terça-feira, abril 01, 2008

"Paramé(r)dicos"! - Ordem dos Médicos defende Enfermeiros!


A ignorância, por vezes, gosta de "brincar" com algumas cabecinhas pouco pensadoras! Basta tomar alguma atenção dos disparates que andam a ser publicados na imprensa diária.
Volta à baila, mais do que nunca, a possibilidade da criação da carreira de "paramédico" em Portugal.
a
Nós até já temos Técnicos de Emergência (TAE), mas Portugal tem dois adeptos - entre muitos outros - acérrimos das séries televisivas norte-americanas que envolvem tinonis: Duarte Caldeira (Presidente da Liga dos Bombeiros) e Vítor Almeida (Presidente da Associação Portuguesa de Medicina de Emergência). As "pérolas" parecem ser a especialidade destes dois:
a
Duarte Caldeira: "Não há médicos suficientes para prestar um serviço de qualidade de socorro pré-hospitalar. É necessário, por isso, criar um patamar intermédio"
a
Vítor Almeida: "Não servem para substituir os médicos, devem cooperar com eles. Num caso grave podem estabilizar o doente ou colocar-lhe um soro"
a
Estes dois senhores gostam de omitir os Enfermeiros propositadamente. Os Enfermeiros nem tão pouco são um "patamar intermédio" - note-se - mas sim profissionais licenciados que, formando equipa com médicos ou autonomamente, são os mais indicados para a assunção do papel central no pré-hospitalar!
A Ordem dos Enfermeiros reuniu com o INEM, é certo, mas a expressão pública, mediática e objectiva de apoio aos Enfermeiros proveio (novamente) da.... Ordem dos Médicos (que tem a frontalidade que a OE parece não ter!), na pessoa do seu bastonário, Dr. Pedro Nunes: "Não seria mais inteligente dar formação a profissionais já existentes, como Enfermeiros que estão desempregados"?
Urge criar a especialidade de "Enfermagem de Urgência/Emergência"!

Comments:
Será que a nossa bastonária percebe alguma coisa de emergência pré hospitalar? Será que ela sabe que há enfermeiros no INEM? Será que sabe alguma coisa sobre qualquer coisa?
 
Eu somente gostaria de saber onde andam os enfermeiros quando a gente necessita deles?
Tomara velos nos hospitais e nos centros de saúde a cuidar dos doentes, porque ultimamente até para efectuar um penso ou medir uma tenção arterial é necessário fazer marcação, somente em alguns dias e já tem lista de espera, aprenderam facilmente com os doutores.

Agora estão preocupados com a formação dos nossos Bombeiros?
Deve cheirar a muito dinheiro ou os novos interesses monopolistas, porque actualmente não forem os Bombeiros a socorrer, mais ninguém aparece, eles até fazem o vosso trabalho, vão aos centros de saúde socorrer, porque quem trabalha nada sabe fazer.
Um concelho, tente arrumar a vossa casa, muito necessita de arrumação.
 
caros:

proponho a nossa reuniao urgente!
vamos a isto Dr Enf.
a "bola de neve" aumenta a cada dia.
Caro Hugo, vamos mobilizar.
blá, blá é o q acontece aqui, ainda q com todo o respeito pelos posts mt bons e que mostram o drama actual.
vamos passar das palavras a acçoes.


cumprimentos
 
Creio que o grande problema dos enfermeiros foi pensar o médico como o inimigo, quando isso não é verdade.
É essencial ultrapassar preconceitos, manter um respeito recíproco,conscientes da interdependencia, mas sem intreferencias abusivas, com um elevado sentido ético e profissional. São duas profissões que se complementam.
Trabalho com médicos que afirmam sem perder nada que aprenderam muito com os enfermeiros...
Porquê esta guerra?
 
DE,

Urge fazer algo, penso que a OE deve acelerar a formação de uma rede de colaboradores no pré-hospitalar para estabelecer uma agenda naquilo que já é o projecto da OE de certificação de competências numa área que até consta da proposta de individualização de especialidades.
Caro DE, não é batendo na OE, mas antes trabalhando com ela, que podemos unir esforços. Pense nisso.
 
