quarta-feira, fevereiro 01, 2017

As paixões platónicas do Ministro da Saúde!

.
O Senhor Ministro da Saúde tem um "amor confesso" pelos Enfermeiros. Com frequência, reitera o valor da importância da Enfermagem, da preponderância dos Enfermeiros no Sistema, do inestimável contributo da classe para a qualidade dos cuidados, etc. As palavras sem consequência atingem sempre um limite da credulidade.
.
Se, realmente, o Dr. Adalberto Campos Fernandes reconhece as competências e capacidades dos Enfermeiros... deve demonstrá-lo objectivamente!
Além de uma nova carreira (e respectiva justa retribuição salarial), pode comprovar, de uma forma muito simples, que, de facto, valoriza os Enfermeiros: porque é que não nomeia Enfermeiros para os Conselhos Directivos da ARS's?!
Porque não nomeia Enfermeiros para as Presidências dos Conselhos de Administração Hospitalares?! 

Comments:
Mas foi o governo deste ministro que colocou novamente a maioria dos enfermeiros a fazerem 35 horas. Se o governo de Passos e Portas ainda cá estivesse, a esta hora estariam os enfermeiros ainda nas 40 horas, no mínimo.

Por isso esteja caladinho!


 
Passa-se a vida a achar que os ministros e secretários de estado e não sei quem mais, não gostam dos enfermeiros nem os valorizam. será que o problema não começa mesmo a ser dos enfermeiros? Toca a abrir os olhos.
 
Para depois também dizer mal deles !? ... como fala dos dos sindicatos, Ordem dos enfermeiros, etc, etc
 
muito bla bla bla wiskas saquetas, mas na prática continua tudo a mesma mer**
 
Os Enfermeiros padecem do síndrome do filho mal amado: acham que os ministros não gostam deles, tal como os médicos, farmacêuticos, técnicos de diagnóstico, nutricionistas , assistentes sociais, doentes, a sociedade...nem os próprios Enfermeiros gostam de Enfermeiros!

 
Sou enfº há 20 anos e ganho tanto quanto um recém-formado.

Só neste país de mer**
com estes Governos de mer**
com estes Sindicatos de mer**
com esta Ordem de mer**
...

 
Há aqui muita gente ,de alta intelectualidade e vasta sapiência, que acha que os enfermeiros têm muito a agradecer a este país e a quem o constitui. Poderá ser pelos enfermeiros com 20 anos de experiência ganharem tanto quanto o valor aviltante atribuído aos enfermeiros recém-licenciados, ou pela sabotagem alocada à figura do enfermeiro especialista a fim do seu subaproveitamento, pela assídua omissão da menção do enfermeiro nas suas participações aquando de reportagens televisivas e derivados, será pela sujeição obrigatória de incorrer em crime, sujeito a represálias em caso de recusa, por elaborar o trabalho de 2 a 3 enfermeiros, etc... Devo prosseguir?
 
Os Enfermeiros só têm de se queixar deles próprios! PONTO!
 
ONDE têm os enfªs capacidades para estarem em conselhos de administração? Que percebem de economia, gestão, recurso humanos, política? zero
 
Bem, eu conheço uns quantos enfº que percebem mais de politica do que de enfermagem, se é que alguma vez perceberam de enfermagem...
 
Por falar nisso, a nossa bastonária é um desses casos. A sua acérrima filiação politica ao PSD sempre a fez procurar estes tachos.
 
Acho que era uma boa altura para se fazer uma petição para levar a Assembleia da Republica a voltar a discutir a questão das carreiras. Bem sei que provavelmente não dá em nada mas é bom relembrar toda a gente que estamos descontentes com esta carreira.
 
