencimento base o real sala´rio de um médico em vez de se inventar estas regalias dedicadas a uma única classe profissional. Eu como enfermeiro não me choca absolutamente nada que um médico ganhe bem e que ganhe mais do que um enfermeiro ou outro técnico de saúde. O que me choca é a profunda injustiça existente na enfermagem, com vencimentos ridículos, com a não valorização da formação, nomeadamente os especialistas, com a não valorização da experiência, etc... etc...etc... Há enfermeiros especialistas com 15 anos de experiência a e a ganhar o mesmo ou por vezes até menos que recém formados. É um absurdo total!!
 
Podiam fazer uma carreira única para todos e o assunto ficava solucionado. Depois para as especialidades, por cada ano a mais por que a mesma fosse constituída aumentaria a remuneração, independentemente da classe profissional. Mas como a justiça(nao a jurídica ) está eivada, não podemos expectar muita equidade.
 
A carreira unica para os profissionais de saude e do estado no Reino unido é unica! Ainda estou para ver a greve das greves! Faça se uma ameaça de despedimento coletivo que nao da azo a requisiçao civil a ver se eles nao tremem e nao repõe a justiça e dignidade aos enfermeiros. nodoa de sindicatos. estou farto! vou me dar um aumento a mim proprio dessindicalizando me! deviam de ser todos incinerados!
 
TAE in da house!!!!
 
Porque é que os médicos são a profissão com mais anos de formação?

Porque é que os médicos têm de ser super-estudantes no secundário para entrarem em medicina, com médias superiores a 18?

Porque é que os médicos têm de realizar provas de conhecimento para acederem a determinadas categorias na carreira?

Porque é que os médicos têm de estudar 1200 páginas de um livro de Medicina Interna em Inglês para realizar uma prova de pormenor para acederem à especialização?

Porque é que os médicos não escolhem livremente a especialidade que desejam?

Porque é que os médicos em Portugal são dos mais mal pagos da Europa comparativamente à media salarial nacional?

Porque é que um médico especialista ganha apenas mais 50 euros do que um interno de formação específica?

Porque é que um médico, para ser especialista tem de ter uma actividade de produção científica intensa?

Porque é que existem Enfermeiros cujo seu trabalho é apenas fazer venipunções para colheitas de sangue e auferem um salário mais elevado do que um médico especialista, só porque tiveram a sorte de ascender ao topo da carreira?

Porque é que os mesmos Enfermeiros que se queixam dos seus baixos salários na pública se sujeitam de bom grado a acumulações na privada com salários muito menores sem reclamar?

Porque é que a Enfermagem nunca teve um grande sucesso na actividade liberal ao contrário dos médicos, psicólogos ou nutricionistas ?

Porque é que o mundo é redondo e não quadrado?
 
"Porque é que os médicos têm de ser super-estudantes no secundário para entrarem em medicina, com médias superiores a 18?"


em relacao ao restantes comentarios so demonstra a ignorancia que reside nesse suposto cerebro!!!!

vai te habituando pois tens colegas teus que ja ganham 30 euros... luta pela tua profissao que nos lutamos pela nossa... ou queres compara a tua profissao com um trolha, que carrega centenas de pesos durante o dia, trabalha a chuva, faz casas onde resides, e ganha menos que tu... nao achas que deveria ganhar mais que tu?? e mais, constroi os lugares onde tu trabalhas..... todos somos essencias, nao desvalorizando a nossa profissao que elevas a tua, pois medicos de caca existem muitos...... conde estes deveriam era pagar para poder exercer....

aprende a aprender....
 
Estudasses
 
"Porque é que os médicos são a profissão com mais anos de formação?"
Exatamente para poderem dizer que estudaram mais anos e que portanto devem ganhar mais por isso. Claro que não seriam necessários tantos anos a estudar , mas quiseram justificar o dinheiro com os anos de estudo.

 
"Exatamente para poderem dizer que estudaram mais anos e que portanto devem ganhar mais por isso. Claro que não seriam necessários tantos anos a estudar , mas quiseram justificar o dinheiro com os anos de estudo. "

Errado: Preferia ser operado por um médico que estudou treze anos (6 de Curso+ 1 de IAC+6 de IC)ou um médico com 4 anos de curso + 1 de especialidade como é o caso da Enfemagem? Acha que chegava? Sentia-se seguro?