Está tudo a passar ao lado dos enfermeiros, a OE continua a dar tiros no pé....
 
Caríssimo e estimado colega Pedro José Silva,
quem sou eu para bater na OE? Pelo contrário, é mostrar à OE o caminho que os Enfermeiros "desejam" trilhar. Relativamente ao unir esforços, estou perfeitamente em sintonia consigo, aliás, já aqui disse que se a OE se unir ao 55 mil Enfermeiros seremos imparáveis, como deve calcular...
É tudo uma questão de harmonizar vontades, objectivos, estratégias e acima de tudo mentalidades.
Bom trabalho.
 
É triste verificar, que é a Ordem dos Médicos a defender os Enfermeiros e não a propria ordem.
O que é que esses parasitas fazem para além de nos chularem 7 euros e tal por mês??
Penso que essa cena da criação de paramédicos não passa de mais um "tacho" para alguns.
Numa altura em que só se fala em apertar o cinto, é mais uma medida para desperdiçar tempo e recursos humanos em formação.

O comentador das 7 e 21H, deve viver na "Parvónia".Palavras para quê?
 
Desculpem lá, mas uma atestado de burrice e palermice à actual OE já foi passado há muito!

Mas vocês estão ainda à espera do quê?! Qualquer dia mais vale criar um tipo de membro extraordinário na OM, que ao menos essa tem força para defender os seus membros e aqueles talvez mais próximos.

Concordo com a ideia da tal reunião informal. Quem quiser, é livre de ir, sem necessidade de se identificar.

Já ando a ver lugares pela zona do Porto.

Quem apoia esta iniciativa?!

Pelo menos nós avançamos para um debate informal, enquanto a OE anda a tomar chá com o Governo e outros..

Mas quem votou naquela lista ah?! Eu até respeito a vossa vontade, mas não lixem a Enfermagem!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 
doutorenfermeiro não sei se conheces a tomada de posição da OE sobre a enfermagem pré-hospitalar em que diz qual é o papel do enfermeiro na assitencia pre-hospitalar e vem "Clarificar que a centralidade das atribuições do enfermeiro no pré-hospitalar
decorre das intervenções aqui referidas, pelo que, quaisquer outras que impeçam a
prossecução das mesmas são contrárias ao quadro da responsabilidade profissional
decorrente da lei." o mesmo que dizem que outros "profissionais" que pratiquem no lugar da enfermagem as suas atribuições fazem-no ilegalmente. cabe as entidades de formação criar cursos no ambito prehospitalar, cabe a OE os certificar e cabe a todos nós não formar ou contribuir para a formação de paramédicos...
 
Caro "Doutorenfermeiro"

Foi exactamente a pensar nestas suas palvras e na filosofia implícita que costuma apresentar em muitos dos seus "posts" que a Universidade Atlântica abriu já há dois anos a Pós-Graduação em "Urgência e Emergência Hospitalar". Muito poderia dizer sobre esta questão mas, como deve calcular, nunca através de um pequeno "post".
Posso no entanto afirmar que tem sido um tremendo êxito dado que se sabe que é uma necessidade formativa para a profissão de enfermagem - pré-hospitalar e hospitalar.
Na verdade, sabemos que a Enfermagem tem um papel central nesta área de intervenção. E, no que podemos, ao nosso nível de intervenção, estamos a fazer tudo para que assim seja.
O adesão a este curso, por parte dos enfermeiros, tem sido tão significativo que em consequência deste êxito, a Universidade Atlântica já abriu a 3ª Edição na Região Autónoma da Madeira, curso que esgotou as vagas previstas em apenas 15 dias. O que significa que esta é claramente uma área de intervenção que se enquadra (ou se deve enquadrar) nas competências dos profissionais de enfermagem.
Penso que se percebe a razão pela qual esta é uma pós-graduação e não uma especialidade... não vou aqui e desta forma tecer comentários. Não seria correcto da minha parte, pois exigiria uma posição fundamentada que não se esgotaria neste pequeno "post".
Isto só para referir que não andamos todos distraídos... e referir ainda que alguns enfermeiros fazem tudo, entre muitos, para que a nossa profissão seja em cada dia que passa mais digna. Certamente que tudo continuaremos a fazer para que assim seja.
Cumprimentos
 
Estão a surgir bons tópicos. Obrigado a todos pelos comentários. Compreendo o que refere, caríssimo Prof. Sérgio Serra.
Tem toda a razão (sim, tenho conhecimento) estimado colega Miguel Rocha.
 