Mas que cambada de maledicentes. Como é óbvio, a enfermagem tem que ter representantes na política, de preferência enfermeiros, para representarem o seu interesse, só não entendo é o problema dos enfermeiros com isso, mais parece, que lhes dói alguma coisa por não estarem na posição do colega.
Ouve para aí um ser qualquer que disse que os enfermeiros não tinham competência para estarem nos conselhos de administração, como se fosse requisito ser-se economista, gestor, se assim o fosse, muitos teriam que saltar fora da cadeirinha, ó sapiência!

 
concordo com o anónimo de 2/06/2017 08:08:00 da tarde, qualquer "nabo", com todo o respeito,pode pertencer aos conselhos de administração (advogados, médicos...),esses sim, são donos de todo o tipo de conhecimento, só os enfermeiros é que não. Fazem realmente confusão a muita gente. Só inteligentes, país fraquinho.
 
O Sr. ministro quer trazer os enfermeiros na mao. Ele sabe que o descontentamento é tão grande que se os enfermeiros se agitarem, ninguém segura isto (a malta anda falta de brincar âs greves). Os enfermeiros não sabem o poder que tem! Estão domesticados e essas palavras ao coraçao servem para os manter adormecidos. Os enfermeiros tem uma força boieira (de boi)! Acham que um se um boi tivesse consciencia da sua força haveria alguem que o segurasse! Claro que não, muito menos um unico homem com uma vara na mão. Quando os enfermeiros tiverem consciencia da sua força, da imprescindibilidade do seu trabalho, da sua polivalencia nao havera secretario de estado, ministro, primeiro ministro que seguro. Aguardo com ansiedade esse dia, o dia em que os enfermeiros se unam em prol do bem comum e se fará justiça.

Desculpem os erros mas o meu computador tem teclado ingles

Abraço
 
Anónimo Anónimo disse...
ONDE têm os enfªs capacidades para estarem em conselhos de administração? Que percebem de economia, gestão, recurso humanos, política? zero

2/05/2017 11:48:00 da manhã

Resposta: fique a saber que a grande maioria dos cursos de Enfermagem já incluí em plano curricular Unidades Curriculares obrigatórias na vertente da Gestão, assim como UC Opcionais nas áreas de Gestão, Liderança e Administração. Também fique a saber que tal não acontecesse em outros cursos na área da saúde.

Mais também lhe adianto que Cursos de Mestrado na Área da Gestão, Administração, entre outros, já são leccionados especialmente para Enfermeiros. Além disto, Faculdades com cursos de Mestrado e Doutoramento nas áreas supracitadas, e que também mencionou, aceitam Enfermeiros.

Concluí o meu Mestrado em Gestão de Organizações de Saúde na Faculdade de Economia. Diga-me, Sr. Anónimo, quer que continue?
 
Anónimo Anónimo disse...
ONDE têm os enfªs capacidades para estarem em conselhos de administração? Que percebem de economia, gestão, recurso humanos, política? zero....

Este anónimo além de idiota é burro...existem hoje milhares de enfermeiros com capacidade para assumir qualquer CA de um qualquer hospital central...
 
...sou enfermeiro licenciado e com uma pós graduação em administração e gestão de serviços de saúde,, fui vereador executivo, fui presidente do CA de duas empresas privadas no ramo da saúde...não teria qualquer problema em assumir o CA de qualquer hospital central...certo que muita coisa iria mudar...a indisciplina e a desorganização que se assiste seria corrigida...os hospitais deixariam de ser meras extensões ao serviço de consultórios e de lobbys corporativistas...passariam só a servir os utentes...a área operacional de ua empresa hospital também é constituída por médicos, que se julgam uma classe á parte...são operacionais como os assistentes operacionais, enfermeiros e técnicos superiores desde que esteja nessa área ao serviço do povo...
 