 
"vai te habituando pois tens colegas teus que ja ganham 30 euros... luta pela tua profissao que nos lutamos pela nossa... ou queres compara a tua profissao com um trolha, que carrega centenas de pesos durante o dia, trabalha a chuva, faz casas onde resides, e ganha menos que tu... nao achas que deveria ganhar mais que tu?? e mais, constroi os lugares onde tu trabalhas..... todos somos essencias, nao desvalorizando a nossa profissao que elevas a tua, pois medicos de caca existem muitos...... conde estes deveriam era pagar para poder exercer.... "

Olha, então as auxiliares também têm de ganhar o mesmo que tu, pois têm um trabalho mais pesado e muitas fazem aquilo que devias ser tu a fazer (sim pois não são só os enfermeiros a fazerem supostamente aquilo que deveriam ser outros a fazer)
 
"Olha, então as auxiliares também têm de ganhar o mesmo que tu, pois têm um trabalho mais pesado e muitas fazem aquilo que devias ser tu a fazer (sim pois não são só os enfermeiros a fazerem supostamente aquilo que deveriam ser outros a fazer)"

a ideia é não comparar ou elevar o estatuto de uma classe rebaixando a outra!!!

Mas já que temos mais uma aziado de outra profissão, fica sabendo que temos técnicas operacionais em que o seu vencimento e igual ao de muitos enfermeiros, utilizando uma frase célebre...e esta hein ( Fernando Pessa) afinal ganham tanto como os enfermeiros....

PS: não sei a realidade em que estas, mas te garanto que não tem trabalho mais pesado...

 
e mais digo, fazem aquilo que eu tenho que fazer???

primeiro exemplifica la isso, e faz queixa na ordem dos enfermeiros, pois será muito grave pessoal não habilitado a assumir actos para o qual não estejam habilitados. Caso isso aconteça estão a ser cúmplices.


 
"Errado: Preferia ser operado por um médico que estudou treze anos (6 de Curso+ 1 de IAC+6 de IC)ou um médico com 4 anos de curso + 1 de especialidade como é o caso da Enfermagem? Acha que chegava? Sentia-se seguro?"

Maior parte dos nossos utentes, nem sabem o tempo que sr estudou, nem tão pouco confiam em sim, apenas o medo de morrer lhe permite operar aquele utente em desespero, pois ainda não vi nenhum medico com os diplomas pendurados ao pescoço.

A cirurgia não depende apenas de um medico, neste caso cirurgião, mas sim de uma equipa multidisciplinar que permita que o utente tenha os melhores cuidados, pois por melhor que sr seja a operar não o consegue fazer sozinho, e caso seja cirurgião saberá isso muito bem, pois um bom cirurgião saberá que terá que existir uma simbiose perfeita entre os seus elementos, A SUA EQUIPA, onde cada um desempenha um papel importante.


Deixem de comparar as profissões! Cada um luta pelo seu salário, sejamos uma equipa unida, em todas as lutas, se nós estivermos bem vocês também estarão.

A culpa é de quem incentiva á discórdia, ao publicar tabelas salariais de outras profissões, em vez de apelar ao bom senso de todos nos, de reunir todos os enfermeiros em prol da nossa causa, deitar abaixo SEP, e todos os outros sindicatos.

Pois o nosso problema caros colegas sao os sindicatos que nada fazem, apenas mandam umas "papaias" e pessoal vai "comendo" e vai-se acomodando.

Já se perguntaram porque todos as outras profissões conseguem e só os enfermeiros é que não conseguem? é uma pergunta retórica... pensem todos.

Caso exista colegas que queiram aderir a um novo movimento, fazer parte da mudança, que realmente queira lutar.. deixo aqui um email para reunir contatos. tornem este movimento viral...

jfkenedy@iol.pt



 
O grau e a natureza de complexidade, de responsabilidade, da preparação académica , etc são naturalmente heterogéneas entre as várias profissões, mesmo ao nível daquelas que partilham os mesmos espaços como é o caso dos Médicos e Enfermeiros.É a dignidade e respeitabilidade das profissões que têm de estar ao mesmo nível.