É tempo de se criarem várias especialidades nas várias áreas de prestação de cuidados.
Não faz sentido a Espcialidade Médico-Cirurgica como hoje existe.
Essa mesma especialidade serve para um serviço de cirurgia como para uma dermatologia, uma urologia, uma UCI ou um bloco operatório....

Não é assim que se define a qualidade dos cuidados ou a idoneidade cientifica e técnica.

É tempo de diversificar as especialidades e de as certificar.

Um abraço.
 
Penso que a Especialidade em Emergência já foi falada em assembleias da O.E. Seria Cuidados aos Doentes em Situaçao Critica (se não estou em erro).

Concordo com o Pedro que terá obrigatoriamente que se acelerar a formação da rede de colaboradores para avançar o mais rápido possivel com o Modelo de Desenvolvimento profissional!
 
APOIO A INICIATIVA DA ENFERMAGEM,NÃO SÓ!

O comentário do anónimo das 7.21h PM é no mínimo de um arenuláceo baquista, equivalente às argas dos habitantes de um qualquer capoeiro deste país.

O seu discurso é característico de um areento, cujo o habitat natural é o manicómio.

Já o teor do conteúdo das sua palavras é baratim, próprio de um lácticórneo, por isso resigne-se ao pasto.

NEL
 
Parece que a OM continua a fazer o papel que deveria ser abraçado pela OE...
 
Amigos ñ vale a pena lutarem o projecto ja foi acçionado e o projecto siv ja parou... ñ vai haver mais do que as que ja existem e essas meus amigos o destino é parar podem começar a ficar preocupados porque a carreira de paramedico vai surgir num espaço de um ano e isso ja está mais que certo. E voçes ñ precisam de formar ninguem porque vão ser os medicos os responsaveis por esta formação e mais vos digos os TAS vão voltar ás VMER...
Aguardem e TOMEM ATENÇÃO SE DIGO ISTO É PORQUE SEI ALGUMA COISINHA... É pena mas quiseram subir depressa demais e pisar todos á vossa volta é triste mas vão ter que levar com tecnicos é pena mas tem que emgulir mais um grande enorme sapo...
 
"TOMEM ATENÇÃO SE DIGO ISTO É PORQUE SEI ALGUMA COISINHA"

Faz lembrar um outro "compincha" que na altura da formação das SIV também sabima "alguma coisinha",e afirmou a pés juntou que "a SIV não ia para a frente"...

"E voçes ñ precisam de formar ninguem porque vão ser os medicos os responsaveis por esta formação e mais vos digos os TAS vão voltar ás VMER"

Obrigado pela informação.


"É pena mas quiseram subir depressa demais e pisar todos á vossa volta é triste mas vão ter que levar com tecnicos é pena mas tem que emgulir mais um grande enorme sapo"

Se for necessário "emgulir" o sapo, cá estamos...
 
Será que a OM vai nessa ?
 
1º comentário:
isto está a aquecer


Marque-se a tal "reunião informal", que lá estarei


Fim das siv??!! Onde?? Só se for no Burkina Fasso. É que lá também as há, mas acho que vão mesmo parar por falta de "gasoil". Enfim, aja paciência. Tanta ignorância junta....

4
Quanto à nova especialidade de emergência, ou lá como é que se iria chamar, acho (acho, não, tenho a certeza!) que algumas escolas DO ESTADO já começaram a tratar de enviesar os cursos de especializações neste sentido. Passo a explicar: a emergência é do topo da moda; os recém-formados com especialidades não têm colocação em parte nenhuma (lugares no quadro como especialistas); as escolas continuam a precisar de financiamentos ( o Sr. Professor da Madeira até diz que tem sido um sucesso, a tal pós-graduação). Solução: dar uma conotação ao clássico curso de especialidade médico-cirúrgica de curso vocacionado para a abordagem do doente crítico/emergente.