Ao anónimo vereador do post anterior:

Se de facto FOI presidente do CA de duas empresas privadas no ramo da Saúde (e essas duas empresas até podem ser o seu gabinete privado de Enfermagem, e nesse caso o CA é por inerência o proprietário), e já NÂO É de nenhuma como faz depreender das suas palavras é porque a sua prestação deixou muito a desejar nesses cargos, pois nas empresas privadas os bons presidentes e administradores são preservados, ao contrário do que se passa no setor do estado em que a cor política é que conta.
Assim, sendo, concluo que a sua experiência por esses supostos CA não deve ter sido grande coisa, pois foi saneado das duas!

E já agora, não face em povo mas sim população; povo é um termo muito lá para o comunismo.
 
Depois das ultimas noticias da OE parece-me sensatez não por enfermeiros a gerir...
 
A MELHOR FORMA E ISENTA PARA RESOLVER ESTA QUESTÃO É UMA AUDITORIA EXTERNA ISENTA O MAIS RAPIDAMENTE, OBRIGADO.
 
Querem ver que nas restantes ordens profissionais e não só, não se passa nada disto?????!!!!se é que se passa alguma coisa. Ou então não passam de dois enfermeiros "ressabiados" que querem apenas, como muitos outros, denegrir a imagem dos enfermeiros em Portugal. Esta-se a começar a incomodar muita gente e a mexer muito no que cheira mal, isto não agrada a ninguém, aos governantes, aos senhores doutores médicos...nem a muitos enfermeiros.
 
"Esta-se a começar a incomodar muita gente e a mexer muito no que cheira mal, isto não agrada a ninguém, aos governantes, aos senhores doutores médicos...nem a muitos enfermeiros."

A incomodar muita gente e a mexer no que cheira mal?Aos senhores doutores médicos? Deve estar a delirar. Os médicos podem-se incomodar com muita coisa, mas com os Enfermeiros não se incomodam com certeza, principalmente sendo uma Enfermagem que dia a dia se vai afundando, sendo os acontecimentos na Ordem mais um furo num barco que já mete água por todos os lados.
 
Delira? Não se incomodam com certeza? Então explique-me por exemplo qual o interesse de encerrar a saúde 24? Qual o interesse de denegrir a imagem dos enfermeiros nas triagens? Qual o interesse de não concordarem com a prescrição de uma ecografia por parte de um enfermeiro especialista em saúde materna? Ah já sei... tudo pelo utente e pelo interesse do país... sejamos realistas, os enfermeiros incomodam muita gente mas só neste país, porque em imensos países os enfermeiros são bem mais respeitados e com bem menos formação.

 
Espeor que a auditoria externa à OE não seja como aquelas auditorias externas aos B.A.N.C.O.S. falidos :) ... e que não viram nada!
 
Então andou-se a GAMAR à grande na OE!!!
Para quando uma palavrinha...ou será melhor estar caladinho e sair de fininho?
 

Então andou-se a GAMAR à grande na OE!!!
Para quando uma palavrinha...ou será melhor estar caladinho e sair de fininho?


:::::::: O dr enfermeiro não sabe as ultimas noticias.::::::::::::
 
Cabeças a rolarem e novas eleições na Ordem dos enfermeiros!
 
"Qual o interesse de não concordarem com a prescrição de uma ecografia por parte de um enfermeiro especialista em saúde materna? "

As ecografias obstetricas numa gravidez de baixo risco são efectuadas por protocolo (3 ecografias) e não necessitam de prescrição propriamente dita, sendo o seu pedido um acto fundamentalmente burocrático. Em gravidezes de alto risco são os obstetras que decidem as ecografias complementares além das 3 básicas. Por isso para que meter as enfermeiras ao barulho, quando o sistema de vigilância da gravidez funciona bem, tal como está?

Há coisas bem mais importantes que os enfermeiros podem fazer na vigilância partilhada da gravidez para além de pedir exames de protocolo. Será que solicitar uma ecografia faz os enfermeiros sentirem-se mais importantes? Olhe, eu solicito RMNs todos os dias e não é por isso que me sinto mais importante na tarefa que desempenho. É sim pelos ganhos e os problemas que resolvo ao doente com a minha intervenção . Se os conseguir resolver sem TACs, RMNs e outros tanto melhor.