Também não podemos ser fundamentalistas ao ponto de ignorarmos as diferenças ao nível dos caracterizadores de cada profissão.
A constante alusão aos médicos, por parte de alguns Enfermeiros, como sendo a raiz do estado em que a Enfermagem se encontra não abona nada na estabilidade de todo o "eco-sistema" em que as diversas profissões co-existem, nem ajuda à Enfermagem em se focalizar nos caminhos que tem de seguir para alcançar as suas próprias conquistas.

Não é de certeza do interesse dos médicos terem como parceiros Enfermeiros descontentes e pouco reconhecidos, pelo que muitas vezes é na voz dos próprios médicos que a voz do descontentamento dos Enfermeiros ecoa (basta atentar em várias declarações do bastonário da OM que por diversas vezes alertou publicamente para a falta de médicos e de Enfermeiros nos diversos serviços ). O que os médicos têm (e é cada vez menos) não foi retirado aos Enfermeiros, pelo que têm de ser os Enfermeiros a escolherem de forma racional a melhor forma de valorizarem as suas posições perante a tutela e o poder político;


 
medidas radicais e coragem colectiva para dar dignidade à enfermagem! Está tudo quase prestes a arrebentar a bolha! Greve por tempo indeterminado! BASTA!
 
Não fale do bastonário da ordem dos medico, porque esse foi o primeiro a ultrajar os enfermeiros, quando estes ameaçavam a esfera de funções exclusivas dos médicos. Esse senhor só profere os enfermeiros para falar da realidade dos mesmos, quando quer depreciar o governo.
 
"Não fale do bastonário da ordem dos medico, porque esse foi o primeiro a ultrajar os enfermeiros, quando estes ameaçavam a esfera de funções exclusivas dos médicos"

Se entende que ultrajar os Enfermeiros é dizer que os Médicos têm mais competência para exercer as competências próprias dos Médicos do que os Enfermeiros, então o ultraje foi justo! Ou queria que o bastonário dissesse que médico ou Enfermeiro a dar consultas e a prescrever era a mesma coisa?
E quando outros profissionais ameaçam a esfera dos Enfermeiros?
Lembro-me que toda a Enfermagem se insurgiu violentamente contra as injecções administradas pelos farmacêuticos;
Mas quando os Enfermeiros reclamam a prescrição, que é muito mais complexa do que a administração de injectáveis e é competência exclusiva dos médicos, já não acham apropriado que estes últimos se defendam das tentativas de usurpação de funções. Ou será que a Enfermagem se acha no direito a adquirir todas as competências alheias que entende mas a se negar a partilhar todas as suas competências com outras profissões?

Como alguém dizia anteriormente, cada macaco no seu galho!
 
EU NÃO ME IMPORTO DE GANHAR METADE DO SALÁRIO DOS MÉDICOS ...Desde que eles ganhassem 5000 euros e eu ganhasse 2500 euros ao invés da bosta dos 1201 que eu ganho a trabalhar há mais de uma dúzia de anos.

Acho que em vez de confiarmos as nossas lutas aos sindicatos, que são absolutos cepos, indexáva-mos o salário dos Enfermeiros a uma percentagem do salário dos médicos , tipo 60%, e depois era só fazer um forcing para o ministério lhes ir aumentando o salário . Eu assim até fazia greve pelos aumentos dos salários médicos e assim talvez fosse mais rápida a evolução do meu próprio salário;


 
Vamos começar um novo sindicato?
 
"Acho que em vez de confiarmos as nossas lutas aos sindicatos, que são absolutos cepos, indexáva-mos o salário dos Enfermeiros a uma percentagem do salário dos médicos..."

Eu vou mais longe:

A carreira era fazer Copy Paste, nomeadamente com as categorias e respectivamente 60% do valor - finalmente o reconhecimento do enfermeiro especialista (sim porque na carreira médica há médico especialista, como é mais que óbvio!!!).

Não esquecer 60% do valor da exclusividade, 60% do valor pago a mais das 40 horas e 60% dos incentivos!!! E ter direito a 60% das horas extraordinárias ....deixando de haver trabalho realizado e não pago e muitas vezes nem sequer ganho em tempo!!
 
Tanta argumento e tudo se resume ao seguinte:
Os médicos a partir de determinado momento passam a sofrer de um síndrome conhecido como "Complexo de Deus", os enfermeiros podem sofrer muito mas nunca terão estatuto social para sofrer desta doença. E é esta doença que leva os médicos a cobrar somas exorbitantes pelo seu trabalho.
 