Resumindo: se calhar, as escolas vão imediatamente chamar a si a responsabilidade pela formação dos tais "especialistas em emergência", que serão então enviesados, mal formados, uma farsa..... mas JÁ EXISTEM. Como fácilmente compreendem estou a tentar colocar-me na pele quer das escolas, quer desses enfermeiros que acabaram de gastar 5000 euros de propinas para se formarem.

Julgo que me faço entender....

É preciso algum cuidado com esta possibilidade, parece-me.

Quem quiser mais detalhes sobre esta situação das escolas, é só pedir.

Cumps
 
AAAAAhhhh...
só mais uma coisinha. Todos estes estratagemas e confabulações para a criação do paramédico de emergência, devem-se a um único e exclusivo cérebro: Vitor Almeida. Já em tempos chamei a atenção aqui para o perigo que este indivíduo representa para a enfermagem. Hoje está a fazer uma "parceria" com o Duarte Caldeira, amanhã fará um "ajuntamento" sabe-se lá com quem...!!???
Parafraseando o anónimo das 7:03, "olhem que eu sei alguma coisinha".

Cumps
 
Os candidatos a paramédicos que andam por aqui têm que tirar primeiro um curso de português... ou acabar o 9º ano ... ou acabar o 12º sem ser no RVCC!
É que para além de fazer TINONI é necessário, pelo menos, saber ler, escrever e falar!
Os bombeiros necessitam de mais formação, primeiro na área do português e da cidadania. Precisam também de educação para a saúde no âmbito dos estilos de vida saudáveis (não comerem que nem uns alarvos e nem beberem vinho ou cerveja em jeito de prova de fundo...). Parte fundamental será também formação sobre incêndios (que, incrivelmente, nem todos têm...). Será também importante aumentarem os seus conhecimentos ao nível da protecção civil (inundações, sismos, etc...). Finalmente também será importante possuirem conhecimentos de SBV.
Sr. Duarte caldeira!! Tem muito por onde começar! Bom trabalho.
 
O anónimo das 7.03 PM disse:

" ñ vale a pena lutarem o projecto ja foi acçionado e o projecto siv ja parou... ñ vai haver mais do que as que ja existem e essas meus amigos o destino é parar(...) e mais vos digos os TAS vão voltar ás VMER...Aguardem e TOMEM ATENÇÃO SE DIGO ISTO É PORQUE SEI ALGUMA COISINHA... "

Este abelhudo abissal até tem razão os TAS vão voltar às VMERs... a pedido dos médicos e enfermeiros, é que é preciso alguém para lavar e limpar as viaturas...

e já que eles "SABEM UMAS COISINHAS"... embora, na minha opinião, ficavam melhor servidos com um burro, mas quando cada um resolve os problemas com o que tem à mão!!! e no pré-hospitalar ONTÓFILOS (TAS/TAE)é que não faltam.

Quantos às SIVs, também é verdade o que este "abécula" diz... pois os TAE confundem os assentos com a alavanca de velocidades e não param de sentar-se na alavanca, vá-se lá perceber porquê!!!

A relação de entendimento é de tal forma que as alavancas de velocidades das viaturas estão a desaparecer!!!

sendo por isso que as viaturas ficam INOP.

NEL
 
Pois bem...os bombeiros precisam de saber SBV...lol..será que todos os enfermeiros sabem faze-lo????
Se digo isto é pq..."sei alguma coisinha"
Médicos e enfermeiros têm o seu local de trabalho,não ocupem o que não vos pertence...
 
Caro Nel:
Sem palavras...
É sempre um prazer ler os seus comentários :-)

Estimado Serrano,
CONTINUO À ESPERA DE INSTRUÇÕES!

Um grande abraço meus amigos.
 
Caro drenfermeiro

Não serão os totós os próprios enfermeiros??? É que me parece que os primeiros candidatos a este suposto curso poderão vir a ser os própriamente ditos. Sobretudo uns que há por aí, desempregados, e tal...