Relativamente às triagens e linha de saúde 24, não me parece que os médicos (ou pelo menos a grande maioria) andem muito incomodados com isso. O antigo bastonário talvez, mas isso não fala pelos restantes membros da profissão.



 

Enfermeiros nos Conselhos de Administração dos Hospitais e vogais enfermeiros nos ACES? Deixem-me rir, são sempre os mesmos, anos e anos a fio e fazem tudo para continuar e curiosamente lá continuam, seja com os partidos da esquerda ou da direita. E porquê? Altamente competentes? Ou será por serem detentores de outros atributos e acessórios? Deixem de andar a brincar aos gestores. Nos Conselhos de Administração dos Hospitais e Conselhos Diretivos dos ACES devem estar profissionais com formação nas áreas da gestão. Os médicos, enfermeiros e outros técnicos da saúde devem exercer a sua profissão junto dos doentes porque é para isso que lhes pagam!
 
" Os médicos, enfermeiros e outros técnicos da saúde devem exercer a sua profissão junto dos doentes porque é para isso que lhes pagam!"

Meu caro, já reparou que o ministro da Saúde é médico e que não está a tratar dos doentes como sugere? Acha que deviam ser apenas gestores e advogados ministros da Saúde? Acha que um CA apenas com gestores seria viável, sem a orientação de quem conhece a máquina no terreno e não apenas por aquilo que lê nos livros?

Juizinho
 
Temos visto bem o conhecimento da "máquina no terreno" os doentes é que pagam! O que me irrita na área da saúde é o facto dos enfermeiros só pensarem em si nunca os vi falar sobre a qualidade dos cuidados que prestam aos doentes. E já agora, porque é que nas ARS, apesar das mudanças previstas vão ficar nos altos cargos os mesmos indivíduos. Será porque são altamente competentes? Nada muda neste País na área da saúde,nem os cromos!
 
Anonimo de 2/14/2017 12:45:00 da tarde. Em primeiro lugar deixe-me dizer que essa terminologia das enfermeiras já não se usa há imenso tempo (meter as enfermeiras ao barulho) uma vez que enfermagem tem cada vez mais homens, portanto falamos em enfermeiros. Segundo sei bem que não passa de burocracia e protocolos mas se é assim tão banal não se preocupe que sejam os enfermeiros a fazer essa banalidade. Parece-me que quem ganha é o utente uma vez que não necessitaria de tantas consultas médicas. Mas se formos pelo beneficio do utente há uma panóplia de intervenções que o enfermeiro poderia fazer em prol do bem estar do utente. Que tal prescrição de analgésicos para não provocar dor na realização de um penso?Que tal prescrição de pílula por parte de um especialista em saúde materna? Tudo coisas que o utente pode fazer de forma autónoma na farmácia, que me parece a mim que terá um "bocadinho" menos de conhecimentos que o enfermeiro. Ah já sei...tudo burocracias que não servem para nada nem nos dão mais importância. Não me diga que está tudo preocupado com os utentes menos os enfermeiros. Por favor temos uma saúde que se resume a interesses.
 
Era ver a conta das unhas subir e dos medicamentos descer
 
Este comentário foi removido pelo autor.
 
"Amigo" sou ENFERMEIRO Especialista e ECONOMISTA, com pós-graduações e mestrado em gestão e economia da saúde, com experiência na área que certamente o senhor sim desconhece.. e política é tudo o que a classe de enfermagem NÃO precisa...
 
""Amigo" sou ENFERMEIRO Especialista e ECONOMISTA, com pós-graduações e mestrado em gestão e economia da saúde, com experiência na área que certamente o senhor sim desconhece.. e política é tudo o que a classe de enfermagem NÃO precisa.."