Não quero 60% do que os médicos ganham. Quero a carreira igual aos farmacêuticos, nutricionistas e psicólogos, para os enfermeiros generalistas. Para os enfermeiros especialistas, iniciariam nos 3364% e findavam nos 4250 ou 4500.
Os enfermeiros têm que deixar de negociar cêntimos, têm que passar a negociar euros.
 
"Para os enfermeiros especialistas, iniciariam nos 3364"

Deve estar a sonhar: então acha que um enfermeiro especialista deve ganhar mais do que um médico especialista?

Acha que um ano de especialidade em Enfermagem vale mais do que 6 anos de uma especialidade médica?

São essas posições que tirar completamente toda a credibilidade à luta dos enfermeiros.
 
corrijo os 3364% para 3364€
 
Fico surpreendido quando se comparam coisas com anos de formação. Há lógica em comparar a formação com a sua ausência ou escassez. Porém, comparar 6 com 4, 8 com 6, etc... é um problema freudiano que tem a ver com o tamanho.
 
Eu não quero saber de quanto ganha o medico. Está a perceber?!
Isto é apenas um comentário que expressa a minha opinião.
Não me parece também, que o salário dos enfermeiros tenha que ser regido por baixo do dos médicos. Cada profissão faz as suas conquistas individualmente, pelos menos neste tema. Mas atenção, não quero dizer que alguém que estudou mais do que outro alguém, deva receber menos, muito pelo contrario, acho que se deve ganhar proporcionalmente com o grau académico. Mas os enfermeiros generalistas e especialistas ganham muito menos do que o que seria de corresponder ao seu grau académico.
 
"Fico surpreendido quando se comparam coisas com anos de formação. Há lógica em comparar a formação com a sua ausência ou escassez. Porém, comparar 6 com 4, 8 com 6, etc... é um problema freudiano que tem a ver com o tamanho."

Não seja por isso, vamos comparar o trabalho de um enfermeiro com um médico:

Médico
- Tem total autonomia e responsabilidade sobre todas as decisões clínicas
Enfermeiro
- Faz o que o médico manda
- Limpa merda com total autonomia

Está melhor assim?
 
O comentário anterior foi escrito por alguém que nem sequer é profissional de saúde, porque não conseguiu redigir nada factual.

Ah! Peço desculpa. Com certeza, queria comentar no site do doutor enfermeiro na época da Florence Nightingale.

"Está melhor assim?"
RESPOSTA: Está... Continue iludido, ou então entre na maquina do futuro e venha para o presenta.
 
"Enfermeiro
- Faz o que o médico manda
- Limpa merda com total autonomia"

Infelizmente é cada vez mais assim;
Mas um dia algum técnico superior formado em coprologia ainda nos vai tirar a autonomia sobre a merda.

 
medico manda...enfermeiro cumpre e executa se considerar correto e oportuno! Quantas vezes o medico ajusta medicaçao por indicaçao do enfermeiro? quantas vezes o enfermeiro inicia em contexto do bloco operatorio em anestesia suporte inediato de vida enquanto anestesista esta na sala do cafe ou no internamento enquanto medico dorme no quarto?
Acho que trabalhamos mais em equipa do que com base em prescriçoes nao?
A epoca do modelo biomedico do sec xviii ja la vai!
 
Se o enfermeiro nao executar uma ordem medica porque nao acha oportuno, e se esta sua avaliaçāo se mostrar errada e resultar em dano para o doente, quem se lixa é o Enfermeiro. E aí ate a OE entra na festa, dizendo "se estava prescrito e nao cumpriu, agora tem de aguentar "
 
"médico manda... enfermeiro cumpre" Onde?

Médico prescreve e enfermeiro executa a prescrição. Chama-se a isto trabalho multidisciplinar.

E já agora, eu cumpro as ordens do meu superior hierárquico, EN-FER-MEI-RO chefe.
 
"medico manda...enfermeiro cumpre e executa se considerar correto e oportuno!"