Cumps
 
Por vezes é preciso ter algum cuidado e tranquilidade na abordagem de certos assuntos. Respondendo ao colega PedroJoseSilva - NÃO ! Certificação de competências não é a solução! Pelo menos enquanto essas competências não estiverem concretamente salvaguardadas na legislação como exclusivas (ou não) de determinado grupo profissional. Certificá-las neste momento apenas seria mais um exercício académico para a OE , sem qualquer efeito prático e provavelmente mais uma forma de cobrar uns emolumentos para encaixe financeiro.... Não sei se sabe, mas juridicamente está consagrado que o 2º tripulante de uma VMER é um CONDUTOR que poderá ser um enfermeiro. Mas nada obriga a que seja. Se neste momento o é, isso deve-se apenas ao bom-senso das administrações de cada hospital. Quid iuris ? Certificar competências esbarraria numa panóplia burocrática que, aquando da sua concretização, já teremos efectivamente um exército de técnicos a executar aquilo que até agora são competências de enfermagem. MAS ESPEREM - o que são efectivamente competências de enfermagem ? Porque se me vêm falar no malogrado REPE, então não há competências concretas de enfermagem no pré-hospitalar. Pelo menos nehuma que não possa ser executada por um técnico.
E se na maioria dos casos a única diferença na assistência pré-hospitalar entre um técnico e um enfermeiro é a colocação de um soro....então, meus caros, não vamos lá ! Pelo menos enquanto o acompanhamento na ambulância for feito exclusivamente por um médico ficando o enfermeiro como batedor da ambulância. Onde estão os registos de enfermagem no pré-hospitalar ? Onde se atesta o que fazem ? Aguardo resposta.
Criação de especialidade de Emergência ? Esta então ainda é melhor ! E seguramente um filão para as escolas de enfermagem. ALGUM DOS PARTICIPANTES SE RECORDARÁ, AINDA QUE POR BREVES INSTANTES ,QUE NÃO HÁ NA NOSSA CARREIRA ATRIBUIÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA ? Então para quê uma especialidade se não há legalmente conteúdo funcional para a mesma ? Ridículo. Parece que por vezes, efectivamente os enfermeiros ou não pensam ou então têm uma visão extremamente limitada das questões. Querem soluções ? Primem por participar activamente nos designios da profissão, nomeadamente intervenção sindical, assembleias da Ordem, etc, de forma a que se obtenha a solução que é : REVISÃO DO REPE COM ATRIBUIÇÃO DE COMPETÊNCIAS ESPECIFICAS DO ENFERMEIRO GENERALISTA E ESPECIALISTA, DEFINIÇÃO DO ACTO MÉDICO E ACTO DE ENFERMAGEM E REGULAMENTAÇÃO DA CARREIRA. Façam a casa pelos alicerces e não pelo telhado !
Quanto às críticas aos colegas enfermeiros envolvidos em projectos formativos na área dos paramédicos e TAE's, eles profissionalmente transcendem a profissão de enfermeiro. São formadores e agem como tal e como devem pelo CAP que possuem para exercer a profissão de FORMADOR em toda a sua abrangência. As questões de consciência ficam para discussões metafísicas. Sugerir denunciar os mesmos ? Não me façam rir ! A quem ? Invocando o quê ? Cumprimento integral de uma profissão ? Mesquinhices destas não levam a lado nenhum.
 
Para o anónimo das 10:53:
Os Bombeiros precisam de saber SBV tal como os polícias, militares, GNR, motoristas profissionais, e toda a população em geral...os enfermeiros (e outros técnicos de sáude) têm que saber bem mais do que o simples algoritmo de SBV! Pode procurar informações no Conselho Europeu de Ressuscitação (www.erc.edu).
Ao nível dos conhecimentos na área da saúde SBV é do mais básico que existe! É que para perceber muitos dos aspectos relacionados com a saúde é preciso começar pela base e é necessário estudar um bocado...
 
Senhor DE, aqui está um exemplo de um colega seu que realmente sabe do que está a falar e não se limita às mesquinhices que o senhor escreve, aprenda! Anónimo das 10:31, estou totalmente de acordo consigo, parabéns pelo comentário e por defender a enfermagem da melhor maneira.
MAC
 
Ainda pensei em não responder ao anónimo das 10.31h AM. Mas tal prepotência enoja-me.