"Amigo" e eu sou o PAI NATAL!!!
 
O que mais há são enfermeiros também licenciados em gestão ou economia ou com pos graduações, mestrados e até doutoramentos em várias áreas da gestão/economia/administração.

Os enfermeiros não servem para cargos de gestão por serem enfermeiros. Mais vale apagarem curso de enfermagem do currículo e deixarem de pagar as cotas à treta da ordem que temos.

Portugal é um país com uma mentalidade muito pequena mesmo...preconceitos estúpidos!

Cada vez mais as pessoas vão para uma formação base quase como aperitivo para outros voos / aventuras. Azar que quem começa na enfermagem...fica marcado!


 

O problema reside efetivamente no facto dos enfermeiros não se preocuparem com a politica ou melhor, só lhes interessa a politica se lhes derem tacho de duração ilimitada nos Conselhos de Administração dos Hospitais ou como vogais dos ACES e, atenção aos que pensam que por terem mestrados, pós-graduações , doutoramentos etc. chegam lá rapidamente. Existe muita gente com excelente formação profissional e académica subaproveitada e encostada à prateleira. Outros nem excecionalmente habilitados nem excecionalmente competentes continuam nos cargos e é muito interessante ver as manobras que fazem para lá continuarem e às vezes também não é pela cor do partido. Será porquê afinal? E isto não acontece só com enfermeiros mas também com os médicos e outras classes profissionais.

 

Eu também me interesso por politica, principalmente as politicas da saúde que podem e devem ser discutidas por todos os cidadãos. E não compreendo o que vai acontecer às ARSs, porque ouvi dizer que as Câmaras vão assumir algumas competências, o que francamente concordo. Mas alguém que me explique. Se os ACES vão passar a ter Conselhos de Administração como dizem para que servem as ARSs? Não deveriam ser extintas, principalmente a do Centro do País? Não seria uma forma de reduzir os nossos impostos?
 
Uma grande confusão instalada na OE. Um pequeno grupo a explorar a maioria dos enfermeiros: é comprar roupas, canetas de "ouro", viagens, carros, etc... viver pacoviamente à grande e à francesa. E nós todos (com ordenados de miséria a pagar isto tudo...).

Há duas palavras que definem bem a enfermagem actual:

- exploração: da OE, dos enfermeiros diretores, supervisores e chefes - para além de outros não enfermeiros. Nunca vi tanto gosto pelo poder como nos enfermeiros...com o objetivo de defender a profissão? Os utentes? Não. com o objetivo de explorar os colegas. Deviam ter vergonha!

- Injustiça: A maior injustiça é a porcaria de carreira que temos. Não se valoriza a experiência nem a formação. Qual o motivo de acabarem com as categorias antigas? Não há uma explicação lógica... a do especialista então é um absurdo. E estão prestes a mais injustiças. Não percebo qual a grande vantagem da atribuição do título de especialista pela OE com base no percurso profissional ... é para ser como os médicos. Os médicos saem da faculdade com mestrado integrado. A lógica seria nós termos acesso à especialidade aquando da conclusão de um mestrado. Os que andaram a gastar dinheiro a estudar andaram a fazer figuras de parvos. Já na licenciatura, os que fizeram o complemento a mesma treta... (os que ficaram em casa ficaram-se a rir). Agora querem fazer o mesmo com a especialidade. O acesso a especialista só devia ser possível com aquisição de mestrado, depois se a ordem quiser fazer um exame, internato (DPT)...tudo bem. Mais injustiças não! Depois temos uma segunda grande injustiça que decorre da primeira. Apesar de uma carreira de porcaria, ela nem sequer é para todos. Falamos dos enfermeiros em CIT. Só serviu para criar desunião entre os enfermeiros e muitos foram coniventes nessa situação.

O que é engraçado é que a maioria dos enfermeiros anda completamente apática. Não reage. Completamente submissa. E sim...são os enfermeiros quem mais explora enfermeiros e são enfermeiros quem inventa e cria injustiças na enfermagem!
 
