quarta-feira, janeiro 30, 2008

Abertura de mais uma Escola Superior de Saúde privada? Outra?


Os alunos de Enfermagem de Bragança já nem têm locais de estágio para todos. Agora, a CESPU numa perspectiva meramente comercial quer abrir mais uma Escola Superior de Saúde.

O próprio presidente do Instituto Politécnico de Bragança receia, pois afirma que "é uma área que vai ficar saturada e com excesso de profissionais, o que já acontece na Enfermagem e tecnologias da saúde. Temo que possa não ser sustentável"...
Mas que insustentável, é uma exploração a olhos vistos.

Todos sabemos que a qualidade do ensino de Enfermagem está em causa com o número de cursos e vagas actualmente disponibilizadas.... se abrirem mais, que futuro para a Enfermagem?
Penso que a Ordem dos Enfermeiros (OE) tem-se demitido da sua função primordial: regulação da profissão. Mesmo que se argumente que a OE não tem influência directa sobre esta questão, existem alternativas de actuação junto da tutela respectiva. No entanto, a OE não mostra vontade em intervir, pois continua a sua conivência com este fluxo formativo "rumo ao rácio médio da OCDE" (que há-de ser a destruição da Enfermagem em Portugal - brevemente "postarei" um reflexão assente em dados concretos que permitirá desmistificar este assunto de uma vez por todas...).
a
O desemprego tem causado mossa na classe: humilhação, exploração, diminuição do status social, etc... Se a OE não se recorda, eis as atribuições patentes nos seus estatutos (artigo 3º, ponto 1 ) que não são minimamente respeitadas :
a
- Zelar pela função social, dignidade e prestígio da profissão de enfermeiro, promovendo a valorização profissional e científica dos seus membros;
a
- Fomentar o desenvolvimento da formação e da investigação em enfermagem, pronunciar-se sobre os modelos de formação e a estrutura geral dos cursos de enfermagem.
a
Portugal não tem condições para formar os Enfermeiros que forma. Acho curioso o argumento que o governo apresenta qaundo o tema se reposta à abertura de mais faculdades de Medicina: "mais nenhuma universidade portuguesa tem condições para desenvolver formação nessa área", ou então: "nenhuma das propostas foi demonstrada como tendo o mínimo de qualidade para ser autorizada a funcionar e a formar médicos".
Não se compreende então a evidente facilidade na abertura de cursos de Enfermagem.
a
A Ordem dos Médicos (OM), essa, é bastante concreta e clara na sua posição, quando se propôs a abertura de mais faculdades de Medicina: "lutará incansavelmente contra o alargamento excessivo do numerus clausus e qualquer tentativa de formar Médicos a mais, pelo que rejeita a criação de mais Faculdades de Medicina. O número de Médicos a formar deve estar de acordo com as necessidades do país de modo a impedir o desemprego ou o subemprego Médico, que apenas traria benefícios aos grandes grupos económicos que pretendem dispor de mão-de-obra barata".
a
Quem consegue observar diferenças de atitudes entre a OM e a OE?

Comments:
E o que é que a ordem pode fazer? A OEnf não pode fazer nada, não sabe fazer nada, nem consegue fazer nada.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
Lamentável...« mais carne...para o desemprego....»


Teixeirinha
 
abram mais :)

Eu acho indecente às vezes uma pessoa ir na rua e não ver um enfermeiro em cada esquina.
Sim! Porque de vez em quando, em certas alturas do dia, uma pessoa está a passar e n vê um enfermeiro (a sério, às vezes acontece-me).
 
Caro Dr. Enfermeiro já tivemos oportunidade de conversar antes sobre este assunto. Foi largamente discutido na campanha e pelo que vistos continua desinformado ou então prefere continuar a se-lo!

A Ordem dos Enfermeiros já tomou posição. aliás a unica que pode tomar em relação à abertura de Escolas, Aprovou no ano passado o modelo de desenvolvimento profissional! Este irá permitir decidir não a abertura de Escolas, que não cabe à ordem (embora possa ter opinião e já o fez anteriormente). Com o modelo por ano ficariam defenidos as vagas para os internatos gerais e da especialidade... Quer melhor método para controlo da qualidade e quantidade?
 
Caro "Life Passenger":


É um facto que não é a OE que controla ou dá parecer p a abertura de novas escolas de enfermagem, mas, cabe à OE verificar a qualidade do ensino, campo de estágio qualificado, etc, etc... Ou seja, a OE tem de ser interventiva, quer de forma institucional (ministerio do ensino sup - OE) quer em termos de comunicação social! Digo comunicação social pq tem o peso de colocar um ministro ou mm governo na rua! é o caso do CC.
Portanto, a proliferação de Escolas de Enfermagem, não pode somente, ter como barreira o novo modelo de internato de enfermagem, pq ainda nem foi aprovado.
Temos de ter uma força de comunicação que seja compreendida pelo público, cidadão!(em q os enf se revejam)
Até ao momento, a nossa Bastonária não é compreendida pela sociedade, nem pelos jornalistas, nem pelos próprios enf, seria de bom senso contratar um especialista em comunicação (o dinheiro q é pago por todos, dá perfeitamente), para podermos ter um futuro risonho nos próximos anos.
Não estou a tentar minimizar o trabalho que a Sra Enfa Ma Auguta fez no SEP e pela enfermagem, mas todos temos áreas com menor vocaçao, de facto a comunicação não é área da Bastonária.


Cumprimentos
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!