Se nalguns aspectos até concordo consigo, noutros SOU TOTALMENTE CONTRA, pois o seu discurso é

subjectivo, ambíguo e dúbio, revelando outros interesses mascarados que não a defesa da enfermagem.

O conceito básico da emergência pré-hospitalar, e no fundo o da criação da própria VMER, remonta ao Dr. Kirschener, cirurgião alemão,

apologista de que "a prioridade não deve ser dada ao transporte da vítima ao médico, mas sim ao transporte do médico a vítima".

A este conceito está inerente uma filosofia "STAY AND PLAY", que predomina na Europa sendo o SAMUR Francês o exponente máximo da mesma.

Caso não saiba, o projecto-Lei da criação das VMERs estipulavam que a tripulação fosse constituída por 3 tripulantes: um médico, um enfermeiro e um condutor.

Contudo por motivos económicos, foi decidido no debate da especialidade que um dos tripulantes passaria acumular as funções de condutor.

A versão final da Lei estipula que a tripulação seja constituída por um médico e um condutor, aqui por lapso, ou por segunda intenção resultante de "lobbies" não faz referência à formação do condutor...

A verdade é que mesma lei define a VMER como "um serviço de urgência hospitalar sem paredes".

Pelo que o 2º tripulante tem que obrigatoriamente de ser um enfermeiro, POIS QUE EU SAIBA AINDA NÃO EXISTEM TAE NO HOSPITAL.

Quando o anónimo das 10.31h AM diz:

" (...)eles profissionalmente transcendem a profissão de enfermeiro. São formadores e agem como tal e como devem pelo CAP que possuem(...)."

Isto é simplesmente OMINOSO!!! O facto de ter um certificado de aptidão profissional, vulgo CAP,

não o torna omnisciente, mas sim num OSMÓLOGO de cifrões, digno de um DOIDIVANAS, QUE PRETENDE JUSTIFICAR O QUE FAZ.

NEL.
 
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
 
O anónimo das 2.10h AM disse:

"éS TÃO BURRO!!! ISSO É MESMO DESESPERO"

A FANTASTIQUICE do seu comentário é prova evidente de que não passa de um simples BABIRUSSA.

Cuja principal qualidade é ser ASCOROSO no diz e faz, enquanto detentor do tal CAP.

Apenas lhe posso dizer que lamento que tenha perdido a sua capacidade de asserção.

NEL
 
Caríssimo "Nel"
Como poderia facilmente constatar não fui eu ( o dito anónimo osmólogo de cifrões das 10:31 ) que postei o último comentário. Ainda que o fosse, não deveria o sr. descer ao nível de quem usa tal linguagem para se dignar a responder. Como o fez, revela que é indigno de qualquer comentário da minha parte.
Nota : não é babirussa mas sim babirusa, nem ascoroso mas sim asqueroso !
Atentamente
O prepotente que o enoja.
 
Ainda outra nota :
Há TAE's a fazer vmer. Mais precisamente na vmer do hospital de S. João. Informe-se !
 
Caro colega Dr Enf

parece que apesar da sua filtragem ainda vão aparecendo comentários de baixo nível, demasiadamente baixos e os quais não dignificam em nada a nossa classe.

O seu blog assim poderá perder novamente alguma da qualidade a que nos vinha habituando...


Saudações
 
Caro anónimo das 11.48h

A palavra BABIRUSA, simplesmente não existe.

BABIRUSSA= Paquiderme da familia dos Suídeos.

ASQUEROSO= Aquele que produz crosta.

ASCOROSO= repugnante.

Cumprimentos.

NEL
 
Sr DE, pergunto-lhe se são estes os seus colegas que acha que são melhores que os tais bombeiros que tanto critica.. pelo menos pelo que escrevem vejo-os muito mais mal educados.. como vê maus profissionais há em toda a parte!! Ou então estiveram de voltas de minis.. As vítimas de PH merecem melhor.. alguém realmente preparado para o PH.
MAC
 
Ridiculos estes sennhores que orientam as nossas emergências...
Somos mesmo um país das bananas...

A respeito dos PARADOUTORES, Vítor Almeida: "Não servem para substituir os médicos, devem cooperar com eles. Num caso grave podem estabilizar o doente ou colocar-lhe um soro" - Não me faça rir Senhor Doutor!