"Os médicos saem da faculdade com mestrado integrado"
-Por isso é que estudam 6 anos!

" A lógica seria nós termos acesso à especialidade aquando da conclusão de um mestrado"
-Por esse princípio os médicos deviam sair com Doutoramento feito após andarem 6 anos a tirar uma especialidade.

Sejam realistas!
 
"Neste momento só os oficiais da GNR formados na Academia Militar podem ascender aos cargos mais elevados da guarda. Constança Urbano de Sousa quer mudar essa realidade. “Não distinguimos entre oficiais com o curso de formação na academia ou outro curso, que também é de formação militar. O único requisito é terem um grau de mestre, portanto, um grau de mestre pós-Bolonha ou o equivalente a uma licenciatura pré-Bolonha ..." Passa-se na GNR e em muitos outros lados ...

Ter um mestrado para subir na carreira é algo absolutamente normal, principalmente depois de Bolonha. O que é que falta perceber aos enfermeiros?

Claro que nos médicos é diferente, pois saem com mestrado integrado. Há mestrados profissionalizantes, não doutoramentos profissionalizantes...

Não sou professor de enfermagem, não dou aulas em escolas de enfermagem, sou crítico em relação a muitos aspetos das escolas de enfermagem, mas não podemos esquecer o que se passa à nossa volta. A partir deste momento só se devia poder aceder ao título de especialista com um mestrado. Até porque para muitas especialidades é fundamental o aprofundar de conhecimentos teóricos e teórico práticos em diversos domínios, com bons professores multidisciplinares. Talvez fosse boa ideia era imitar os médicos na formação e colocar termos a maioria dos professores de enfermagem obrigados a também exercerem enfermagem, mesmo que em part time.

Estão a preparar uma real regressão académica na enfermagem! E claro que isso tem a sua importância!
 
Não reconheço grande credibilidade a esta ordem para nada. A enfermagem está de rastos. Concordo em absoluto que A aquisição de uma especialidade em enfermagem deveria englobar uma formação ao nível do mestrado.
 
"A partir deste momento só se devia poder aceder ao título de especialista com um mestrado"

Aí está o lobby do ensino da Enfermagem a falar.
Os médicos tiram especialidades tecnicamente complexas sem cursarem mestrados (pois não lhes faz falta nenhuma) e aprendem com quem realmente sabe, que é quem trabalha no terreno e não com quem está apenas atrás de uma secretária .
 
Os médicos saem com mestrado de base.
 
Médicos especialista: mestrado
Médico dentista: mestrado
Psicólogo especializado: mestrado
Fisioterapeuta especializado: mestrado
Etc..
Etc..
Enfermeiro especialista: licenciatura mais experiência profissional

Será que estamos orgulhosamente sós na direção certa.

Estamos a regredir para o tempo do bacharel. Se a formação base de enfermagem passasse para mestrado integrado eu percebia, mas como isso não vai acontecer tão cedo esta estratégia não faz sentido.

Para quem anda a dormir: Os médicos fazem o seu internato mas depois do mestrado que está já integrado no curso base.

A licenciatura atual (1º ciclo de Bolonha) transformou-se no antigo bacharelato e há ainda muito boa gente que não percebeu isso...

E isto nada tem a ver com interesses das escolas. Acabem com metade delas que não fazem falta, mas mantenham poucas mas BOAS e a formarem bons especialistas. A OE logicamente terá sempre de participar e colaborar na formação (isso pode ser feito de múltiplas formas, até porque deverá ser a OE que deve definir as competências de cada especialista).
 
"Médicos especialista: mestrado"

Sim , o mestrado advém de terem um curso com 6 anos e não de terem uma especialidade. Os Enfermeiros se querem sair com um mestrado de aumentam a duração do curso para 5 ou 6 anos
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!