A prescrição é legalmente uma ordem médica para ser cumprida obrigatoriamente, tanto no internamento, como no ambulatório (vulgo farmácia). Se o enfermeiro ou farmacêutico levantar reservas, o que deve fazer para bem do doente e relação multidisciplinar é contactar e discutir o assunto com o médico.
Em particular à enfermagem, posso dizer que em toda a minha carreira nunca vi um profissional recusar uma prescrição. O que acontece ocasionalmente é ser abordado por enfermeiros que me questionam se aquilo que foi prescrito era de facto a minha intenção. À primeira vista pode parecer que o enfermeiro questiona a validade da prescrição, mas após discutir a natureza das suas reservas descobrimos que a razão pela qual o enfermeiro está hesitante relaciona-se com o desvio à normalidade. Os enfermeiros são os profissionais do hábito, alterações de dose, de guidelines terapêuticas ou desconhecimento profundo sobre as adaptações da terapêutica à realidade especifica do doente são 100% das razões que levam o enfermeiro a questionar o médico quanto à prescrição.
 
sim sim..em relaçao ao comentario anterior devo dizer que uma vez recusei dar atropina a um doente com FA e disse ao medico que se quisesse que fosse ele a administrar...ele fulo administrou e o doente entrou em FV!
E as doses erradas e ATB inspropriado dado nos internamentos? E a monitorizaçao dos efeitos secundarios é o medico que está a dormir ou s comer em casa que faz? E quando numa transfusão de sangue o doente faz uma reaçao é o medico que está no café que age logo ou é o medico?
estes sao alguns dos exemplos da autonomia do medico ...e o trabalho é feito realmente pelos enfermeiros !
 
Senhores doutores médicos, vamos esclarecer uma coisa MUITO IMPORTANTE. Vocês não mandam nos senhores DOUTORES ENFERMEIROS... está bem. Não deve ser de difícil compreensão o que redigi anteriormente, para quem estudou TANTO tempo, para conseguir ser útil a servir a sociedade.
 
Médico diz para dar medicamento tal, dose tal, hora tal, enfermeiro faz tal e qual.
Médico manda mudar o penso, enfermeiro muda o penso.
Médico pede o bisturi, enfermeiro passa lhe o bisturi.
Médico manda limpar, enfermeiro limpa.
Médico manda preparar o material para a pequena cirurgia, enfermeiro prepara.
Médico manda limpar o material depois da pequena cirurgia, enfermeiro limpa.
Médico pede ao enfermeiro para ir buscar café, enfermeiro manda o médico para o c****** e diz "Senhores doutores médicos, vamos esclarecer uma coisa MUITO IMPORTANTE. Vocês não mandam nos senhores DOUTORES ENFERMEIROS... está bem"
Médico ri-se do delírio do enfermeiro e manda o interno buscar.

Conclusão: o médico só não consegue mandar o enfermeiro buscar o café, tudo o resto tem de o fazer contractualmente.
 
errado! ao enfermeiro é lhe pedido para colaborar! nao lhe dá ordens! é lhe feito um pedido! e ao qualo enfermeiro pode sempre recusar! é a base da complementariedade!
Ou acha que um cozinheiro faz omoletes sem ovos? Acha realmente que um medico consegue trabalhar sem a cilaboraçao de um enfermeiro? bem que morre o doente!
 
o meu contrato é para prestar cuidados de enfermagem e em lado nenhum diz que tenho de fazer o que o medico manda! o medico manda nele e sabe deus! lol
quando os enfermeiros começarem a testemunhar mais os factos de negligenciA dos médicos e denunciarem os seus erros e corrupçao as coisas talvez sejam diferentes....
 
noutro dia mandei o medico mudar a prescriçao e mandei um cirurgiao para ir por o dedinho no cu do doente por ele estar com uma obstruçao.
foi ve lo depois ir sacar merda no bloco!
ups afinal os medicos manipulam com a merda!
lol
 
O enfermeiro nao se pode recusar a cumprir uma prescricao medica so porque nao concorda com ela, pois o enfrrmeiro nao valida decisoes clinicas. Apenas se pode recusar a cumprir prescricoes que claramente violem os principios da pratica segura (por exemplo administrar um farmaco prescrito em dose fora da posologia habitual). Agora recusar-se a administrar o antibiotico x so porque acha que o doente devia tomar o y,o enfermeiro nao pode fazer,apenas tem de cumprir. Pode de facto expor a sua opiniao mas é sempre o medico quem tem a decisao final... por isso é que é medico e nao enfermeiro.
 
Para quem redigiu o comentário anterior, o medico também tem o dever de cumprir com a função de prescrever, portanto, os dois têm que cumprir algo. Agora, porque um profissional executa a sua função antes de outro, não quer dizer que esse outro esteja sob as ordens do anterior.