Só é lamentável o "zé-Povinho" deixar-se envolver nesta conversa da treta fundamentada das imagens das séries americanas que ganham óscares e grammyes, e medalhas e mais não sei o quê!

O PARADOUTOR com 10 ou 100 ou até 1000 horas de formação, bem treinado, se calhar conseguiria "vestir" os protocolos de emergência nas vítimas mas seria tipo linha de montagem fabril para tamanhos standart... Faltaria-lhes o requinte do alfaiate que consegue adaptar as medidas do fato à pessoa que tem à sua frente...


Mais cómico ainda é dizerem estas coisas da autonomia ao pessoal que têm no terreno de por soros para estabilizar vitimas (e todos nós sabemos o IMPACTO que tem o NACl 0,9% no subconsciente dos portugueses nos nossos hospitais...) e não deixam ENFERMEIROS administrarem analgésicos a politraumatizados ou vitimas com simples, mas dolorosas fracturas; ou que insitem na administração de "papa açucarada" a pessoas em coma hipoglicémico" quando lhes dizemos que somos enfermeiros, que sabemos o que é um abbocath, uma seringa, uma veia, uma glicose 30%, uma pessoa em coma que não deglute e o que é uma pneumonia por aspiração... enfim... os PARADOUTORES É QUE VÃO SER OS MAIORES...
 
Força nisso...e nessecario e importante fazer modanças neste pais..honde existe muito pretegunismo pelas referidas ordems, dos medicos e enfermeiros, e que na sua realidade ninhuma faz nada..
Nao esquese-mos a Importancia da criaçao do referido Curso e carreira de Paramedico, em toda a parte do mundo existe,chega a tempo e horas , para tentar salvar vidas..Vamos mudar os comportamentos, e comecar a pensar mais no povo e na populaçao que todos os dias nessecita de cuidados Pre-Hospitalares deferenciados e profissionais.
Naaao vale a pena tapar o sol com a peneira, INEM, e Bombeiros nao tem maos a medir, para as respostas solicitadas, o sistema de Emergencia medica em portugala nao ta a foncionar correctamente, os profissionais de Emergencia Pre-Hospitalar cada vez sao menos profissionais naquilo que fazem..e uma vergolha..
Penso que os enfermeiros e medicos deveriam estar nos seus respectivos postos de trabalho, Hospitais, e centros de saude, honde existe uma grande falta de profissionais .
A criaçao da carreira de Paramedico ira facilitar e menimizar a assistencia medica pre-Hospitalar de Portugal.
O INEM ja ta na altura de criar mudanças organizaçionais , noque diz respeito ao Pre-Hospitalar.
Ja existe em portugal uma Ong Internacional de Paramedicos de catastrofe Internacional .
 
Acho fantástico toda esta guerra mas no fundo ninguém sabe o que diz e todos tem um pouco de razão:
Gostaria de saber quais os bombeiros (o primeiro alicerce do PH) que vão fazer atendimento de CODU porque pelo que me parece vai ser política do INEM a rotação de TAE/TOTE e que esta nova classe profissional vem substituir, parece que voltaram com pena minha a ficar para trás.
O alargamento tão apregoado de técnicos mais diferenciados a todo o pais parece-me uma miragem pois CODU não abundam por ai.
Em relação ao acompanhamento de doentes já vi algumas VMER conduzidas por TAE porque o enfermeiro vinha a acompanhar o doente e já vi também VMER estacionada porque para alem do enfermeiro ninguém queria conduzir a dita viatura sendo a equipa da VMER transportada novamente ao local após a entrega do doente na instituição de saúde. Acho que o enfermeiro ainda tem capacidade de avaliar o doente apos as suas intervenções identificando se há necessidade de acompanhamento acompanhamento.
 
Enviar um comentário



<< Home

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

AmazingCounters.comVisitas ao blog Doutor Enfermeiro


tracker visitantes online


.

Novo grupo para reflexão de Enfermagem (a promessa é: o que quer que ali se escreva, chegará a "quem de direito")! 

Para que a opinião de cada um tenha uma consequência positiva! Contribuição efectiva!