"...por isso é que é medico e não enfermeiro."
por isso é que é Portugal e não um pais desenvolvido :D
 
Que treta de discussão...
 
O meu problema é apenas excesso de trabalho, muita responsabilidade e uma mísera remuneração, onde nem sou valorizado pela experiência e pela formação.
Acho que um médico deve ser bem remunerado e não têm culpa nenhuma da porcaria de carreira que a enfermagem negociou!

 
"...por isso é que é medico e não enfermeiro."
por isso é que é Portugal e não um pais desenvolvido :D"

Só faltava sugerir que num país civilizado não existem diferenças entre médicos e Enfermeiros!
 
"Só faltava sugerir que num país civilizado não existem diferenças entre médicos e Enfermeiros!"

Não, mas sim o aproveitamento do conhecimento científico dos enfermeiros em toda a sua extensão.

 
"Não, mas sim o aproveitamento do conhecimento científico dos enfermeiros em toda a sua extensão. "

LOL

Enfermagem está para a ciência como a merda está para um atrelado, ou seja, nada a ver!
 
"As injúrias são os argumentos daqueles que não têm razão."
Weil , Simone
 
"Enfermagem está para a ciência como a merda está para um atrelado, ou seja, nada a ver!"

Quem responde assim, é porque tem algo a temer...


"merda"??? É esse o conceito que tem de ciência?




 
A produção científica dos enfermeiros para as ciências da saúde e vida é nula, e praticamente ausente para as "ciências" da enfermagem. Não são vocês que inventam o novo creme hidratante, o novo material de penso, a nova arrastadeira, o novo sabonete, a nova fralda, o novo aspirador de secreções et cetera.
 
Os Enfermeiros sofrem de um complexo que só lhes fica mal: o de pensar que só se aproximando do conteúdo funcional da profissão médica se mostram importantes. Errado!
Veja-se o exemplo dos psicólogos, nutricionistas, e farmacêuticos, aqui citados: nenhum deles se arvora em médico nem pugna por absorver competências médicas, e no fim conseguem ser reconhecidos não só ao nível remuneratório mas também ao nível de valorização social da sua actividade.
Estas profissões conseguem delimitar muito bem o seu campo de actuação ao contrário dos Enfermeiros, e explorá-lo de forma eficaz.

O problema dos Enfermeiros é a forma como assumem o seu mandato social, como se apresentam à sociedade, como valorizam (ou não valorizam) e fazem valer aquilo que já fazem e não necessariamente aquilo que poderiam fazer.

Relativamente à produção científica, de facto a Enfermagem está a anos luz da Medicina, Farmácia , biologia, etc.
Pouca é a penetrância do produto da investigação científica operada pela Enfermagem na prática real dos cuidados de saúde, quer pela escassez dessa mesma produção científica quer pela falta de relevância de muita dela.

Admito que é importante trocar opiniões entre Médico e Enfermeiro relativamente a alguns aspectos do tratamento, pois o Enfermeiro produz importantes "inputs" para a formulação da decisão médica; inclusivé algumas dessas decisões até podem ser tomadas em conjunto ( por exemplo nas UCI`s algumas decisões são conjuntas), mas na maioria dos casos, os Enfermeiros não estão dotados de conhecimentos científicos que lhes permitam ter uma posição equitativa relativamente ao médico ,permitindo-lhes partilhar a responsabilidade pelas decisões clínicas (e nem tem de ter).

Cabe aos Enfermeiros definirem as suas áreas de decisão autónoma, pois elas existem mas repetidamente são ignoradas pelos próprios.

Se os Enfermeiros quiserem a evolução da Enfermagem terão de parar de a procurar fora dela e começar a voltar-se para dentro da sua própria profissão, pois só pode ser por aí que a Enfermagem pode ter algum futuro.
 
por causa da bosta de sindicatos que temos nao se valoriza a aquisiçao de conhecimento.
o que é importa sao as 40h...aos professores importa e é valorizada...
Como se espera que uma profissao avance se nao produz conhecimento?
 
Por falar em arrastadeira, este blogue é frequentado por pessoas que redigem para preencher a arrastadeira.
Porquê que estão para aqui uns "infiltrados" que têm como foco o maledicência da enfermagem? só porque sim!
Acho que todos têm o direito de se expressarem, mas façam-no com algum nível.

Agora, em relação à enfermagem. Segundo os especialistas, os enfermeiros portugueses encontram-se com as suas funções subaproveitadas, tais como a prescrição de fármacos , exames e outros. Estes últimos, são pratica dos enfermeiros especializados nos países europeus e outros ,e não vejo porque não tornar Portugal um pais melhor, no sector da saúde, atribuindo aos enfermeiros estas funções e ainda para mais, estando eles habilitados para tal.
 
Os enfermeiros não prescrevem "nos países" europeus. No UK existem alguns enfermeiros que prescrevem alguns fármacos. Os enfermeiros portugueses estão tudo menos habilitados a se armarem em médicos.
França tem o melhor SNS do mundo e nenhum enfermeiro prescreve seja o que for. Lamento...
 
Eu é que lamento você não estar informado. Em França, foi aberto o primeiro programa de "nurse practitioner", em Setembro, deste ano. "nurse practitioners" de psiquiatria e saúde mental, esses, que têm como objectivo executar as funções de prescrição de fármacos, exames, etc, pois com certeza se não fosse para tal, não valeria a pena, a sua existência.

En relaçao ao Reino unido, retirei a informação seguinte, do site: http://www.nhscareers.nhs.uk/explore-by-career/nursing/careers-in-nursing/general-practice-nursing/

(traduzido)
-tomar um histórico completo do paciente
-proceder a todos os exames físicos
-usar seu conhecimento para identificar um diagnóstico provável
-solicitar testes apropriados para auxiliar no diagnóstico (exames de sangue, raios-x, exames)
-encaminhar os pacientes para um especialista apropriado (na prática ou hospital)
-prescrever medicamentos e tratamentos não-médicos
-providenciar acompanhamento e gerenciamento contínuo.
 
(para completar o comentário anterior)
... já agora, mais uma vez, eu é que lamento.
 
Colega, eu trabalho em frança e não ouvi nada sobre essa história dos enfermeiros em psiquiatria...
 
Conheço a realidade britânica, e os Enfermeiros que têm formação específica (e não todos) podem pedir exames de diagnóstico (mas apenas alguns e de forma limitada) e efectuar prescrições de alguns fármacos em situações bem delimitadas. Nos EUA existe mesmo um profissional específico que faz estas actividades que é o Physician Assistant.
Exame físico e formulação de diagnósticos prévios os Enfermeiros Portugueses sempre puderam fazer (não há nada que os impeça, nomeadamente o exame físico, mas em abono da verdade, nunca vi um enfermeiro a auscultar,a fazer uma otoscopia ou mesmo um Rinne ou Weber, o que me leva a questionar se terão mesmo formação para isso...)
Mas já que estamos numa de importação de modelos, que tal também importarmos também o modelo dos paramédicos norte-americanos para Portugal e modelar a carreira dos TAE à sua imagem? Ou será que os EUA não são um país dito desenvolvido?


 
"Colega, eu trabalho em frança e não ouvi nada sobre essa história dos enfermeiros em psiquiatria.."

Eu disse que foi aberto um programa de "nurse practitioner" em psiquiatria, este ano em Setembro, talvez seja melhor informar-se. Segundo o que li, foi aberto na universidade "Paris 7 university".
 
Acha que nos EUA, o Physician Assistant, é o único que o faz?!!!!!!!!
Os nurse practitioner fazem-no!!!
Aliás lutam juntos para conquistarem esse tipo de funções.


"Conheço a realidade britânica, e os Enfermeiros que têm formação específica (e não todos) podem pedir exames de diagnóstico (mas apenas alguns e de forma limitada) e efectuar prescrições de alguns fármacos em situações bem delimitadas."

Nunca disse que não, mas na esmagadora maioria dos pacientes que os nurses practitioners atendem, têm ao seu dispor todos os fármacos e exames necessários, que como você diz "bem delimitados",mas Somente em casos raros e bem específicos é que realmente não estão autorizados a prescrever.


"Exame físico e formulação de diagnósticos prévios os Enfermeiros Portugueses sempre puderam fazer (não há nada que os impeça, nomeadamente o exame físico..."

É óbvio que o fazem!



"mas em abono da verdade, nunca vi um enfermeiro a auscultar,a fazer uma otoscopia ou mesmo um Rinne ou Weber, o que me leva a questionar se terão mesmo formação para isso...)"

Oh!...Por amor de Deus!!... Você sabe porquê! Exclusividade, não lhe diz nada....


"Mas já que estamos numa de importação de modelos, que tal também importarmos também o modelo dos paramédicos norte-americanos para Portugal e modelar a carreira dos TAE à sua imagem? Ou será que os EUA não são um país dito desenvolvido?"

POR FAVOR, ARRANJE UMA FORMA DE IMPORTAR O MODELO do sistema de saúde deles, TENHO A CERTEZA QUE OS ENFERMEIROS SAIRIAM MUITO A GANHAR, JÁ A CLASSE MEDICA IRIA FICAR MUITO A PERDER. DEIXARIAM LOGO DE EXISTIR TANTAS FUNÇÕES RESERVADAS SOMENTE PARA OS "SENHORES DOUTORES".
A CLASSE MEDICA inteira ATÉ TERIA UM DESGOSTO.
 
"Eu disse que foi aberto um programa de "nurse practitioner" em psiquiatria, este ano em Setembro, talvez seja melhor informar-se. Segundo o que li, foi aberto na universidade "Paris 7 university""

lol aqui também existem cursos em enfermagem de saúde materna e psiquiatrica e não significa que possam prescrever ó esperta.
 
"lol aqui também existem cursos em enfermagem de saúde materna e psiquiátrica e não significa que possam prescrever ó esperta."

ó insipiente, cá existem apenas especialidades, o que difere dos programas de "nurse practitioner". São cursos completamente diferentes, daí a nomenclatura diferenciada.
Nas funçoes dos enfermeiros especialistas, não é suposto que prescrevam.
No âmbito da pratica dos "clinical nurse specialist" , pelo menos lá fora, eles tem funções de liderança, investigação, pratica clínica direta, supervisão, avaliação e etc. Funções estas, que diferem em algumas dos "nurse practitioner"
O "nurse practitioner" e o "clinical nurse specialist" têm objectivos e intervenções diferentes!
 
:)
 
Tanta ciência misturada com a merda vai dar ao mesmo.
Já agora ilustres doutores, não esqueçam se é que alguém lhes ensinou para esquecerem:
- O verbo HAVER NO SENTIDO DE EXISTIR É IMPESSOAL, LOGO NÃO SE CONJUGA - portanto dizer haverão médicos que... é uma alarvice ignara imprópria.
Há Enfermeiros que de facto limpam muita da merda que o médico faz.
Ainda não aprenderam a fazerem-nos comê-la com igual autonomia..
 
...Existirão...


 
eles penetras são do diacho...
 
Os médicos têm medo, é?
 
Os enfermeiros especialistas de saúde materna deveriam ter um salário superior aos farmacêuticos, a complexidade das suas funções e responsabilidade é superior.
 
Sabe quais são as ciências da saúde? Medicina, Medicina Veterinária, Medicina Dentária, Ciências Farmacêuticas e Enfermagem. Por isso, tendo cada uma delas um corpo de conhecimento próprio, devo à sua extrema ignorância a afirmação que fez.
 
Você tem assim tanto medo dos enfermeiros que só sabe debitar mentiras e insultos?
 
Olhe eu cá sempre me RECUSEI a administrar penicilinas prescritas por médicos a doentes alérgicos à penicilina...paracetamol a doentes alérgicos ao paracetamol...você deve ser competente no seu exercício mas acredite que muitos seus colegas não o são. Tudo aquilo que me recusei administrar teve enquadramento científico que me deu proteção legal e ainda agradecimento por parte dos seus colegas.
 
O enfermeiro de internamento avalia um desvio num doente, o médico vem. Quando não vem, fica escrito e o médico é negligente.
 
Nenhum dos exemplos de ajudas técnicas e cremes que deu é conhecimento de Enfermagem. Tenho pena dos ignorantes como você...
 
"Olhe eu cá sempre me RECUSEI a administrar penicilinas prescritas por médicos a doentes alérgicos à penicilina...paracetamol a doentes alérgicos ao paracetamol."´

Isso é uma recusa fundamentada.
Nunca nenhum médico em seu perfeito juízo o iria criticar por essa decisão.

O erro médico acontece, está estudado e nunca ninguém negou a sua existência.




 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!